Abertas inscrições para III Conferência Municipal da Educação de Fortaleza

A III Conferência Municipal da Educação promete movimentar o cenário educacional em Fortaleza

III Conferência Municipal da Educação de Fortaleza ocorrerá no Centro de Eventos do Ceará, de 15 a17 de julho (Foto: Igor de Melo)

As inscrições da III Conferência Municipal da Educação de Fortaleza estão abertas desde terça-feira (25/6). O evento ocorrerá no Centro de Eventos do Ceará, nos dias 15, 16 e 17 de julho de 2013. As inscrições poderão ser realizadas através do site da conferência, no endereço www.cmefortaleza.org.

A III Conferência Municipal da Educação promete movimentar o cenário educacional em Fortaleza e tem o intuito de ser inspiradora no sentido de mobilizar a atenção dos educadores e da sociedade. Para alcançar esse objetivo, a programação do encontro conta com nomes nacionais importantes da área da educação e da cultura.

Estão confirmadas palestras dos professores e pesquisadores Fernando Capovilla e Mozart Neves, e do jornalista Gilberto Dimenstein.

Ao final de cada dia haverá apresentações artísticas. Entre as atrações, estão o cantor Arnaldo Antunes, o grupo Teatro Mágico e a cantora Fernanda Takai com o projeto "Música de brinquedo".

Conheça os nomes da programação da III Conferência Municipal da Educação

Fernando Capovilla
É Professor da Universidade de São Paulo, Ph.D. em Psicologia pela Temple University of Philadelphia e Livre-Docente em Neuropsicologia. Também é pesquisador nível 1 do CNPq, coordenador nacional de alfabetização e inclusão da Capes e Seesp-MEC, coordenador de projetos de pesquisa do Inep-MEC, membro do Painel Internacional de Especialistas em Alfabetização convidado pelo Congresso Nacional, membro do Comitê de Ajudas Técnicas do Ministério da Ciência e Tecnologia e chefe do laboratório de Neuropsicolingüística Cognitiva Experimental da USP. 

Fernando Capovilla é autor de 50 livros e softwares, além de 400 artigos científicos sobre desenvolvimento e distúrbios de linguagem oral, escrita e de sinais. Algumas de suas publicações são: Problemas de leitura e escrita: como identificar, prevenir e remediar numa abordagem fônica; Alfabetização: Método fônico, Dicionário da Língua de Sinais Brasileira; Alfabetização fônica; Neuropsicologia e aprendizagem; Alfabetização fônica computadorizada; Os novos caminhos da alfabetização infantil e Enciclopédia da Língua de Sinais Brasileira.

Mozart Neves
Possui Graduação em Engenharia Química pela Universidade Federal de Pernambuco, Doutorado em Química pela Universidade Estadual de Campinas e Pós-Doutorado em Química pela Politécnica de Milão. É Professor da UFPE desde 1977 e membro do Conselho Nacional de Educação. 

Mozart Neves foi pró-reitor acadêmico da UFPE (1992-1995) e presidiu o Fórum Nacional de Pró-Reitores de Graduação das Universidades Brasileiras (1993). Foi ainda Reitor da Universidade Federal de Pernambuco e Secretário de Educação de Pernambuco (2003-2006). Foi Presidente Executivo do Todos Pela Educação (2007-2010). 

Trabalha nas áreas de Políticas Públicas da Educação e no Estudo de Estrutura de Moléculas. Possui 140 artigos científicos publicados na área da química molecular. É autor do livro "Educação Sustentável" (2006) e coautor do livro "A Urgência da Educação" (2011). Em 2008, foi eleito pela Revista Época como uma das 100 pessoas mais influentes do Brasil. Foi também agraciado com as seguintes comendas: Personalidade das Artes, Ciências e Letras da França em 2006, Educador Internacional do Ano - IBC Cambridge (2005) e Cavalheiro da Ordem do Mérito da República Italiana (2002).

Gilberto Dimenstein
Formado na Faculdade Cásper Líbero, é colunista da Folha de S.Paulo (SP) e comentarista da rádio CBN (SP). Foi um dos criadores da Agência de Notícias dos Direitos da Infância (Andi), criou também a ONG Cidade Escola Aprendiz, onde se desenvolve o programa Bairro-Escola, replicado com apoio do Unicef e Unesco em vários estados e cidades do País.

Ganhou, em 1995, o Prêmio Nacional de Direitos Humanos, junto com o cardeal d. Paulo de Evaristo Arns. Além disso, recebeu o Prêmio Criança e Paz, do Unicef e uma menção honrosa do Prêmio Maria Moors Cabot, da Faculdade de Jornalismo de Columbia (USA).

Entre outras obras de sua autoria destacam-se: A República dos Padrinhos: Chantagem e Corrupção em Brasília (Brasiliense, 1988); As armadilhas do poder – Bastidores da imprensa (Summus,1990); A Guerra dos Meninos – Assassinatos de Menores no Brasil (Brasiliense, 1990); A Democracia em Pedaços (Companhia das Letras, 1996); O Aprendiz do Futuro (Ática, 2005); O Mistério das Bolas de Gude (Papirus, 2006); Fomos Maus Alunos (Papirus 7 Mares, 2009) e Mundo de REP (Melhoramentos, 2010). O Mistério das Bolas de Gude também saiu em audiolivro (Audiolivro, 2006). As obras tratam de assuntos polêmicos para a sociedade brasileira e são usadas, com sucesso, por várias escolas do País.

Arnaldo Antunes
Arnaldo Antunes é músico, poeta e compositor. Integrou uma das bandas brasileiras mais importantes de rock, os Titãs. Compositor de hits como "Pulso", "Alma", "Socorro", "Não Vou Me adaptar", "Beija Eu", "Infinito Particular", "Vilarejo", "Velha Infância" e "Quem Me Olha Só". Já teve suas canções interpretadas por artistas como Jorge Drexler, Marisa Monte, Nando Reis, Zélia Duncan, Cássia Eller, Frejat, Margareth Menezes e Pepeu Gomes.

Teatro Mágico
O grupo possui três álbuns de estúdio: Entrada para Raros, O Segundo Ato e A Sociedade do Espetáculo. Inspiradas nas obras de Hermann Hesse, escritor alemão ganhador do Prêmio Nobel de Literatura que apresentou o conceito de teatro mágico em seu livro O Lobo da Estepe, as composições tratam dos personagens que as pessoas precisam assumir nas diversas situações do cotidiano. As canções vão sendo intercaladas pelo traçado tecnológico de ruídos telefônicos, sinais de rádio e mensagens de voz. Os integrantes da trupe se apresentam maquiados e vestidos de palhaço, que trazem a ideia do "personagem interno" escondido em cada um de nós.

Fernanda Takai
O show “Música de Brinquedo” traz sucessos da banda Pato Fu e canções de outros autores interpretadas somente com o acompanhamento de instrumentos infantis.

No projeto "Música de Brinquedo", a banda Pato Fu, liderada pela cantora Fernanda Takai, não utiliza quase nenhum instrumento convencional. O disco que deu origem ao show foi todo gravado com instrumentos de brinquedo ou miniaturas. Também foram utilizados instrumentos ligados à musicalização infantil como flauta, xilofone, kalimba e escaleta. 

Entre os instrumentos, um cavaquinho tem papel de violão folk e também de baixo. Também foram usados um piano de brinquedo, um glockenspiel de latão, um kazoo de plástico e um tecladinho-calculadora. Além disso, outros brinquedos de madeira, pelúcia ou eletrônico tiveram suas sonoridades aproveitadas.