13 de abril de 2018 em Fortaleza

Prefeito Roberto Cláudio inaugura Memorial do Paço

Gestor também entregou a Medalha Iracema a Adísia Sá, Liberal de Castro e Raimundo Fagner


Memorial
O Memorial do Paço conta com quatro salas com exposições das obras pertencentes ao acervo de arte do Município (Foto: Marcos Moura)

O prefeito Roberto Cláudio inaugurou, nesta sexta-feira (13/04), o Memorial do Paço, situado no Palácio João Brígido, também conhecido como Paço Municipal. Na ocasião, o gestor também entregou a Medalha Iracema a três personalidades cearenses: a jornalista e professora Adísia Sá, o arquiteto e professor Liberal de Castro, e o cantor e compositor Raimundo Fagner.

O Memorial do Paço conta com quatro salas com exposições das obras pertencentes ao acervo de arte do Município, troféus e premiações concedidos à Prefeitura e pinturas que retratam os ex-prefeitos da capital cearense. O memorial é aberto ao público, que poderá, além da visita física, interagir com a história e seus personagens por meio de um aplicativo.

Desenvolvido pela Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação (Citinova), o aplicativo "Memorial do Paço" dá à população acesso a todas as informações histórico-culturais do Palácio João Brígido. Para utilizar a ferramenta, o usuário deve baixar o programa em um smartphone ou tablet e fazer um cadastro. A princípio, o aplicativo, que é oferecido no sistema Android, dispõe da visualização do Palácio em 3D, bem como guia e mapa, onde poderão ser vistos os próximos passos da visita e QR Codes que contarão a história de cada obra do local.

“É um espaço de promoção da arte, da cultura e da história do Paço. Todos os espaços serão abertos ao público para que os Fortalezenses tenham acesso ao passado e presente de Fortaleza, por meio do Paço Municipal. Numa segunda etapa, iremos estender essa visitação aos jardins do Pajeú, inclusive como parque público para a Cidade”, explicou o Prefeito.

Espaços
Em duas salas, Espaço Heloísa Juaçaba e Espaço Bispo Manuel da Silva Gomes, ficarão expostas 20 obras do acervo de artes da Prefeitura de Fortaleza. Entre gravuras, pinturas e esculturas, apresentam-se obras dos seguintes artistas: Afonso Lopes, Aldemir Martins, Aldírio Ribeiro, Arthur Luiz Piza, Barrica, Bernardo Cid, Cláudio Tozzi, Descartes Gadelha, Eduardo Eloy, Francisco de Almeida, Heloísa Juaçaba, Lira Juraci, Raimundo Cela, Renina Katz, Roberto Galvão, Sebastião de Paula, Sérvulo Esmeraldo, Sinhá d'Amora, Vicente Leite, Zé Pinto e Zenon Barreto.

No Espaço Manuel Francês, em outra sala do Paço Municipal, estão expostas 43 pinturas do artista plástico Ernane Pereira, retratando todos os prefeitos de Fortaleza durante o período republicano, desde o Capitão José Freire Bezerril Fontenelle até o atual prefeito, Roberto Cláudio. Já na Sala Documental, ficarão exibidos os troféus, certificados e premiações concedidos à Prefeitura de Fortaleza, além de documentos históricos ligados ao surgimento da Cidade.

Visitação
O memorial estará aberto para a visitação do público na primeira edição da Ciclofaixa Cultural, durante a manhã de domingo (15/04), das 8h às 11h. A atividade, que faz parte da programação especial em comemoração ao aniversário de Fortaleza, permitirá aos visitantes conhecer os espaços recém-abertos e outros equipamentos culturais do Centro da Cidade, como a Casa Barão de Camocim, Casa de Juvenal Galeno, o Forte de Nossa Senhora de Assunção, entre outros. Ao longo da semana, a visitação ficará aberta ao público de terça a sexta-feira, das 8h às 17h.

medalhaOs homenageados pela Medalha Iracema foram escolhidos em reconhecimento ao trabalho desenvolvido por cada um

Medalha Iracema
Os homenageados foram escolhidos em reconhecimento ao trabalho desenvolvido por cada um, para a vida e o progresso da capital cearense. São eles, a jornalista e professora Adísia Sá, o arquiteto e professor Liberal de Castro, e o cantor e compositor Raimundo Fagner. “Ser parte de Fortaleza não é só consequência de ter nascido aqui. Precisamos de identidade, independentemente de definições políticas, partidárias e ideológicas, nós temos referências comuns, e acredito que primeira escolha foi muito seleta e certeira. São três influenciadores e formadores de opinião que unem Fortaleza com seus talentos”, destacou o Prefeito.

Em nome dos homenageados, a jornalista Adísia Sá, falou sobre a honra de receber a Medalha Iracema. “Eu não sou uma mulher de formalidades, sou de espontaneidade. Mas esse é um momento de muita alegria para todos nós e vou guardar na minha memória o dia que recebi essa homenagem”, afirmou a professora.

Essa foi a primeira edição da Medalha Iracema, que será concedida anualmente, por ocasião das festas em comemoração ao aniversário da cidade de Fortaleza, a instituições ou cidadãos que tenham prestado relevantes serviços à coletividade nos setores cultural, educacional, filantrópico, econômico, científico ou qualquer outro trabalho em benefício do povo de Fortaleza. Participaram da Outorga o vice-prefeito de Fortaleza, Moroni Torgan; o ex-ministro Ciro Gomes, o reitor da Universidade Federal do Ceará, Henry Campos, vereadores e secretários municipais.

Homenageados
Primeira mulher a ingressar na redação de um jornal do Estado, Adisía Sá foi uma profissional atuante na imprensa e na comunicação cearense, além de ter sido escritora e professora universitária. Iniciou sua carreira jornalística no jornal cearense O Estado e trabalhou ainda nos jornais cearenses O Unitário, O Dia e O Povo. Na televisão, apresentou programa na TV Ceará e foi comentarista nas emissoras Jangadeiro, Manchete e TV Fortaleza. Engajada com os sindicatos e com as ordens de classe, participou e ocupou vários cargos na Associação Cearense de Imprensa (ACI), no Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Ceará (Sindjorce) e na Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), entre outros órgãos e entidades. Adísia Sá também fez ainda parte do corpo docente da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade Estadual do Ceará (Uece), sendo fundadora e professora assistente no curso de Jornalismo e professora titular no curso de Comunicação Social da UFC.

Um dos protagonistas nos desdobramentos do estilo modernista nacional no Ceará, Liberal de Castro foi pioneiro no processo de documentação da arquitetura e do urbanismo cearenses. O arquiteto dedicou-se a estudar as origens e o desenvolvimento da cidade de Fortaleza e da arquitetura cearense, publicando inúmeras obras sobre a matéria, muitos artigos na Revista do Insituto do Ceará, além de livros como “Fatores de localização e expansão da Cidade da Fortaleza” e “Arquitetura eclética no Ceará”. Por indicação dele, a Casa de José de Alencar e o Mercado da Carne, em Aquiraz, foram tombados pelo Iphan em 1964 e 1984, respectivamente, assim como o Theatro José de Alencar, em 1964. Professor emérito da Universidade Federal do Ceará, Liberal de Castro teve papel fundamental na formação profissional de gerações de arquitetos cearenses e na difusão dos pressupostos da arquitetura moderna brasileira.

Raimundo Fagner Cândido Lopes, cearense nascido em Orós, obteve destaque nacional no cenário musical da Música Popular Brasileira na transição das décadas de 1970 para 1980. No decorrer da década de 70 explorou outras regiões fora do Ceará e Nordeste em busca de crescimento profissional junto a outros artistas, como Belchior, Ednardo e Rodger Rogério, o chamado “Pessoal do Ceará”. A partir do grande alcance de seu trabalho e de seu estilo musical eclético que traduz nos arranjos e melodias de suas músicas as diversas culturas que constituem sua formação, conseguiu dar grande visibilidade ao Estado do Ceará, tendo seu nome sempre lembrado entre os principais artistas que compõem o cenário musical do Ceará e do País.

Prefeito Roberto Cláudio inaugura Memorial do Paço

Gestor também entregou a Medalha Iracema a Adísia Sá, Liberal de Castro e Raimundo Fagner

Memorial
O Memorial do Paço conta com quatro salas com exposições das obras pertencentes ao acervo de arte do Município (Foto: Marcos Moura)

O prefeito Roberto Cláudio inaugurou, nesta sexta-feira (13/04), o Memorial do Paço, situado no Palácio João Brígido, também conhecido como Paço Municipal. Na ocasião, o gestor também entregou a Medalha Iracema a três personalidades cearenses: a jornalista e professora Adísia Sá, o arquiteto e professor Liberal de Castro, e o cantor e compositor Raimundo Fagner.

O Memorial do Paço conta com quatro salas com exposições das obras pertencentes ao acervo de arte do Município, troféus e premiações concedidos à Prefeitura e pinturas que retratam os ex-prefeitos da capital cearense. O memorial é aberto ao público, que poderá, além da visita física, interagir com a história e seus personagens por meio de um aplicativo.

Desenvolvido pela Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação (Citinova), o aplicativo "Memorial do Paço" dá à população acesso a todas as informações histórico-culturais do Palácio João Brígido. Para utilizar a ferramenta, o usuário deve baixar o programa em um smartphone ou tablet e fazer um cadastro. A princípio, o aplicativo, que é oferecido no sistema Android, dispõe da visualização do Palácio em 3D, bem como guia e mapa, onde poderão ser vistos os próximos passos da visita e QR Codes que contarão a história de cada obra do local.

“É um espaço de promoção da arte, da cultura e da história do Paço. Todos os espaços serão abertos ao público para que os Fortalezenses tenham acesso ao passado e presente de Fortaleza, por meio do Paço Municipal. Numa segunda etapa, iremos estender essa visitação aos jardins do Pajeú, inclusive como parque público para a Cidade”, explicou o Prefeito.

Espaços
Em duas salas, Espaço Heloísa Juaçaba e Espaço Bispo Manuel da Silva Gomes, ficarão expostas 20 obras do acervo de artes da Prefeitura de Fortaleza. Entre gravuras, pinturas e esculturas, apresentam-se obras dos seguintes artistas: Afonso Lopes, Aldemir Martins, Aldírio Ribeiro, Arthur Luiz Piza, Barrica, Bernardo Cid, Cláudio Tozzi, Descartes Gadelha, Eduardo Eloy, Francisco de Almeida, Heloísa Juaçaba, Lira Juraci, Raimundo Cela, Renina Katz, Roberto Galvão, Sebastião de Paula, Sérvulo Esmeraldo, Sinhá d'Amora, Vicente Leite, Zé Pinto e Zenon Barreto.

No Espaço Manuel Francês, em outra sala do Paço Municipal, estão expostas 43 pinturas do artista plástico Ernane Pereira, retratando todos os prefeitos de Fortaleza durante o período republicano, desde o Capitão José Freire Bezerril Fontenelle até o atual prefeito, Roberto Cláudio. Já na Sala Documental, ficarão exibidos os troféus, certificados e premiações concedidos à Prefeitura de Fortaleza, além de documentos históricos ligados ao surgimento da Cidade.

Visitação
O memorial estará aberto para a visitação do público na primeira edição da Ciclofaixa Cultural, durante a manhã de domingo (15/04), das 8h às 11h. A atividade, que faz parte da programação especial em comemoração ao aniversário de Fortaleza, permitirá aos visitantes conhecer os espaços recém-abertos e outros equipamentos culturais do Centro da Cidade, como a Casa Barão de Camocim, Casa de Juvenal Galeno, o Forte de Nossa Senhora de Assunção, entre outros. Ao longo da semana, a visitação ficará aberta ao público de terça a sexta-feira, das 8h às 17h.

medalhaOs homenageados pela Medalha Iracema foram escolhidos em reconhecimento ao trabalho desenvolvido por cada um

Medalha Iracema
Os homenageados foram escolhidos em reconhecimento ao trabalho desenvolvido por cada um, para a vida e o progresso da capital cearense. São eles, a jornalista e professora Adísia Sá, o arquiteto e professor Liberal de Castro, e o cantor e compositor Raimundo Fagner. “Ser parte de Fortaleza não é só consequência de ter nascido aqui. Precisamos de identidade, independentemente de definições políticas, partidárias e ideológicas, nós temos referências comuns, e acredito que primeira escolha foi muito seleta e certeira. São três influenciadores e formadores de opinião que unem Fortaleza com seus talentos”, destacou o Prefeito.

Em nome dos homenageados, a jornalista Adísia Sá, falou sobre a honra de receber a Medalha Iracema. “Eu não sou uma mulher de formalidades, sou de espontaneidade. Mas esse é um momento de muita alegria para todos nós e vou guardar na minha memória o dia que recebi essa homenagem”, afirmou a professora.

Essa foi a primeira edição da Medalha Iracema, que será concedida anualmente, por ocasião das festas em comemoração ao aniversário da cidade de Fortaleza, a instituições ou cidadãos que tenham prestado relevantes serviços à coletividade nos setores cultural, educacional, filantrópico, econômico, científico ou qualquer outro trabalho em benefício do povo de Fortaleza. Participaram da Outorga o vice-prefeito de Fortaleza, Moroni Torgan; o ex-ministro Ciro Gomes, o reitor da Universidade Federal do Ceará, Henry Campos, vereadores e secretários municipais.

Homenageados
Primeira mulher a ingressar na redação de um jornal do Estado, Adisía Sá foi uma profissional atuante na imprensa e na comunicação cearense, além de ter sido escritora e professora universitária. Iniciou sua carreira jornalística no jornal cearense O Estado e trabalhou ainda nos jornais cearenses O Unitário, O Dia e O Povo. Na televisão, apresentou programa na TV Ceará e foi comentarista nas emissoras Jangadeiro, Manchete e TV Fortaleza. Engajada com os sindicatos e com as ordens de classe, participou e ocupou vários cargos na Associação Cearense de Imprensa (ACI), no Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Ceará (Sindjorce) e na Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), entre outros órgãos e entidades. Adísia Sá também fez ainda parte do corpo docente da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade Estadual do Ceará (Uece), sendo fundadora e professora assistente no curso de Jornalismo e professora titular no curso de Comunicação Social da UFC.

Um dos protagonistas nos desdobramentos do estilo modernista nacional no Ceará, Liberal de Castro foi pioneiro no processo de documentação da arquitetura e do urbanismo cearenses. O arquiteto dedicou-se a estudar as origens e o desenvolvimento da cidade de Fortaleza e da arquitetura cearense, publicando inúmeras obras sobre a matéria, muitos artigos na Revista do Insituto do Ceará, além de livros como “Fatores de localização e expansão da Cidade da Fortaleza” e “Arquitetura eclética no Ceará”. Por indicação dele, a Casa de José de Alencar e o Mercado da Carne, em Aquiraz, foram tombados pelo Iphan em 1964 e 1984, respectivamente, assim como o Theatro José de Alencar, em 1964. Professor emérito da Universidade Federal do Ceará, Liberal de Castro teve papel fundamental na formação profissional de gerações de arquitetos cearenses e na difusão dos pressupostos da arquitetura moderna brasileira.

Raimundo Fagner Cândido Lopes, cearense nascido em Orós, obteve destaque nacional no cenário musical da Música Popular Brasileira na transição das décadas de 1970 para 1980. No decorrer da década de 70 explorou outras regiões fora do Ceará e Nordeste em busca de crescimento profissional junto a outros artistas, como Belchior, Ednardo e Rodger Rogério, o chamado “Pessoal do Ceará”. A partir do grande alcance de seu trabalho e de seu estilo musical eclético que traduz nos arranjos e melodias de suas músicas as diversas culturas que constituem sua formação, conseguiu dar grande visibilidade ao Estado do Ceará, tendo seu nome sempre lembrado entre os principais artistas que compõem o cenário musical do Ceará e do País.