28 de dezembro de 2021 em Mobilidade

Ações inovadoras e políticas públicas fortalecem mobilidade urbana na Capital em 2021

Aumento da malha cicloviária, readequação de velocidade, iniciativas de inclusão e acessibilidade, revitalização dos espaços foram algumas das ações de mobilidade urbana que marcaram o ano


ciclista numa ciclofaixa
Com 58,4 km implantados só em este ano, a malha cicloviária de Fortaleza ultrapassa a marca de 400 km

Fortaleza vem passando por transformações no que diz respeito à mobilidade urbana. Com o objetivo de melhorar a qualidade de vida da população e tornar os espaços da cidade mais urbanizados, o ano de 2021 se destaca pela continuidade de políticas públicas eficazes e pela implantação de novas ações. A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), tem investido em iniciativas que promovam a ampliação da percepção de segurança e da convivência cidadã.

A Capital alcançou a marca de 405,6 km de malha cicloviária. Desse total, 58,4 km foram implantados só em 2021. A mais recente foi implantada no trecho compreendido entre as avenidas Desembargador Moreira e Abolição. Até o fim da gestão do prefeito José Sarto serão implantados mais 100 km de ciclovias e ciclofaixas, chegando a uma malha total de 500 km.

Toda a infraestrutura cicloviária fez de Fortaleza a capital brasileira onde as pessoas vivem mais próximas a ciclovias e ciclofaixas, segundo o Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP Brasil). Conforme a pesquisa, mais de 50% dos habitantes moram a menos de 300 metros de alguma ciclovia, ciclofaixa, ciclorrota ou passeio compartilhado. Neste ano também foram implantados 422 paraciclos e 20 parapés, elementos inovadores que servem como suportes de pé e mão para o ciclista se apoiar ao parar em um semáforo.

Com a meta de reorganizar o trânsito e promover o convívio saudável entre os diversos modais, Fortaleza conta hoje também com 132,3 km de faixas exclusivas de ônibus. De janeiro até agora, foram implantados 14,9km de faixas exclusivas. Destes, 10,4 km foram implantados na Avenida Osório de Paiva, 0,9 km na Avenida Imperador e 3,6 km na Avenida Engenheiro Santana Júnior.

velocidade50
A readequação de velocidade para 50 km/h em vias da cidade fortalece a segurança viária

Para fortalecer a segurança viária, a AMC tem readequado a velocidade de vias da capital com intenso fluxo de veículos de 60 km/h para 50 km/h. O objetivo é reduzir a gravidade dos sinistros que acontecem em Fortaleza e garantir a segurança de todos os usuários, principalmente os mais frágeis, como os pedestres e ciclistas.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que uma redução de até 5% na velocidade do veículo pode resultar em 30% menos sinistros fatais. Neste ano, 41 vias tiveram a velocidade regulamentada para 50 km/h. Para comunicar a mudança da velocidade aos condutores, foram desenvolvidas ações educativas para orientar os condutores.


Central da Mobilidade

A AMC conta, desde maio, com um centro de monitoramento ampliado, que reúne imagens de 600 câmeras espalhadas pela cidade integrando órgãos municipais e estaduais 24h. O equipamento contribui para otimizar o atendimento a acidentes com vítimas, analisar de forma aprofundada as causas de eventuais ocorrências e agir preventivamente, planejando medidas e intervenções que evitem novos acidentes.

Readequação de espaços

O conceito de mobilidade requer que as cidades sejam planejadas para as pessoas. Seguindo essa premissa, a AMC segue inovando com projetos. É o caso das Praças Vivas, conjunto de intervenções de baixo custo que tem como objetivo ocupar de forma democrática espaços atualmente ociosos da malha viária dos centros urbanos. Até o momento, foram 15 praças implantadas e 13 bairros contemplados.

a foto mostra o projeto praça viva que pinta o asfalto de algumas vias e coloca mobiliário urbano, como bancos e jarros de plantas
As Praças Vivas ocupam de forma democrática espaços atualmente ociosos da malha viária 

Já a área próxima ao Dragão do Mar teve a sinalização do projeto Cidade da Gente renovada. Com tinta comum, jarros de plantas, bancos e outros mobiliários de baixo custo, cerca de 300 metros da Rua Almirante Jaceguai ganharam uma revitalização, que contempla a maior Amarelinha do Brasil, brincadeira tradicional das crianças para incentivar a ocupação do espaço público.

Nos bairros Granja Lisboa e Conjunto Palmeiras, o pacote de intervenções Caminhos da Escola vem promovendo a segurança no trânsito e o desenvolvimento infantil em áreas que se situam ao redor de instituições de ensino, tornando o percurso casa-colégio mais lúdico e seguro.

Ainda no sentido de priorização dos pedestres, as ruas Floriano Peixoto, Assunção e Barão do Rio Branco receberam as alterações do projeto Calçadas Vivas, se tornando mais caminhável utilizando materiais de baixo custo e rápida implementação para a ampliação das áreas de passeio.

O bairro Serrinha teve 190 cruzamentos revitalizados, além de uma intervenção urbana realizada por técnicos da AMC que transformou um espaço ocioso no cruzamento das ruas Galileu x Gov. João Carlos em uma praça. Já no José Walter, 284 cruzamentos foram revitalizados, além de quatro novos semáforos, três travessias elevadas, 90 paraciclos e zonas de 50 km/h.

O Centro, além das áreas com readequação de velocidade para 30 km/h e 50 km/h, recebeu renovação da sinalização em 93 cruzamentos, 14 travessias elevadas e maior faixa de pedestres na Av. Tristão Gonçalves. Como parte do conjunto de intervenções de segurança viária planejada, foi implantada uma sinalização turística para ciclistas e pedestres contendo a indicação dos atrativos do bairro. O objetivo é estimular o turismo local, priorizando a caminhada e o ciclismo, bem como promover um resgate cultural da região. Foram indicados 60 prédios históricos.

Inclusão, acessibilidade e humanização

bike sem barreiras
Parceria da Prefeitura com a Uninassau, Bike sem Barreiras promove esporte, lazer e inclusão com bicicletas adaptadas

O projeto Bike sem Barreiras oferece três modelos de bicicletas adaptadas com o objetivo de integrar pessoas com deficiência, mobilidade reduzida ou com autismo aos espaços de convivência da cidade. Realizado quinzenalmente, a tenda está localizada ao lado do Centro Cultural Belchior, em frente ao projeto Praia Acessível, na Praia de Iracema.

Por sua vez, o Cidade para Mulheres é um projeto-piloto que dá mais visibilidade a diversos pontos da Av. Lineu Machado, como paradas de ônibus e espaços sem uso, que tem como objetivo propiciar a sensação de segurança aos pedestres e incentivar o combate à violência contra a mulher. Para isso, diversos espaços da via recebem intervenções por meio do urbanismo tático, requalificação de passeios, melhoria de iluminação e arte urbana. O conjunto de medidas é adotado a partir da identificação de áreas apontadas inseguras em levantamento colaborativo feito com a população feminina a partir da plataforma Google Maps.

Outra ação importante, sobretudo na proteção dos pedestres, é a implantação de faixas em diagonal, que diminuem a distância e reduzem o risco de atropelamentos. Neste ano, o cruzamento da Av. Heráclito Graça com Av. Dom Manuel recebeu a modificação. Também foi instalada a maior faixa de pedestres do Brasil com 40 metros de extensão na Avenida Tristão Gonçalves com a Rua Liberato Barroso; a segunda maior faixa de pedestres da Cidade foi implantada em setembro na Avenida Carneiro de Mendonça com a Avenida Lineu Machado. Também foram implantadas cinco áreas de trânsito calmo – totalizando 17 - e 23 novas travessias elevadas.

Para celebrar a diversidade e combater a discriminação, a Prefeitura de Fortaleza pintou a extensão de calçadas com as cores do arco-íris, símbolo do movimento LGBTQI+. A intervenção pode ser vista nas faixas de pedestres situadas no cruzamento da Rua Paulino Nogueira, esquina com a Rua Marechal Deodoro, no Benfica; e na Rua Barbosa de Freitas, esquina com a Rua Maria Tomásia, na Aldeota.

Esquina Segura

O projeto Esquina Segura promove o alargamento de calçada exclusiva para pedestre e tem como objetivo reduzir a prática de estacionar nas esquinas, melhorar a percepção dos usuários acerca do limite de 5 metros e facilitar a visibilidade dos condutores. Com isso, os pedestres têm o tempo de travessia encurtado, diminuindo os riscos de acidentes. Atualmente, mais de 400 cruzamentos de Fortaleza possuem o reforço da sinalização. Segundo levantamento feito em parceria com a UFC, houve redução de 61% no número de acidentes com vítimas. O projeto foi um dos vencedores do Road Safety Awards, principal prêmio mundial que reconhece ações desenvolvidas para a segurança no trânsito. O Esquina Segura foi reconhecido na categoria Gestão da Segurança no Trânsito. A iniciativa de reforço na sinalização começou a ser implementada em 2017 pela AMC.

Ações inovadoras e políticas públicas fortalecem mobilidade urbana na Capital em 2021

Aumento da malha cicloviária, readequação de velocidade, iniciativas de inclusão e acessibilidade, revitalização dos espaços foram algumas das ações de mobilidade urbana que marcaram o ano

ciclista numa ciclofaixa
Com 58,4 km implantados só em este ano, a malha cicloviária de Fortaleza ultrapassa a marca de 400 km

Fortaleza vem passando por transformações no que diz respeito à mobilidade urbana. Com o objetivo de melhorar a qualidade de vida da população e tornar os espaços da cidade mais urbanizados, o ano de 2021 se destaca pela continuidade de políticas públicas eficazes e pela implantação de novas ações. A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), tem investido em iniciativas que promovam a ampliação da percepção de segurança e da convivência cidadã.

A Capital alcançou a marca de 405,6 km de malha cicloviária. Desse total, 58,4 km foram implantados só em 2021. A mais recente foi implantada no trecho compreendido entre as avenidas Desembargador Moreira e Abolição. Até o fim da gestão do prefeito José Sarto serão implantados mais 100 km de ciclovias e ciclofaixas, chegando a uma malha total de 500 km.

Toda a infraestrutura cicloviária fez de Fortaleza a capital brasileira onde as pessoas vivem mais próximas a ciclovias e ciclofaixas, segundo o Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP Brasil). Conforme a pesquisa, mais de 50% dos habitantes moram a menos de 300 metros de alguma ciclovia, ciclofaixa, ciclorrota ou passeio compartilhado. Neste ano também foram implantados 422 paraciclos e 20 parapés, elementos inovadores que servem como suportes de pé e mão para o ciclista se apoiar ao parar em um semáforo.

Com a meta de reorganizar o trânsito e promover o convívio saudável entre os diversos modais, Fortaleza conta hoje também com 132,3 km de faixas exclusivas de ônibus. De janeiro até agora, foram implantados 14,9km de faixas exclusivas. Destes, 10,4 km foram implantados na Avenida Osório de Paiva, 0,9 km na Avenida Imperador e 3,6 km na Avenida Engenheiro Santana Júnior.

velocidade50
A readequação de velocidade para 50 km/h em vias da cidade fortalece a segurança viária

Para fortalecer a segurança viária, a AMC tem readequado a velocidade de vias da capital com intenso fluxo de veículos de 60 km/h para 50 km/h. O objetivo é reduzir a gravidade dos sinistros que acontecem em Fortaleza e garantir a segurança de todos os usuários, principalmente os mais frágeis, como os pedestres e ciclistas.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que uma redução de até 5% na velocidade do veículo pode resultar em 30% menos sinistros fatais. Neste ano, 41 vias tiveram a velocidade regulamentada para 50 km/h. Para comunicar a mudança da velocidade aos condutores, foram desenvolvidas ações educativas para orientar os condutores.


Central da Mobilidade

A AMC conta, desde maio, com um centro de monitoramento ampliado, que reúne imagens de 600 câmeras espalhadas pela cidade integrando órgãos municipais e estaduais 24h. O equipamento contribui para otimizar o atendimento a acidentes com vítimas, analisar de forma aprofundada as causas de eventuais ocorrências e agir preventivamente, planejando medidas e intervenções que evitem novos acidentes.

Readequação de espaços

O conceito de mobilidade requer que as cidades sejam planejadas para as pessoas. Seguindo essa premissa, a AMC segue inovando com projetos. É o caso das Praças Vivas, conjunto de intervenções de baixo custo que tem como objetivo ocupar de forma democrática espaços atualmente ociosos da malha viária dos centros urbanos. Até o momento, foram 15 praças implantadas e 13 bairros contemplados.

a foto mostra o projeto praça viva que pinta o asfalto de algumas vias e coloca mobiliário urbano, como bancos e jarros de plantas
As Praças Vivas ocupam de forma democrática espaços atualmente ociosos da malha viária 

Já a área próxima ao Dragão do Mar teve a sinalização do projeto Cidade da Gente renovada. Com tinta comum, jarros de plantas, bancos e outros mobiliários de baixo custo, cerca de 300 metros da Rua Almirante Jaceguai ganharam uma revitalização, que contempla a maior Amarelinha do Brasil, brincadeira tradicional das crianças para incentivar a ocupação do espaço público.

Nos bairros Granja Lisboa e Conjunto Palmeiras, o pacote de intervenções Caminhos da Escola vem promovendo a segurança no trânsito e o desenvolvimento infantil em áreas que se situam ao redor de instituições de ensino, tornando o percurso casa-colégio mais lúdico e seguro.

Ainda no sentido de priorização dos pedestres, as ruas Floriano Peixoto, Assunção e Barão do Rio Branco receberam as alterações do projeto Calçadas Vivas, se tornando mais caminhável utilizando materiais de baixo custo e rápida implementação para a ampliação das áreas de passeio.

O bairro Serrinha teve 190 cruzamentos revitalizados, além de uma intervenção urbana realizada por técnicos da AMC que transformou um espaço ocioso no cruzamento das ruas Galileu x Gov. João Carlos em uma praça. Já no José Walter, 284 cruzamentos foram revitalizados, além de quatro novos semáforos, três travessias elevadas, 90 paraciclos e zonas de 50 km/h.

O Centro, além das áreas com readequação de velocidade para 30 km/h e 50 km/h, recebeu renovação da sinalização em 93 cruzamentos, 14 travessias elevadas e maior faixa de pedestres na Av. Tristão Gonçalves. Como parte do conjunto de intervenções de segurança viária planejada, foi implantada uma sinalização turística para ciclistas e pedestres contendo a indicação dos atrativos do bairro. O objetivo é estimular o turismo local, priorizando a caminhada e o ciclismo, bem como promover um resgate cultural da região. Foram indicados 60 prédios históricos.

Inclusão, acessibilidade e humanização

bike sem barreiras
Parceria da Prefeitura com a Uninassau, Bike sem Barreiras promove esporte, lazer e inclusão com bicicletas adaptadas

O projeto Bike sem Barreiras oferece três modelos de bicicletas adaptadas com o objetivo de integrar pessoas com deficiência, mobilidade reduzida ou com autismo aos espaços de convivência da cidade. Realizado quinzenalmente, a tenda está localizada ao lado do Centro Cultural Belchior, em frente ao projeto Praia Acessível, na Praia de Iracema.

Por sua vez, o Cidade para Mulheres é um projeto-piloto que dá mais visibilidade a diversos pontos da Av. Lineu Machado, como paradas de ônibus e espaços sem uso, que tem como objetivo propiciar a sensação de segurança aos pedestres e incentivar o combate à violência contra a mulher. Para isso, diversos espaços da via recebem intervenções por meio do urbanismo tático, requalificação de passeios, melhoria de iluminação e arte urbana. O conjunto de medidas é adotado a partir da identificação de áreas apontadas inseguras em levantamento colaborativo feito com a população feminina a partir da plataforma Google Maps.

Outra ação importante, sobretudo na proteção dos pedestres, é a implantação de faixas em diagonal, que diminuem a distância e reduzem o risco de atropelamentos. Neste ano, o cruzamento da Av. Heráclito Graça com Av. Dom Manuel recebeu a modificação. Também foi instalada a maior faixa de pedestres do Brasil com 40 metros de extensão na Avenida Tristão Gonçalves com a Rua Liberato Barroso; a segunda maior faixa de pedestres da Cidade foi implantada em setembro na Avenida Carneiro de Mendonça com a Avenida Lineu Machado. Também foram implantadas cinco áreas de trânsito calmo – totalizando 17 - e 23 novas travessias elevadas.

Para celebrar a diversidade e combater a discriminação, a Prefeitura de Fortaleza pintou a extensão de calçadas com as cores do arco-íris, símbolo do movimento LGBTQI+. A intervenção pode ser vista nas faixas de pedestres situadas no cruzamento da Rua Paulino Nogueira, esquina com a Rua Marechal Deodoro, no Benfica; e na Rua Barbosa de Freitas, esquina com a Rua Maria Tomásia, na Aldeota.

Esquina Segura

O projeto Esquina Segura promove o alargamento de calçada exclusiva para pedestre e tem como objetivo reduzir a prática de estacionar nas esquinas, melhorar a percepção dos usuários acerca do limite de 5 metros e facilitar a visibilidade dos condutores. Com isso, os pedestres têm o tempo de travessia encurtado, diminuindo os riscos de acidentes. Atualmente, mais de 400 cruzamentos de Fortaleza possuem o reforço da sinalização. Segundo levantamento feito em parceria com a UFC, houve redução de 61% no número de acidentes com vítimas. O projeto foi um dos vencedores do Road Safety Awards, principal prêmio mundial que reconhece ações desenvolvidas para a segurança no trânsito. O Esquina Segura foi reconhecido na categoria Gestão da Segurança no Trânsito. A iniciativa de reforço na sinalização começou a ser implementada em 2017 pela AMC.