30 de julho de 2020 em Juventude

Alunos do Projeto Reconhecer e Mudar participam de cerimônia de premiação de concurso de vídeos

Os três melhores produtos audiovisuais foram premiados


grupo de jovens posa para a foto, seguran cheques simbólicos
Premiação ocorreu nesta quarta-feira (29/07), na sede da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas de Juventude (CEPPJ)

A cerimônia simbólica de premiação da terceira edição do Concurso de Vídeos “ACT HUMAN - Discriminação (Não) Existe”, do projeto Reconhecer e Mudar, ocorreu nesta quarta-feira (29/07), na sede da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas de Juventude (CEPPJ). Os três melhores produtos audiovisuais foram premiados. O 1º lugar levou R$ 2.000,00, o 2º ficou com R$ 1.600,00 e o 3º recebeu um cheque de R$ 1.200,00.

Os representantes das três equipes ganhadoras conversaram com o coordenador de juventude de Fortaleza, Luis Fernando de Freitas, sobre a importância do projeto nas escolas onde estudam e como foram as participações deles este ano, mesmo com as peculiaridades e dificuldades na rotina atual devido à pandemia do novo coronavirus.

Em 2020, o concurso foi dividido nas categorias vídeo e playlist, e contou com iniciativas mais amplas para a execução dos vídeos como flashmobs em casa e peças teatrais, em virtude do isolamento social. Os alunos puderam ainda contar com videoaulas de professores de audiovisual da Rede Cuca, que foram exibidos por meio da JuvTv, o canal Youtube produzido pelos jovens comunicadores.

Com vídeos de duração entre 30 segundos e três minutos, os participantes concorreram a uma premiação para os três produtos com maior número de votos na plataforma internacional do projeto e ainda com maior pontuação de uma banca de jurados, sendo o resultado final composto 60% por intermédio dos votos do público e 40% por intermédio dos votos de um júri especial nomeado pela Coordenadoria de Juventude. Foram quatro produtos inscritos na categoria vídeos.

Nas edições anteriores, a premiação ocorria em um grande evento realizado no teatro da Rede Cuca e contava com a participação de todas as turmas das seis escolas participantes, este ano, seguindo as normas e decretos municipais sobre a conduta de distanciamento social, apenas as equipes que ganharam e os representantes das escolas foram convidados para participar da cerimônia.

O participante Yuri Linhares (17), da turma terceiro ano B na Escola Júlia Alves Pessoa no bairro Bom Jardim, já é veterano nos concursos e nas premiações. “Este ano, foi mais difícil para prosseguirmos com o projeto, o isolamento foi necessário e foi o que mais dificultou. Mas também me levou a conhecer pessoas com quem não me comunicava muito, levando a novas amizades. Percebi que todos procuraram ajudar quando perceberam que o tema era muito importante. Pessoas que nunca tínhamos falado compartilhando os vídeos, mesmo sem pedirmos a ajuda”, declarou.

Segundo Yuri, "uma das coisas que mais gostei foram as oficinas do projeto, piis abriram minha mente sobre os tipos de violência”. Ele participa desde 2018 e, após ficar em segundo lugar em 2019, sua equipe foi a campeã da atual edição.

Saiba mais

O projeto Recognize and Change (Reconhecer e Mudar), com duração de três anos, tem por objetivo ampliar a divulgação de uma cultura baseada na pluralidade de identidades e no reconhecimento mútuo entre os jovens, além de promover uma conscientização sobre os Direitos Humanos, o combate ao bullying e às diferentes formas de violência e discriminações. Ao redor do mundo, o Recognize and Change atua simultaneamente na Itália, Brasil, Bulgária, Cabo Verde, França, Grécia, Portugal, Romênia e Espanha.

Alunos do Projeto Reconhecer e Mudar participam de cerimônia de premiação de concurso de vídeos

Os três melhores produtos audiovisuais foram premiados

grupo de jovens posa para a foto, seguran cheques simbólicos
Premiação ocorreu nesta quarta-feira (29/07), na sede da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas de Juventude (CEPPJ)

A cerimônia simbólica de premiação da terceira edição do Concurso de Vídeos “ACT HUMAN - Discriminação (Não) Existe”, do projeto Reconhecer e Mudar, ocorreu nesta quarta-feira (29/07), na sede da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas de Juventude (CEPPJ). Os três melhores produtos audiovisuais foram premiados. O 1º lugar levou R$ 2.000,00, o 2º ficou com R$ 1.600,00 e o 3º recebeu um cheque de R$ 1.200,00.

Os representantes das três equipes ganhadoras conversaram com o coordenador de juventude de Fortaleza, Luis Fernando de Freitas, sobre a importância do projeto nas escolas onde estudam e como foram as participações deles este ano, mesmo com as peculiaridades e dificuldades na rotina atual devido à pandemia do novo coronavirus.

Em 2020, o concurso foi dividido nas categorias vídeo e playlist, e contou com iniciativas mais amplas para a execução dos vídeos como flashmobs em casa e peças teatrais, em virtude do isolamento social. Os alunos puderam ainda contar com videoaulas de professores de audiovisual da Rede Cuca, que foram exibidos por meio da JuvTv, o canal Youtube produzido pelos jovens comunicadores.

Com vídeos de duração entre 30 segundos e três minutos, os participantes concorreram a uma premiação para os três produtos com maior número de votos na plataforma internacional do projeto e ainda com maior pontuação de uma banca de jurados, sendo o resultado final composto 60% por intermédio dos votos do público e 40% por intermédio dos votos de um júri especial nomeado pela Coordenadoria de Juventude. Foram quatro produtos inscritos na categoria vídeos.

Nas edições anteriores, a premiação ocorria em um grande evento realizado no teatro da Rede Cuca e contava com a participação de todas as turmas das seis escolas participantes, este ano, seguindo as normas e decretos municipais sobre a conduta de distanciamento social, apenas as equipes que ganharam e os representantes das escolas foram convidados para participar da cerimônia.

O participante Yuri Linhares (17), da turma terceiro ano B na Escola Júlia Alves Pessoa no bairro Bom Jardim, já é veterano nos concursos e nas premiações. “Este ano, foi mais difícil para prosseguirmos com o projeto, o isolamento foi necessário e foi o que mais dificultou. Mas também me levou a conhecer pessoas com quem não me comunicava muito, levando a novas amizades. Percebi que todos procuraram ajudar quando perceberam que o tema era muito importante. Pessoas que nunca tínhamos falado compartilhando os vídeos, mesmo sem pedirmos a ajuda”, declarou.

Segundo Yuri, "uma das coisas que mais gostei foram as oficinas do projeto, piis abriram minha mente sobre os tipos de violência”. Ele participa desde 2018 e, após ficar em segundo lugar em 2019, sua equipe foi a campeã da atual edição.

Saiba mais

O projeto Recognize and Change (Reconhecer e Mudar), com duração de três anos, tem por objetivo ampliar a divulgação de uma cultura baseada na pluralidade de identidades e no reconhecimento mútuo entre os jovens, além de promover uma conscientização sobre os Direitos Humanos, o combate ao bullying e às diferentes formas de violência e discriminações. Ao redor do mundo, o Recognize and Change atua simultaneamente na Itália, Brasil, Bulgária, Cabo Verde, França, Grécia, Portugal, Romênia e Espanha.