12 de novembro de 2014 em Saúde

Atendimentos nas UPAs chegam a dois milhões em Fortaleza

Na unidade do bairro Jangurussu, inaugurada em fevereiro deste ano, são 450 consultas diariamente


Richarlison Silva, de três anos, filho da Maria Salete, sonha em ser médico. A criança recebeu o atendimento de número 2 milhões (Foto: Thiago Gaspar)

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Fortaleza chegaram aos dois milhões de atendimentos. Os números são contados desde a inauguração da primeira unidade na cidade, a UPA da Praia do Futuro, em março de 2012. O atendimento de número dois milhões foi realizado no equipamento localizado no bairro Jangurussu, na tarde de segunda-feira (10/11), prestado ao Richarlison Silva, de três anos.

Segundo a mãe da criança, a doméstica Maria Salete Silva, Richarlison apresentava princípio de pneumonia. “Fomos atendidos rapidinho e ele foi logo medicado. Meu menino já está quase curado”, conta a mãe do garoto.

De acordo com a diretora de Gestão e Atendimento das UPAs, Camila Machado, são registrados cerca de 20 mil atendimentos por dia em todas as unidades de Fortaleza. Na unidade localizada no bairro Jangurussu, inaugurada em fevereiro deste ano, são 450 consultas diariamente.

As unidades foram pensadas para facilitar o acesso da população de Fortaleza à saúde. “As UPAs funcionam 24 horas por dia, durante os sete dias da semana, para atender crianças e adultos. O paciente chega na unidade, passa pelo acolhimento e classificação de risco, onde será definida a prioridade do atendimento. Além da consulta, o paciente tem acesso a exames de laboratório, eletrocardiograma e raios-X, que auxiliam no diagnóstico do médico”, explica Camila.

A diretora de Gestão e Atendimento informa, ainda, que a maioria dos atendimentos são resolvidos dentro da própria UPA. “Apenas cerca de 2% dos atendimentos iniciados nas unidades são transferidos para hospitais”, diz. A população pode buscar atendimento para problemas como pressão alta, febre, diarreia, vômito, dor intensa no peito ou na cabeça, falta de ar, entre outras enfermidades.

Atualmente, Fortaleza tem nove UPAs, três unidades de gestão municipal e seis, estadual. O equipamento do bairro Vila Velha, também administrado pela Prefeitura de Fortaleza, tem previsão de ser inaugurado até o fim do ano.

Atendimentos nas UPAs chegam a dois milhões em Fortaleza

Na unidade do bairro Jangurussu, inaugurada em fevereiro deste ano, são 450 consultas diariamente

Richarlison Silva, de três anos, filho da Maria Salete, sonha em ser médico. A criança recebeu o atendimento de número 2 milhões (Foto: Thiago Gaspar)

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Fortaleza chegaram aos dois milhões de atendimentos. Os números são contados desde a inauguração da primeira unidade na cidade, a UPA da Praia do Futuro, em março de 2012. O atendimento de número dois milhões foi realizado no equipamento localizado no bairro Jangurussu, na tarde de segunda-feira (10/11), prestado ao Richarlison Silva, de três anos.

Segundo a mãe da criança, a doméstica Maria Salete Silva, Richarlison apresentava princípio de pneumonia. “Fomos atendidos rapidinho e ele foi logo medicado. Meu menino já está quase curado”, conta a mãe do garoto.

De acordo com a diretora de Gestão e Atendimento das UPAs, Camila Machado, são registrados cerca de 20 mil atendimentos por dia em todas as unidades de Fortaleza. Na unidade localizada no bairro Jangurussu, inaugurada em fevereiro deste ano, são 450 consultas diariamente.

As unidades foram pensadas para facilitar o acesso da população de Fortaleza à saúde. “As UPAs funcionam 24 horas por dia, durante os sete dias da semana, para atender crianças e adultos. O paciente chega na unidade, passa pelo acolhimento e classificação de risco, onde será definida a prioridade do atendimento. Além da consulta, o paciente tem acesso a exames de laboratório, eletrocardiograma e raios-X, que auxiliam no diagnóstico do médico”, explica Camila.

A diretora de Gestão e Atendimento informa, ainda, que a maioria dos atendimentos são resolvidos dentro da própria UPA. “Apenas cerca de 2% dos atendimentos iniciados nas unidades são transferidos para hospitais”, diz. A população pode buscar atendimento para problemas como pressão alta, febre, diarreia, vômito, dor intensa no peito ou na cabeça, falta de ar, entre outras enfermidades.

Atualmente, Fortaleza tem nove UPAs, três unidades de gestão municipal e seis, estadual. O equipamento do bairro Vila Velha, também administrado pela Prefeitura de Fortaleza, tem previsão de ser inaugurado até o fim do ano.