15 de março de 2019 em Juventude

Atletas do Projeto Juventude Na Onda participam da etapa de abertura do CircuitoCearense de Surf 2019

A competição conta pontos para o circuito brasileiro de surf profissional


.
Atletas das escolinhas vinculadas ao Projeto Juventude na Onda representam a juventude de Fortaleza, em Paracuru

Vinte e três atletas que participam das escolinhas de surf integradas ao Projeto Juventude na Onda, promovido pela Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas de Juventude, disputarão a etapa de abertura do circuito cearense deste ano.

O evento que será realizado na Praia do Ronco do Mar, no município de Paracuru, durante os dias 15, 16 e 17 de março também contará pontuação para o circuito brasileiro de surf profissional 2019.

As inscrições dos representantes das escolinhas vinculadas ao Projeto foram custeadas pela Coordenadoria de Juventude.

As categorias em disputa serão sub 16, 18, Open (sem limite de idade), Profissional (sem limite de idade), Senior (a partir de 28 anos), Long (sem limite de idade), Surf Adaptado (sem limite de idade), Feminino Junior (até 18 anos) e Feminino Open (sem limite de idade).

Sobre o Projeto Juventude na Onda
O projeto, inédito em Fortaleza, apoia 14 escolinhas de surf, situadas entre a Praia do Futuro e a Barra do Ceará. A iniciativa consiste em agregar conhecimentos e ajuda de custo para os instrutores de escolas de surf participantes.

As escolinhas parsticipantes ão selecionadas por meio de edital. O objetivo é contribuir para a formação de uma nova geração de instrutores, capazes de promover o desenvolvimento humano e cultural de jovens surfistas, localizados em áreas de vulnerabilidade social.

Na primeira etapa do projeto, os instrutores e jovens surfistas participam de formação em cidadania e direitos humanos, além de momentos de valorização do esporte com a participação de campeões do esporte , como Tita Tavares e Fabinho Silva.

O projeto atualmente atende uma média de 230 jovens e já entregou 180 pranchas, em 2018, para os alunos das escolas participantes. Ao todo, a iniciativa já beneficiou mais de 600 jovens por meio de oficinas e formações e aproximadamente 100 jovens tiveram oportunidade de participar do curso de fabricação de pranchas para rápida empregabilidade e auto sustentabilidade, por meio de uma parceria com a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS).

 

Atletas do Projeto Juventude Na Onda participam da etapa de abertura do CircuitoCearense de Surf 2019

A competição conta pontos para o circuito brasileiro de surf profissional

.
Atletas das escolinhas vinculadas ao Projeto Juventude na Onda representam a juventude de Fortaleza, em Paracuru

Vinte e três atletas que participam das escolinhas de surf integradas ao Projeto Juventude na Onda, promovido pela Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas de Juventude, disputarão a etapa de abertura do circuito cearense deste ano.

O evento que será realizado na Praia do Ronco do Mar, no município de Paracuru, durante os dias 15, 16 e 17 de março também contará pontuação para o circuito brasileiro de surf profissional 2019.

As inscrições dos representantes das escolinhas vinculadas ao Projeto foram custeadas pela Coordenadoria de Juventude.

As categorias em disputa serão sub 16, 18, Open (sem limite de idade), Profissional (sem limite de idade), Senior (a partir de 28 anos), Long (sem limite de idade), Surf Adaptado (sem limite de idade), Feminino Junior (até 18 anos) e Feminino Open (sem limite de idade).

Sobre o Projeto Juventude na Onda
O projeto, inédito em Fortaleza, apoia 14 escolinhas de surf, situadas entre a Praia do Futuro e a Barra do Ceará. A iniciativa consiste em agregar conhecimentos e ajuda de custo para os instrutores de escolas de surf participantes.

As escolinhas parsticipantes ão selecionadas por meio de edital. O objetivo é contribuir para a formação de uma nova geração de instrutores, capazes de promover o desenvolvimento humano e cultural de jovens surfistas, localizados em áreas de vulnerabilidade social.

Na primeira etapa do projeto, os instrutores e jovens surfistas participam de formação em cidadania e direitos humanos, além de momentos de valorização do esporte com a participação de campeões do esporte , como Tita Tavares e Fabinho Silva.

O projeto atualmente atende uma média de 230 jovens e já entregou 180 pranchas, em 2018, para os alunos das escolas participantes. Ao todo, a iniciativa já beneficiou mais de 600 jovens por meio de oficinas e formações e aproximadamente 100 jovens tiveram oportunidade de participar do curso de fabricação de pranchas para rápida empregabilidade e auto sustentabilidade, por meio de uma parceria com a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS).