08 de novembro de 2014 em Saúde

Campanha Nacional de Vacinação é lançada em Fortaleza

A vacina contra a Poliomielite e o Sarampo é direcionada a crianças de seis meses até menores de cinco anos


O evento, realizado na manhã desde sábado (08/11), contou com a presença do ministro de Saúde, Arthur Chioro (Foto: Marcos Moura)

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite (paralisia infantil) e o Sarampo foi lançada neste sábado (08/11), no Posto de Saúde Gothardo Peixoto Figueiredo Lima, no bairro Damas, em Fortaleza. O evento contou com a presença do ministro de Saúde, Arthur Chioro; do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio; do secretário de Saúde do Estado, Ciro Gomes; da secretária de Saúde do Município, Socorro Martins; e do secretário da Regional IV, Airton Mourão.

A vacina é direcionada a crianças de seis meses até menores de cinco anos. Segundo Socorro Martins, a campanha acontece desde segunda-feira (03/11) e segue durante o mês de novembro em todo o País, e nos 93 postos de saúde da Prefeitura de Fortaleza. "Como as unidades estão adequadas, queremos também colocar em dia todo o calendário de vacinação das crianças. Os postos de saúde funcionam das 7h às 19h, de segunda a sexta, para acolher e receber todas essas crianças e cumprir a meta de vacinação”, comenta a secretária de Saúde do Município.

Em 2013, Fortaleza alcançou a meta vacinando 96,13% do público alvo da campanha, e a expectativa para 2014 é de que sejam vacinadas 157.210 crianças. No dia 22 de novembro, ocorre o dia “D” de mobilização nacional de vacinação, quando todos os postos estarão abertos das 8h às 17h e cerca de 200 postos volantes estarão vacinando as crianças em diversos pontos da cidade.

O Prefeito de Fortaleza reforça que é necessário garantir o controle epidemiológico, principalmente na Regional V, onde o número de casos de sarampo é maior. “A gente resolve isso com trabalho, vacinando, acompanhando dados e informações em tempo real. Mas, queremos mostrar, ainda, para a população a necessidade e a importância que é a vacinação”, explica Roberto Cláudio.

A escolha do Ceará para lançar a campanha se deu, segundo o ministro da Saúde, em razão do número de casos de sarampo apresentados recentemente. “Há nove meses, o Estado tem mantido esses casos, apesar de isolados e importados de outros locais. São registros de crianças que ainda não haviam sido vacinadas ou que não reagiram às doses, porque não tiveram reforço da vacina”, conta Arthur Chioro. A meta é vacinar 12 milhões de crianças em todo o País até o dia 28 de novembro.

O secretário de saúde do Ceará, Ciro Gomes, diz que não há nenhum motivo para que essas doenças continuem surgindo. “Nós temos a vacina disponível e precisamos que todas as crianças de seis meses a cinco anos se vacinem, para não deixarmos voltar essas doenças, que já estamos livres”, comenta.

Por conta disso, a estudante Carolina Feijó não quis deixar para depois e chegou cedo no posto de saúde para vacinar seu filho, Lucas, de sete meses. “Precisamos cuidar da saúde dos nossos filhos. Não quis deixar para depois porque meu filho é minha prioridade e o que importa é que ele fique livre de qualquer doença”, diz Carolina.

Outro pai que também garantiu a imunização do filho neste sábado foi Jerônsio Dantas, empreendedor individual. “Estou aqui com minha filha Laura, de 1 ano e cinco meses, para garantir que ela seja logo vacinada. Sei a importância da vacina para ela e acho que todos os pais deveriam trazer logo seus filhos”, pede Jerônsio.

Saiba mais
A poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave causada pelo poliovírus, e a infecção se dá, principalmente, por via oral. Na maioria dos casos, a criança não vai a óbito quando infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores.

O Brasil está livre da poliomielite desde 1990. Desde então, não houveram novos casos registrados. Em 1994, o País recebeu da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) a Certificação de Área Livre de Circulação do Poliovírus Selvagem em seu território. A continuidade das campanhas de vacinação é fundamental para evitar a reintrodução da doença no País.

O sarampo é uma doença viral aguda grave e altamente contagiosa. Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, manchas avermelhadas, coriza e conjuntivite. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções expelidas pelo doente ao tossir, falar ou respirar.

Os últimos casos de contágio autóctone de sarampo no Brasil ocorreram em 2000 e, desde então, os casos registrados foram importados ou relacionados à importação. Em 2013 e 2014, foram registrados casos importados no país, com concentração em Pernambuco e Ceará.

Campanha Nacional de Vacinação é lançada em Fortaleza

A vacina contra a Poliomielite e o Sarampo é direcionada a crianças de seis meses até menores de cinco anos

O evento, realizado na manhã desde sábado (08/11), contou com a presença do ministro de Saúde, Arthur Chioro (Foto: Marcos Moura)

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite (paralisia infantil) e o Sarampo foi lançada neste sábado (08/11), no Posto de Saúde Gothardo Peixoto Figueiredo Lima, no bairro Damas, em Fortaleza. O evento contou com a presença do ministro de Saúde, Arthur Chioro; do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio; do secretário de Saúde do Estado, Ciro Gomes; da secretária de Saúde do Município, Socorro Martins; e do secretário da Regional IV, Airton Mourão.

A vacina é direcionada a crianças de seis meses até menores de cinco anos. Segundo Socorro Martins, a campanha acontece desde segunda-feira (03/11) e segue durante o mês de novembro em todo o País, e nos 93 postos de saúde da Prefeitura de Fortaleza. "Como as unidades estão adequadas, queremos também colocar em dia todo o calendário de vacinação das crianças. Os postos de saúde funcionam das 7h às 19h, de segunda a sexta, para acolher e receber todas essas crianças e cumprir a meta de vacinação”, comenta a secretária de Saúde do Município.

Em 2013, Fortaleza alcançou a meta vacinando 96,13% do público alvo da campanha, e a expectativa para 2014 é de que sejam vacinadas 157.210 crianças. No dia 22 de novembro, ocorre o dia “D” de mobilização nacional de vacinação, quando todos os postos estarão abertos das 8h às 17h e cerca de 200 postos volantes estarão vacinando as crianças em diversos pontos da cidade.

O Prefeito de Fortaleza reforça que é necessário garantir o controle epidemiológico, principalmente na Regional V, onde o número de casos de sarampo é maior. “A gente resolve isso com trabalho, vacinando, acompanhando dados e informações em tempo real. Mas, queremos mostrar, ainda, para a população a necessidade e a importância que é a vacinação”, explica Roberto Cláudio.

A escolha do Ceará para lançar a campanha se deu, segundo o ministro da Saúde, em razão do número de casos de sarampo apresentados recentemente. “Há nove meses, o Estado tem mantido esses casos, apesar de isolados e importados de outros locais. São registros de crianças que ainda não haviam sido vacinadas ou que não reagiram às doses, porque não tiveram reforço da vacina”, conta Arthur Chioro. A meta é vacinar 12 milhões de crianças em todo o País até o dia 28 de novembro.

O secretário de saúde do Ceará, Ciro Gomes, diz que não há nenhum motivo para que essas doenças continuem surgindo. “Nós temos a vacina disponível e precisamos que todas as crianças de seis meses a cinco anos se vacinem, para não deixarmos voltar essas doenças, que já estamos livres”, comenta.

Por conta disso, a estudante Carolina Feijó não quis deixar para depois e chegou cedo no posto de saúde para vacinar seu filho, Lucas, de sete meses. “Precisamos cuidar da saúde dos nossos filhos. Não quis deixar para depois porque meu filho é minha prioridade e o que importa é que ele fique livre de qualquer doença”, diz Carolina.

Outro pai que também garantiu a imunização do filho neste sábado foi Jerônsio Dantas, empreendedor individual. “Estou aqui com minha filha Laura, de 1 ano e cinco meses, para garantir que ela seja logo vacinada. Sei a importância da vacina para ela e acho que todos os pais deveriam trazer logo seus filhos”, pede Jerônsio.

Saiba mais
A poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave causada pelo poliovírus, e a infecção se dá, principalmente, por via oral. Na maioria dos casos, a criança não vai a óbito quando infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores.

O Brasil está livre da poliomielite desde 1990. Desde então, não houveram novos casos registrados. Em 1994, o País recebeu da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) a Certificação de Área Livre de Circulação do Poliovírus Selvagem em seu território. A continuidade das campanhas de vacinação é fundamental para evitar a reintrodução da doença no País.

O sarampo é uma doença viral aguda grave e altamente contagiosa. Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, manchas avermelhadas, coriza e conjuntivite. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções expelidas pelo doente ao tossir, falar ou respirar.

Os últimos casos de contágio autóctone de sarampo no Brasil ocorreram em 2000 e, desde então, os casos registrados foram importados ou relacionados à importação. Em 2013 e 2014, foram registrados casos importados no país, com concentração em Pernambuco e Ceará.