05 de julho de 2019 em Mobilidade

Curso em Segurança Viária inédito no Brasil reúne gestores de mobilidade da América Latina em Fortaleza

Iniciativa da Prefeitura e da Unifor em parceira com universidade americana, curso ocorre entre os dias 05 e 09 de agosto


A Prefeitura Municipal de Fortaleza e a Universidade de Fortaleza (Unifor) realizam, em parceria com a Johns Hopkins University (JHU), de Baltimore nos Estados Unidos e com a Global Road Safety Partnership - GRSP (Parceria Global de Segurança Rodoviária) de Genebra na Suíça, o curso “Implementando programas eficazes de Segurança Viária: da evidência à prática”, entre os dias 05 e 09 de agosto. A iniciativa é inspirada no curso Global Road Safety Leadership, realizado pela JHU em conjunto com a GRSP com uma abordagem multidisciplinar para os diferentes aspectos na área de segurança no trânsito. O curso original já teve seis edições e reuniu 377 participantes de 57 de países em Bancoque, na Tailândia, Nairobi, no Quênia, em Buenos Aires, na Argentina, além de Baltimore nos EUA.

O curso  tem o apoio de diversas organizações internacionais que, além dos organizadores, incluem também a Iniciativa Global de Desenho de Cidades da National Association of City Transportation Officials (NACTO, EUA), Vital Strategies (EUA), além de especialistas da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global. “Esta será uma oportunidade ímpar de aprendizagem e compartilhamento do que há de mais avançado no mundo em termos de prevenção de mortes e lesões causadas por acidentes de trânsito. É um desafio de qualquer cidade ao redor do mundo, mas particularmente no Brasil e na América Latina, um drama que precisa ser enfrentado com urgência”, pondera o secretário executivo de Conservação e Serviços Públicos da Prefeitura de Fortaleza, Luís Alberto Saboia.

Durante uma semana inteira de atividades, a intenção é que os participantes consigam ter a dimensão do problema que hoje é considerado uma epidemia de saúde pública pela Organização Mundial da Saúde (OMS), suas consequências para a sociedade e também estratégias práticas para contornar o problema. O curso traz o tema da segurança viária à luz das áreas de saúde pública, economia, psicologia, engenharia de tráfego, comunicação, além da coleta e análise de dados para guiar soluções. A oportunidade também inclui visitas de campo a intervenções e departamentos da Prefeitura de Fortaleza como um laboratório de análise de melhores práticas para promoção de soluções sustentáveis para o deslocamento urbano, prevenção de mortes e ferimentos no trânsito.

Entre os facilitadores de destaque do curso estão o Dr. Abdulgafoor Bachani, diretor da John Hopkins International Injury Research Unit, da JHU; a PhD Judy Fleiter, gerente mundial da GRSP, braço da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho para a segurança no trânsito; Luiza Amorim, gerente de Comunicação da Vital Strategies no Brasil, formada em comunicação e mídia na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e Luís Alberto Saboia,  secretário executivo de Conservação e Serviços Públicos de Fortaleza.

A capital cearense foi escolhida para sediar o evento pelo conjunto de esforços e resultados que tem culminado no reconhecimento internacional na promoção de um trânsito mais seguro. Em 2019, o Instituto de Políticas de Transporte & Desenvolvimento (ITDP) concedeu o Sustainable Transport Award para a Cidade, em decorrência das melhorias. Ao longo de 2018, foram registrados 226 óbitos decorrentes de acidentes de trânsito em Fortaleza, um número 40% menor do que as 377 mortes em 2014. A taxa de mortalidade por 100 mil habitantes, usada para comparar os índices entre cidades e países de todo o mundo, caiu de 14,7 para 8,5 no mesmo período. Para se ter ideia, segundo a OMS, a taxa de mortes por 100 mil habitantes do Brasil em 2016 foi de 19,7. No mesmo período, a Suécia e a Dinamarca, consideradas referências mundiais, registraram, respectivamente, índices de 2,8 e 4,0 mortes por 100 mil habitantes.

A política de segurança viária desenvolvida pela Prefeitura de Fortaleza é apoiada pela Bloomberg Philanthropies por meio de um programa de segurança viária, a "Iniciativa Bloomberg para Segurança Viária Global". Em 2015, a capital cearense foi uma das dez cidades contempladas com o projeto e hoje conta com uma equipe de técnicos especializados, além de uma rede internacional de organizações que dão suporte às ações do poder público municipal em melhorias no gerenciamento de dados, infraestrutura, fiscalização, educação e comunicação. 

Em todo o mundo, estão participando do mesmo projeto as cidades de Accra, em Gana, Addis Abeba, na Etiópia, Bandung, na Indonésia, Bancoque, na Tailândia, Bogotá, na Colômbia, Ho Chi Minh, no Vietnã, Shanghai, na China, Mumbai, na Índia, além de Fortaleza e São Paulo, no Brasil.

Sobre a "Global Road Safety Partnership (GRSP)"

A Parceria Global de Segurança Viária (tradução livre para "Global Road Safety Partnership"), braço da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, em Genebra, na Suiça. A instituição tem colaboradores com base na China, Vietnã, Camboja, Tailândia, Austrália, Brasil, México, Rússia, África do Sul e Líbano. O objetivo da GRSP é criar e apoiar parcerias de segurança viária multisetoriais que estão envolvidas com intervenções de segurança viária de primeira linha em países e comunidades em todo o mundo.

Sobre a "Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health"

A Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health (Escola de Saúde Pública Johns Hopkins Bloomberg, em tradução livre) é uma das parceiras da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária na área de pesquisa, coleta e análise de dados relacionados aos acidentes de trânsito. A instituição, um dos braços da renomada Universidade Johns Hopkins, com sede em Baltimore, nos Estados Unidos, é referência internacional em saúde pública, colaboradora certificada da Organização Mundial da Saúde (OMS) e conta com pesquisadores 27 vezes laureados com o Prêmio Nobel. Mais informações estão disponíveis em www.jhsph.edu (em inglês).

Curso em Segurança Viária inédito no Brasil reúne gestores de mobilidade da América Latina em Fortaleza

Iniciativa da Prefeitura e da Unifor em parceira com universidade americana, curso ocorre entre os dias 05 e 09 de agosto

A Prefeitura Municipal de Fortaleza e a Universidade de Fortaleza (Unifor) realizam, em parceria com a Johns Hopkins University (JHU), de Baltimore nos Estados Unidos e com a Global Road Safety Partnership - GRSP (Parceria Global de Segurança Rodoviária) de Genebra na Suíça, o curso “Implementando programas eficazes de Segurança Viária: da evidência à prática”, entre os dias 05 e 09 de agosto. A iniciativa é inspirada no curso Global Road Safety Leadership, realizado pela JHU em conjunto com a GRSP com uma abordagem multidisciplinar para os diferentes aspectos na área de segurança no trânsito. O curso original já teve seis edições e reuniu 377 participantes de 57 de países em Bancoque, na Tailândia, Nairobi, no Quênia, em Buenos Aires, na Argentina, além de Baltimore nos EUA.

O curso  tem o apoio de diversas organizações internacionais que, além dos organizadores, incluem também a Iniciativa Global de Desenho de Cidades da National Association of City Transportation Officials (NACTO, EUA), Vital Strategies (EUA), além de especialistas da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global. “Esta será uma oportunidade ímpar de aprendizagem e compartilhamento do que há de mais avançado no mundo em termos de prevenção de mortes e lesões causadas por acidentes de trânsito. É um desafio de qualquer cidade ao redor do mundo, mas particularmente no Brasil e na América Latina, um drama que precisa ser enfrentado com urgência”, pondera o secretário executivo de Conservação e Serviços Públicos da Prefeitura de Fortaleza, Luís Alberto Saboia.

Durante uma semana inteira de atividades, a intenção é que os participantes consigam ter a dimensão do problema que hoje é considerado uma epidemia de saúde pública pela Organização Mundial da Saúde (OMS), suas consequências para a sociedade e também estratégias práticas para contornar o problema. O curso traz o tema da segurança viária à luz das áreas de saúde pública, economia, psicologia, engenharia de tráfego, comunicação, além da coleta e análise de dados para guiar soluções. A oportunidade também inclui visitas de campo a intervenções e departamentos da Prefeitura de Fortaleza como um laboratório de análise de melhores práticas para promoção de soluções sustentáveis para o deslocamento urbano, prevenção de mortes e ferimentos no trânsito.

Entre os facilitadores de destaque do curso estão o Dr. Abdulgafoor Bachani, diretor da John Hopkins International Injury Research Unit, da JHU; a PhD Judy Fleiter, gerente mundial da GRSP, braço da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho para a segurança no trânsito; Luiza Amorim, gerente de Comunicação da Vital Strategies no Brasil, formada em comunicação e mídia na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e Luís Alberto Saboia,  secretário executivo de Conservação e Serviços Públicos de Fortaleza.

A capital cearense foi escolhida para sediar o evento pelo conjunto de esforços e resultados que tem culminado no reconhecimento internacional na promoção de um trânsito mais seguro. Em 2019, o Instituto de Políticas de Transporte & Desenvolvimento (ITDP) concedeu o Sustainable Transport Award para a Cidade, em decorrência das melhorias. Ao longo de 2018, foram registrados 226 óbitos decorrentes de acidentes de trânsito em Fortaleza, um número 40% menor do que as 377 mortes em 2014. A taxa de mortalidade por 100 mil habitantes, usada para comparar os índices entre cidades e países de todo o mundo, caiu de 14,7 para 8,5 no mesmo período. Para se ter ideia, segundo a OMS, a taxa de mortes por 100 mil habitantes do Brasil em 2016 foi de 19,7. No mesmo período, a Suécia e a Dinamarca, consideradas referências mundiais, registraram, respectivamente, índices de 2,8 e 4,0 mortes por 100 mil habitantes.

A política de segurança viária desenvolvida pela Prefeitura de Fortaleza é apoiada pela Bloomberg Philanthropies por meio de um programa de segurança viária, a "Iniciativa Bloomberg para Segurança Viária Global". Em 2015, a capital cearense foi uma das dez cidades contempladas com o projeto e hoje conta com uma equipe de técnicos especializados, além de uma rede internacional de organizações que dão suporte às ações do poder público municipal em melhorias no gerenciamento de dados, infraestrutura, fiscalização, educação e comunicação. 

Em todo o mundo, estão participando do mesmo projeto as cidades de Accra, em Gana, Addis Abeba, na Etiópia, Bandung, na Indonésia, Bancoque, na Tailândia, Bogotá, na Colômbia, Ho Chi Minh, no Vietnã, Shanghai, na China, Mumbai, na Índia, além de Fortaleza e São Paulo, no Brasil.

Sobre a "Global Road Safety Partnership (GRSP)"

A Parceria Global de Segurança Viária (tradução livre para "Global Road Safety Partnership"), braço da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, em Genebra, na Suiça. A instituição tem colaboradores com base na China, Vietnã, Camboja, Tailândia, Austrália, Brasil, México, Rússia, África do Sul e Líbano. O objetivo da GRSP é criar e apoiar parcerias de segurança viária multisetoriais que estão envolvidas com intervenções de segurança viária de primeira linha em países e comunidades em todo o mundo.

Sobre a "Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health"

A Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health (Escola de Saúde Pública Johns Hopkins Bloomberg, em tradução livre) é uma das parceiras da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária na área de pesquisa, coleta e análise de dados relacionados aos acidentes de trânsito. A instituição, um dos braços da renomada Universidade Johns Hopkins, com sede em Baltimore, nos Estados Unidos, é referência internacional em saúde pública, colaboradora certificada da Organização Mundial da Saúde (OMS) e conta com pesquisadores 27 vezes laureados com o Prêmio Nobel. Mais informações estão disponíveis em www.jhsph.edu (em inglês).