09 de julho de 2018 em Educação

Equipe do Colégio Farias Brito conhece infraestrutura e metodologia de nova ETI da Rede Municipal

Escola do Município atende cerca de 450 alunos do 6º ao 9º ano e dispõe de 12 salas de aulas temáticas


Visita
Equipes técnicas das Secretarias Municipais da Educação (SME) e da Infraestrutura (Seinf) acompanharam a visita
Uma equipe de diretores e engenheiros do Colégio Farias Brito visitou, na manhã desta segunda-feira (09/07), a Escola de Tempo Integral Professora Hildete Brasil de Sá Cavalcante, no Mondubim, para conhecer a estrutura física e a proposta pedagógica da unidade. A agenda foi acompanhada por equipes técnicas das Secretarias Municipais da Educação (SME) e da Infraestrutura (Seinf).

O diretor institucional do Farias Brito, Carlos Barbosa, reconheceu o trabalho executado na unidade e destacou como a metodologia utilizada nas Escolas de Tempo Integral da Rede Municipal contribui para o desenvolvimento do plano de vida dos alunos. "Fiquei positivamente surpreso com a estrutura interna, equipamentos, laboratórios temáticos e, principalmente, com a modernização dos métodos de ensino adotados pela Rede Municipal de Fortaleza. É transformador para os alunos da escola", destacou.

A visita da rede privada a um equipamento municipal marca a mudança de um ciclo, avalia o assessor técnico de Educação Integral da SME, Márcio Machado. "Antes, éramos nós, da rede pública, que íamos captar o que a rede particular ofertava para os alunos e agora acontece o inverso, a rede privada vem até nós. É importante essa abertura de portas, pois há troca de conhecimentos e do projeto oferecido pelas Escolas de Tempo integral", pontua.

Tempo Integral
A Escola de Tempo Integral (ETI) Professora Hildete foi inaugurada no último dia 25 de junho, sendo a 23ª ETI da Rede Municipal - antes de 2013, Fortaleza não contava com nenhum equipamento do tipo. De acordo com o Censo Escolar 2017, do Inep, Fortaleza foi a terceira capital do País e a primeira do Nordeste em matrículas de tempo integral.

A nova unidade atende cerca de 450 alunos do 6º ao 9º ano e dispõe de 12 salas de aulas temáticas, incluindo os eixos Projeto de Vida e Protagonismo, além de laboratório de Química/Biologia, laboratório de Física/Matemática e dois laboratórios de Informática.

Conta, ainda, com biblioteca, cozinha, refeitório, auditório, diretoria, secretaria, coordenação pedagógica e coordenação de área, sala do professor diretor de turma, sala dos professores, pátio com projeto paisagístico, ginásio (com quadra poliesportiva coberta, arquibancadas e alambrados), vestiários e depósitos.

Ao todo, as ETIs da Rede Municipal já atendem cerca de 8 mil alunos. Nelas, os estudantes vivenciam rotinas e práticas para uma formação interdisciplinar, com o apoio de equipes pedagógicas de formação especializada. Nas ETIs, os alunos contam com três refeições diárias e acompanhamento pessoal realizado pelos Professores Diretores de Turma, além de disciplinas que pautam temas como protagonismo e projeto de vida, disciplinas eletivas escolhidas por professores e alunos, e atividades laboratoriais de Informática, Biologia, Química, Física e Matemática.

Equipe do Colégio Farias Brito conhece infraestrutura e metodologia de nova ETI da Rede Municipal

Escola do Município atende cerca de 450 alunos do 6º ao 9º ano e dispõe de 12 salas de aulas temáticas

Visita
Equipes técnicas das Secretarias Municipais da Educação (SME) e da Infraestrutura (Seinf) acompanharam a visita
Uma equipe de diretores e engenheiros do Colégio Farias Brito visitou, na manhã desta segunda-feira (09/07), a Escola de Tempo Integral Professora Hildete Brasil de Sá Cavalcante, no Mondubim, para conhecer a estrutura física e a proposta pedagógica da unidade. A agenda foi acompanhada por equipes técnicas das Secretarias Municipais da Educação (SME) e da Infraestrutura (Seinf).

O diretor institucional do Farias Brito, Carlos Barbosa, reconheceu o trabalho executado na unidade e destacou como a metodologia utilizada nas Escolas de Tempo Integral da Rede Municipal contribui para o desenvolvimento do plano de vida dos alunos. "Fiquei positivamente surpreso com a estrutura interna, equipamentos, laboratórios temáticos e, principalmente, com a modernização dos métodos de ensino adotados pela Rede Municipal de Fortaleza. É transformador para os alunos da escola", destacou.

A visita da rede privada a um equipamento municipal marca a mudança de um ciclo, avalia o assessor técnico de Educação Integral da SME, Márcio Machado. "Antes, éramos nós, da rede pública, que íamos captar o que a rede particular ofertava para os alunos e agora acontece o inverso, a rede privada vem até nós. É importante essa abertura de portas, pois há troca de conhecimentos e do projeto oferecido pelas Escolas de Tempo integral", pontua.

Tempo Integral
A Escola de Tempo Integral (ETI) Professora Hildete foi inaugurada no último dia 25 de junho, sendo a 23ª ETI da Rede Municipal - antes de 2013, Fortaleza não contava com nenhum equipamento do tipo. De acordo com o Censo Escolar 2017, do Inep, Fortaleza foi a terceira capital do País e a primeira do Nordeste em matrículas de tempo integral.

A nova unidade atende cerca de 450 alunos do 6º ao 9º ano e dispõe de 12 salas de aulas temáticas, incluindo os eixos Projeto de Vida e Protagonismo, além de laboratório de Química/Biologia, laboratório de Física/Matemática e dois laboratórios de Informática.

Conta, ainda, com biblioteca, cozinha, refeitório, auditório, diretoria, secretaria, coordenação pedagógica e coordenação de área, sala do professor diretor de turma, sala dos professores, pátio com projeto paisagístico, ginásio (com quadra poliesportiva coberta, arquibancadas e alambrados), vestiários e depósitos.

Ao todo, as ETIs da Rede Municipal já atendem cerca de 8 mil alunos. Nelas, os estudantes vivenciam rotinas e práticas para uma formação interdisciplinar, com o apoio de equipes pedagógicas de formação especializada. Nas ETIs, os alunos contam com três refeições diárias e acompanhamento pessoal realizado pelos Professores Diretores de Turma, além de disciplinas que pautam temas como protagonismo e projeto de vida, disciplinas eletivas escolhidas por professores e alunos, e atividades laboratoriais de Informática, Biologia, Química, Física e Matemática.