Fortaleza dispõe de 906 leitos para pacientes com Covid-19

10 de abril de 2021 em Saúde

Fortaleza dispõe de 906 leitos para pacientes com Covid-19

Ampliação na rede assistencial e trabalhos das equipes de saúde são esforços para conter a pandemia na Capital nos 100 primeiros dias de gestão


A foto mostra três enfermeiras sentadas diante de uma mesa com um computador, elas estão numa enfermaria da UPA e há quatro leitos ainda vazios na sua frente, pois a ala ainda está em obras
As seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) gerenciadas pelo Município já tiveram um aumento de 170 leitos (Foto: Rodrigo Carvalho)

A luta contra a Covid-19 em Fortaleza combina a integração das redes assistenciais de atenção primária, secundária e terciária, acolhendo pacientes de forma humanizada, garantindo equipamentos e insumos diariamente. Nos primeiros 100 dias da gestão José Sarto, a Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), vem realizando a ampliação gradativa de leitos, em esforços para minimizar os efeitos do cenário pandêmico na Capital, tanto na rede própria do município como na rede contratualizada. No total, já são 906 leitos exclusivos para pacientes com Covid-19.

No mesmo ritmo, as equipes de saúde também vêm sendo ampliadas para que os pacientes de maior gravidade que necessitem de internação tenham todo o suporte necessário. A demanda é controlada pela Central de Regulação de Fortaleza, por onde é feita a busca de leitos na rede assistencial para a transferência de pacientes com indicação para internação, seja em leitos. de observação, enfermaria, cuidados respiratórios de alta complexidade ou UTI

Um dos maiores destaques é o Instituto Dr. José Frota 2 (IJF 2). Com o avanço dos diagnósticos e crescimento da demanda por leitos de internação em Unidades de Terapia Intensiva (UTI), o Hospital passou a reservar suas unidades aos pacientes encaminhados pela Central de Regulação. Até o momento, 180 leitos foram disponibilizados gradualmente, sendo 80 deles em UTIs e 100 em enfermarias. No período de um ano, mais de 1.150 pacientes e suas famílias puderam contar com a atenção dos profissionais da unidade, que segue empenhada no socorro aos contaminados.

Outra unidade para Covid-19 e recebimento apenas de pacientes encaminhados é o Hospital Distrital Edmilson Barros de Oliveira (Frotinha Messejana). Com 62 leitos, sendo 50 enfermaria e 12 de cuidados respiratórios especiais, conta com equipes multidisciplinares, compostas por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeutas.

Por sua vez, o Hospital e Maternidade Dra. Zilda Arns Neumann (Hospital da Mulher) possui 127 leitos, sendo 107 de enfermaria, 14 de UTI e 6 leitos de média complexidade; e o Hospital Distrital Gonzaga Mota do Bairro José Walter (Gonzaguinha do José Walter) está recebendo adequações em sua estrutura já existente para gases hospitalares em 30 leitos de enfermaria e um novo prédio, que está sendo agilizado para que aumentar mais ainda a a oferta.

As seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) gerenciadas pelo Município já tiveram um aumento de 170 leitos, com a previsão de entrega de mais 20 na unidade que ainda não recebeu ampliação no próximo domingo (11/04). No total, serão 190.

Todos os outros hospitais da rede municipal, embora não sejam exclusivos para Covid, possuem leitos reservados para pacientes Covid, explicou a secretária da Saúde, Ana Estela Leite. “Além disso, garantimos uma oferta de oxigênio, armazenados em tanques com grande capacidade e à medida que o consumo vai aumentando, vão sendo imediatamente repostos. É uma luta diária para que a gente possa suprir os pacientes, ainda, com todos os medicamentos e insumos que são necessários ao enfrentamento da pandemia”

Rede contratualizada

Já as vagas de internação contratualizadas estão divididas em unidades estaduais e federais, e os fortalezenses contam com o apoio do Hospital Fernandes Távora, que possui 91 leitos; do Hospital Universitário Walter Cantídio, com 88 leitos; e da Sociedade de Assistência e Proteção à Infância de Fortaleza (Sopai), com 60 vagas para tratamento infantil.

Equipes de saúde

Para que cada paciente seja atendido da melhor forma, os profissionais da saúde que estão na ponta do combate à Covid-19 têm se desafiado e se comprometido diariamente, trabalhando sem descanso para garantir o acolhimento de todos que necessitam da rede assistencial do município, de acordo com a secretária Ana Estela Leite.

São médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, dentistas, fisioterapeutas, nutricionistas, equipe de limpeza e outros profissionais que têm sido essenciais para o enfrentamento da pandemia. “Fica o nosso reconhecimento para aqueles que estão no dia a dia, fazendo com que todo esse esforço se reverta no maior número possível de pessoas recuperadas”, destacou.

Fortaleza dispõe de 906 leitos para pacientes com Covid-19

Ampliação na rede assistencial e trabalhos das equipes de saúde são esforços para conter a pandemia na Capital nos 100 primeiros dias de gestão

A foto mostra três enfermeiras sentadas diante de uma mesa com um computador, elas estão numa enfermaria da UPA e há quatro leitos ainda vazios na sua frente, pois a ala ainda está em obras
As seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) gerenciadas pelo Município já tiveram um aumento de 170 leitos (Foto: Rodrigo Carvalho)

A luta contra a Covid-19 em Fortaleza combina a integração das redes assistenciais de atenção primária, secundária e terciária, acolhendo pacientes de forma humanizada, garantindo equipamentos e insumos diariamente. Nos primeiros 100 dias da gestão José Sarto, a Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), vem realizando a ampliação gradativa de leitos, em esforços para minimizar os efeitos do cenário pandêmico na Capital, tanto na rede própria do município como na rede contratualizada. No total, já são 906 leitos exclusivos para pacientes com Covid-19.

No mesmo ritmo, as equipes de saúde também vêm sendo ampliadas para que os pacientes de maior gravidade que necessitem de internação tenham todo o suporte necessário. A demanda é controlada pela Central de Regulação de Fortaleza, por onde é feita a busca de leitos na rede assistencial para a transferência de pacientes com indicação para internação, seja em leitos. de observação, enfermaria, cuidados respiratórios de alta complexidade ou UTI

Um dos maiores destaques é o Instituto Dr. José Frota 2 (IJF 2). Com o avanço dos diagnósticos e crescimento da demanda por leitos de internação em Unidades de Terapia Intensiva (UTI), o Hospital passou a reservar suas unidades aos pacientes encaminhados pela Central de Regulação. Até o momento, 180 leitos foram disponibilizados gradualmente, sendo 80 deles em UTIs e 100 em enfermarias. No período de um ano, mais de 1.150 pacientes e suas famílias puderam contar com a atenção dos profissionais da unidade, que segue empenhada no socorro aos contaminados.

Outra unidade para Covid-19 e recebimento apenas de pacientes encaminhados é o Hospital Distrital Edmilson Barros de Oliveira (Frotinha Messejana). Com 62 leitos, sendo 50 enfermaria e 12 de cuidados respiratórios especiais, conta com equipes multidisciplinares, compostas por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeutas.

Por sua vez, o Hospital e Maternidade Dra. Zilda Arns Neumann (Hospital da Mulher) possui 127 leitos, sendo 107 de enfermaria, 14 de UTI e 6 leitos de média complexidade; e o Hospital Distrital Gonzaga Mota do Bairro José Walter (Gonzaguinha do José Walter) está recebendo adequações em sua estrutura já existente para gases hospitalares em 30 leitos de enfermaria e um novo prédio, que está sendo agilizado para que aumentar mais ainda a a oferta.

As seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) gerenciadas pelo Município já tiveram um aumento de 170 leitos, com a previsão de entrega de mais 20 na unidade que ainda não recebeu ampliação no próximo domingo (11/04). No total, serão 190.

Todos os outros hospitais da rede municipal, embora não sejam exclusivos para Covid, possuem leitos reservados para pacientes Covid, explicou a secretária da Saúde, Ana Estela Leite. “Além disso, garantimos uma oferta de oxigênio, armazenados em tanques com grande capacidade e à medida que o consumo vai aumentando, vão sendo imediatamente repostos. É uma luta diária para que a gente possa suprir os pacientes, ainda, com todos os medicamentos e insumos que são necessários ao enfrentamento da pandemia”

Rede contratualizada

Já as vagas de internação contratualizadas estão divididas em unidades estaduais e federais, e os fortalezenses contam com o apoio do Hospital Fernandes Távora, que possui 91 leitos; do Hospital Universitário Walter Cantídio, com 88 leitos; e da Sociedade de Assistência e Proteção à Infância de Fortaleza (Sopai), com 60 vagas para tratamento infantil.

Equipes de saúde

Para que cada paciente seja atendido da melhor forma, os profissionais da saúde que estão na ponta do combate à Covid-19 têm se desafiado e se comprometido diariamente, trabalhando sem descanso para garantir o acolhimento de todos que necessitam da rede assistencial do município, de acordo com a secretária Ana Estela Leite.

São médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, dentistas, fisioterapeutas, nutricionistas, equipe de limpeza e outros profissionais que têm sido essenciais para o enfrentamento da pandemia. “Fica o nosso reconhecimento para aqueles que estão no dia a dia, fazendo com que todo esse esforço se reverta no maior número possível de pessoas recuperadas”, destacou.