17 de junho de 2020 em Saúde

Prefeito Roberto Cláudio apresenta dados sobre queda no número de casos e óbitos por Covid-19 em Fortaleza

Redução se manteve mesmo com a retomada gradual das atividades econômicas


prefeito em pé apontando para televisão que mostra um gráfico
De acordo com os gráficos apresentados, nas semanas de pico, Fortaleza atingiu uma média de 30 novos pacientes diários. Atualmente, a média é de três pacientes.

O prefeito Roberto Cláudio apresentou, em transmissão ao vivo pelas redes sociais, nesta quarta-feira (17/06), novos dados epidemiológicos sobre a evolução da pandemia da Covid-19 em Fortaleza. Conforme a análise do Gestor, mesmo com a abertura econômica gradual no Município, não houve impacto na procura pelos serviços de saúde pública nem aumento nos números de casos e óbitos.

O primeiro gráfico apresentado foi o da média de número de casos confirmados semanalmente, considerando o período da semana 13 à semana 24 da pandemia, e o pico de ocorrências sendo na semana 17, em declínio constante até a semana atual. A situação é semelhante para a quantidade de óbitos, com pico nas semanas 19 e 20 e queda constante ao longo das últimas quatro semanas. Atualmente, a média diária de óbitos é de 15.

Outro dado consistente é o do número de pacientes que procuram os Postos de Saúde com sintomas de síndrome gripal, que seria, conforme Roberto Cláudio, o primeiro sinal de agravamento da pandemia. Em relação às semanas da abertura das atividades econômicas, a apresentação também mostrou uma tendência de redução do número desses pacientes. A situação é semelhante nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Os números também são otimistas quanto à quantidade de pacientes que demandam internação por Covid-19 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Nas semanas de pico, atingiu-se a média de 30 novos pacientes diários. Atualmente, a média é de três pacientes, considerando-se as últimas três semanas.

Houve queda, ainda, no número de pacientes que fazem uso de ventilação mecânica, considerando a soma dos quatro hospitais municipais destinados a casos de Covid-19. Atualmente, apenas 27% dos ventiladores estão ocupados, diferentemente do início do mês de maio, quando 100% estavam sendo utilizados.

“Esse é o resultado de políticas públicas de saúde que têm sido implantadas em parceria com o Governo do Estado, e a conquista é coletiva. É preciso ter consciência de que o problema está longe de acabar. É preciso disciplina e ação solidária. É importante que nós possamos respeitar as orientações sanitárias para que o quadro possa melhorar semana a semana, e continuar o isolamento social para aqueles que não estão em atividades essenciais”, concluiu o Prefeito.

arte escrito Fortaleza contra coronavírus, clique aqui e saiba mais

Prefeito Roberto Cláudio apresenta dados sobre queda no número de casos e óbitos por Covid-19 em Fortaleza

Redução se manteve mesmo com a retomada gradual das atividades econômicas

prefeito em pé apontando para televisão que mostra um gráfico
De acordo com os gráficos apresentados, nas semanas de pico, Fortaleza atingiu uma média de 30 novos pacientes diários. Atualmente, a média é de três pacientes.

O prefeito Roberto Cláudio apresentou, em transmissão ao vivo pelas redes sociais, nesta quarta-feira (17/06), novos dados epidemiológicos sobre a evolução da pandemia da Covid-19 em Fortaleza. Conforme a análise do Gestor, mesmo com a abertura econômica gradual no Município, não houve impacto na procura pelos serviços de saúde pública nem aumento nos números de casos e óbitos.

O primeiro gráfico apresentado foi o da média de número de casos confirmados semanalmente, considerando o período da semana 13 à semana 24 da pandemia, e o pico de ocorrências sendo na semana 17, em declínio constante até a semana atual. A situação é semelhante para a quantidade de óbitos, com pico nas semanas 19 e 20 e queda constante ao longo das últimas quatro semanas. Atualmente, a média diária de óbitos é de 15.

Outro dado consistente é o do número de pacientes que procuram os Postos de Saúde com sintomas de síndrome gripal, que seria, conforme Roberto Cláudio, o primeiro sinal de agravamento da pandemia. Em relação às semanas da abertura das atividades econômicas, a apresentação também mostrou uma tendência de redução do número desses pacientes. A situação é semelhante nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Os números também são otimistas quanto à quantidade de pacientes que demandam internação por Covid-19 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Nas semanas de pico, atingiu-se a média de 30 novos pacientes diários. Atualmente, a média é de três pacientes, considerando-se as últimas três semanas.

Houve queda, ainda, no número de pacientes que fazem uso de ventilação mecânica, considerando a soma dos quatro hospitais municipais destinados a casos de Covid-19. Atualmente, apenas 27% dos ventiladores estão ocupados, diferentemente do início do mês de maio, quando 100% estavam sendo utilizados.

“Esse é o resultado de políticas públicas de saúde que têm sido implantadas em parceria com o Governo do Estado, e a conquista é coletiva. É preciso ter consciência de que o problema está longe de acabar. É preciso disciplina e ação solidária. É importante que nós possamos respeitar as orientações sanitárias para que o quadro possa melhorar semana a semana, e continuar o isolamento social para aqueles que não estão em atividades essenciais”, concluiu o Prefeito.

arte escrito Fortaleza contra coronavírus, clique aqui e saiba mais