10 de outubro de 2019 em Mobilidade

Prefeito Roberto Cláudio apresenta projeto que prioriza pedestres na Rua Barão do Rio Branco

Ações de infraestrutura e mobilidade urbana fazem parte do projeto Novo Centro


prefeito roberto cláudio fala ao microfone
xxx

O prefeito Roberto Cláudio apresentou, em coletiva no Paço Municipal, nesta quinta-feira (10/10), projeto para ampliar o espaço de pedestres e ciclistas na rua Barão do Rio Branco, garantindo mais segurança viária a esses usuários. A via receberá nova configuração no trecho entre a Avenida Duque de Caxias e a rua Dr. João Moreira, que inclui extensão das calçadas, novo mobiliário urbano, entre outros.

A importância da Barão do Rio Branco como corredor comercial que atrai milhares de pedestres diariamente foi ressaltada por Roberto Cláudio. “A ideia é requalificar essa área inteira dando nova pavimentação, sinalização e principalmente fazendo um grande calçadão para aumentar a tranquilidade do pedestre”, afirmou o Prefeito.

Segundo o Prefeito, a intervenção possibilitará ainda soluções para o comércio ambulante na região. “Em paralelo, vamos dar maior conforto ao ambulante”, garantiu, explicando que os comerciantes contarão com quiosques padronizados, do mesmo tipo já existente nas Ruas Guilherme Rocha e Liberato Barroso. “O ambulante não vai mais ter uma barraca de madeira que ele precisa que levar todo dia”, disse.

Com cores vibrantes pintadas no asfalto, novo mobiliário urbano, além de iluminação reforçada e a exemplo de intervenções similares realizadas também em cidades como Bogotá, na Colômbia, Mumbai, na Índia, e em São Paulo, a ideia é mostrar que é possível priorizar as pessoas e garantir mais segurança viária a pedestres, pessoas com mobilidade reduzida e ciclistas. Após a intervenção, a via continuará a ter área para carga e descarga, áreas de embarque e desembarque e uma faixa de rolamento para tráfego de veículos motorizados. A expectativa é reduzir os pontos de conflito entre pedestres, ciclistas, carros e caminhões na região.

Até a primeira quinzena de novembro, previsão de término das intervenções, serão realizadas a nova sinalização viária, bem como a instalação de 50 novos quiosques padronizados, a exemplo da rua Guilherme Rocha, 17 paraciclos, 22 lixeiras, 75 jardineiras, 35 jarros e balizadores para ajudar a delimitar o espaço, além de 40 bancos de concreto.

A via foi escolhida para receber a intervenção pela elevada concentração de estabelecimentos comerciais, que geram um trânsito intenso e também pontos de conflito e acidentalidade, como nos cruzamentos com as ruas Castro e Silva, Pedro I e São Paulo, por exemplo.

Ao todo, será sinalizada uma área de 3.686 m², reconquistada para quem anda a pé, além das três novas faixas elevadas ao nível da calçada e cinco novas travessias convencionais. Atualmente, o espaço da rua está destinado prioritariamente (67%) aos veículos motorizados, em detrimento de quem anda a pé (33%).

As intervenções são balizadas por pesquisa sobre o uso e tráfego de pedestres e veículos motorizados pelo local. O levantamento mostra que enquanto em uma hora, em média, 912 carros trafegam pela via, 1.744 pedestres caminham pelo local, dos quais 192 pessoas andam pelo asfalto por falta de espaço nas calçadas.

De acordo com Luiz Alberto Sabóia, secretário-executivo da Conservação e Serviços Públicos, as intervenções serão desenvolvidas em etapas, sem prejuízo àqueles que frequentam o local.

Operários trabalhando em rua
Operários já iniciaram a instalação das três novas faixas elevadas da Rua Rio Branco

Novo Centro

A iniciativa faz parte do Projeto Novo Centro, que tem como objetivo principal transformar o cenário do Centro de Fortaleza, por meio de obras e ações em seis eixos: Habitação, Política de Apoio a Pessoas em Situação de Rua, Turismo e Cultura, Infraestrutura e Mobilidade, Ordenamento do Comércio Informal e Segurança e Fiscalização.

Adail Fontenele, secretário da Regional Centro, explicou que as ações foram desenvolvidas por meio de um Comitê Gestor formado por representantes da Prefeitura de Fortaleza, Câmara de Dirigentes Lojistas e outras entidades de classe, além de moradores e representantes da sociedade civil. A missão é acompanhar a execução de todas as ações do Projeto, com melhorias na utilização dos espaços públicos a serem executadas a curto, médio e longo prazo.

Dividido por eixos, o Projeto busca mudar a realidade do Centro da Cidade, estimulando a requalificação da área, por meio de reordenamento, estímulo à habitação, fiscalização, segurança e outras ações.

No eixo da Habitação, o objetivo é estimular a ocupação habitacional no Centro da Cidade, por meio da viabilização de unidades habitacionais. De um total de 2.292 pessoas consultadas na Pesquisa de Interesse Habitacional no Centro, realizada pela Habitafor e Iplanfor, 49,3% estão interessados na compra de imóveis localizados naquela região.

Na pauta de Apoio a Pessoas em Situação de Rua, as ações incluem a instalação de uma Pousada Social, que com 120 leitos disponíveis para pernoite, e um Refeitório Social, para oferecer 400 refeições, incluindo café da manhã, almoço e jantar, ambos no Centro de Fortaleza. Além disso, o pacote de iniciativas inclui o aluguel social para famílias e atenção a dependentes químicos por meio da oferta de 30 leitos em Unidades Municipais de Acolhimento para os que queiram se tratar. O Projeto Novos Caminhos, que visa à capacitação e a consequente geração de emprego e renda, será expandido com a oferta de mais de 400 vagas.

No segmento de Infraestrutura e Mobilidade, está definida a construção do Terminal Aberto ao lado da Praça José de Alencar e a reforma dos calçadões da Guilherme Rocha, General Sampaio e Liberato Barroso. Com o início da requalificação da praça, os ambulantes cadastrados foram alocados para o Feirão São Paulo, com 360 boxes. Faixas exclusivas de ônibus serão implantadas na Avenida Duque de Caxias e nas Ruas João Moreira e Castro Silva. As ruas Senador Pompeu, Major Facundo e Floriano Peixoto, além dos cruzamentos nas ruas Senador Pompeu e Barão do Rio Branco receberão melhorias.

No segmento de Segurança e Fiscalização, uma torre de monitoramento está em fase de projeto na Seinf, além da instalação de novas câmeras. E na área de Ordenamento do Comércio Informal destaca-se a padronização do antigo comércio ambulante em sequências de quiosques com permissionários nos calçadões das ruas Guilherme Rocha, General Sampaio, Liberato Barroso e Barão do Rio do Branco. A reforma dos calçadões inclui paisagismo, drenagem, nova iluminação com internalização da fiação e do cabeamento (subterrâneo), além de novo mobiliário urbano.

Prefeito Roberto Cláudio apresenta projeto que prioriza pedestres na Rua Barão do Rio Branco

Ações de infraestrutura e mobilidade urbana fazem parte do projeto Novo Centro

prefeito roberto cláudio fala ao microfone
xxx

O prefeito Roberto Cláudio apresentou, em coletiva no Paço Municipal, nesta quinta-feira (10/10), projeto para ampliar o espaço de pedestres e ciclistas na rua Barão do Rio Branco, garantindo mais segurança viária a esses usuários. A via receberá nova configuração no trecho entre a Avenida Duque de Caxias e a rua Dr. João Moreira, que inclui extensão das calçadas, novo mobiliário urbano, entre outros.

A importância da Barão do Rio Branco como corredor comercial que atrai milhares de pedestres diariamente foi ressaltada por Roberto Cláudio. “A ideia é requalificar essa área inteira dando nova pavimentação, sinalização e principalmente fazendo um grande calçadão para aumentar a tranquilidade do pedestre”, afirmou o Prefeito.

Segundo o Prefeito, a intervenção possibilitará ainda soluções para o comércio ambulante na região. “Em paralelo, vamos dar maior conforto ao ambulante”, garantiu, explicando que os comerciantes contarão com quiosques padronizados, do mesmo tipo já existente nas Ruas Guilherme Rocha e Liberato Barroso. “O ambulante não vai mais ter uma barraca de madeira que ele precisa que levar todo dia”, disse.

Com cores vibrantes pintadas no asfalto, novo mobiliário urbano, além de iluminação reforçada e a exemplo de intervenções similares realizadas também em cidades como Bogotá, na Colômbia, Mumbai, na Índia, e em São Paulo, a ideia é mostrar que é possível priorizar as pessoas e garantir mais segurança viária a pedestres, pessoas com mobilidade reduzida e ciclistas. Após a intervenção, a via continuará a ter área para carga e descarga, áreas de embarque e desembarque e uma faixa de rolamento para tráfego de veículos motorizados. A expectativa é reduzir os pontos de conflito entre pedestres, ciclistas, carros e caminhões na região.

Até a primeira quinzena de novembro, previsão de término das intervenções, serão realizadas a nova sinalização viária, bem como a instalação de 50 novos quiosques padronizados, a exemplo da rua Guilherme Rocha, 17 paraciclos, 22 lixeiras, 75 jardineiras, 35 jarros e balizadores para ajudar a delimitar o espaço, além de 40 bancos de concreto.

A via foi escolhida para receber a intervenção pela elevada concentração de estabelecimentos comerciais, que geram um trânsito intenso e também pontos de conflito e acidentalidade, como nos cruzamentos com as ruas Castro e Silva, Pedro I e São Paulo, por exemplo.

Ao todo, será sinalizada uma área de 3.686 m², reconquistada para quem anda a pé, além das três novas faixas elevadas ao nível da calçada e cinco novas travessias convencionais. Atualmente, o espaço da rua está destinado prioritariamente (67%) aos veículos motorizados, em detrimento de quem anda a pé (33%).

As intervenções são balizadas por pesquisa sobre o uso e tráfego de pedestres e veículos motorizados pelo local. O levantamento mostra que enquanto em uma hora, em média, 912 carros trafegam pela via, 1.744 pedestres caminham pelo local, dos quais 192 pessoas andam pelo asfalto por falta de espaço nas calçadas.

De acordo com Luiz Alberto Sabóia, secretário-executivo da Conservação e Serviços Públicos, as intervenções serão desenvolvidas em etapas, sem prejuízo àqueles que frequentam o local.

Operários trabalhando em rua
Operários já iniciaram a instalação das três novas faixas elevadas da Rua Rio Branco

Novo Centro

A iniciativa faz parte do Projeto Novo Centro, que tem como objetivo principal transformar o cenário do Centro de Fortaleza, por meio de obras e ações em seis eixos: Habitação, Política de Apoio a Pessoas em Situação de Rua, Turismo e Cultura, Infraestrutura e Mobilidade, Ordenamento do Comércio Informal e Segurança e Fiscalização.

Adail Fontenele, secretário da Regional Centro, explicou que as ações foram desenvolvidas por meio de um Comitê Gestor formado por representantes da Prefeitura de Fortaleza, Câmara de Dirigentes Lojistas e outras entidades de classe, além de moradores e representantes da sociedade civil. A missão é acompanhar a execução de todas as ações do Projeto, com melhorias na utilização dos espaços públicos a serem executadas a curto, médio e longo prazo.

Dividido por eixos, o Projeto busca mudar a realidade do Centro da Cidade, estimulando a requalificação da área, por meio de reordenamento, estímulo à habitação, fiscalização, segurança e outras ações.

No eixo da Habitação, o objetivo é estimular a ocupação habitacional no Centro da Cidade, por meio da viabilização de unidades habitacionais. De um total de 2.292 pessoas consultadas na Pesquisa de Interesse Habitacional no Centro, realizada pela Habitafor e Iplanfor, 49,3% estão interessados na compra de imóveis localizados naquela região.

Na pauta de Apoio a Pessoas em Situação de Rua, as ações incluem a instalação de uma Pousada Social, que com 120 leitos disponíveis para pernoite, e um Refeitório Social, para oferecer 400 refeições, incluindo café da manhã, almoço e jantar, ambos no Centro de Fortaleza. Além disso, o pacote de iniciativas inclui o aluguel social para famílias e atenção a dependentes químicos por meio da oferta de 30 leitos em Unidades Municipais de Acolhimento para os que queiram se tratar. O Projeto Novos Caminhos, que visa à capacitação e a consequente geração de emprego e renda, será expandido com a oferta de mais de 400 vagas.

No segmento de Infraestrutura e Mobilidade, está definida a construção do Terminal Aberto ao lado da Praça José de Alencar e a reforma dos calçadões da Guilherme Rocha, General Sampaio e Liberato Barroso. Com o início da requalificação da praça, os ambulantes cadastrados foram alocados para o Feirão São Paulo, com 360 boxes. Faixas exclusivas de ônibus serão implantadas na Avenida Duque de Caxias e nas Ruas João Moreira e Castro Silva. As ruas Senador Pompeu, Major Facundo e Floriano Peixoto, além dos cruzamentos nas ruas Senador Pompeu e Barão do Rio Branco receberão melhorias.

No segmento de Segurança e Fiscalização, uma torre de monitoramento está em fase de projeto na Seinf, além da instalação de novas câmeras. E na área de Ordenamento do Comércio Informal destaca-se a padronização do antigo comércio ambulante em sequências de quiosques com permissionários nos calçadões das ruas Guilherme Rocha, General Sampaio, Liberato Barroso e Barão do Rio do Branco. A reforma dos calçadões inclui paisagismo, drenagem, nova iluminação com internalização da fiação e do cabeamento (subterrâneo), além de novo mobiliário urbano.