13 de setembro de 2018 em Fortaleza

Prefeito Roberto Cláudio discute uso de biometria para acesso aos estádios Castelão e Presidente Vargas

Ação promoverá mais segurança e tranquilidade aos torcedores que frequentam os equipamentos


Biometria
Ficou acordado a formalização de um grupo de trabalho para discutir como se dará a operacionalização das atividades (Foto: Thiago Gaspar)
O prefeito Roberto Cláudio promoveu reunião com representantes do Governo do Estado, Ministério Público e Sindiônibus para discutir o uso da biometria nos estádios Governador Plácido Castelo (Castelão) e Presidente Vargas (PV). A atividade tem como intuito coibir a violência nos centros de esportes, além de fortalecer a política de segurança pública da Capital.

“A ideia é conversamos para desenvolver o acesso biométrico nos estádios como uma ação de prevenção da violência e de segurança pública. Já tivemos uma conversa anterior e temos um entendimento da Prefeitura e do Governo do Estado, que esse é um passo importante e necessário para promover a segurança em Fortaleza”, afirmou o Prefeito da Capital.

Entre as possibilidades discutidas, foram abordados o uso de biometria por meio de digitais, ou de câmeras de alta resolução, através de serviço de inteligência artificial, para reconhecimento dos torcedores. A integração dos bancos de dados de segurança pública entre os governos e a possibilidade do acessos aos dados do Bilhete Único, foram elencadas como fatores primordiais para o sucesso da ação.

“Queremos proporcionar à população mais segurança. A integração entre os bancos de dados da Prefeitura e do Estado, não só para o futebol, mas para outras bases, vai possibilitar que possamos identificar pessoas que cometeram crimes, que são procuradas pela Justiça, que tenham algum tipo de restrição e não deveriam estar em determinados locais públicos, garantindo e efetivando o direito da segurança da população”, declarou Élcio Batista, chefe de Gabinete do Governador.

André Costa, secretário de Segurança do Estado, explicou melhor os benefícios da ação. “O que queremos é, cada vez mais, aperfeiçoar a segurança nos estádios, em especial com o uso das tecnologias. Não só com as câmeras, mas também com o uso da inteligência artificial, do reconhecimento facial, para termos o controle, através de uma lista negra daquelas pessoas que não podem estar no estádio por medidas alternativas, ou mandatos de prisão abertos, evitando o acesso delas aos estádios”, disse.

Hoje, o Castelão já conta com mais de 200 câmeras de alta definição e 144 catracas com possibilidade de reconhecimento facial dos usuários. Com a reunião, ficou acordado a formalização de um grupo de trabalho para discutir como se dará a operacionalização das atividades, além da preparação da legislação e de adaptações das tecnologias nos dois centros de esportes.

Prefeito Roberto Cláudio discute uso de biometria para acesso aos estádios Castelão e Presidente Vargas

Ação promoverá mais segurança e tranquilidade aos torcedores que frequentam os equipamentos

Biometria
Ficou acordado a formalização de um grupo de trabalho para discutir como se dará a operacionalização das atividades (Foto: Thiago Gaspar)
O prefeito Roberto Cláudio promoveu reunião com representantes do Governo do Estado, Ministério Público e Sindiônibus para discutir o uso da biometria nos estádios Governador Plácido Castelo (Castelão) e Presidente Vargas (PV). A atividade tem como intuito coibir a violência nos centros de esportes, além de fortalecer a política de segurança pública da Capital.

“A ideia é conversamos para desenvolver o acesso biométrico nos estádios como uma ação de prevenção da violência e de segurança pública. Já tivemos uma conversa anterior e temos um entendimento da Prefeitura e do Governo do Estado, que esse é um passo importante e necessário para promover a segurança em Fortaleza”, afirmou o Prefeito da Capital.

Entre as possibilidades discutidas, foram abordados o uso de biometria por meio de digitais, ou de câmeras de alta resolução, através de serviço de inteligência artificial, para reconhecimento dos torcedores. A integração dos bancos de dados de segurança pública entre os governos e a possibilidade do acessos aos dados do Bilhete Único, foram elencadas como fatores primordiais para o sucesso da ação.

“Queremos proporcionar à população mais segurança. A integração entre os bancos de dados da Prefeitura e do Estado, não só para o futebol, mas para outras bases, vai possibilitar que possamos identificar pessoas que cometeram crimes, que são procuradas pela Justiça, que tenham algum tipo de restrição e não deveriam estar em determinados locais públicos, garantindo e efetivando o direito da segurança da população”, declarou Élcio Batista, chefe de Gabinete do Governador.

André Costa, secretário de Segurança do Estado, explicou melhor os benefícios da ação. “O que queremos é, cada vez mais, aperfeiçoar a segurança nos estádios, em especial com o uso das tecnologias. Não só com as câmeras, mas também com o uso da inteligência artificial, do reconhecimento facial, para termos o controle, através de uma lista negra daquelas pessoas que não podem estar no estádio por medidas alternativas, ou mandatos de prisão abertos, evitando o acesso delas aos estádios”, disse.

Hoje, o Castelão já conta com mais de 200 câmeras de alta definição e 144 catracas com possibilidade de reconhecimento facial dos usuários. Com a reunião, ficou acordado a formalização de um grupo de trabalho para discutir como se dará a operacionalização das atividades, além da preparação da legislação e de adaptações das tecnologias nos dois centros de esportes.