13 de dezembro de 2017 em Saúde

Prefeito Roberto Cláudio inaugura a sexta Central de Distribuição de Medicamentos

Equipamento foi instalado no Terminal da Parangaba


Central
As Centrais têm como objetivo regularizar a distribuição de medicamentos feita pela Prefeitura (Foto: Kiko Silva)
O prefeito Roberto Cláudio entregou a sexta Central de Distribuição de Medicamentos, localizada no Terminal da Parangaba, nesta quarta-feira (13/12). Desde agosto, a Prefeitura de Fortaleza já implantou cinco Centrais nos Terminais do Antônio Bezerra, Conjunto Ceará, Siqueira, Lagoa e Papicu. Em janeiro, será contemplado também o Terminal de Messejana.

As Centrais de Distribuição de Medicamentos nos Terminais funcionam como apoio às farmácias dos postos de saúde e têm como propósito reforçar o abastecimento dos 84 medicamentos prioritários disponíveis na rede de Atenção Primária de Fortaleza. Para ter acesso à Central, o usuário deve passar antes no posto de saúde. Caso não encontre na farmácia da unidade algum dos medicamentos da lista prioritária fornecidos pelo Município, será orientado e encaminhado para recebê-lo na Central de Distribuição de Medicamentos, conforme sua escolha no ato da reserva. O medicamento ficará reservado para o paciente na Central por um período de dois dias úteis.

O projeto de ações e estratégias inovadoras das Centrais têm por objetivo regularizar a distribuição de medicamentos realizada pela Prefeitura de Fortaleza e, por consequência, viabilizar cada vez mais o acesso da população. As Centrais, que atendem exclusivamente usuários dos terminais de integração, funcionam como uma extensão das farmácias dos postos de saúde e só entregam medicamentos cujas receitas tenham passado anteriormente pelas farmácias destas unidades.

“Regularizar o estoque dos medicamentos básicos dos postos de saúde era um dos compromissos mais importantes que assumimos nesta gestão. Modificamos o regime de compra, abastecimento e da logística de entrega nas unidades, que tem garantido cerca de 95% do estoque médio em todos os postos da Cidade. Mas para o paciente não correr o risco de ficar sem algum medicamento que por ventura falte, criamos as Centrais. Inauguramos a sexta e garantimos 81 unidades básicas cobertas e com acesso às Centrais nos terminais. A última será inaugurada em janeiro no Terminal de Messejana junto com o novo equipamento”, explicou Roberto Cláudio

Nessa nova etapa, serão beneficiados os usuários de 81 postos de saúde, localizados nas Regionais I, II, III, IV e V, que poderão optar, durante consulta na farmácia de sua unidade básica, em serem atendidos nas Centrais dos Terminais do Antônio Bezerra, Conjunto Ceará, Siqueira, Lagoa, Papicu e Parangaba. Com a instalação do equipamento em Messejana, todos os 109 postos da Capital e mais o Anexo de Saúde Maria Cirino passam a estar vinculados às sete Centrais em pleno funcionamento.

De acordo com a titular da Secretaria Municipal de Saúde, Joana Maciel, os 84 medicamentos das Centrais são os que o Sistema Único de Saúde considera como os mais importantes. “Os remédios disponíveis são os prioritários para a atenção primária, que tratam as principais doenças da população, como pressão alta, diabetes, infecções. Hoje, temos a felicidade de dizer que a população de Fortaleza não sofre com mais nenhuma falta de remédios”, disse.

Para a aposentada Rosângela de Aguiar, as Centrais ajudam por serem mais práticas. “Já precisei buscar remédio na Central de Distribuição do Terminal do Papicu. Rapidinho eu consegui meu medicamento, sem filas ou demora. É um grande benefício para toda a Cidade”, afirmou.

Fortaleza conta, hoje, com 109 postos de saúde e um anexo, que funcionam de segunda a sexta-feira, de 7h às 19h, todos com farmácia e entrega de medicamentos da lista prioritária da Atenção Básica. Além deste serviço, os postos de saúde oferecem atendimento médico, odontológico e de enfermagem para usuários com hipertensão, diabetes, hanseníase, tuberculose e HIV. Também está disponível acompanhamento de gestantes, puérperas, crianças e idosos; coleta de exames laboratoriais; procedimentos ambulatoriais; prevenção de câncer de boca e ginecológico; teste rápido HIV e sífilis; emissão do Cartão SUS, entre outros. Na atual gestão, já foram reformadas 70 unidades e foram construídos 19 novos postos de saúde.

Confira aqui a lista dos postos habilitados às Centrais de Distribuição de Medicamentos nos Terminais do Antônio Bezerra, Conjunto Ceará, Siqueira, Lagoa , Papicu e Parangaba.

Prefeito Roberto Cláudio inaugura a sexta Central de Distribuição de Medicamentos

Equipamento foi instalado no Terminal da Parangaba

Central
As Centrais têm como objetivo regularizar a distribuição de medicamentos feita pela Prefeitura (Foto: Kiko Silva)
O prefeito Roberto Cláudio entregou a sexta Central de Distribuição de Medicamentos, localizada no Terminal da Parangaba, nesta quarta-feira (13/12). Desde agosto, a Prefeitura de Fortaleza já implantou cinco Centrais nos Terminais do Antônio Bezerra, Conjunto Ceará, Siqueira, Lagoa e Papicu. Em janeiro, será contemplado também o Terminal de Messejana.

As Centrais de Distribuição de Medicamentos nos Terminais funcionam como apoio às farmácias dos postos de saúde e têm como propósito reforçar o abastecimento dos 84 medicamentos prioritários disponíveis na rede de Atenção Primária de Fortaleza. Para ter acesso à Central, o usuário deve passar antes no posto de saúde. Caso não encontre na farmácia da unidade algum dos medicamentos da lista prioritária fornecidos pelo Município, será orientado e encaminhado para recebê-lo na Central de Distribuição de Medicamentos, conforme sua escolha no ato da reserva. O medicamento ficará reservado para o paciente na Central por um período de dois dias úteis.

O projeto de ações e estratégias inovadoras das Centrais têm por objetivo regularizar a distribuição de medicamentos realizada pela Prefeitura de Fortaleza e, por consequência, viabilizar cada vez mais o acesso da população. As Centrais, que atendem exclusivamente usuários dos terminais de integração, funcionam como uma extensão das farmácias dos postos de saúde e só entregam medicamentos cujas receitas tenham passado anteriormente pelas farmácias destas unidades.

“Regularizar o estoque dos medicamentos básicos dos postos de saúde era um dos compromissos mais importantes que assumimos nesta gestão. Modificamos o regime de compra, abastecimento e da logística de entrega nas unidades, que tem garantido cerca de 95% do estoque médio em todos os postos da Cidade. Mas para o paciente não correr o risco de ficar sem algum medicamento que por ventura falte, criamos as Centrais. Inauguramos a sexta e garantimos 81 unidades básicas cobertas e com acesso às Centrais nos terminais. A última será inaugurada em janeiro no Terminal de Messejana junto com o novo equipamento”, explicou Roberto Cláudio

Nessa nova etapa, serão beneficiados os usuários de 81 postos de saúde, localizados nas Regionais I, II, III, IV e V, que poderão optar, durante consulta na farmácia de sua unidade básica, em serem atendidos nas Centrais dos Terminais do Antônio Bezerra, Conjunto Ceará, Siqueira, Lagoa, Papicu e Parangaba. Com a instalação do equipamento em Messejana, todos os 109 postos da Capital e mais o Anexo de Saúde Maria Cirino passam a estar vinculados às sete Centrais em pleno funcionamento.

De acordo com a titular da Secretaria Municipal de Saúde, Joana Maciel, os 84 medicamentos das Centrais são os que o Sistema Único de Saúde considera como os mais importantes. “Os remédios disponíveis são os prioritários para a atenção primária, que tratam as principais doenças da população, como pressão alta, diabetes, infecções. Hoje, temos a felicidade de dizer que a população de Fortaleza não sofre com mais nenhuma falta de remédios”, disse.

Para a aposentada Rosângela de Aguiar, as Centrais ajudam por serem mais práticas. “Já precisei buscar remédio na Central de Distribuição do Terminal do Papicu. Rapidinho eu consegui meu medicamento, sem filas ou demora. É um grande benefício para toda a Cidade”, afirmou.

Fortaleza conta, hoje, com 109 postos de saúde e um anexo, que funcionam de segunda a sexta-feira, de 7h às 19h, todos com farmácia e entrega de medicamentos da lista prioritária da Atenção Básica. Além deste serviço, os postos de saúde oferecem atendimento médico, odontológico e de enfermagem para usuários com hipertensão, diabetes, hanseníase, tuberculose e HIV. Também está disponível acompanhamento de gestantes, puérperas, crianças e idosos; coleta de exames laboratoriais; procedimentos ambulatoriais; prevenção de câncer de boca e ginecológico; teste rápido HIV e sífilis; emissão do Cartão SUS, entre outros. Na atual gestão, já foram reformadas 70 unidades e foram construídos 19 novos postos de saúde.

Confira aqui a lista dos postos habilitados às Centrais de Distribuição de Medicamentos nos Terminais do Antônio Bezerra, Conjunto Ceará, Siqueira, Lagoa , Papicu e Parangaba.