Prefeitura de Fortaleza registra redução de acolhimentos no IJF durante o mês de março

09 de abril de 2021 em Saúde

Prefeitura de Fortaleza registra redução de acolhimentos no IJF durante o mês de março

No mês passado, foram acolhidos 3.919 pacientes na Emergência, uma diminuição de 15% em relação ao mesmo período em 2020


O Instituto Doutor José Frota (IJF), hospital de alta complexidade da Prefeitura de Fortaleza, referência regional em traumatologia, registrou o acolhimento de 3.919 pacientes em sua Emergência durante o último mês de março. O número foi 15% menor que no mesmo período do ano passado (4.622), quando as primeiras medidas de isolamento social começaram a ser adotadas para a contenção das infecções por Covid-19, e 40% menor que o contabilizado durante o mesmo mês (6.607) no ano de 2019.

Na comparação do primeiro trimestre de 2021, a Emergência do IJF somou 5.169 acolhimentos em janeiro, 4.580 em fevereiro e 3.919 em março. As quedas e ocorrências com motociclistas seguem como as principais causas de hospitalização para o tratamento de ferimentos graves, como fraturas de fêmur e traumatismos cranianos. As ocorrências de ingestão ou aspiração de objetos estranhos, intoxicações agudas por picadas de escorpião e queimaduras com alimentos e líquidos quentes estão na sequência entre os acidentes que mais resultam em internações urgentes de crianças, adultos e idosos.

Para a direção do hospital, a redução dos acolhimentos no hospital é um dos resultados positivos das novas rotinas de trabalho e educação das famílias. Com as restrições de circulação e contatos, a atenção da população com a prevenção de situações e comportamentos de risco foi reforçada, tanto nas residências como no trânsito. Idosos passaram a contar com mais apoio para a realização de atividades e crianças estão sob supervisão mais próxima dos responsáveis.

Na dinâmica de atendimentos do IJF, que também está integrado aos esforços de assistência às vítimas da Covid-19, com a disponibilização de 180 leitos de atenção aos quadros graves da doença, a diminuição da demanda por atendimentos aos acidentados permite o melhor gerenciamento de recursos e a disponibilização de profissionais, insumos e vagas nas Enfermarias e Unidades de Terapia Intensiva (UTI) reservadas aos portadores de Covid-19.

Prefeitura de Fortaleza registra redução de acolhimentos no IJF durante o mês de março

No mês passado, foram acolhidos 3.919 pacientes na Emergência, uma diminuição de 15% em relação ao mesmo período em 2020

O Instituto Doutor José Frota (IJF), hospital de alta complexidade da Prefeitura de Fortaleza, referência regional em traumatologia, registrou o acolhimento de 3.919 pacientes em sua Emergência durante o último mês de março. O número foi 15% menor que no mesmo período do ano passado (4.622), quando as primeiras medidas de isolamento social começaram a ser adotadas para a contenção das infecções por Covid-19, e 40% menor que o contabilizado durante o mesmo mês (6.607) no ano de 2019.

Na comparação do primeiro trimestre de 2021, a Emergência do IJF somou 5.169 acolhimentos em janeiro, 4.580 em fevereiro e 3.919 em março. As quedas e ocorrências com motociclistas seguem como as principais causas de hospitalização para o tratamento de ferimentos graves, como fraturas de fêmur e traumatismos cranianos. As ocorrências de ingestão ou aspiração de objetos estranhos, intoxicações agudas por picadas de escorpião e queimaduras com alimentos e líquidos quentes estão na sequência entre os acidentes que mais resultam em internações urgentes de crianças, adultos e idosos.

Para a direção do hospital, a redução dos acolhimentos no hospital é um dos resultados positivos das novas rotinas de trabalho e educação das famílias. Com as restrições de circulação e contatos, a atenção da população com a prevenção de situações e comportamentos de risco foi reforçada, tanto nas residências como no trânsito. Idosos passaram a contar com mais apoio para a realização de atividades e crianças estão sob supervisão mais próxima dos responsáveis.

Na dinâmica de atendimentos do IJF, que também está integrado aos esforços de assistência às vítimas da Covid-19, com a disponibilização de 180 leitos de atenção aos quadros graves da doença, a diminuição da demanda por atendimentos aos acidentados permite o melhor gerenciamento de recursos e a disponibilização de profissionais, insumos e vagas nas Enfermarias e Unidades de Terapia Intensiva (UTI) reservadas aos portadores de Covid-19.