11 de julho de 2017 em Mobilidade

Prefeitura e Bloomberg Philanthropies lançam campanha “Se Beber, Não Dirija"

Um dos objetivos é mostrar que o ato de beber e dirigir é um dos principais responsáveis pelos acidentes de trânsito


Lei Seca
A campanha será promovida por meio das redes sociais e mídia de massa durante o mês de julho (Foto: Kiko Silva)
Para conscientizar os condutores dos riscos de beber e dirigir, a Prefeitura de Fortaleza e a Bloomberg Philanthropies lançaram uma nova campanha, “Se Beber, Não Dirija”, nesta terça-feira (11/07), no Paço Municipal. O principal objetivo é demonstrar que mesmo uma pequena dose de bebida alcoólica pode comprometer os reflexos e a concentração do condutor e levar a acidentes de trânsito, inclusive com mortos e feridos. Um recente levantamento da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), do Governo Federal, identificou que 24,3% dos motoristas em todo País reconhecem dirigir mesmo após ter consumido álcool.

O secretário adjunto de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), Luiz Alberto Saboia, explica que a Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que o ato de beber e dirigir é um dos principais responsáveis pelos acidentes de trânsito, bem como do elevado número de mortos e feridos provocados pelas colisões. Apenas no ano passado, 278 pessoas morreram em Fortaleza em decorrência de acidentes que poderiam ter sido evitados. “A campanha 'Se Beber, Não Dirija' é uma política pública que vai ser continuada, e ela comporta ações de educação, fiscalização e comunicação. Embora já tenhamos baixado em 48% o número de acidentes de 2010 até hoje, os índices ainda são altos, por isso é fundamental o envolvimento de toda a população”, comentou.

Luiz Alberto destacou ainda que, em média, entre as 20h e 5h, 550 motoristas circulam sob os efeitos do álcool em cruzamentos movimentados de Fortaleza.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto doutor José Frota (IJF) só com as vítimas de acidentes de moto apontou que 58% destes pacientes afirmaram ter ingerido bebida alcoólica. “Esta relação do acidente com a alcoolemia é extremamente nítida principalmente no IJF, que o número de acidentes triplica aos fins de semana”, destacou a secretária municipal da Saúde, Joana Maciel.

A Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) mostra ainda que o álcool, além de comprometer as capacidades cognitivas, também reduz as chances de sobrevivência. Quanto mais a pessoa tiver bebido, maior sua chance de morrer; um mesmo impacto causa mais ferimentos numa pessoa que ingeriu álcool.

A campanha será promovida por meio das redes sociais e mídia de massa durante o mês de julho, já que esse é um período considerado crítico para a ocorrência de acidentes relacionados ao álcool em Fortaleza. A iniciativa busca alertar as principais vítimas de acidentes de trânsito provocados pelo consumo de álcool: homens, com idade entre 18 e 59 anos. Em paralelo, ações educativas, de fiscalização e de troca de experiência com agentes de trânsito de outras cidades do Brasil e do exterior buscam aprimorar o trabalho de conscientização em Fortaleza.

Ação educativa
Como parte da campanha, a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) realizará abordagem educativa em bares e restaurantes da cidade para conscientizar o público sobre os riscos de misturar álcool e direção. Educadores de trânsito visitarão esses locais devidamente identificados distribuindo informativos e esclarecendo as principais dúvidas dos clientes.

Segundo o superintendente do órgão, Arcelino Lima, essa é uma tentativa de aproximar cada vez mais a AMC da população, destacando o papel do educador de trânsito diante de uma temática de extrema importância para a sociedade. “O condutor precisa ter em mente que sob a ingestão do álcool ele tanto pode causar um acidente como também ser vítima. O trabalho educativo vem sendo intensificado justamente para promover uma maior conscientização nas pessoas e evitar que mais vidas se percam”, disse.

Fiscalização
A fiscalização também será intensificada com um aumento no número de comandos operacionais que serão reforçados com a nova logomarca da “Lei Seca” Fortaleza. Equipes itinerantes vão percorrer pontos de maior concentração de bares e áreas de grande acidentalidade viária para coibir a prática perigosa. As ações serão contínuas, devendo ocorrer de segunda a domingo por meio de um trabalho em conjunto que envolve a AMC, Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Polícia Rodoviária Estadual (PRE), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Policiamento Ostensivo da Capital e Guarda Municipal.

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) a tolerância de álcool é zero. Conduzir veículo automotor sob influência de álcool é uma infração de natureza gravíssima X 10, multa no valor de R$ 2.934,70, recolhimento e suspensão da habilitação por 12 meses e retenção do veículo até apresentação de outro condutor habilitado apto a conduzir o veículo. Se a concentração for igual ou superior a 0,30 miligrama de álcool por litro de ar alveolar ou o motorista tenha sinais que indiquem alteração de capacidade psicomotora, o mesmo ainda poderá ser preso. A pena varia de seis meses a três anos.

Em 2016, foram autuadas somente pela AMC um total de 1.092 pessoas, sendo 616 por se recusar ao fazer o teste e 476 pelo resultado ter dado positivo.

Fórum Internacional de Fiscalização
Na programação, está prevista ainda, no dia 18 de julho, a realização de um Fórum Internacional que discutirá os desafios da fiscalização de alcoolemia. Participarão deste encontro, realizado no Hotel Luzeiros, a Polícia de Victória (estado ao sul da Austrália) e os coordenadores da Operação Lei Seca do estado do Rio de Janeiro. Na oportunidade, os participantes discorrerão sobre as boas práticas e técnicas de fiscalização utilizadas em suas cidades.

Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global
A ação, realizada com apoio da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global, tem apoio de diversos parceiros internacionais. "Os acidentes de trânsito são o principal assassino mundial da juventude entre 15 e 29 anos em todo o mundo", disse José Luis Castro, presidente e diretor executivo da Vital Strategies. “Estamos entusiasmados em apoiar a nova campanha de Fortaleza para combater a bebida e a direção e proteger o nosso futuro. Parabéns ao prefeito Roberto Claudio e a sua equipe - este é exatamente o tipo de liderança que precisamos para reduzir os 1,25 milhões de mortes em ruas e avenidas a cada ano”.

Prefeitura e Bloomberg Philanthropies lançam campanha “Se Beber, Não Dirija"

Um dos objetivos é mostrar que o ato de beber e dirigir é um dos principais responsáveis pelos acidentes de trânsito

Lei Seca
A campanha será promovida por meio das redes sociais e mídia de massa durante o mês de julho (Foto: Kiko Silva)
Para conscientizar os condutores dos riscos de beber e dirigir, a Prefeitura de Fortaleza e a Bloomberg Philanthropies lançaram uma nova campanha, “Se Beber, Não Dirija”, nesta terça-feira (11/07), no Paço Municipal. O principal objetivo é demonstrar que mesmo uma pequena dose de bebida alcoólica pode comprometer os reflexos e a concentração do condutor e levar a acidentes de trânsito, inclusive com mortos e feridos. Um recente levantamento da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), do Governo Federal, identificou que 24,3% dos motoristas em todo País reconhecem dirigir mesmo após ter consumido álcool.

O secretário adjunto de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), Luiz Alberto Saboia, explica que a Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta que o ato de beber e dirigir é um dos principais responsáveis pelos acidentes de trânsito, bem como do elevado número de mortos e feridos provocados pelas colisões. Apenas no ano passado, 278 pessoas morreram em Fortaleza em decorrência de acidentes que poderiam ter sido evitados. “A campanha 'Se Beber, Não Dirija' é uma política pública que vai ser continuada, e ela comporta ações de educação, fiscalização e comunicação. Embora já tenhamos baixado em 48% o número de acidentes de 2010 até hoje, os índices ainda são altos, por isso é fundamental o envolvimento de toda a população”, comentou.

Luiz Alberto destacou ainda que, em média, entre as 20h e 5h, 550 motoristas circulam sob os efeitos do álcool em cruzamentos movimentados de Fortaleza.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto doutor José Frota (IJF) só com as vítimas de acidentes de moto apontou que 58% destes pacientes afirmaram ter ingerido bebida alcoólica. “Esta relação do acidente com a alcoolemia é extremamente nítida principalmente no IJF, que o número de acidentes triplica aos fins de semana”, destacou a secretária municipal da Saúde, Joana Maciel.

A Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) mostra ainda que o álcool, além de comprometer as capacidades cognitivas, também reduz as chances de sobrevivência. Quanto mais a pessoa tiver bebido, maior sua chance de morrer; um mesmo impacto causa mais ferimentos numa pessoa que ingeriu álcool.

A campanha será promovida por meio das redes sociais e mídia de massa durante o mês de julho, já que esse é um período considerado crítico para a ocorrência de acidentes relacionados ao álcool em Fortaleza. A iniciativa busca alertar as principais vítimas de acidentes de trânsito provocados pelo consumo de álcool: homens, com idade entre 18 e 59 anos. Em paralelo, ações educativas, de fiscalização e de troca de experiência com agentes de trânsito de outras cidades do Brasil e do exterior buscam aprimorar o trabalho de conscientização em Fortaleza.

Ação educativa
Como parte da campanha, a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) realizará abordagem educativa em bares e restaurantes da cidade para conscientizar o público sobre os riscos de misturar álcool e direção. Educadores de trânsito visitarão esses locais devidamente identificados distribuindo informativos e esclarecendo as principais dúvidas dos clientes.

Segundo o superintendente do órgão, Arcelino Lima, essa é uma tentativa de aproximar cada vez mais a AMC da população, destacando o papel do educador de trânsito diante de uma temática de extrema importância para a sociedade. “O condutor precisa ter em mente que sob a ingestão do álcool ele tanto pode causar um acidente como também ser vítima. O trabalho educativo vem sendo intensificado justamente para promover uma maior conscientização nas pessoas e evitar que mais vidas se percam”, disse.

Fiscalização
A fiscalização também será intensificada com um aumento no número de comandos operacionais que serão reforçados com a nova logomarca da “Lei Seca” Fortaleza. Equipes itinerantes vão percorrer pontos de maior concentração de bares e áreas de grande acidentalidade viária para coibir a prática perigosa. As ações serão contínuas, devendo ocorrer de segunda a domingo por meio de um trabalho em conjunto que envolve a AMC, Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Polícia Rodoviária Estadual (PRE), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Policiamento Ostensivo da Capital e Guarda Municipal.

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) a tolerância de álcool é zero. Conduzir veículo automotor sob influência de álcool é uma infração de natureza gravíssima X 10, multa no valor de R$ 2.934,70, recolhimento e suspensão da habilitação por 12 meses e retenção do veículo até apresentação de outro condutor habilitado apto a conduzir o veículo. Se a concentração for igual ou superior a 0,30 miligrama de álcool por litro de ar alveolar ou o motorista tenha sinais que indiquem alteração de capacidade psicomotora, o mesmo ainda poderá ser preso. A pena varia de seis meses a três anos.

Em 2016, foram autuadas somente pela AMC um total de 1.092 pessoas, sendo 616 por se recusar ao fazer o teste e 476 pelo resultado ter dado positivo.

Fórum Internacional de Fiscalização
Na programação, está prevista ainda, no dia 18 de julho, a realização de um Fórum Internacional que discutirá os desafios da fiscalização de alcoolemia. Participarão deste encontro, realizado no Hotel Luzeiros, a Polícia de Victória (estado ao sul da Austrália) e os coordenadores da Operação Lei Seca do estado do Rio de Janeiro. Na oportunidade, os participantes discorrerão sobre as boas práticas e técnicas de fiscalização utilizadas em suas cidades.

Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global
A ação, realizada com apoio da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global, tem apoio de diversos parceiros internacionais. "Os acidentes de trânsito são o principal assassino mundial da juventude entre 15 e 29 anos em todo o mundo", disse José Luis Castro, presidente e diretor executivo da Vital Strategies. “Estamos entusiasmados em apoiar a nova campanha de Fortaleza para combater a bebida e a direção e proteger o nosso futuro. Parabéns ao prefeito Roberto Claudio e a sua equipe - este é exatamente o tipo de liderança que precisamos para reduzir os 1,25 milhões de mortes em ruas e avenidas a cada ano”.