10 de maio de 2018 em Mobilidade

Prefeitura oferece serviços gratuitos para marcar o "Dia Nacional de Bike ao Trabalho"

Nos últimos quatro anos a infraestrutura para bicicletas em Fortaleza saltou de 68 km em 2013 para 226,3 km em março de 2018, um crescimento de 232%


pessoa andando de bicicleta em uma avenida de Fortaleza
A data é mais um evento no calendário da Prefeitura que há mais de quatro anos investe nessa política
Nesta sexta-feira (11/05), como parte da programação do Maio Amarelo, a Prefeitura de Fortaleza se junta a uma rede global de cidades que promovem o uso da bicicleta como alternativa saudável e sustentável para os deslocamentos urbanos ao trabalho. O "Dia Nacional de Bike ao Trabalho" tem por objetivo chamar atenção da sociedade e demonstrar que o uso da bicicleta pode, inclusive, melhorar a qualidade de vida e ajudar a prevenir uma série de doenças crônicas e cardiorrespiratórias. Para marcar o dia, a Prefeitura de Fortaleza, por meio do Programa de Ações Imediatas de Transporte e Trânsito (PAITT) da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SCSP) promove uma série de serviços e atividades.

A partir das 6h, uma ciclofaixa temporária será montada na Avenida da Universidade, onde uma tenda com serviços de café da manhã, manutenção para bicicletas e orientações educativas sobre segurança viária estão disponíveis. Tendas semelhantes estarão disponíveis em diversos pontos da cidade, corredores que registram um grande número de trabalhadores que usam bicicletas para ir ao trabalho. As atividades têm também o apoio de instituições da sociedade civil e da iniciativa privada. Um grupo de voluntários do "Bike Anjo" de Fortaleza também irá acompanhar pessoas que não tem experiência com a bicicleta para chegar ao trabalho, com dicas e orientações.

A data é mais um evento no calendário da Prefeitura que há mais de quatro anos investe nessa política. “Fortaleza hoje já é referência nacional em política cicloviária e vamos continuar a expandir as facilidades e infraestrutura pra estimular cada vez mais gente a usar essa ferramenta como alternativa para ir ao trabalho, a escola ou qualquer outro destino. Está comprovado que faz bem pra saúde, reduz emissões de gases do efeito estufa e também é bom para a cidade, por que contribui para a mobilidade urbana sustentável”, avalia o prefeito Roberto Cláudio.

Nos últimos quatro anos a infraestrutura para bicicletas em Fortaleza saltou de 68 km em 2013 para 226,3 km em março de 2018, um crescimento de 232%. sendo 101,5 km de ciclovias, 120,8 km de ciclofaixas, 3,9 km de ciclorrotas e 0,1 km de passeio compartilhado. Os trabalhos são coordenados pela SCSP, por meio do PAITT, em parceria com a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), a Secretaria Municipal de Infraestrutura e as Secretarias Regionais. As intervenções fazem parte da lei do Plano Diretor Cicloviário, construído em conjunto com a sociedade civil organizada e que estabelece diretrizes para a expansão da rede em Fortaleza. Para 2018, a meta é expandir a rede cicloviária com novos 45 km de infraestrutura – neste mês de maio é a vez da Av. Rogaciano Leite que começa a receber uma extensão de 2,5 quilômetros de ciclofaixa no trecho entre as ruas Murilo Borges e Desembargador Gonzaga.

O primeiro sistema de bicicletas compartilhadas de Fortaleza, o "Bicicletar" foi lançado em dezembro de 2014 e já realizou 1.956.785 viagens e, segundo acompanhamento diário, também deixaram de ser emitidas mais de 707,8 toneladas de gás carbônico na atmosfera (até 11:00 do dia 12/04/18) com a utilização das bicicletas compartilhadas, já que esse seria o montante produzido caso essas viagens tivessem sido realizadas por carros. Após a consolidação do sistema com 80 estações, foi verificada uma média de 2.600 viagens em dias úteis. Já aos finais de semana e feriados, a maior média verificada foi de 2.100 viagens por dia – das quais 46% são em deslocamentos casa-trabalho e vice-versa.

Como forma de incentivo, a Prefeitura oferece neste Dia Nacional de Bike ao Trabalho (11/05) um passe diário gratuito para aluguel de bicicletas a todos os usuários cadastrados no Bicicletar. Por uma hora, o sistema pode ser utilizado gratuitamente das 11h às 23h. Após a utilização do benefício pelo período de uma hora, passam a valer as regras habituais do sistema. Finalizando o pacote de revitalização do Bicicletar, esta semana 120 bicicletas do serão substituídas, totalizando 500 novas bikes disponibilizadas nos últimos 6 meses.

No final de abril o prefeito Roberto Cláudio inaugurou a sétima estação do "Bicicleta Integrada", no terminal do Antônio Bezerra, que permite integração com usuários do transporte público de forma gratuita por até 14 horas. O gestor anunciou que o sistema continuará sua expansão fora dos terminais de ônibus, nos principais pontos de parada da cidade, que registrem grande concentração de passageiros do transporte público e integração de linhas de ônibus.

O novo sistema de Zona Azul, em trâmite na Câmara Municipal de Fortaleza, proposto pelo prefeito prevê que os recursos arrecadados com essa modalidade de estacionamento possam financiar além do próprio sistema da Zona Azul, o sistema cicloviário, possibilitando mais ciclovias, ciclofaixas, bicicletas integradas e implantação de estações.

A fundação norte-americana Bloomberg Philanthropies e a Organização Mundial da Saúde (OMS) também oferecem suporte à política cicloviária da Prefeitura de Fortaleza por meio do programa ‘Parceria por Cidades Saudáveis’ e apoiam o Bicicletar Corporativo, o mais recente sistema de bicicletas compartilhadas da gestão municipal. Apenas no primeiro mês de operação, foram realizadas 268 viagens, com uma média de 14 percursos por dia entre as seis estações instaladas em diferentes secretarias da administração municipal.

Sobre a "Parceria por Cidade Saudáveis"
A Bloomberg Philanthropies, Vital Strategies, Organização Mundial da Saúde e seus parceiros apoiam uma rede global de governos municipais em todo o mundo para acelerar a implementação de intervenções de políticas comprovadas e de alto impacto para prevenir doenças não-transmissíveis e lesões. A parceria aproveita o posicionamento único dos prefeitos para ajudar a alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU até 2030, incluindo melhorar a saúde e criar cidades mais seguras e sustentáveis. Mais informações (em inglês).

História do Dia de Bike ao Trabalho

O movimento “De Bike ao Trabalho” surgiu pela primeira vez em 2013 nos Estados Unidos e Canadá. Desde então inspirou organizações em todo o globo a promoverem o uso da bicicleta como alternativa saudável e sustentável para os deslocamentos ao trabalho. No Brasil a rede ‘Bike Anjo’ promove ações a cada segunda sexta-feira do Maio Amarelo para apoiar ações públicas de sensibilização sobre o ciclismo urbano.

Maio Amarelo

Desde 2013, o movimento vem ganhando adeptos não só no Brasil, mas também em outros países. Assim como o “Outubro Rosa” e o “Novembro Azul” que tratam dos temas câncer de mama e próstata, o “Maio Amarelo” procura estimular ações voltadas à conscientização sobre segurança viária. A Prefeitura de Fortaleza é signatária do movimento desde 2015, mas desde o ano passado organiza ações de educação, mobilização, além de implementar infraestrutura de segurança em pontos estratégicos para prevenir acidentes de trânsito, principalmente com mortos e feridos.

Prefeitura oferece serviços gratuitos para marcar o "Dia Nacional de Bike ao Trabalho"

Nos últimos quatro anos a infraestrutura para bicicletas em Fortaleza saltou de 68 km em 2013 para 226,3 km em março de 2018, um crescimento de 232%

pessoa andando de bicicleta em uma avenida de Fortaleza
A data é mais um evento no calendário da Prefeitura que há mais de quatro anos investe nessa política
Nesta sexta-feira (11/05), como parte da programação do Maio Amarelo, a Prefeitura de Fortaleza se junta a uma rede global de cidades que promovem o uso da bicicleta como alternativa saudável e sustentável para os deslocamentos urbanos ao trabalho. O "Dia Nacional de Bike ao Trabalho" tem por objetivo chamar atenção da sociedade e demonstrar que o uso da bicicleta pode, inclusive, melhorar a qualidade de vida e ajudar a prevenir uma série de doenças crônicas e cardiorrespiratórias. Para marcar o dia, a Prefeitura de Fortaleza, por meio do Programa de Ações Imediatas de Transporte e Trânsito (PAITT) da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SCSP) promove uma série de serviços e atividades.

A partir das 6h, uma ciclofaixa temporária será montada na Avenida da Universidade, onde uma tenda com serviços de café da manhã, manutenção para bicicletas e orientações educativas sobre segurança viária estão disponíveis. Tendas semelhantes estarão disponíveis em diversos pontos da cidade, corredores que registram um grande número de trabalhadores que usam bicicletas para ir ao trabalho. As atividades têm também o apoio de instituições da sociedade civil e da iniciativa privada. Um grupo de voluntários do "Bike Anjo" de Fortaleza também irá acompanhar pessoas que não tem experiência com a bicicleta para chegar ao trabalho, com dicas e orientações.

A data é mais um evento no calendário da Prefeitura que há mais de quatro anos investe nessa política. “Fortaleza hoje já é referência nacional em política cicloviária e vamos continuar a expandir as facilidades e infraestrutura pra estimular cada vez mais gente a usar essa ferramenta como alternativa para ir ao trabalho, a escola ou qualquer outro destino. Está comprovado que faz bem pra saúde, reduz emissões de gases do efeito estufa e também é bom para a cidade, por que contribui para a mobilidade urbana sustentável”, avalia o prefeito Roberto Cláudio.

Nos últimos quatro anos a infraestrutura para bicicletas em Fortaleza saltou de 68 km em 2013 para 226,3 km em março de 2018, um crescimento de 232%. sendo 101,5 km de ciclovias, 120,8 km de ciclofaixas, 3,9 km de ciclorrotas e 0,1 km de passeio compartilhado. Os trabalhos são coordenados pela SCSP, por meio do PAITT, em parceria com a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), a Secretaria Municipal de Infraestrutura e as Secretarias Regionais. As intervenções fazem parte da lei do Plano Diretor Cicloviário, construído em conjunto com a sociedade civil organizada e que estabelece diretrizes para a expansão da rede em Fortaleza. Para 2018, a meta é expandir a rede cicloviária com novos 45 km de infraestrutura – neste mês de maio é a vez da Av. Rogaciano Leite que começa a receber uma extensão de 2,5 quilômetros de ciclofaixa no trecho entre as ruas Murilo Borges e Desembargador Gonzaga.

O primeiro sistema de bicicletas compartilhadas de Fortaleza, o "Bicicletar" foi lançado em dezembro de 2014 e já realizou 1.956.785 viagens e, segundo acompanhamento diário, também deixaram de ser emitidas mais de 707,8 toneladas de gás carbônico na atmosfera (até 11:00 do dia 12/04/18) com a utilização das bicicletas compartilhadas, já que esse seria o montante produzido caso essas viagens tivessem sido realizadas por carros. Após a consolidação do sistema com 80 estações, foi verificada uma média de 2.600 viagens em dias úteis. Já aos finais de semana e feriados, a maior média verificada foi de 2.100 viagens por dia – das quais 46% são em deslocamentos casa-trabalho e vice-versa.

Como forma de incentivo, a Prefeitura oferece neste Dia Nacional de Bike ao Trabalho (11/05) um passe diário gratuito para aluguel de bicicletas a todos os usuários cadastrados no Bicicletar. Por uma hora, o sistema pode ser utilizado gratuitamente das 11h às 23h. Após a utilização do benefício pelo período de uma hora, passam a valer as regras habituais do sistema. Finalizando o pacote de revitalização do Bicicletar, esta semana 120 bicicletas do serão substituídas, totalizando 500 novas bikes disponibilizadas nos últimos 6 meses.

No final de abril o prefeito Roberto Cláudio inaugurou a sétima estação do "Bicicleta Integrada", no terminal do Antônio Bezerra, que permite integração com usuários do transporte público de forma gratuita por até 14 horas. O gestor anunciou que o sistema continuará sua expansão fora dos terminais de ônibus, nos principais pontos de parada da cidade, que registrem grande concentração de passageiros do transporte público e integração de linhas de ônibus.

O novo sistema de Zona Azul, em trâmite na Câmara Municipal de Fortaleza, proposto pelo prefeito prevê que os recursos arrecadados com essa modalidade de estacionamento possam financiar além do próprio sistema da Zona Azul, o sistema cicloviário, possibilitando mais ciclovias, ciclofaixas, bicicletas integradas e implantação de estações.

A fundação norte-americana Bloomberg Philanthropies e a Organização Mundial da Saúde (OMS) também oferecem suporte à política cicloviária da Prefeitura de Fortaleza por meio do programa ‘Parceria por Cidades Saudáveis’ e apoiam o Bicicletar Corporativo, o mais recente sistema de bicicletas compartilhadas da gestão municipal. Apenas no primeiro mês de operação, foram realizadas 268 viagens, com uma média de 14 percursos por dia entre as seis estações instaladas em diferentes secretarias da administração municipal.

Sobre a "Parceria por Cidade Saudáveis"
A Bloomberg Philanthropies, Vital Strategies, Organização Mundial da Saúde e seus parceiros apoiam uma rede global de governos municipais em todo o mundo para acelerar a implementação de intervenções de políticas comprovadas e de alto impacto para prevenir doenças não-transmissíveis e lesões. A parceria aproveita o posicionamento único dos prefeitos para ajudar a alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU até 2030, incluindo melhorar a saúde e criar cidades mais seguras e sustentáveis. Mais informações (em inglês).

História do Dia de Bike ao Trabalho

O movimento “De Bike ao Trabalho” surgiu pela primeira vez em 2013 nos Estados Unidos e Canadá. Desde então inspirou organizações em todo o globo a promoverem o uso da bicicleta como alternativa saudável e sustentável para os deslocamentos ao trabalho. No Brasil a rede ‘Bike Anjo’ promove ações a cada segunda sexta-feira do Maio Amarelo para apoiar ações públicas de sensibilização sobre o ciclismo urbano.

Maio Amarelo

Desde 2013, o movimento vem ganhando adeptos não só no Brasil, mas também em outros países. Assim como o “Outubro Rosa” e o “Novembro Azul” que tratam dos temas câncer de mama e próstata, o “Maio Amarelo” procura estimular ações voltadas à conscientização sobre segurança viária. A Prefeitura de Fortaleza é signatária do movimento desde 2015, mas desde o ano passado organiza ações de educação, mobilização, além de implementar infraestrutura de segurança em pontos estratégicos para prevenir acidentes de trânsito, principalmente com mortos e feridos.