08 de junho de 2020 em Saúde

Rede ConVida completa um mês com quase 600 acolhimentos

Desde o início do funcionamento, o serviço quadruplicou o número de psicólogos voluntários


psicólogo sentado em frente a mesa falando ao telefone e escrevendo em caderno
Para o psicólogo Marcos Calixto, "o retorno que as pessoas atendidas vêm nos concedendo é uma resposta positiva a esta iniciativa"

Em Fortaleza, no início da pandemia do novo coronavírus, enquanto a Secretaria Regional I entregava cestas básicas a famílias com um dos mais baixos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) da Cidade, outras fragilidades foram percebidas diante da crise econômica ocasionada, a exemplo dos casos de ansiedade, angústia e incertezas em muitos fortalezenses.

Diante do cenário, a Secretaria Regional I e um grupo voluntário de psicólogos se uniram e deram início à Rede ConVida, que está atendendo, há um mês, de forma gratuita, moradores de Fortaleza, do Ceará e de outras cidades brasileiras.

Já foram realizados cerca de 600 atendimentos por meio de ligações telefônicas, efetuadas de modo convencional ou via WhatsApp. A Rede, que iniciou com 16 profissionais, hoje disponibiliza 71 psicólogos atendendo pela manhã, tarde e noite. Cada atendimento tem duração de 30 minutos.

Para um desses profissionais, o psicólogo Marcos Calixto, “é uma honra imensa poder ajudar a mitigar impactos psicológicos gerados pela pandemia da Covid-19. Nós, profissionais atuantes nesta Rede, oferecemos cuidado, atenção e a possibilidade de escuta. É rico e muito amplo prestar esta acolhida. O retorno que as pessoas atendidas vêm nos concedendo é uma resposta positiva a esta iniciativa. Auxiliar, com nossa profissão, a salvar vidas é dos pontos altos desta ação.”

Mais de 83% dos atendidos não fazem acompanhamento psicológico. As principais queixas são de ansiedade, angústia, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), ideação suicida, depressão, separação no relacionamento afetivo, transtorno de bipolaridade, hipocondria, desamparo, descontrole, estresse, impaciência, crise de pânico, luto, tristeza profunda, insônia, medo de adoecer, somatizações, impaciência, irritabilidade, oscilação de humor e sensação de impotência.

mapa de Fortaleza com marcações nos bairros atendidos

Os cidadãos que procuraram o acolhimento têm entre 18 e 88 anos, e pertencem às mais diversas profissões e classes sociais. A Rede ConVida tem recebido ligações de mais de 50 bairros de Fortaleza e de 28 cidades do Ceará e de outros estados do Nordeste.

Acolhimento e fortalecimento

A Rede ConVida resguarda a privacidade e a confidencialidade dos dados referentes aos cidadãos acolhidos. Contudo, alguns dos usuários fazem questão de expor depoimentos sobre os atendimentos, a exemplo da assistente de Gerência Silvana Carvalho. “Minha fala é até para tentar desmistificar um pouco os acolhimentos desta natureza. Muitos pensam: o que as pessoas vão achar de mim? Vão me achar fraco por ter procurado um psicólogo? E tem também o medo de expor suas inseguranças e de descobrir fraquezas. Mas não. Pelo contrário. Você é um forte ao procurar por um profissional da Psicologia. É assim que penso. Toda dificuldade pede uma solução, né?”, pontua.

Ouça o depoimento de Silvana Carvalho:

Silvana conta que o acolhimento da ConVida durante a crise de ansiedade que teve foi importante para o restabelecimento de seu equilíbrio. “Mesmo não estando presencialmente com o profissional, eu percebi que aquilo que eu estava sentindo e contando importava para alguém e aquela pessoa queria me ajudar. E me ajudou”, relata.

mapa do Ceará à esquerda com marcações nas cidades de onde vêm as ligações e mapa do nordeste à direita com marcações nas cidades de onde vêm ligações

O autônomo Júlio Carlos Rocha comenta que, neste período de isolamento social, “está todo mundo com a saúde mental meio prejudicada. Eu mesmo cheguei a achar que ia morrer, uma falta de ar sem fim. Na ligação que fiz à Rede, foi explicado a mim que a inquietação, a apreensão podem causar sintomas como os que eu estava sentindo. Além do acolhimento cheio de cuidados, ainda obtive ensinamentos sobre técnicas de respiração. Saí fortalecido, abraçado, mais tranquilo. Já entrei em contato algumas vezes e recomendo.”

Ouça o depoimento de Júlio Carlos Rocha:

Uma pessoa pode ser acolhida pela Rede ConVida mais de uma vez. Entretanto, como o método é de plantão, de acolhimento emocional, e não de terapia, não há marcação de horários.

Todos os profissionais participantes são autorizados pelo Conselho Regional de Psicologia para realização de atendimento a distância. Para informações complementares sobre a Rede de Acolhimento Emocional ConVida, falar com Lucivane Martins, por meio do (85) 99200.9320. O acolhido deve ter idade superior a 18 anos.

“É gratificante observar o quanto nosso trabalho como profissionais da saúde tem sido importante e necessário diante de um momento tão difícil como este que estamos vivenciando, o quanto nossa escuta tem sido significativa, acolhedora e empática com tantas pessoas que precisam do nosso atendimento”, expõe a psicóloga Jusciane Ferreira.

Formações e supervisões

Além das capacitações on-line das quais os psicólogos da Rede ConVida participaram sobre Intervenção com Famílias em Crise devido à Pandemia, Mortes, Perdas e Lutos, Reflexões sobre a Atual Realidade, entre outros temas, a Rede conta, ainda, com supervisões dos psicólogos e professores voluntários Karla de Matos, Luiza Braga e Júlio Guedes. As supervisões acontecem por videochamadas e livre demanda.

Formações também serão concedidas pelos professores, com abordagens sobre Psicoterapia Breve, Primeiros Cuidados Psicológicos, Atendimento a Distância, Situação de Crise, Saúde Mental, Encaminhamento para Rede, Lutos Complicados, Suicídio, Stress, Transtornos Mentais e Pré-Diagnósticos. Os encontros também serão on-line e iniciarão nos próximos dias.

psicóloga sentada falando ao telefone
Psicóloga Jusciane Ferreira

O professor Júlio Guedes lembra de apontamento do psiquiatra e psicoterapeuta suíço Carl Gustav Jung, quando relata sobre a importância de conferir clareza à vida das pessoas. “Para Jung, até onde conseguimos discernir, o único propósito da existência humana é acender uma luz na escuridão da mera existência. É exato assim que penso. Neste momento em que as pessoas vivem de transição, de incertezas, de inseguranças, nós psicoterapeutas estamos fazendo o que estamos destinados a fazer: acender uma luz na escuridão”, assinala.

Segundo Júlio observa, a Rede ConVida tem este movimento de ser farol. Para ele, a essência da psicoterapia está na empatia, no escutar. “Todos unidos para levar um pouco de seu tempo, um pouco de seu conhecimento, um pouco de sua disponibilidade para acender uma pequena vela no meio do nevoeiro que nos cerca, para que possamos passar por esse momento da melhor forma possível”, explica.

O secretário da Regional I, Rennys Frota, ressalta a importância do profissional de Psicologia em tempos de pandemia. “São muitas as implicações emocionais que o ser humano vive em momentos como este, de extrema mudança dos hábitos. Escutando nossas comunidades, é visível o entendimento sobre a inquietude da alma e da mente das pessoas. Contar com uma equipe tão profissional e humana, que disponibiliza, de modo gratuito, seu talento, generosidade e cidadania, é fundamental para o bem-estar das pessoas. A Rede ConVida é um convite à vida, é acolhimento a inúmeras aflições trazidas pela Covid-19”, considera Rennys.

Clique e confira a Tabela Geral de Acolhimento da Rede ConVida

Saiba sobre os profissionais da Rede ConVida que concedem formações e supervisões:

- Karla Julianne Negreiros de Matos (CRP 11/09287) é psicóloga, psicodramatista, mestre e doutora em Saúde Coletiva. Professora da Faculdade Pitágoras, pesquisadora da Universidade Federal do Ceará (UFC) e idealizadora do @inspirarecrescer.

- Luiza de Andrade Braga Farias (CRP 11/04767) é psicóloga formada pela Universidade de Fortaleza (Unifor). Especialista em Psicologia da Saúde pela Pontifícia Universidade Católica (PUC)/SP. Mestre em Psicologia Clínica pela PUC/SP. Formação em Experiência Somática e Trauma pela Associação Brasileira de Trauma (ABT). Membro da ABT. Supervisora e facilitadora de grupos de mulheres e enlutados.

- Júlio Cledson de Oliveira Guedes (CRP 11/2776) é psicólogo, formado pela UFC, mestre em Psicologia pela UFC, especialista em Neuropsicologia com Estudos em Autismo. Atuante na área de Saúde Mental e Psicologia Hospitalar, formação em Psicologia Analítica, e professor de Especialização em Psicologia Analítica, na Unifor.

Rede ConVida completa um mês com quase 600 acolhimentos

Desde o início do funcionamento, o serviço quadruplicou o número de psicólogos voluntários

psicólogo sentado em frente a mesa falando ao telefone e escrevendo em caderno
Para o psicólogo Marcos Calixto, "o retorno que as pessoas atendidas vêm nos concedendo é uma resposta positiva a esta iniciativa"

Em Fortaleza, no início da pandemia do novo coronavírus, enquanto a Secretaria Regional I entregava cestas básicas a famílias com um dos mais baixos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) da Cidade, outras fragilidades foram percebidas diante da crise econômica ocasionada, a exemplo dos casos de ansiedade, angústia e incertezas em muitos fortalezenses.

Diante do cenário, a Secretaria Regional I e um grupo voluntário de psicólogos se uniram e deram início à Rede ConVida, que está atendendo, há um mês, de forma gratuita, moradores de Fortaleza, do Ceará e de outras cidades brasileiras.

Já foram realizados cerca de 600 atendimentos por meio de ligações telefônicas, efetuadas de modo convencional ou via WhatsApp. A Rede, que iniciou com 16 profissionais, hoje disponibiliza 71 psicólogos atendendo pela manhã, tarde e noite. Cada atendimento tem duração de 30 minutos.

Para um desses profissionais, o psicólogo Marcos Calixto, “é uma honra imensa poder ajudar a mitigar impactos psicológicos gerados pela pandemia da Covid-19. Nós, profissionais atuantes nesta Rede, oferecemos cuidado, atenção e a possibilidade de escuta. É rico e muito amplo prestar esta acolhida. O retorno que as pessoas atendidas vêm nos concedendo é uma resposta positiva a esta iniciativa. Auxiliar, com nossa profissão, a salvar vidas é dos pontos altos desta ação.”

Mais de 83% dos atendidos não fazem acompanhamento psicológico. As principais queixas são de ansiedade, angústia, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), ideação suicida, depressão, separação no relacionamento afetivo, transtorno de bipolaridade, hipocondria, desamparo, descontrole, estresse, impaciência, crise de pânico, luto, tristeza profunda, insônia, medo de adoecer, somatizações, impaciência, irritabilidade, oscilação de humor e sensação de impotência.

mapa de Fortaleza com marcações nos bairros atendidos

Os cidadãos que procuraram o acolhimento têm entre 18 e 88 anos, e pertencem às mais diversas profissões e classes sociais. A Rede ConVida tem recebido ligações de mais de 50 bairros de Fortaleza e de 28 cidades do Ceará e de outros estados do Nordeste.

Acolhimento e fortalecimento

A Rede ConVida resguarda a privacidade e a confidencialidade dos dados referentes aos cidadãos acolhidos. Contudo, alguns dos usuários fazem questão de expor depoimentos sobre os atendimentos, a exemplo da assistente de Gerência Silvana Carvalho. “Minha fala é até para tentar desmistificar um pouco os acolhimentos desta natureza. Muitos pensam: o que as pessoas vão achar de mim? Vão me achar fraco por ter procurado um psicólogo? E tem também o medo de expor suas inseguranças e de descobrir fraquezas. Mas não. Pelo contrário. Você é um forte ao procurar por um profissional da Psicologia. É assim que penso. Toda dificuldade pede uma solução, né?”, pontua.

Ouça o depoimento de Silvana Carvalho:

Silvana conta que o acolhimento da ConVida durante a crise de ansiedade que teve foi importante para o restabelecimento de seu equilíbrio. “Mesmo não estando presencialmente com o profissional, eu percebi que aquilo que eu estava sentindo e contando importava para alguém e aquela pessoa queria me ajudar. E me ajudou”, relata.

mapa do Ceará à esquerda com marcações nas cidades de onde vêm as ligações e mapa do nordeste à direita com marcações nas cidades de onde vêm ligações

O autônomo Júlio Carlos Rocha comenta que, neste período de isolamento social, “está todo mundo com a saúde mental meio prejudicada. Eu mesmo cheguei a achar que ia morrer, uma falta de ar sem fim. Na ligação que fiz à Rede, foi explicado a mim que a inquietação, a apreensão podem causar sintomas como os que eu estava sentindo. Além do acolhimento cheio de cuidados, ainda obtive ensinamentos sobre técnicas de respiração. Saí fortalecido, abraçado, mais tranquilo. Já entrei em contato algumas vezes e recomendo.”

Ouça o depoimento de Júlio Carlos Rocha:

Uma pessoa pode ser acolhida pela Rede ConVida mais de uma vez. Entretanto, como o método é de plantão, de acolhimento emocional, e não de terapia, não há marcação de horários.

Todos os profissionais participantes são autorizados pelo Conselho Regional de Psicologia para realização de atendimento a distância. Para informações complementares sobre a Rede de Acolhimento Emocional ConVida, falar com Lucivane Martins, por meio do (85) 99200.9320. O acolhido deve ter idade superior a 18 anos.

“É gratificante observar o quanto nosso trabalho como profissionais da saúde tem sido importante e necessário diante de um momento tão difícil como este que estamos vivenciando, o quanto nossa escuta tem sido significativa, acolhedora e empática com tantas pessoas que precisam do nosso atendimento”, expõe a psicóloga Jusciane Ferreira.

Formações e supervisões

Além das capacitações on-line das quais os psicólogos da Rede ConVida participaram sobre Intervenção com Famílias em Crise devido à Pandemia, Mortes, Perdas e Lutos, Reflexões sobre a Atual Realidade, entre outros temas, a Rede conta, ainda, com supervisões dos psicólogos e professores voluntários Karla de Matos, Luiza Braga e Júlio Guedes. As supervisões acontecem por videochamadas e livre demanda.

Formações também serão concedidas pelos professores, com abordagens sobre Psicoterapia Breve, Primeiros Cuidados Psicológicos, Atendimento a Distância, Situação de Crise, Saúde Mental, Encaminhamento para Rede, Lutos Complicados, Suicídio, Stress, Transtornos Mentais e Pré-Diagnósticos. Os encontros também serão on-line e iniciarão nos próximos dias.

psicóloga sentada falando ao telefone
Psicóloga Jusciane Ferreira

O professor Júlio Guedes lembra de apontamento do psiquiatra e psicoterapeuta suíço Carl Gustav Jung, quando relata sobre a importância de conferir clareza à vida das pessoas. “Para Jung, até onde conseguimos discernir, o único propósito da existência humana é acender uma luz na escuridão da mera existência. É exato assim que penso. Neste momento em que as pessoas vivem de transição, de incertezas, de inseguranças, nós psicoterapeutas estamos fazendo o que estamos destinados a fazer: acender uma luz na escuridão”, assinala.

Segundo Júlio observa, a Rede ConVida tem este movimento de ser farol. Para ele, a essência da psicoterapia está na empatia, no escutar. “Todos unidos para levar um pouco de seu tempo, um pouco de seu conhecimento, um pouco de sua disponibilidade para acender uma pequena vela no meio do nevoeiro que nos cerca, para que possamos passar por esse momento da melhor forma possível”, explica.

O secretário da Regional I, Rennys Frota, ressalta a importância do profissional de Psicologia em tempos de pandemia. “São muitas as implicações emocionais que o ser humano vive em momentos como este, de extrema mudança dos hábitos. Escutando nossas comunidades, é visível o entendimento sobre a inquietude da alma e da mente das pessoas. Contar com uma equipe tão profissional e humana, que disponibiliza, de modo gratuito, seu talento, generosidade e cidadania, é fundamental para o bem-estar das pessoas. A Rede ConVida é um convite à vida, é acolhimento a inúmeras aflições trazidas pela Covid-19”, considera Rennys.

Clique e confira a Tabela Geral de Acolhimento da Rede ConVida

Saiba sobre os profissionais da Rede ConVida que concedem formações e supervisões:

- Karla Julianne Negreiros de Matos (CRP 11/09287) é psicóloga, psicodramatista, mestre e doutora em Saúde Coletiva. Professora da Faculdade Pitágoras, pesquisadora da Universidade Federal do Ceará (UFC) e idealizadora do @inspirarecrescer.

- Luiza de Andrade Braga Farias (CRP 11/04767) é psicóloga formada pela Universidade de Fortaleza (Unifor). Especialista em Psicologia da Saúde pela Pontifícia Universidade Católica (PUC)/SP. Mestre em Psicologia Clínica pela PUC/SP. Formação em Experiência Somática e Trauma pela Associação Brasileira de Trauma (ABT). Membro da ABT. Supervisora e facilitadora de grupos de mulheres e enlutados.

- Júlio Cledson de Oliveira Guedes (CRP 11/2776) é psicólogo, formado pela UFC, mestre em Psicologia pela UFC, especialista em Neuropsicologia com Estudos em Autismo. Atuante na área de Saúde Mental e Psicologia Hospitalar, formação em Psicologia Analítica, e professor de Especialização em Psicologia Analítica, na Unifor.