26 de dezembro de 2019 em Juventude

Rede Cuca alcança mais de 500 mil atendimentos em 2019

De 2013 a 2019, foram mais de 2 milhões de atendimentos


fachada de sede do Cuca Jangurussu
Rede Cuca Jangurussu

Mais de 500 mil atendimentos na Rede Cuca em 2019. Esta foi a marca alcançada pela Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas de Juventude (CEPPJ), em balanço parcial deste ano. Ao todo, de janeiro a novembro, foram 540.240 atendimentos nos três equipamentos localizados nos bairros Jangurussu, Mondubim e Barra do Ceará. Os números indicam uma transformação na vida da juventude da Cidade.

Na Rede Cuca são ofertados, gratuitamente, cursos de formação, práticas esportivas, programação cultural, produções na área de comunicação, promoção e a garantia dos Direitos Humanos e a realização de festivais, mostras e exposições. Atualmente, Fortaleza é a Cidade que mais investe em políticas públicas de juventude do País. Os equipamentos garantem o acesso às políticas públicas de juventude, aprendizado e lazer que estimulam a participação dos jovens na sociedade, como explica o Coordenador Especial de Políticas Públicas de Juventude, Júlio Brizzi. “Em 2019, nós demos continuidade aos projetos que já são um grande sucesso e lançamos novas formas de oportunidades para nossa juventude. Com as ações que buscamos desenvolver, os jovens se tornam protagonistas de grandes feitos, não só na vida deles, mas de toda a comunidade em que vivem”, disse.

A Rede Cuca oferece mais de 60 cursos de formação distribuídos em oito áreas: audiovisual, fotografia, informática, Libras, inglês, música, dança e teatro. Os cursos possuem uma carga-horária de, no mínimo, 20h/a, e os alunos recebem certificados. Também há o incentivo à leitura por meio de três bibliotecas, que possuem acervo literário com mais de 11 mil livros, e onde são realizadas atividades como “Venha jogar”, “Leitura compartilhada” e “Hora pintada”. As bibliotecas também disponibilizam as gibitecas, locais especialmente destinados aos gibis, que buscam incentivar a leitura deste movimento artístico combinando códigos de imagem e texto.

Para a promoção dos Direitos Humanos, são realizadas atividades de educação em saúde, testagens rápidas de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), atendimento psicossocial, atividades de educação em Direitos Humanos, mediação de conflitos e articulação comunitária. Os jovens ainda podem utilizar os espaços do Cuca rotineiramente, por meio do Comunidade em Pauta, projeto disponibiliza as salas de artes cênicas, ginásio e campo de areia.

Números

- 540.240 atendimentos na Rede Cuca de janeiro a novembro de 2019
- 132.969 pessoas prestigiaram a programação cultural da Rede Cuca (apresentações de teatro, shows, sessões de cinema e festivais) de janeiro a novembro de 2019
- 2.311.147 atendimentos de 2013 a outubro de 2019
- Orçamento para as políticas públicas de juventude em 2020: R$ 110.216.461,00

um rapaz praticando cross fit e dois assistindo
Cross Cuca é uma das modalidades esportivas ofertadas na Rede Cuca

Práticas esportivas

Outra área que vem apresentando resultados é a do esporte. Atualmente, os Cucas oferecem 28 modalidades: Badminton, Ballet Clássico, Basquetebol, Beach Hand, Capoeira Sesc Ativo, Cross Cuca, Esportes Coletivos, Futsal, Futebol de Areia, Handebol, Hidroginástica, Jiu-jitsu, Judô, Karatê, Massagem Desportiva, MMA, Muay Thai, Nado Sincronizado, Natação, Natação Recreativa, Pólo Aquático, Pilates Funcional, Skate, Taekwondo, Tênis de Mesa, Treinamento Funcional, Triathlon, Voleibol, Vôlei de Praia e Zumba.

Em 2014, Paulo Henrique Alves, de 22 anos, teve a chance de ingressar na equipe de Jiu-jitsu. “Conheci o Cuca Barra por meio de um amigo que dançava break. Comecei a frequentar e vi os alunos descendo as escadas de kimono para treinar. Aquilo me chamou atenção, achei interessante, fiz uma aula experimental e logo resolvi me matricular também", lembra. A rotina intensa de quatro horas de treinos por dia levou o estudante mais longe. Após vencer o Campeonato do Nordeste, ele garantiu vaga no Mundial e se consagrou campeão na categoria faixa roxa adulto pesadíssimo.

Segundo Paulo, não só o curriculo de atleta, mas a vida pessoal teve muitos ganhos. "A Rede Cuca teve um grande papel na minha vida porque, sem ela, eu não teria conquistado os títulos que conquistei, inclusive, o de campeão mundial. Eu não teria vivido o que vivi e não teria ganho a experiência que tenho hoje. Por meio da Rede Cuca, que sempre me apoiou, eu também consegui ganhar o apoio de uma faculdade e ganhei uma bolsa para cursar Educação Física”, comemora.

bailarinos se apresentando em espetáculo de dança
Grupo de Dança da Rede Cuca em apresentação

Programação cultural

O setor da Cultura, segmento integrante da Diretoria de Direitos Humanos e Cultura (DPDHC), é responsável por conceber, executar e apoiar, de forma direta ou compartilhada, propostas de atividades que envolvam arte, cultura e esporte, alinhados aos objetivos de atuação dos três equipamentos. De janeiro a novembro de 2019, foi registrado um público de mais de 130 mil pessoas nas apresentações teatrais, shows, sessões de cinema e festivais.

Foi neste espaço que Kellyane de Oliveira, de 25 anos, pôde expressar sua arte. No Cuca Mondubim, ela deu os primeiros passos na carreira artística. "Conheci a Rede Cuca em um anúncio da audição do grupo de dança no Facebook e resolvi tentar. Passei e, desde então, minha carreira artística deu upgrade. Desde 2017, venho apresentando espetáculos, dando aulas e trabalhando como produção em eventos da Rede Cuca, e isso é essencial para meu currículo. Este ano, eu e meu parceiro Ewerson tivemos a oportunidade de representar a Rede Cuca nos festivais CBDD (Conselho Brasileiro da Dança) e Fendafor (Festival Internacional de Dança de Fortaleza), e ficamos bastante felizes com o resultado, que foi o primeiro lugar nos dois festivais e bolsas nacionais e internacionais", disse.

Após uma apresentação na categoria duo, no 4º Festival Internacional do Conselho Brasileiro de Dança (CBDD), realizado de 30 de abril a 05 de maio, em Fortaleza, os jovens Kellyane e Ewerson conquistaram uma residência artística na Broadway Dance Center, em Nova York, e uma bolsa de 100% para outra residência com o renomado bailarino e professor André Rockmaster, em São Paulo, no primeiro semestre de 2020.

"Sou extremamente grata por todo apoio que a Rede Cuca proporciona a artistas e atletas porque faz todo nosso esforço ter resultado e valer a pena. Também já fui bolsista do programa Jovens Monitores e agora sou do programa Bolsa Jovem, que é de imensa importância para a cena da arte em Fortaleza”, afirma Kellyane.

Trabalho e empregabilidade

A área de Trabalho e Empregabilidade da Rede Cuca tem como objetivos a inserção e a reinserção do jovem no mercado de trabalho, por meio da intermediação, qualificação, informações sobre mercado e apoio a iniciativas de geração de emprego e renda.

Comunicação

A comunicação da Rede Cuca conta com vários espaços como a Radioescola, onde os jovens produzem e executam programas veiculados nos três equipamentos. Para além da rádio, também são executados projetos e cursos de formação, como o Conexões Periféricas, Repórter Cuca e o Programa Jovens Monitores, que possibilitam a vivência sobre o que é a comunicação e como é ser um comunicólogo.

Na Radioescola do Cuca Jangurussu, João Vitor Ferreira, de 19 anos, começou a traçar sua trajetória como jovem comunicador. “Eu comecei tudo na radioescola do Cuca Jangurussu, onde estagiei. Nesta época, foi aberto o edital sobre Comunicação que se chama Repórter Cuca. Eu passei e pude aperfeiçoar meus conhecimentos e conhecer outros jovens comunicadores, que foi um dos presentes que o Cuca me deu. Não somente os jovens, mas também a equipe que me ajudou muito. Além das tarefas que eu já realizava como repórter, na monitoria, fui chamado para ser um dos apresentadores da Juv.Tv (webtv da Rede Cuca) do programa Cineprosa, no qual a gente fala sobre filmes", explica.

A webtv da Rede Cuca foi criada neste ano. Com programação diária e totalmente produzida pelos jovens, a Juv.Tv está disponível no YouTube. "A Rede Cuca é um instrumento que pode mudar a realidade que temos hoje em dia. E eu acredito que quanto mais jovens conhecerem, mais oportunidades eles terão, que é isso que a Rede Cuca proporciona: oportunidades”, disse.

Com o intuito de tornar público o trabalho realizado pela Rede Cuca, nasceu o projeto Gera na Escola. Com ele, mais jovens podem conhecer as ações desenvolvidas. A ação acontece em 15 escolas públicas e de cada uma delas, é selecionado um jovem multiplicador, que é capacitado e recebe uma bolsa. Este jovem mostra aos seus colegas tudo o que a Rede Cuca oferece. Desta maneira, muito mais jovens têm acesso e conhecimento sobre as políticas públicas desenvolvidas para a juventude de Fortaleza.

Qualifica Juventude

A Rede Cuca disponibiliza também cursos profissionalizantes, que fazem parte do Programa de Fortalecimento de Inclusão Social e Redes de Atenção (Proredes) Fortaleza, executado pela Coordenadoria Especial de Políticas Públicas de Juventude (CEPPJ) com recursos da Prefeitura Municipal de Fortaleza e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O Qualifica Juventude conta com cursos de assistente administrativo, cabelereiro, maquiador, pintor de paredes, entre outros.

Números:

540.240: atendimentos da Rede Cuca (janeiro a novembro de 2019)

132.969: público na programação cultural da Rede Cuca (apresentações de teatro, shows, sessões de cinema e festivais (janeiro a novembro de 2019).

2.311.147: atendimentos de 2013 a outubro de 2019.

R$ 110.216.461,00: orçamento para as políticas públicas de juventude em 2020.

Orçamento para 2020

O ano de 2020 começa com grandes expectativas. Após observar as mudanças na área da Juventude em 2019, novas portas devem se abrir garantindo mais participação de jovens nas ações da Rede Cuca. Segundo Júlio Brizzi, para o ano que vem, está previsto um orçamento de R$ 110.216.461,00, investimento fruto dos resultados vistos ao longo do ano. "Em 2020, temos a expectativa de muito mais! Vamos ter oito equipamentos para a juventude na Cidade. Desta forma, poderemos ver ainda mais histórias de sucesso acontecendo, mais jovens descobrindo os talentos e tendo uma vida melhor”, destaca.

Rede Cuca alcança mais de 500 mil atendimentos em 2019

De 2013 a 2019, foram mais de 2 milhões de atendimentos

fachada de sede do Cuca Jangurussu
Rede Cuca Jangurussu

Mais de 500 mil atendimentos na Rede Cuca em 2019. Esta foi a marca alcançada pela Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas de Juventude (CEPPJ), em balanço parcial deste ano. Ao todo, de janeiro a novembro, foram 540.240 atendimentos nos três equipamentos localizados nos bairros Jangurussu, Mondubim e Barra do Ceará. Os números indicam uma transformação na vida da juventude da Cidade.

Na Rede Cuca são ofertados, gratuitamente, cursos de formação, práticas esportivas, programação cultural, produções na área de comunicação, promoção e a garantia dos Direitos Humanos e a realização de festivais, mostras e exposições. Atualmente, Fortaleza é a Cidade que mais investe em políticas públicas de juventude do País. Os equipamentos garantem o acesso às políticas públicas de juventude, aprendizado e lazer que estimulam a participação dos jovens na sociedade, como explica o Coordenador Especial de Políticas Públicas de Juventude, Júlio Brizzi. “Em 2019, nós demos continuidade aos projetos que já são um grande sucesso e lançamos novas formas de oportunidades para nossa juventude. Com as ações que buscamos desenvolver, os jovens se tornam protagonistas de grandes feitos, não só na vida deles, mas de toda a comunidade em que vivem”, disse.

A Rede Cuca oferece mais de 60 cursos de formação distribuídos em oito áreas: audiovisual, fotografia, informática, Libras, inglês, música, dança e teatro. Os cursos possuem uma carga-horária de, no mínimo, 20h/a, e os alunos recebem certificados. Também há o incentivo à leitura por meio de três bibliotecas, que possuem acervo literário com mais de 11 mil livros, e onde são realizadas atividades como “Venha jogar”, “Leitura compartilhada” e “Hora pintada”. As bibliotecas também disponibilizam as gibitecas, locais especialmente destinados aos gibis, que buscam incentivar a leitura deste movimento artístico combinando códigos de imagem e texto.

Para a promoção dos Direitos Humanos, são realizadas atividades de educação em saúde, testagens rápidas de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), atendimento psicossocial, atividades de educação em Direitos Humanos, mediação de conflitos e articulação comunitária. Os jovens ainda podem utilizar os espaços do Cuca rotineiramente, por meio do Comunidade em Pauta, projeto disponibiliza as salas de artes cênicas, ginásio e campo de areia.

Números

- 540.240 atendimentos na Rede Cuca de janeiro a novembro de 2019
- 132.969 pessoas prestigiaram a programação cultural da Rede Cuca (apresentações de teatro, shows, sessões de cinema e festivais) de janeiro a novembro de 2019
- 2.311.147 atendimentos de 2013 a outubro de 2019
- Orçamento para as políticas públicas de juventude em 2020: R$ 110.216.461,00

um rapaz praticando cross fit e dois assistindo
Cross Cuca é uma das modalidades esportivas ofertadas na Rede Cuca

Práticas esportivas

Outra área que vem apresentando resultados é a do esporte. Atualmente, os Cucas oferecem 28 modalidades: Badminton, Ballet Clássico, Basquetebol, Beach Hand, Capoeira Sesc Ativo, Cross Cuca, Esportes Coletivos, Futsal, Futebol de Areia, Handebol, Hidroginástica, Jiu-jitsu, Judô, Karatê, Massagem Desportiva, MMA, Muay Thai, Nado Sincronizado, Natação, Natação Recreativa, Pólo Aquático, Pilates Funcional, Skate, Taekwondo, Tênis de Mesa, Treinamento Funcional, Triathlon, Voleibol, Vôlei de Praia e Zumba.

Em 2014, Paulo Henrique Alves, de 22 anos, teve a chance de ingressar na equipe de Jiu-jitsu. “Conheci o Cuca Barra por meio de um amigo que dançava break. Comecei a frequentar e vi os alunos descendo as escadas de kimono para treinar. Aquilo me chamou atenção, achei interessante, fiz uma aula experimental e logo resolvi me matricular também", lembra. A rotina intensa de quatro horas de treinos por dia levou o estudante mais longe. Após vencer o Campeonato do Nordeste, ele garantiu vaga no Mundial e se consagrou campeão na categoria faixa roxa adulto pesadíssimo.

Segundo Paulo, não só o curriculo de atleta, mas a vida pessoal teve muitos ganhos. "A Rede Cuca teve um grande papel na minha vida porque, sem ela, eu não teria conquistado os títulos que conquistei, inclusive, o de campeão mundial. Eu não teria vivido o que vivi e não teria ganho a experiência que tenho hoje. Por meio da Rede Cuca, que sempre me apoiou, eu também consegui ganhar o apoio de uma faculdade e ganhei uma bolsa para cursar Educação Física”, comemora.

bailarinos se apresentando em espetáculo de dança
Grupo de Dança da Rede Cuca em apresentação

Programação cultural

O setor da Cultura, segmento integrante da Diretoria de Direitos Humanos e Cultura (DPDHC), é responsável por conceber, executar e apoiar, de forma direta ou compartilhada, propostas de atividades que envolvam arte, cultura e esporte, alinhados aos objetivos de atuação dos três equipamentos. De janeiro a novembro de 2019, foi registrado um público de mais de 130 mil pessoas nas apresentações teatrais, shows, sessões de cinema e festivais.

Foi neste espaço que Kellyane de Oliveira, de 25 anos, pôde expressar sua arte. No Cuca Mondubim, ela deu os primeiros passos na carreira artística. "Conheci a Rede Cuca em um anúncio da audição do grupo de dança no Facebook e resolvi tentar. Passei e, desde então, minha carreira artística deu upgrade. Desde 2017, venho apresentando espetáculos, dando aulas e trabalhando como produção em eventos da Rede Cuca, e isso é essencial para meu currículo. Este ano, eu e meu parceiro Ewerson tivemos a oportunidade de representar a Rede Cuca nos festivais CBDD (Conselho Brasileiro da Dança) e Fendafor (Festival Internacional de Dança de Fortaleza), e ficamos bastante felizes com o resultado, que foi o primeiro lugar nos dois festivais e bolsas nacionais e internacionais", disse.

Após uma apresentação na categoria duo, no 4º Festival Internacional do Conselho Brasileiro de Dança (CBDD), realizado de 30 de abril a 05 de maio, em Fortaleza, os jovens Kellyane e Ewerson conquistaram uma residência artística na Broadway Dance Center, em Nova York, e uma bolsa de 100% para outra residência com o renomado bailarino e professor André Rockmaster, em São Paulo, no primeiro semestre de 2020.

"Sou extremamente grata por todo apoio que a Rede Cuca proporciona a artistas e atletas porque faz todo nosso esforço ter resultado e valer a pena. Também já fui bolsista do programa Jovens Monitores e agora sou do programa Bolsa Jovem, que é de imensa importância para a cena da arte em Fortaleza”, afirma Kellyane.

Trabalho e empregabilidade

A área de Trabalho e Empregabilidade da Rede Cuca tem como objetivos a inserção e a reinserção do jovem no mercado de trabalho, por meio da intermediação, qualificação, informações sobre mercado e apoio a iniciativas de geração de emprego e renda.

Comunicação

A comunicação da Rede Cuca conta com vários espaços como a Radioescola, onde os jovens produzem e executam programas veiculados nos três equipamentos. Para além da rádio, também são executados projetos e cursos de formação, como o Conexões Periféricas, Repórter Cuca e o Programa Jovens Monitores, que possibilitam a vivência sobre o que é a comunicação e como é ser um comunicólogo.

Na Radioescola do Cuca Jangurussu, João Vitor Ferreira, de 19 anos, começou a traçar sua trajetória como jovem comunicador. “Eu comecei tudo na radioescola do Cuca Jangurussu, onde estagiei. Nesta época, foi aberto o edital sobre Comunicação que se chama Repórter Cuca. Eu passei e pude aperfeiçoar meus conhecimentos e conhecer outros jovens comunicadores, que foi um dos presentes que o Cuca me deu. Não somente os jovens, mas também a equipe que me ajudou muito. Além das tarefas que eu já realizava como repórter, na monitoria, fui chamado para ser um dos apresentadores da Juv.Tv (webtv da Rede Cuca) do programa Cineprosa, no qual a gente fala sobre filmes", explica.

A webtv da Rede Cuca foi criada neste ano. Com programação diária e totalmente produzida pelos jovens, a Juv.Tv está disponível no YouTube. "A Rede Cuca é um instrumento que pode mudar a realidade que temos hoje em dia. E eu acredito que quanto mais jovens conhecerem, mais oportunidades eles terão, que é isso que a Rede Cuca proporciona: oportunidades”, disse.

Com o intuito de tornar público o trabalho realizado pela Rede Cuca, nasceu o projeto Gera na Escola. Com ele, mais jovens podem conhecer as ações desenvolvidas. A ação acontece em 15 escolas públicas e de cada uma delas, é selecionado um jovem multiplicador, que é capacitado e recebe uma bolsa. Este jovem mostra aos seus colegas tudo o que a Rede Cuca oferece. Desta maneira, muito mais jovens têm acesso e conhecimento sobre as políticas públicas desenvolvidas para a juventude de Fortaleza.

Qualifica Juventude

A Rede Cuca disponibiliza também cursos profissionalizantes, que fazem parte do Programa de Fortalecimento de Inclusão Social e Redes de Atenção (Proredes) Fortaleza, executado pela Coordenadoria Especial de Políticas Públicas de Juventude (CEPPJ) com recursos da Prefeitura Municipal de Fortaleza e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O Qualifica Juventude conta com cursos de assistente administrativo, cabelereiro, maquiador, pintor de paredes, entre outros.

Números:

540.240: atendimentos da Rede Cuca (janeiro a novembro de 2019)

132.969: público na programação cultural da Rede Cuca (apresentações de teatro, shows, sessões de cinema e festivais (janeiro a novembro de 2019).

2.311.147: atendimentos de 2013 a outubro de 2019.

R$ 110.216.461,00: orçamento para as políticas públicas de juventude em 2020.

Orçamento para 2020

O ano de 2020 começa com grandes expectativas. Após observar as mudanças na área da Juventude em 2019, novas portas devem se abrir garantindo mais participação de jovens nas ações da Rede Cuca. Segundo Júlio Brizzi, para o ano que vem, está previsto um orçamento de R$ 110.216.461,00, investimento fruto dos resultados vistos ao longo do ano. "Em 2020, temos a expectativa de muito mais! Vamos ter oito equipamentos para a juventude na Cidade. Desta forma, poderemos ver ainda mais histórias de sucesso acontecendo, mais jovens descobrindo os talentos e tendo uma vida melhor”, destaca.