06 de fevereiro de 2019 em Mobilidade

Reformas dos terminais trazem melhorias ao cotidiano da população

Prefeitura retomou intervenções iniciadas em 2009 para facilitar deslocamento


Bicicletario
Entre as melhorias, está a construção de bicicletários (Foto: Marcos Moura)
Com o objetivo de melhorar a manutenção e os serviços nos sete terminais de ônibus de Fortaleza (Antônio Bezerra, Papicu, Parangaba, Lagoa, Siqueira, Messejana e Conjunto Ceará), a Prefeitura retomou reformas iniciadas em 2009 para melhorar e facilitar ainda mais o deslocamento e a passagem da população nesses espaços.

O primeiro contemplado foi o Terminal de Antônio Bezerra, com obras iniciadas em 2013. As reformas, entregues em 2014, mais que dobraram o espaço, de 12 mil m² para 29 mil m². Além disso, várias outras melhorias foram feitas, como plataformas com piso industrial, cobertura em estrutura metálica e pavimento rígido para circulação de ônibus, novas plataformas de embarque, rampas e túneis de acesso de pedestres às plataformas. Os boxes também foram reformados e foi implantado um projeto paisagístico de área verde.

Desde 2013, os outros seis terminais continuaram passando por reformas e melhorias. Em 2014, através de uma parceria com o Governo do Estado, foi implantado policiamento efetivo, zerando o número de assaltos anteriormente frequentes nesses locais. Também foram construídos postos para a Guarda Municipal, bicicletário, banheiros com acessibilidade, sala de controle, almoxarifado, refeitório, Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), área para descanso de motoristas e cobradores, estacionamento para ônibus e wifi.

Para manter todas essas melhorias, a Prefeitura lançou uma licitação para a administração desses equipamentos. A empresa ganhadora, Socicam, submeteu-se a diversos cronogramas e em 2015 começou a administrar os terminais, passando por avaliações periódicas, incluindo pesquisas de satisfação com os usuários. Antônio Ferreira, vice-presidente da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), destaca que “esses novos atributos da reforma que fazem com a população se sinta segura nos terminais”.

Segundo ele, os terminais irão melhorar ainda mais seus serviços após finalização do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), organizado pela Coordenadoria de Parcerias Público-Privada (PPP). Iniciado em março de 2018, o processo já passou pela fase de estudos envolvendo projetos de modelagem econômicos-financeiros, operacionais, jurídicos, de engenharia e de arquitetura e urbanismo. A previsão é de que o contrato de concessão da administração seja assinado em julho deste ano, transferindo ao ganhador o pagamento de custos de operação que atualmente são realizados pela Prefeitura à Socicam pelos próximos 35 anos.

Bicicletário
Dentre as novas melhorias que facilitaram o transporte da população, está o Bicicletário. Presente em quatro terminais da Cidade (Antônio Bezerra, Conjunto Ceará, Parangaba e Siqueira), o equipamento funciona como um estacionamento gratuito de bicicletas onde o usuário pode deixá-las por 48h. O sistema funciona todos os dias, de domingo a domingo, e o cadastro é feito no local. Ao entregar a bicicleta, o usuário recebe um comprovante que é entregue na hora de buscar o equipamento novamente.

Para Girlan Casemiro, que mora na Barra do Ceará, “ter onde guardar a bicicleta e poder ir trabalhar tranquilo sabendo que ela está bem guardada é um grande benefício”. Utilizando o serviço de segunda à sexta-feira, ele faz o deslocamento de bicicleta de sua casa até o terminal para depois pegar um ônibus para chegar ao trabalho, economizando tempo e dinheiro. O bicicletário do terminal do Antônio Bezerra, utilizado por Girlan, possui mais de 227 usuários cadastrados.

Atualmente, os terminais com mais adesão ao sistema são o Siqueira e Parangaba, que contaram, juntos, com uma movimentação de mais de mil usuários apenas no mês de dezembro, de um total de 1700 no mesmo período. Para realizar o cadastro, basta apresentar o número da identidade, cpf e comprovante de residência ao operador que fica das 4h às 00h, de domingo a domingo.

A iniciativa faz parte do projeto UrbanLeds, desenvolvido pela Organização Não Governamental Governos Locais pela Sustentabilidade (Iclei). O Iclei é uma entidade ligada à Organização das Nações Unidas (ONU) para enfrentamento às mudanças climáticas. Fortaleza foi escolhida como cidade-modelo do programa e elaborou, com o apoio internacional, o primeiro Inventário de Gases do Efeito Estufa (GEE), apresentado em 2014. No estudo, os transportes foram apontados como principais responsáveis pelas emissões de poluentes para a atmosfera. O objetivo, no futuro, é de ampliar o sistema para além dos terminais, levando-o a pontos estratégicos da Cidade.

Reformas dos terminais trazem melhorias ao cotidiano da população

Prefeitura retomou intervenções iniciadas em 2009 para facilitar deslocamento

Bicicletario
Entre as melhorias, está a construção de bicicletários (Foto: Marcos Moura)
Com o objetivo de melhorar a manutenção e os serviços nos sete terminais de ônibus de Fortaleza (Antônio Bezerra, Papicu, Parangaba, Lagoa, Siqueira, Messejana e Conjunto Ceará), a Prefeitura retomou reformas iniciadas em 2009 para melhorar e facilitar ainda mais o deslocamento e a passagem da população nesses espaços.

O primeiro contemplado foi o Terminal de Antônio Bezerra, com obras iniciadas em 2013. As reformas, entregues em 2014, mais que dobraram o espaço, de 12 mil m² para 29 mil m². Além disso, várias outras melhorias foram feitas, como plataformas com piso industrial, cobertura em estrutura metálica e pavimento rígido para circulação de ônibus, novas plataformas de embarque, rampas e túneis de acesso de pedestres às plataformas. Os boxes também foram reformados e foi implantado um projeto paisagístico de área verde.

Desde 2013, os outros seis terminais continuaram passando por reformas e melhorias. Em 2014, através de uma parceria com o Governo do Estado, foi implantado policiamento efetivo, zerando o número de assaltos anteriormente frequentes nesses locais. Também foram construídos postos para a Guarda Municipal, bicicletário, banheiros com acessibilidade, sala de controle, almoxarifado, refeitório, Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), área para descanso de motoristas e cobradores, estacionamento para ônibus e wifi.

Para manter todas essas melhorias, a Prefeitura lançou uma licitação para a administração desses equipamentos. A empresa ganhadora, Socicam, submeteu-se a diversos cronogramas e em 2015 começou a administrar os terminais, passando por avaliações periódicas, incluindo pesquisas de satisfação com os usuários. Antônio Ferreira, vice-presidente da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), destaca que “esses novos atributos da reforma que fazem com a população se sinta segura nos terminais”.

Segundo ele, os terminais irão melhorar ainda mais seus serviços após finalização do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), organizado pela Coordenadoria de Parcerias Público-Privada (PPP). Iniciado em março de 2018, o processo já passou pela fase de estudos envolvendo projetos de modelagem econômicos-financeiros, operacionais, jurídicos, de engenharia e de arquitetura e urbanismo. A previsão é de que o contrato de concessão da administração seja assinado em julho deste ano, transferindo ao ganhador o pagamento de custos de operação que atualmente são realizados pela Prefeitura à Socicam pelos próximos 35 anos.

Bicicletário
Dentre as novas melhorias que facilitaram o transporte da população, está o Bicicletário. Presente em quatro terminais da Cidade (Antônio Bezerra, Conjunto Ceará, Parangaba e Siqueira), o equipamento funciona como um estacionamento gratuito de bicicletas onde o usuário pode deixá-las por 48h. O sistema funciona todos os dias, de domingo a domingo, e o cadastro é feito no local. Ao entregar a bicicleta, o usuário recebe um comprovante que é entregue na hora de buscar o equipamento novamente.

Para Girlan Casemiro, que mora na Barra do Ceará, “ter onde guardar a bicicleta e poder ir trabalhar tranquilo sabendo que ela está bem guardada é um grande benefício”. Utilizando o serviço de segunda à sexta-feira, ele faz o deslocamento de bicicleta de sua casa até o terminal para depois pegar um ônibus para chegar ao trabalho, economizando tempo e dinheiro. O bicicletário do terminal do Antônio Bezerra, utilizado por Girlan, possui mais de 227 usuários cadastrados.

Atualmente, os terminais com mais adesão ao sistema são o Siqueira e Parangaba, que contaram, juntos, com uma movimentação de mais de mil usuários apenas no mês de dezembro, de um total de 1700 no mesmo período. Para realizar o cadastro, basta apresentar o número da identidade, cpf e comprovante de residência ao operador que fica das 4h às 00h, de domingo a domingo.

A iniciativa faz parte do projeto UrbanLeds, desenvolvido pela Organização Não Governamental Governos Locais pela Sustentabilidade (Iclei). O Iclei é uma entidade ligada à Organização das Nações Unidas (ONU) para enfrentamento às mudanças climáticas. Fortaleza foi escolhida como cidade-modelo do programa e elaborou, com o apoio internacional, o primeiro Inventário de Gases do Efeito Estufa (GEE), apresentado em 2014. No estudo, os transportes foram apontados como principais responsáveis pelas emissões de poluentes para a atmosfera. O objetivo, no futuro, é de ampliar o sistema para além dos terminais, levando-o a pontos estratégicos da Cidade.