27 de julho de 2015 em Cultura

Cartografia sobre ditadura militar em Fortaleza será lançada nesta terça-feira

Projeto Conexões Cartográficas da Memória foi contemplado pelo Programa Residência e Intercâmbio


O Coletivo Aparecidos Políticos realizou uma série de intervenções urbanas em Fortaleza (Foto: Divulgação)

Nesta terça-feira (28/07), a partir das 10 horas, o Coletivo Aparecidos Políticos, por meio do projeto Conexões Cartográficas da Memória, lança um mapeamento, realizado nos últimos cinco anos, contendo prédios públicos, ruas e avenidas, praças e até escolas e creches que ainda mantêm homenagens e honrarias a colaboradores da Ditadura Militar. O lançamento acontece no Teatro Antonieta Noronha.

Por ocasião do mapeamento, o Coletivo Aparecidos Políticos realizou uma série de intervenções urbanas na cidade de Fortaleza, aplicando o rebatismo popular como metodologia, além de catalogar os espaços que prestam homenagens aos golpistas, elencando outros espaços que simbolizaram focos de resistência e de repressão em nossa cidade para, daí, reconstruir a memória política da capital cearense.

Ao final de 2014, a Comissão Nacional da Verdade (CNV) lançou relatório sobre as violações cometidas pelo próprio Estado durante o período da Ditadura Militar no país. Ao longo de 3.400 páginas, a publicação divulgou uma lista de 377 agentes violadores, cujos quais mais da metade ainda estão vivos, e, também, uma série de recomendações para os entes federativos a fim de prevenir violações de direitos humanos e assegurar a não repetição.

Neste Relatório, produzido pela CNV, está a recomendação 28 que, especificamente, cita a necessidade de “promover a alteração da denominação de logradouros, vias de transporte, edifícios e instituições públicas de qualquer natureza, sejam federais, estaduais ou municipais, que se refiram a agentes públicos ou a particulares que notoriamente tenham tido comprometimento com a prática de graves violações”.

Seis meses depois do lançamento do Relatório da CNV observamos que Fortaleza ainda descumpre essa recomendação. Ao todo, são mais de 35 espaços e equipamentos públicos que ainda são denominados por torturadores, genocidas, gestores biônicos, empresários, dentre outros, mostrando que esta permanece como prática ainda bastante enraizada em nossa cidade.

O resultado deste processo, que conta com fotos, vídeos e materiais impressos, será disponibilizado a todas as escolas do Sistema Municipal de Ensino de Fortaleza, a fim de gerar debates acerca da temática no âmbito escolar. É ainda objetivo do Coletivo Aparecidos Políticos disponibilizar o mapeamento aos visitantes do Memorial da Resistência: Arquivo das Sombras, presente na Secultfor, onde, no período da Ditadura Militar, também foi centro de torturas.

O projeto “Conexões Cartográficas da Memória” foi contemplado no I Edital de Concurso Público Programa de Residências e Intercâmbios, de 2013, promovido pela Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza (Secultfor).

 

Sobre o Programa Residência e Intercâmbio

Lançado em setembro de 2013, o Programa da Coordenadoria de Criação e Fomento da Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza, destinou-se a artistas, pesquisadores e produtores (individuais ou coletivos) de Fortaleza, com projetos nas seguintes linguagens: artes visuais, circo, dança, literatura, teatro, música, moda, audiovisual, gastronomia, fotografia e humor. O Edital premiou 22 projetos, dentre 74 inscritos, com R$ 15 mil cada.

Todas as propostas de residência são para um período de três meses, através de ações como intercâmbios artísticos, ocupações, acolhimentos etc., devendo as mesmas acontecerem nos equipamentos culturais da Prefeitura de Fortaleza (Passeio Público, Vila das Artes, Mercado dos Pinhões, Teatro Antonieta Noronha, Estoril e Biblioteca Pública Municipal Dolor Barreira) ou, ainda, em outros espaços tecnicamente viáveis e indicados pelos proponentes.

 

Serviço:

Lançamento do projeto “Conexões Cartográficas da Memória” 

Quando: Terça-feira (28), a partir das 10 horas

Onde: Teatro Antonieta Noronha (Rua Pereira Filgueiras, 4 – Centro)

Mais informações: 3105.1386 / 3105.1358

Cartografia sobre ditadura militar em Fortaleza será lançada nesta terça-feira

Projeto Conexões Cartográficas da Memória foi contemplado pelo Programa Residência e Intercâmbio

O Coletivo Aparecidos Políticos realizou uma série de intervenções urbanas em Fortaleza (Foto: Divulgação)

Nesta terça-feira (28/07), a partir das 10 horas, o Coletivo Aparecidos Políticos, por meio do projeto Conexões Cartográficas da Memória, lança um mapeamento, realizado nos últimos cinco anos, contendo prédios públicos, ruas e avenidas, praças e até escolas e creches que ainda mantêm homenagens e honrarias a colaboradores da Ditadura Militar. O lançamento acontece no Teatro Antonieta Noronha.

Por ocasião do mapeamento, o Coletivo Aparecidos Políticos realizou uma série de intervenções urbanas na cidade de Fortaleza, aplicando o rebatismo popular como metodologia, além de catalogar os espaços que prestam homenagens aos golpistas, elencando outros espaços que simbolizaram focos de resistência e de repressão em nossa cidade para, daí, reconstruir a memória política da capital cearense.

Ao final de 2014, a Comissão Nacional da Verdade (CNV) lançou relatório sobre as violações cometidas pelo próprio Estado durante o período da Ditadura Militar no país. Ao longo de 3.400 páginas, a publicação divulgou uma lista de 377 agentes violadores, cujos quais mais da metade ainda estão vivos, e, também, uma série de recomendações para os entes federativos a fim de prevenir violações de direitos humanos e assegurar a não repetição.

Neste Relatório, produzido pela CNV, está a recomendação 28 que, especificamente, cita a necessidade de “promover a alteração da denominação de logradouros, vias de transporte, edifícios e instituições públicas de qualquer natureza, sejam federais, estaduais ou municipais, que se refiram a agentes públicos ou a particulares que notoriamente tenham tido comprometimento com a prática de graves violações”.

Seis meses depois do lançamento do Relatório da CNV observamos que Fortaleza ainda descumpre essa recomendação. Ao todo, são mais de 35 espaços e equipamentos públicos que ainda são denominados por torturadores, genocidas, gestores biônicos, empresários, dentre outros, mostrando que esta permanece como prática ainda bastante enraizada em nossa cidade.

O resultado deste processo, que conta com fotos, vídeos e materiais impressos, será disponibilizado a todas as escolas do Sistema Municipal de Ensino de Fortaleza, a fim de gerar debates acerca da temática no âmbito escolar. É ainda objetivo do Coletivo Aparecidos Políticos disponibilizar o mapeamento aos visitantes do Memorial da Resistência: Arquivo das Sombras, presente na Secultfor, onde, no período da Ditadura Militar, também foi centro de torturas.

O projeto “Conexões Cartográficas da Memória” foi contemplado no I Edital de Concurso Público Programa de Residências e Intercâmbios, de 2013, promovido pela Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza (Secultfor).

 

Sobre o Programa Residência e Intercâmbio

Lançado em setembro de 2013, o Programa da Coordenadoria de Criação e Fomento da Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza, destinou-se a artistas, pesquisadores e produtores (individuais ou coletivos) de Fortaleza, com projetos nas seguintes linguagens: artes visuais, circo, dança, literatura, teatro, música, moda, audiovisual, gastronomia, fotografia e humor. O Edital premiou 22 projetos, dentre 74 inscritos, com R$ 15 mil cada.

Todas as propostas de residência são para um período de três meses, através de ações como intercâmbios artísticos, ocupações, acolhimentos etc., devendo as mesmas acontecerem nos equipamentos culturais da Prefeitura de Fortaleza (Passeio Público, Vila das Artes, Mercado dos Pinhões, Teatro Antonieta Noronha, Estoril e Biblioteca Pública Municipal Dolor Barreira) ou, ainda, em outros espaços tecnicamente viáveis e indicados pelos proponentes.

 

Serviço:

Lançamento do projeto “Conexões Cartográficas da Memória” 

Quando: Terça-feira (28), a partir das 10 horas

Onde: Teatro Antonieta Noronha (Rua Pereira Filgueiras, 4 – Centro)

Mais informações: 3105.1386 / 3105.1358