28 de outubro de 2019 em Gestão

Central de Distribuição de Medicamentos nos Terminais é destaque em curso nos Estados Unidos

O caso foi apresentado e discutido entre prefeitos de todo o mundo que participam da última edição do Programa Internacional de Formação de Lideranças Municipais


A implantação das Centrais de Distribuição de Medicamentos nos Terminais virou estudo de caso no Programa Internacional de Formação de Lideranças Municipais, uma parceria da Universidade de Harvard com a Bloomberg Foundation, instituição norte-americana fundada pelo ex-prefeito Michael Bloomberg, de Nova York. As Centrais são uma política pública da Prefeitura de Fortaleza para controle, monitoramento e dispensação de medicamentos da Atenção Primária. O caso foi apresentado e discutido entre prefeitos dos Estados Unidos e de outras cidades do mundo.

Pesquisadores já haviam visitado Fortaleza para avaliar in loco um conjunto de iniciativas municipais inovadoras e escolher as mais exitosas para serem usadas como exemplo de liderança, inovação e boa gestão. Após exaustiva avaliação, o Programa decidiu utilizar a experiência da capital cearense como exemplo de uma política inovadora que resolveu um problema municipal complexo.

Estudantes de pós-graduação da Harvard Kennedy School of Public Affairs e e os prefeitos que participam do Programa de Formação de Lideranças Municipais passaram a conhecer melhor a cidade de Fortaleza e sua atuação de vanguarda na administração pública.

“Nós que estamos na vida pública como gestores precisamos enxergar os desafios como uma oportunidade de inovar. E foi isso o que fizemos quando implantamos as Centrais de Distribuição de Medicamentos nos Terminais. Resolvemos um problema complexo criando uma política pública inovadora que pode ser replicada em outras cidades do mundo para garantir que o medicamento seja dispensado aos usuários do Sistema Público de Saúde. Ficamos duplamente satisfeitos com o resultado da política. Primeiro porque resolveu o problema em nossa Capital e, segundo, porque pode ajudar outras cidades nesse complexo problema que atinge os sistemas públicos na área da saúde”, disse o prefeito Roberto Cláudio.

Central de Distribuição de Medicamentos nos Terminais é destaque em curso nos Estados Unidos

O caso foi apresentado e discutido entre prefeitos de todo o mundo que participam da última edição do Programa Internacional de Formação de Lideranças Municipais

A implantação das Centrais de Distribuição de Medicamentos nos Terminais virou estudo de caso no Programa Internacional de Formação de Lideranças Municipais, uma parceria da Universidade de Harvard com a Bloomberg Foundation, instituição norte-americana fundada pelo ex-prefeito Michael Bloomberg, de Nova York. As Centrais são uma política pública da Prefeitura de Fortaleza para controle, monitoramento e dispensação de medicamentos da Atenção Primária. O caso foi apresentado e discutido entre prefeitos dos Estados Unidos e de outras cidades do mundo.

Pesquisadores já haviam visitado Fortaleza para avaliar in loco um conjunto de iniciativas municipais inovadoras e escolher as mais exitosas para serem usadas como exemplo de liderança, inovação e boa gestão. Após exaustiva avaliação, o Programa decidiu utilizar a experiência da capital cearense como exemplo de uma política inovadora que resolveu um problema municipal complexo.

Estudantes de pós-graduação da Harvard Kennedy School of Public Affairs e e os prefeitos que participam do Programa de Formação de Lideranças Municipais passaram a conhecer melhor a cidade de Fortaleza e sua atuação de vanguarda na administração pública.

“Nós que estamos na vida pública como gestores precisamos enxergar os desafios como uma oportunidade de inovar. E foi isso o que fizemos quando implantamos as Centrais de Distribuição de Medicamentos nos Terminais. Resolvemos um problema complexo criando uma política pública inovadora que pode ser replicada em outras cidades do mundo para garantir que o medicamento seja dispensado aos usuários do Sistema Público de Saúde. Ficamos duplamente satisfeitos com o resultado da política. Primeiro porque resolveu o problema em nossa Capital e, segundo, porque pode ajudar outras cidades nesse complexo problema que atinge os sistemas públicos na área da saúde”, disse o prefeito Roberto Cláudio.