20 de fevereiro de 2020 em Social

Cresça com Seu Filho/Criança Feliz fortalece o vínculo afetivo entre pais e filhos e acompanha o desenvolvimento na primeira infância

Por meio de visitas periódicas, o Programa orienta famílias em vulnerabilidade para garantir o crescimento saudável de crianças até os três anos


mãe segurando braços de filho bebê andando atrás de bola
"Agora aprendo tudo o que eu preciso fazer com meu filho e é uma benção. Ele está bem desenvolvido para a idade", comenta Tatiane Nascimento

Apoiar as famílias em situação de vulnerabilidade para que promovam o desenvolvimento integral de suas crianças no período da gestação e até os três anos de idade. Este é o propósito e o grande desafio do Cresça com Seu Filho/Criança Feliz, uma política pública inovadora implantada pelo Gabinete da Primeira-dama, Carol Bezerra.

mulher sorrindo para a foto de braços cruzados
Emanuelle Melo, coordenadora do Programa

Desde sua criação, em outubro de 2014, o programa oferece, por meio de uma rede intersetorial, possibilidades de desenvolvimento para crianças de famílias em vulnerabilidade. Até o momento, já foram registradas 125.368 visitas domiciliares, com 10.187 crianças cadastradas, e 797 agentes comunitários e 223 enfermeiros capacitados.

Para a coordenadora do Cresça com Seu Filho/Criança Feliz, Emanuelle Melo, os números apontam para um avanço que superou muitas expectativas. "O porgrama cresceu. O manual, por exemplo, foi todo revisado. Ele tinha 90 atividades e está hoje com 148. Também incluimos as visitas a gestantes. Trabalhávamos com quatro faixas etárias e ampliamos para oito. E vamos avançar mais, porque o Programa tem um grande potencial", destaca.

A iniciativa reuniu esforços de diversos órgãos públicos que atuam na área social, promovendo uma política diferenciada a essas crianças, em especial, por meio de ações das secretarias de Saúde, Educação, Cultura, e Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, com articulação do Gabinete da Primeira-dama. Os órgãos trabalham de forma coesa para a construção de uma rede que beneficia o desenvolvimento saudável desses novos cidadãos.

Mulher sorrindo para a foto segurando livro
"A criança criada com amor não vira um adulto violento. Ela cresce educada, equilibrada e feliz", explica a agente agente comunitária de saúde, Regina Célia da Silva

A dona de casa Tatiane Nascimento, de 32 anos, é mãe do pequeno João Vitor, de 11 meses. Ela já tem um adolescente de 15 anos, mas admite que acompanhar o primeiro ano de vida do filho mais novo foi bem mais fácil porque ela já conhecia o Cresça com Seu Filho/Criança Feliz. "Quando engravidei a primeira vez, era adolescente e não tinha a orientação que tenho hoje. Agora aprendo tudo o que eu preciso fazer com meu filho e é uma benção. Ele está bem desenvolvido para a idade", comenta.

Tatiane conta com as orientações da agente comunitária de saúde, Regina Célia da Silva, que acompanha a jovem desde o nascimento do João Vitor. Foi dela que partiu o convite para que Tatiane tivesse acesso ao Programa. "Fui fazer o pré-natal no posto e ela falou do Programa, aceitei e hoje a Regina é uma benção na minha vida. Tem coisa que eu não lembrava mais e ela me ajuda muito", ressalta.

A orientação vem desde a gestação, passando por fases importantes como amamentação e introdução alimentar, até fortalecimento do vínculo entre mãe e filho. Regina Célia afirma que no início teve um certo receio. "Mas fiz o treinamento e me capacitei. Toda e qualquer dúvida que chega até a gente tem sido esclarecida. Quando começamos o projeto e vimos o desenvolvimento da criança e que as mães gostavam, a gente criou mais gosto de fazer, com mais amor. Aqui eu oriento, mostro o livro de atividades e, a cada semana, eu volto para saber se a criança se desenvolveu. A parte afetiva também é importante. A criança criada com amor não vira um adulto violento. Ela cresce educada, equilibrada e feliz", explica.

duas mulheres sentadas brincando com bebê sentado no meio segurando bola e sorrindo
Regina Célia em visita à Tatiane e João Vitor

A importância do vínculo da mãe com a criança é essencial para o desenvolvimento na primeira infância. Por meio de atividades semanais e as orientações do agente de saúde, a mãe aprende sobre o que é fundamental para fortalecer esse laço, como explica Regina. "Não é só após nascer. No início, quando eu pedia que ela falasse com ele na barriga, ela dizia que ele não iria ouvir, que era muito pequeno. Mas eles ouvem. Depois ela me confirmou que ele riu muito e a tendência é que os laços se fortaleçam com o tempo. Cada fase exige a aplicação de novas atividades, que vão ajudar no desenvolvimento neuromotor da criança. E elas precisam ser feitas em casa", esclarece a agente.

Em cada visita, além de acompanhar o desenvolvimento da criança, os agentes dialogam com a família e tiram todas as dúvidas que surgem. Este acompanhamento vai até o terceiro ano de vida, quando, geralmente, o ciclo se fecha e as mães são recomendadas a darem continuidade às atividades. "Eu me sinto realizada. Quando a gente completa o ciclo, do nascer aos três anos, é uma vitória. E geralmente eu peço que as mães continuem a brincar, a conversar, dar atenção à criança e corrigir também. Tudo que se faz nesse período, da gestação aos três anos, repercute na vida adulta", afirma Regina Célia.

Ampliação

O Cresça com Seu Filho/Criança Feliz atua em mais de 35 bairros das Regionais I, V e VI. Devido ao seu alcance, ao potencial reconhecido e aos números que já foram registrados, em outubro de 2019, foi iniciada a fase de universalização do Programa. A meta é chegar a todas as Regionais.

"A gente começou com capacitações, porque nosso objetivo, na universalização, é capacitar todos os enfermeiros e todos os agentes comunitários de saúde do Município. Todos precisam estar aptos a desenvolver o Programa. Hoje já temos mais 879 agentes de saúde e 145 enfermeiros sendo capacitados e à disposição. O que imaginamos para o futuro é fazer com que todas as crianças tenham acesso aos serviços que a Prefeitura está oferecendo. Um serviço totalmente baseado nas evidências científicas da neurociência. Nossa meta é de que 7 mil crianças sejam acompanhadas mensalmente", disse a coordenadora do Programa, Emanuelle Melo.

Cresça com Seu Filho/Criança Feliz fortalece o vínculo afetivo entre pais e filhos e acompanha o desenvolvimento na primeira infância

Por meio de visitas periódicas, o Programa orienta famílias em vulnerabilidade para garantir o crescimento saudável de crianças até os três anos

mãe segurando braços de filho bebê andando atrás de bola
"Agora aprendo tudo o que eu preciso fazer com meu filho e é uma benção. Ele está bem desenvolvido para a idade", comenta Tatiane Nascimento

Apoiar as famílias em situação de vulnerabilidade para que promovam o desenvolvimento integral de suas crianças no período da gestação e até os três anos de idade. Este é o propósito e o grande desafio do Cresça com Seu Filho/Criança Feliz, uma política pública inovadora implantada pelo Gabinete da Primeira-dama, Carol Bezerra.

mulher sorrindo para a foto de braços cruzados
Emanuelle Melo, coordenadora do Programa

Desde sua criação, em outubro de 2014, o programa oferece, por meio de uma rede intersetorial, possibilidades de desenvolvimento para crianças de famílias em vulnerabilidade. Até o momento, já foram registradas 125.368 visitas domiciliares, com 10.187 crianças cadastradas, e 797 agentes comunitários e 223 enfermeiros capacitados.

Para a coordenadora do Cresça com Seu Filho/Criança Feliz, Emanuelle Melo, os números apontam para um avanço que superou muitas expectativas. "O porgrama cresceu. O manual, por exemplo, foi todo revisado. Ele tinha 90 atividades e está hoje com 148. Também incluimos as visitas a gestantes. Trabalhávamos com quatro faixas etárias e ampliamos para oito. E vamos avançar mais, porque o Programa tem um grande potencial", destaca.

A iniciativa reuniu esforços de diversos órgãos públicos que atuam na área social, promovendo uma política diferenciada a essas crianças, em especial, por meio de ações das secretarias de Saúde, Educação, Cultura, e Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, com articulação do Gabinete da Primeira-dama. Os órgãos trabalham de forma coesa para a construção de uma rede que beneficia o desenvolvimento saudável desses novos cidadãos.

Mulher sorrindo para a foto segurando livro
"A criança criada com amor não vira um adulto violento. Ela cresce educada, equilibrada e feliz", explica a agente agente comunitária de saúde, Regina Célia da Silva

A dona de casa Tatiane Nascimento, de 32 anos, é mãe do pequeno João Vitor, de 11 meses. Ela já tem um adolescente de 15 anos, mas admite que acompanhar o primeiro ano de vida do filho mais novo foi bem mais fácil porque ela já conhecia o Cresça com Seu Filho/Criança Feliz. "Quando engravidei a primeira vez, era adolescente e não tinha a orientação que tenho hoje. Agora aprendo tudo o que eu preciso fazer com meu filho e é uma benção. Ele está bem desenvolvido para a idade", comenta.

Tatiane conta com as orientações da agente comunitária de saúde, Regina Célia da Silva, que acompanha a jovem desde o nascimento do João Vitor. Foi dela que partiu o convite para que Tatiane tivesse acesso ao Programa. "Fui fazer o pré-natal no posto e ela falou do Programa, aceitei e hoje a Regina é uma benção na minha vida. Tem coisa que eu não lembrava mais e ela me ajuda muito", ressalta.

A orientação vem desde a gestação, passando por fases importantes como amamentação e introdução alimentar, até fortalecimento do vínculo entre mãe e filho. Regina Célia afirma que no início teve um certo receio. "Mas fiz o treinamento e me capacitei. Toda e qualquer dúvida que chega até a gente tem sido esclarecida. Quando começamos o projeto e vimos o desenvolvimento da criança e que as mães gostavam, a gente criou mais gosto de fazer, com mais amor. Aqui eu oriento, mostro o livro de atividades e, a cada semana, eu volto para saber se a criança se desenvolveu. A parte afetiva também é importante. A criança criada com amor não vira um adulto violento. Ela cresce educada, equilibrada e feliz", explica.

duas mulheres sentadas brincando com bebê sentado no meio segurando bola e sorrindo
Regina Célia em visita à Tatiane e João Vitor

A importância do vínculo da mãe com a criança é essencial para o desenvolvimento na primeira infância. Por meio de atividades semanais e as orientações do agente de saúde, a mãe aprende sobre o que é fundamental para fortalecer esse laço, como explica Regina. "Não é só após nascer. No início, quando eu pedia que ela falasse com ele na barriga, ela dizia que ele não iria ouvir, que era muito pequeno. Mas eles ouvem. Depois ela me confirmou que ele riu muito e a tendência é que os laços se fortaleçam com o tempo. Cada fase exige a aplicação de novas atividades, que vão ajudar no desenvolvimento neuromotor da criança. E elas precisam ser feitas em casa", esclarece a agente.

Em cada visita, além de acompanhar o desenvolvimento da criança, os agentes dialogam com a família e tiram todas as dúvidas que surgem. Este acompanhamento vai até o terceiro ano de vida, quando, geralmente, o ciclo se fecha e as mães são recomendadas a darem continuidade às atividades. "Eu me sinto realizada. Quando a gente completa o ciclo, do nascer aos três anos, é uma vitória. E geralmente eu peço que as mães continuem a brincar, a conversar, dar atenção à criança e corrigir também. Tudo que se faz nesse período, da gestação aos três anos, repercute na vida adulta", afirma Regina Célia.

Ampliação

O Cresça com Seu Filho/Criança Feliz atua em mais de 35 bairros das Regionais I, V e VI. Devido ao seu alcance, ao potencial reconhecido e aos números que já foram registrados, em outubro de 2019, foi iniciada a fase de universalização do Programa. A meta é chegar a todas as Regionais.

"A gente começou com capacitações, porque nosso objetivo, na universalização, é capacitar todos os enfermeiros e todos os agentes comunitários de saúde do Município. Todos precisam estar aptos a desenvolver o Programa. Hoje já temos mais 879 agentes de saúde e 145 enfermeiros sendo capacitados e à disposição. O que imaginamos para o futuro é fazer com que todas as crianças tenham acesso aos serviços que a Prefeitura está oferecendo. Um serviço totalmente baseado nas evidências científicas da neurociência. Nossa meta é de que 7 mil crianças sejam acompanhadas mensalmente", disse a coordenadora do Programa, Emanuelle Melo.