10 de maio de 2018 em Economia

Espaço do Artesanato de Fortaleza impulsiona cenário socioeconômico da Capital

Produtos artesanalmente confeccionados reforçam renda de microempreendedores neste Dia das Mães


interior do centro de artesanato da SDE com a exibição dos produtos
O local reúne produtos dos artesãos de Fortaleza cadastrados junto à Secretaria do Desenvolvimento Econômico (SDE)

O fortalecimento dos pequenos negócios em Fortaleza vem transformando positivamente a vida de microempreendedores da Capital. O estímulo ao trabalho de artesãos locais impulsiona o cenário socioeconômico da Cidade por meio de iniciativas provenientes da Secretaria do Desenvolvimento Econômico (SDE),

Nesse sentido, a Prefeitura de Fortaleza desenvolve, mensalmente, o Programa Feiras de Pequenos Negócios. A ação já cadastrou 1.990 artesãos e realizou mais de 1.240 feiras. Desde 2014, o Programa gerou um faturamento aproximado de R$ 4,1 milhões para os pequenos empreendedores. A extensão da iniciativa disponibiliza, ainda, um local fixo onde se encontram exemplares dos produtos comercializados. Trata-se do Espaço do Artesanato, instalado na avenida Santos Dumont, 2500, loja 17.

“A Prefeitura oferece este espaço de apoio, sem fins lucrativos, com estrutura adequada para que os artesãos venham e façam a demonstração dos seus produtos, que são necessariamente fabricados por eles. A nossa curadoria realiza a seleção, recebe os produtos e todo o valor da venda é destinado aos seus autores. É um equipamento que, cada vez mais, recebe novos adeptos. Estamos percebendo a expansão da adesão tanto às feiras quanto a este espaço. Desta forma, além das capacitações, a gente facilita a comunicação com o consumidor final”, esclareceu o coordenador de Empreendedorismo e Sustentabilidade de Negócios da SDE, Valter Gomes, acrescentando a expectativa positiva em torno dos produtos especialmente produzidos para o Dia das Mães. “Para o período, temos produtos variados, capazes de agradar a todos os gostos”, reforçou.

Os esforços desprendidos vêm intensificando, além da renda, a criatividade e a alegria de viver de Aíla Maria Magalhães. Professora aposentada desde 2011, a microempreendedora relembra a trajetória enquanto artesã, iniciada desde a infância, cujas primeiras lições vieram de sua mãe. “Eu fui professora por 33 anos. Mesmo trabalhando dois expedientes, nunca deixei de fazer crochê. Certo período, sofri com depressão. O crochê e o artesanato me mantiveram de pé. Eu fiz especialização na área de Educação Especial e ensinei, durante 15 anos, crianças especiais, desenvolvendo capacidades cognitivas, a concentração, a confecção de arte em madeira, crochê, pintura. Sempre me senti muito bem trabalhando com artesanato”, contou, acrescentando que desenvolve pesquisas e cursos voluntários cujo público-alvo é composto por idosos.

Aíla Maria Magalhães segura uma peça de artesanato
A professora aposentada Aíla Maria Magalhães destacou a relevância da oportunidade que encontrou na Casa do Artesanato

Na oportunidade, Aíla destacou a relevância da oportunidade que encontrou na Casa do Artesanato. “Desde o início, soube que a Casa do Artesanato seria uma porta aberta para o meu trabalho. Aqui, fui recebida de braços abertos. Deixo minhas coisas aqui para vender e, logo que são vendidas, eu recebo uma ligação e venho buscar meu dinheiro. É bom para a minha cabeça. Não estou parada. E ainda estou ganhando dinheiro”, riu.

Os interessados em participar do Programa Feiras de Pequenos Negócios devem se dirigir à sede da SDE, Vapt Vupt Messejana, Vapt Vupt Antônio Bezerra, em uma das Salas do Empreendedor nas Secretarias Regionais ou no Espaço do Artesanato. Para realizar o cadastro é necessário apresentar Identidade (RG), Cadastro de Pessoa Física (CPF), comprovante de endereço e um exemplar do produto artesanal. Mais informações pelo 0800 081 4141.

Catálogo do Artesão

O Catálogo Digital do Artesão (e-Artesão), disponível no site artesao.fortaleza.ce.gov.br, é uma plataforma online onde os artesãos de Fortaleza podem divulgar seus produtos, gerando maior alcance, em uma plataforma totalmente gratuita disponibilizada pela Prefeitura. Com o novo Catálogo Digital, desenvolvido em parceria com a Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação (Citinova), os artesãos de Fortaleza podem expor seus produtos com fotos e descrições, além de divulgar seus contatos profissionais (telefones, redes sociais, e-mails e pontos de vendas). Os artesãos que desejarem difundir seu trabalho no e-Artesão podem procurar a SDE e se cadastrar. O telefone para contato é o 0800 081 4141. Há atendimento, ainda, nas secretarias regionais e no Vapt-Vupt.

Espaço do Artesanato de Fortaleza impulsiona cenário socioeconômico da Capital

Produtos artesanalmente confeccionados reforçam renda de microempreendedores neste Dia das Mães

interior do centro de artesanato da SDE com a exibição dos produtos
O local reúne produtos dos artesãos de Fortaleza cadastrados junto à Secretaria do Desenvolvimento Econômico (SDE)

O fortalecimento dos pequenos negócios em Fortaleza vem transformando positivamente a vida de microempreendedores da Capital. O estímulo ao trabalho de artesãos locais impulsiona o cenário socioeconômico da Cidade por meio de iniciativas provenientes da Secretaria do Desenvolvimento Econômico (SDE),

Nesse sentido, a Prefeitura de Fortaleza desenvolve, mensalmente, o Programa Feiras de Pequenos Negócios. A ação já cadastrou 1.990 artesãos e realizou mais de 1.240 feiras. Desde 2014, o Programa gerou um faturamento aproximado de R$ 4,1 milhões para os pequenos empreendedores. A extensão da iniciativa disponibiliza, ainda, um local fixo onde se encontram exemplares dos produtos comercializados. Trata-se do Espaço do Artesanato, instalado na avenida Santos Dumont, 2500, loja 17.

“A Prefeitura oferece este espaço de apoio, sem fins lucrativos, com estrutura adequada para que os artesãos venham e façam a demonstração dos seus produtos, que são necessariamente fabricados por eles. A nossa curadoria realiza a seleção, recebe os produtos e todo o valor da venda é destinado aos seus autores. É um equipamento que, cada vez mais, recebe novos adeptos. Estamos percebendo a expansão da adesão tanto às feiras quanto a este espaço. Desta forma, além das capacitações, a gente facilita a comunicação com o consumidor final”, esclareceu o coordenador de Empreendedorismo e Sustentabilidade de Negócios da SDE, Valter Gomes, acrescentando a expectativa positiva em torno dos produtos especialmente produzidos para o Dia das Mães. “Para o período, temos produtos variados, capazes de agradar a todos os gostos”, reforçou.

Os esforços desprendidos vêm intensificando, além da renda, a criatividade e a alegria de viver de Aíla Maria Magalhães. Professora aposentada desde 2011, a microempreendedora relembra a trajetória enquanto artesã, iniciada desde a infância, cujas primeiras lições vieram de sua mãe. “Eu fui professora por 33 anos. Mesmo trabalhando dois expedientes, nunca deixei de fazer crochê. Certo período, sofri com depressão. O crochê e o artesanato me mantiveram de pé. Eu fiz especialização na área de Educação Especial e ensinei, durante 15 anos, crianças especiais, desenvolvendo capacidades cognitivas, a concentração, a confecção de arte em madeira, crochê, pintura. Sempre me senti muito bem trabalhando com artesanato”, contou, acrescentando que desenvolve pesquisas e cursos voluntários cujo público-alvo é composto por idosos.

Aíla Maria Magalhães segura uma peça de artesanato
A professora aposentada Aíla Maria Magalhães destacou a relevância da oportunidade que encontrou na Casa do Artesanato

Na oportunidade, Aíla destacou a relevância da oportunidade que encontrou na Casa do Artesanato. “Desde o início, soube que a Casa do Artesanato seria uma porta aberta para o meu trabalho. Aqui, fui recebida de braços abertos. Deixo minhas coisas aqui para vender e, logo que são vendidas, eu recebo uma ligação e venho buscar meu dinheiro. É bom para a minha cabeça. Não estou parada. E ainda estou ganhando dinheiro”, riu.

Os interessados em participar do Programa Feiras de Pequenos Negócios devem se dirigir à sede da SDE, Vapt Vupt Messejana, Vapt Vupt Antônio Bezerra, em uma das Salas do Empreendedor nas Secretarias Regionais ou no Espaço do Artesanato. Para realizar o cadastro é necessário apresentar Identidade (RG), Cadastro de Pessoa Física (CPF), comprovante de endereço e um exemplar do produto artesanal. Mais informações pelo 0800 081 4141.

Catálogo do Artesão

O Catálogo Digital do Artesão (e-Artesão), disponível no site artesao.fortaleza.ce.gov.br, é uma plataforma online onde os artesãos de Fortaleza podem divulgar seus produtos, gerando maior alcance, em uma plataforma totalmente gratuita disponibilizada pela Prefeitura. Com o novo Catálogo Digital, desenvolvido em parceria com a Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação (Citinova), os artesãos de Fortaleza podem expor seus produtos com fotos e descrições, além de divulgar seus contatos profissionais (telefones, redes sociais, e-mails e pontos de vendas). Os artesãos que desejarem difundir seu trabalho no e-Artesão podem procurar a SDE e se cadastrar. O telefone para contato é o 0800 081 4141. Há atendimento, ainda, nas secretarias regionais e no Vapt-Vupt.