02 de dezembro de 2021 em Saúde

Fortaleza alcança 99,6% da população adulta com pelo menos uma ou dose única da vacina contra Covid-19

Com as duas doses ou dose única, a capital cearense já atingiu mais de 91% da população acima de 18 anos


A Prefeitura de Fortaleza alcançou, na quarta-feira (01/12), a marca de 99,6% da população adulta com pelo menos uma dose, ou dose única, da vacina contra a Covid-19. Esse público, na faixa etária acima de 18 anos, representa 1.930.479 pessoas, das quais 91,3% já estão com as duas doses ou dose única do imunizante.

Desde o inicio da campanha de vacinação, em janeiro deste ano, a gestão municipal aplicou 4.216.994 doses, dessas, 2.083.484 equivalentes à primeira dose, 1.853.798 referentes à segunda dose, 32.047 de dose única, e 247.665 foram de terceira dose. Fortaleza segue atendendo a população via agendamento para a segunda e terceira doses. Além disso, já está liberado o atendimento da primeira dose a partir dos 12 anos cadastrados há mais de 24h no Saúde Digital (https://vacinacaocovid.saude.ce.gov.br), em pontos específicos.

“Este índice é o reflexo de todas as estratégias e ações que vêm sendo incansavelmente realizadas pela nossa equipe da saúde, assim como o apoio e liderança do nosso prefeito José Sarto, que não tem medido esforços para aumentar a cobertura vacinal da capital”, destaca a secretária de saúde Ana Estela Leite.

Vacinômetro

A evolução diária da vacinação em Fortaleza pode ser acompanhada no painel completo do Vacinômetro.  Além disso, diariamente, é divulgada a listagem de pessoas agendadas para vacinação no portal https://coronavirus.fortaleza.ce.gov.br/lista-agendados-vacinacao.html.

Comprovante de vacinação

Após o decreto nº 15.178, publicado no Diário Oficial do Município, que condiciona à apresentação de comprovante de vacinação para ingressar em eventos em geral, restaurantes, bares e barracas de praia, dentre outros locais, tem sido registrado o aumento na procura pela vacinação. “É fundamental que a população complete seu esquema vacinal”, reforça Ana Estela.

O comprovante — para atestar a aplicação da dose única, das duas doses ou das três doses — pode ser apresentado de forma física (cartão de vacinação) ou digital. Por meio do ConecteSUS (conectesus.saude.gov.br), do Ministério da Saúde, ou do aplicativo Ceará App, do Governo do Estado, é possível emitir o Certificado Nacional de Vacinação Covid-19. Outra opção válida é o Comprovante de Vacinação, gerado por meio do site Vacine Já (https://vacineja.sepog.fortaleza.ce.gov.br), também disponível no App Mais Saúde Fortaleza.

Terceira dose

A Prefeitura de Fortaleza segue aplicando a terceira dose via agendamento, em idosos, população geral, abaixo de 60 anos, trabalhadores da saúde, e nos imunossuprimidos. Atualmente, o imunizante aplicado neste público é o da marca Pfizer, conforme disponibilizado pelo Ministério da Saúde. 

O agendamento deste público ocorre obedecendo ao intervalo de tempo de 150 dias (5 meses), entre a segunda e a terceira dose, exceto os imunossuprimidos, no qual o intervalo é de 28 dias, conforme preconizado pelo Ministério da Saúde.

Fortaleza alcança 99,6% da população adulta com pelo menos uma ou dose única da vacina contra Covid-19

Com as duas doses ou dose única, a capital cearense já atingiu mais de 91% da população acima de 18 anos

A Prefeitura de Fortaleza alcançou, na quarta-feira (01/12), a marca de 99,6% da população adulta com pelo menos uma dose, ou dose única, da vacina contra a Covid-19. Esse público, na faixa etária acima de 18 anos, representa 1.930.479 pessoas, das quais 91,3% já estão com as duas doses ou dose única do imunizante.

Desde o inicio da campanha de vacinação, em janeiro deste ano, a gestão municipal aplicou 4.216.994 doses, dessas, 2.083.484 equivalentes à primeira dose, 1.853.798 referentes à segunda dose, 32.047 de dose única, e 247.665 foram de terceira dose. Fortaleza segue atendendo a população via agendamento para a segunda e terceira doses. Além disso, já está liberado o atendimento da primeira dose a partir dos 12 anos cadastrados há mais de 24h no Saúde Digital (https://vacinacaocovid.saude.ce.gov.br), em pontos específicos.

“Este índice é o reflexo de todas as estratégias e ações que vêm sendo incansavelmente realizadas pela nossa equipe da saúde, assim como o apoio e liderança do nosso prefeito José Sarto, que não tem medido esforços para aumentar a cobertura vacinal da capital”, destaca a secretária de saúde Ana Estela Leite.

Vacinômetro

A evolução diária da vacinação em Fortaleza pode ser acompanhada no painel completo do Vacinômetro.  Além disso, diariamente, é divulgada a listagem de pessoas agendadas para vacinação no portal https://coronavirus.fortaleza.ce.gov.br/lista-agendados-vacinacao.html.

Comprovante de vacinação

Após o decreto nº 15.178, publicado no Diário Oficial do Município, que condiciona à apresentação de comprovante de vacinação para ingressar em eventos em geral, restaurantes, bares e barracas de praia, dentre outros locais, tem sido registrado o aumento na procura pela vacinação. “É fundamental que a população complete seu esquema vacinal”, reforça Ana Estela.

O comprovante — para atestar a aplicação da dose única, das duas doses ou das três doses — pode ser apresentado de forma física (cartão de vacinação) ou digital. Por meio do ConecteSUS (conectesus.saude.gov.br), do Ministério da Saúde, ou do aplicativo Ceará App, do Governo do Estado, é possível emitir o Certificado Nacional de Vacinação Covid-19. Outra opção válida é o Comprovante de Vacinação, gerado por meio do site Vacine Já (https://vacineja.sepog.fortaleza.ce.gov.br), também disponível no App Mais Saúde Fortaleza.

Terceira dose

A Prefeitura de Fortaleza segue aplicando a terceira dose via agendamento, em idosos, população geral, abaixo de 60 anos, trabalhadores da saúde, e nos imunossuprimidos. Atualmente, o imunizante aplicado neste público é o da marca Pfizer, conforme disponibilizado pelo Ministério da Saúde. 

O agendamento deste público ocorre obedecendo ao intervalo de tempo de 150 dias (5 meses), entre a segunda e a terceira dose, exceto os imunossuprimidos, no qual o intervalo é de 28 dias, conforme preconizado pelo Ministério da Saúde.