Fortaleza em Bairros é nova ferramenta de consulta do Iplanfor

22 de dezembro de 2020 em Gestão

Fortaleza em Bairros é nova ferramenta de consulta do Iplanfor

As primeiras informações foram divididas em nove temas


Após identificar uma demanda crescente, tanto da população quanto do poder público, por dados socioeconômicos e cartográficos, organizados, sobre os bairros da capital, o Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor) disponibilizou o site Fortaleza em Bairros, mais uma ferramenta de pesquisa em sua plataforma on-line. 

A ferramenta foi criada diante da necessidade de reunir dados específicos sobre cada um dos 121 bairros de Fortaleza, retratando sua dinâmica e a oferta e disponibilização de equipamentos públicos existentes em cada um deles, tanto os municipais, estaduais como os federais.

Livia Fernandes, analista de Planejamento e Gestão do Iplanfor, lembra que os dados poderão ser úteis tanto para o público interno da Prefeitura (arquitetos, economistas e técnicos) como externo, permitindo que a população conheça os equipamentos existentes em seus bairros ou territórios. “A ideia é, com o tempo, ir inserindo mais informações, inclusive trazendo a História de cada bairro. O público poderá participar através do canal Fale Conosco, enviando sugestões, críticas ou mais informações para serem incluídas”, diz a economista.

O Fortaleza em Bairros a é um trabalho conjunto entre as diretorias de Planejamento (Dipla) e de Sistemas de Informações do Iplanfor (Disin).

As primeiras informações foram divididas em nove temas: População; Meio Ambiente; Saúde; Educação; Proteção Social; Mobilidade; Infraestrutura e Legislação; Economia; Cultura e Lazer. Como a ferramenta ainda está em construção, por isso é definida como uma versão-piloto, ela traz neste início as informações básicas de cada bairro, como IDH (índice de Desenvolvimento Humano), população, densidade, área e perímetro, e a qual das 12 regionais ou 39 territórios o bairro pertence, dentre outras informações.

Os dados servem para embasar projetos de órgãos públicos, tanto de Fortaleza como do governo do Estado, bem como as discussões nos territórios. “Isso é uma vitória, pois antes havia muitos conflitos cartográficos entre os bairros. Significa que diferentes órgãos, como IBGE, Correios e secretarias municipais e estaduais, tinham diferentes mapas, o que colocava alguns equipamentos em bairros ou territórios diferentes, ou eles apareciam em mais de um bairro. Isso fragilizava os dados socioeconômicos, censitários, onde a precisão dessas informações é muito importante para orientar políticas públicas”, observa Larissa Menescal, analista de Planejamento do Iplanfor.

 

Fortaleza em Bairros é nova ferramenta de consulta do Iplanfor

As primeiras informações foram divididas em nove temas

Após identificar uma demanda crescente, tanto da população quanto do poder público, por dados socioeconômicos e cartográficos, organizados, sobre os bairros da capital, o Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor) disponibilizou o site Fortaleza em Bairros, mais uma ferramenta de pesquisa em sua plataforma on-line. 

A ferramenta foi criada diante da necessidade de reunir dados específicos sobre cada um dos 121 bairros de Fortaleza, retratando sua dinâmica e a oferta e disponibilização de equipamentos públicos existentes em cada um deles, tanto os municipais, estaduais como os federais.

Livia Fernandes, analista de Planejamento e Gestão do Iplanfor, lembra que os dados poderão ser úteis tanto para o público interno da Prefeitura (arquitetos, economistas e técnicos) como externo, permitindo que a população conheça os equipamentos existentes em seus bairros ou territórios. “A ideia é, com o tempo, ir inserindo mais informações, inclusive trazendo a História de cada bairro. O público poderá participar através do canal Fale Conosco, enviando sugestões, críticas ou mais informações para serem incluídas”, diz a economista.

O Fortaleza em Bairros a é um trabalho conjunto entre as diretorias de Planejamento (Dipla) e de Sistemas de Informações do Iplanfor (Disin).

As primeiras informações foram divididas em nove temas: População; Meio Ambiente; Saúde; Educação; Proteção Social; Mobilidade; Infraestrutura e Legislação; Economia; Cultura e Lazer. Como a ferramenta ainda está em construção, por isso é definida como uma versão-piloto, ela traz neste início as informações básicas de cada bairro, como IDH (índice de Desenvolvimento Humano), população, densidade, área e perímetro, e a qual das 12 regionais ou 39 territórios o bairro pertence, dentre outras informações.

Os dados servem para embasar projetos de órgãos públicos, tanto de Fortaleza como do governo do Estado, bem como as discussões nos territórios. “Isso é uma vitória, pois antes havia muitos conflitos cartográficos entre os bairros. Significa que diferentes órgãos, como IBGE, Correios e secretarias municipais e estaduais, tinham diferentes mapas, o que colocava alguns equipamentos em bairros ou territórios diferentes, ou eles apareciam em mais de um bairro. Isso fragilizava os dados socioeconômicos, censitários, onde a precisão dessas informações é muito importante para orientar políticas públicas”, observa Larissa Menescal, analista de Planejamento do Iplanfor.