19 de maio de 2017 em Mobilidade

Prefeito Roberto Cláudio anuncia nova parceria com a Fundação Bloomberg e o projeto "Condutor da Esperança"

Objetivo é o aprimoramento da configuração da mobilidade urbana


Condutor Esperança
Deverá ser promovido um cenário que concilie a prática de atividades físicas a ações de segurança viária (Foto: Kiko Silva)

O prefeito Roberto Cláudio anunciou, nesta sexta-feira (19/05), nova parceria com a fundação norte americana Bloomberg Philanthropies. A ação, realizada na Escola de Mobilidade Urbana da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), promove a inclusão do município de Fortaleza na rede "Parceria por Cidades Saudáveis" (Partnership for Healthy Cities, em inglês), composta por 40 cidades do mundo. Dentre os objetivos da iniciativa, está o aprimoramento da configuração da mobilidade urbana da Capital por meio da união de esforços capazes de promover soluções sustentáveis, seguras e saudáveis.

A parceria, apoiada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), amplia as políticas de segurança viária desenvolvidas pela Prefeitura de Fortaleza, fomentadas pela já em exercício participação na "Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global".

Nesse sentido, irão se aprimorar, ao longo dos próximos 18 meses, oportunidades relacionadas à construção de um desenho urbano favorável. A expectativa é de promoção de um cenário que concilie a prática de atividades físicas a ações de segurança viária, prevenindo, dessa forma, doenças e lesões decorrentes de acidentes de trânsito, principal causa de morte no Brasil entre jovens de 15 a 30 anos de idade.

"Queremos tornar Fortaleza a cidade mais ciclável, mais preparada para a atividade no Brasil. Isso vai envolver a ampliação de ciclovias e ciclofaixas, a expansão de estações de bicicletar, transformar as ciclovias já existentes em espaços mais seguros. O estímulo ao uso da bicicleta é saudável para as pessoas, para a Cidade e para o meio ambiente", comentou o prefeito Roberto Cláudio.

O secretário executivo de Conservação e Serviços Públicos de Fortaleza, Luiz Alberto Saboia, acompanhou o evento e destacou pontos favoráveis das ações relacionadas à prática do ciclismo na Cidade. "Além dos benefícios urbanos, a prática de atividades físicas combate às doenças advindas do sedentarismo, obesidade, problemas cardiovasculares, pressão alta, doenças não transmissíveis, que acometem cerca de 86% da população brasileira. E esse projeto visa, além combater acidentes no trânsito, melhorar as condições de saúde das pessoas por meio do estímulo ao exercício", disse.

Projeto Condutor da Esperança
Na ocasião, o Prefeito apresentou, ainda, o projeto "Condutor da Esperança". A iniciativa, que compõe as ações da campanha "Maio Amarelo", tem o objetivo de aproximar setores empresariais e industriais da Cidade, buscando promover o uso sustentável dos espaços públicos.

Realizada em parceria com o Estar Urbano, a ação apresenta a Escola de Mobilidade Urbana da AMC como laboratório e espaço para discussão de novas soluções para uma cidade mais humana, democrática e acessível. Dentre as ações previstas, estão a recuperação de calçadas, a construção de bancos, o estabelecimento de ciclofaixas e ciclovias, além da implantação de sinalização para os pedestres.

O projeto trabalha com três eixos de atuação: Cidade Criativa, Cidade Gentil e Cidade Consciente, envolvendo pessoas e entidades com diversas dimensões ligadas à mobilidade, considerando as diretrizes da equidade, da habitalidade e do meio ambiente.

"Queremos estimular o cidadão, seja através de organização comunitária ou de empresas privadas, a intervir no espaço público de forma qualificada e treinada por nós, produzindo espaços muito mais amigáveis para a cidadania e, principalmente, para o pedestre", ressaltou o Prefeito.

O superintendente da AMC, Arcelino Lima, mostrou-se otimista em relação aos resultados já alcançados por meio das ações de mobilidade implantadas em Fortaleza. "Já há a redução de 36% das mortes no trânsito da Cidade. Em relação à morte de ciclistas, a redução percentual já atinge aproximadamente 60%, mas ainda temos cerca de 300 mortes por ano, quantidade que precisa ser combatida. A sociedade precisa abraçar a causa no sentido de contribuir com a Prefeitura na redução do sofrimento das famílias e no elevado custo público. Dessa forma, podemos pensar a Cidade juntos", alertou.

Prefeito Roberto Cláudio anuncia nova parceria com a Fundação Bloomberg e o projeto "Condutor da Esperança"

Objetivo é o aprimoramento da configuração da mobilidade urbana

Condutor Esperança
Deverá ser promovido um cenário que concilie a prática de atividades físicas a ações de segurança viária (Foto: Kiko Silva)

O prefeito Roberto Cláudio anunciou, nesta sexta-feira (19/05), nova parceria com a fundação norte americana Bloomberg Philanthropies. A ação, realizada na Escola de Mobilidade Urbana da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), promove a inclusão do município de Fortaleza na rede "Parceria por Cidades Saudáveis" (Partnership for Healthy Cities, em inglês), composta por 40 cidades do mundo. Dentre os objetivos da iniciativa, está o aprimoramento da configuração da mobilidade urbana da Capital por meio da união de esforços capazes de promover soluções sustentáveis, seguras e saudáveis.

A parceria, apoiada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), amplia as políticas de segurança viária desenvolvidas pela Prefeitura de Fortaleza, fomentadas pela já em exercício participação na "Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global".

Nesse sentido, irão se aprimorar, ao longo dos próximos 18 meses, oportunidades relacionadas à construção de um desenho urbano favorável. A expectativa é de promoção de um cenário que concilie a prática de atividades físicas a ações de segurança viária, prevenindo, dessa forma, doenças e lesões decorrentes de acidentes de trânsito, principal causa de morte no Brasil entre jovens de 15 a 30 anos de idade.

"Queremos tornar Fortaleza a cidade mais ciclável, mais preparada para a atividade no Brasil. Isso vai envolver a ampliação de ciclovias e ciclofaixas, a expansão de estações de bicicletar, transformar as ciclovias já existentes em espaços mais seguros. O estímulo ao uso da bicicleta é saudável para as pessoas, para a Cidade e para o meio ambiente", comentou o prefeito Roberto Cláudio.

O secretário executivo de Conservação e Serviços Públicos de Fortaleza, Luiz Alberto Saboia, acompanhou o evento e destacou pontos favoráveis das ações relacionadas à prática do ciclismo na Cidade. "Além dos benefícios urbanos, a prática de atividades físicas combate às doenças advindas do sedentarismo, obesidade, problemas cardiovasculares, pressão alta, doenças não transmissíveis, que acometem cerca de 86% da população brasileira. E esse projeto visa, além combater acidentes no trânsito, melhorar as condições de saúde das pessoas por meio do estímulo ao exercício", disse.

Projeto Condutor da Esperança
Na ocasião, o Prefeito apresentou, ainda, o projeto "Condutor da Esperança". A iniciativa, que compõe as ações da campanha "Maio Amarelo", tem o objetivo de aproximar setores empresariais e industriais da Cidade, buscando promover o uso sustentável dos espaços públicos.

Realizada em parceria com o Estar Urbano, a ação apresenta a Escola de Mobilidade Urbana da AMC como laboratório e espaço para discussão de novas soluções para uma cidade mais humana, democrática e acessível. Dentre as ações previstas, estão a recuperação de calçadas, a construção de bancos, o estabelecimento de ciclofaixas e ciclovias, além da implantação de sinalização para os pedestres.

O projeto trabalha com três eixos de atuação: Cidade Criativa, Cidade Gentil e Cidade Consciente, envolvendo pessoas e entidades com diversas dimensões ligadas à mobilidade, considerando as diretrizes da equidade, da habitalidade e do meio ambiente.

"Queremos estimular o cidadão, seja através de organização comunitária ou de empresas privadas, a intervir no espaço público de forma qualificada e treinada por nós, produzindo espaços muito mais amigáveis para a cidadania e, principalmente, para o pedestre", ressaltou o Prefeito.

O superintendente da AMC, Arcelino Lima, mostrou-se otimista em relação aos resultados já alcançados por meio das ações de mobilidade implantadas em Fortaleza. "Já há a redução de 36% das mortes no trânsito da Cidade. Em relação à morte de ciclistas, a redução percentual já atinge aproximadamente 60%, mas ainda temos cerca de 300 mortes por ano, quantidade que precisa ser combatida. A sociedade precisa abraçar a causa no sentido de contribuir com a Prefeitura na redução do sofrimento das famílias e no elevado custo público. Dessa forma, podemos pensar a Cidade juntos", alertou.