12 de março de 2019 em Fortaleza

Prefeito Roberto Cláudio assina ordem de serviço para construção de Centro Cultural no Canindezinho

Equipamento é fruto de Parceria Público-Privada e irá beneficiar principalmente a juventude


OS
Estrutura ofertará serviços, atividades culturais e esportivas para a população do bairro e do seu entorno (Foto: Rodrigo Carvalho)
O prefeito Roberto Cláudio assinou, nesta terça-feira (12/03), a ordem de serviço para a construção do Centro Cultural na Avenida Osório de Paiva, no bairro Canindezinho (Regional V). O novo equipamento contará com 7.638,70 m² de área e ofertará serviços, atividades culturais e esportivas para a população do bairro e do seu entorno. A construção será iniciada ainda neste mês de março, com execução da Secretaria Municipal da Infraestrutura (Seinf) e previsão de conclusão das obras para o segundo semestre de 2019.

O projeto prevê salas multiuso, quadra poliesportiva coberta e quadra de futsal, academia ao ar livre, anfiteatro, parque infantil, academias de dança e artes marciais mistas, bloco educacional, área administrativa e almoxarifado. O local contará, ainda, com horta comunitária e farmácia viva, além de atender às normas de acessibilidade.

O Centro Cultural foi eleito pela comunidade como uma prioridade para a aplicação dos recursos da contrapartida da Operação Urbana Consorciada (OUC) Osório de Paiva, regida pela Lei 10.403, de 03 de outubro de 2015, que viabilizou a instalação do supermercado Atacadão, empreendimento que vem gerando emprego e renda para a comunidade local. A contrapartida contemplou investimento de cerca de R$ 2,3 milhões, de acordo com a titular da Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), Águeda Muniz, justamente o orçamento do novo equipamento.

A estrutura será instalada em terreno doado pela iniciativa privada para a Prefeitura de Fortaleza, ao lado do supermercado, visando implantar a contrapartida da OUC na poligonal onde a operação está inserida. "Esse é o grande presente que essa operação urbana traz, mostrando que a parceria entre a iniciativa privada e o setor público é extremamente benéfica para os cidadãos e para a cidade de Fortaleza", disse Águeda.

A titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinf), Manuela Nogueira, também o êxito da Parceria Público-Privada, destacando também o envolvimento da comunidade. "É mais um equipamento cultural e de esporte para a juventude. Contamos com a população para nos ajudar a fiscalizar a obra", disse.

Gestão
Conforme o prefeito Roberto Cláudio, a gestão do equipamento será realizada pela Coordenadoria de Juventude, que irá elaborar uma programação específica voltada para esse público; em parceria com as secretarias de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) e Regional V. A comunidade do território também participará do gerenciamento, de forma que rede de oportunidades e proteção social para a juventude e a comunidade se amplie e fortaleça.

O prefeito elogiou o engajamento da comunidade do Canindezinho, Siqueira e Grande Bom Jardim para a definição e elaboração do programa de necessidades do equipamento. “Será um espaço para a promoção do esporte, do lazer e da cultura. A educação e as oportunidades para a juventude são o caminho para a gente prevenir concretamente a violência”, disse.

O presidente da Associação Comunitária Delmiro Gouveia, Gildo Fakolaji, conta que participou da iniciativa coletiva de protocolar o pedido do equipamento junto à Seuma e dar os primeiros passos para mobilizar e envolver a comunidade. “Escrevemos esse projeto do Centro Cultural visto que nos arredores do Siqueira não temos nada assim. A expectativa é das melhores, agora só temos que agradecer a gestão da Prefeitura”.

“Esse Centro Cultural é de enorme importância para a comunidade do Canindezinho e adjacências e, principalmente, para os jovens daqui, que hoje têm que ir para outros espaços que acolhem cultura, em bairros mais distantes, pela falta de um espaço para a ação dos grupos artísticos, para o hip hop, para a música, para os ensaios do nosso grupo de quadrilha junina. A comunidade só tem a ganhar”, afirma Bernardete Souza, articuladora social e Coordenadora do Centro Popular de Educação e Cultura Pé no Chão.

Operação Urbano Consorciada
A Operação Urbana Consorciada (OUC), prevista no Estatuto da Cidade, prevê transformações urbanísticas, sociais e ambientais, em áreas degradadas ou subutilizadas da Capital. A relevância de uma OUC é o estabelecimento de uma parceria público-privada, onde, por meio de instrumentos legais, regulamentados pela constituição, as cidades tendem a ganhar qualidade de vida urbana, em especial para seus cidadãos.

“Fortaleza já conta com sete OUCs, entre consolidadas e em andamento. São elas: OUC Papicu; OUC Maceió; OUC Sítio Tunga; Jóquei Clube; Dunas do Cocó; OUC Lagoa da Sapiranga e OUC Osório de Paiva”, afirma a secretária Águeda Muniz.

Prefeito Roberto Cláudio assina ordem de serviço para construção de Centro Cultural no Canindezinho

Equipamento é fruto de Parceria Público-Privada e irá beneficiar principalmente a juventude

OS
Estrutura ofertará serviços, atividades culturais e esportivas para a população do bairro e do seu entorno (Foto: Rodrigo Carvalho)
O prefeito Roberto Cláudio assinou, nesta terça-feira (12/03), a ordem de serviço para a construção do Centro Cultural na Avenida Osório de Paiva, no bairro Canindezinho (Regional V). O novo equipamento contará com 7.638,70 m² de área e ofertará serviços, atividades culturais e esportivas para a população do bairro e do seu entorno. A construção será iniciada ainda neste mês de março, com execução da Secretaria Municipal da Infraestrutura (Seinf) e previsão de conclusão das obras para o segundo semestre de 2019.

O projeto prevê salas multiuso, quadra poliesportiva coberta e quadra de futsal, academia ao ar livre, anfiteatro, parque infantil, academias de dança e artes marciais mistas, bloco educacional, área administrativa e almoxarifado. O local contará, ainda, com horta comunitária e farmácia viva, além de atender às normas de acessibilidade.

O Centro Cultural foi eleito pela comunidade como uma prioridade para a aplicação dos recursos da contrapartida da Operação Urbana Consorciada (OUC) Osório de Paiva, regida pela Lei 10.403, de 03 de outubro de 2015, que viabilizou a instalação do supermercado Atacadão, empreendimento que vem gerando emprego e renda para a comunidade local. A contrapartida contemplou investimento de cerca de R$ 2,3 milhões, de acordo com a titular da Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), Águeda Muniz, justamente o orçamento do novo equipamento.

A estrutura será instalada em terreno doado pela iniciativa privada para a Prefeitura de Fortaleza, ao lado do supermercado, visando implantar a contrapartida da OUC na poligonal onde a operação está inserida. "Esse é o grande presente que essa operação urbana traz, mostrando que a parceria entre a iniciativa privada e o setor público é extremamente benéfica para os cidadãos e para a cidade de Fortaleza", disse Águeda.

A titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinf), Manuela Nogueira, também o êxito da Parceria Público-Privada, destacando também o envolvimento da comunidade. "É mais um equipamento cultural e de esporte para a juventude. Contamos com a população para nos ajudar a fiscalizar a obra", disse.

Gestão
Conforme o prefeito Roberto Cláudio, a gestão do equipamento será realizada pela Coordenadoria de Juventude, que irá elaborar uma programação específica voltada para esse público; em parceria com as secretarias de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) e Regional V. A comunidade do território também participará do gerenciamento, de forma que rede de oportunidades e proteção social para a juventude e a comunidade se amplie e fortaleça.

O prefeito elogiou o engajamento da comunidade do Canindezinho, Siqueira e Grande Bom Jardim para a definição e elaboração do programa de necessidades do equipamento. “Será um espaço para a promoção do esporte, do lazer e da cultura. A educação e as oportunidades para a juventude são o caminho para a gente prevenir concretamente a violência”, disse.

O presidente da Associação Comunitária Delmiro Gouveia, Gildo Fakolaji, conta que participou da iniciativa coletiva de protocolar o pedido do equipamento junto à Seuma e dar os primeiros passos para mobilizar e envolver a comunidade. “Escrevemos esse projeto do Centro Cultural visto que nos arredores do Siqueira não temos nada assim. A expectativa é das melhores, agora só temos que agradecer a gestão da Prefeitura”.

“Esse Centro Cultural é de enorme importância para a comunidade do Canindezinho e adjacências e, principalmente, para os jovens daqui, que hoje têm que ir para outros espaços que acolhem cultura, em bairros mais distantes, pela falta de um espaço para a ação dos grupos artísticos, para o hip hop, para a música, para os ensaios do nosso grupo de quadrilha junina. A comunidade só tem a ganhar”, afirma Bernardete Souza, articuladora social e Coordenadora do Centro Popular de Educação e Cultura Pé no Chão.

Operação Urbano Consorciada
A Operação Urbana Consorciada (OUC), prevista no Estatuto da Cidade, prevê transformações urbanísticas, sociais e ambientais, em áreas degradadas ou subutilizadas da Capital. A relevância de uma OUC é o estabelecimento de uma parceria público-privada, onde, por meio de instrumentos legais, regulamentados pela constituição, as cidades tendem a ganhar qualidade de vida urbana, em especial para seus cidadãos.

“Fortaleza já conta com sete OUCs, entre consolidadas e em andamento. São elas: OUC Papicu; OUC Maceió; OUC Sítio Tunga; Jóquei Clube; Dunas do Cocó; OUC Lagoa da Sapiranga e OUC Osório de Paiva”, afirma a secretária Águeda Muniz.