20 de setembro de 2018 em Economia

Prefeito Roberto Cláudio discute lançamento de novos cabos de fibra ótica com República de Camarões

O cabeamento conecta o Brasil ao país africano e deverá desenvolver, em Fortaleza, um novo Hub de telecomunicações


Reunião
O prefeito Roberto Cláudio destacou que esta é uma oportunidade, ainda, de trocar informações e detectar outros potenciais entre Fortaleza e Camarões (Foto: Rodrigo Carvalho)

O prefeito Roberto Cláudio recebeu, na tarde desta quinta-feira (20/09), no Paço Municipal, uma delegação da República de Camarões composta pelo embaixador de Camarões no Brasil, Martin Agbor Mbeng; o diretor de Negócio das Américas, Oumarou Chinmoun; o coordenador nacional do projeto de implementação de fibra ótica entre Camarões e o Brasil, Paul Ndjonga; o chefe do Serviço de Assuntos Politicos para a América do Sul no Ministério de Relações Exteriores da República dos Camarões, Paulin Martial Tchenzette; e o primeiro-secretário na Embaixada da República dos Camarões, Frédéric Francis Seme Ndoume. A coordenadora Especial de Relações Internacionais e Federativas do Município, Patrícia Macedo, também participou da reunião.

A pauta foi o lançamento do novo cabo de fibra ótica submarino SAIL, cuja instalação, finalizada em 4 de setembro, realiza uma nova ligação entre o Brasil e o continente africano. Este é o segundo cabo instalado em Fortaleza que liga o Brasil a África. O grupo também esteve reunido, na última quarta-feira (19/09), com representantes do Governo Federal em Brasília. A instalação do cabo dá início a um estreitamento das relações entre o Brasil e Camarões, consolidando-se brevemente como uma oportunidade de crescimento das economias por meio de um novo Hub de telecomunicações.

O interesse da República de Camarões em Fortaleza, conforme o embaixador MBeng, é estratégico devido a localização da Cidade em relação ao continente africano, envolvendo também outros países da África. Ele espera que o funcionamento dos cabos seja iniciado em novembro deste ano. "Gostaríamos de contar com a Prefeitura de Fortaleza para realizar este lançamento simultaneamente dos dois lados do Atlântico e se envolver a longo prazo neste processo, levando esta parceria a outro nível", disse.

O prefeito Roberto Cláudio pontuou que esta é uma oportunidade, ainda, de trocar informações e detectar outros potenciais entre Fortaleza e Camarões, prestando total apoio ao projeto. "A comunicação que antes precisava passar pela estrutura nos Estados Unidos agora poderá, portanto, vir direto para o Brasil de forma mais rápida e mais eficiente".

Sobre a nova instalação
A instalação dos quatro pares de cabos de fibra ótica tiveram financiamento de empresas da China (China Unicom e Huawei) e de Camarões (CamTel), com companhia de telecomunicações espanhola (Telefónica) também parcialmente no fornecimento. Com capacidade inicial de 32 terabits por segundo, o cabo tem cerca de 6 mil km de extensão, atravessando Oceano Atlântico de Fortaleza (Brasil) a Kribi (Camarões). A ligação Brasil-África deverá se interconectar, ainda, com 11 cabos terrestres da entidade chinesa que atravessam o Oriente Médio. A expectativa é a geração de pelo menos 45 milhões de dólares por mês.

Prefeito Roberto Cláudio discute lançamento de novos cabos de fibra ótica com República de Camarões

O cabeamento conecta o Brasil ao país africano e deverá desenvolver, em Fortaleza, um novo Hub de telecomunicações

Reunião
O prefeito Roberto Cláudio destacou que esta é uma oportunidade, ainda, de trocar informações e detectar outros potenciais entre Fortaleza e Camarões (Foto: Rodrigo Carvalho)

O prefeito Roberto Cláudio recebeu, na tarde desta quinta-feira (20/09), no Paço Municipal, uma delegação da República de Camarões composta pelo embaixador de Camarões no Brasil, Martin Agbor Mbeng; o diretor de Negócio das Américas, Oumarou Chinmoun; o coordenador nacional do projeto de implementação de fibra ótica entre Camarões e o Brasil, Paul Ndjonga; o chefe do Serviço de Assuntos Politicos para a América do Sul no Ministério de Relações Exteriores da República dos Camarões, Paulin Martial Tchenzette; e o primeiro-secretário na Embaixada da República dos Camarões, Frédéric Francis Seme Ndoume. A coordenadora Especial de Relações Internacionais e Federativas do Município, Patrícia Macedo, também participou da reunião.

A pauta foi o lançamento do novo cabo de fibra ótica submarino SAIL, cuja instalação, finalizada em 4 de setembro, realiza uma nova ligação entre o Brasil e o continente africano. Este é o segundo cabo instalado em Fortaleza que liga o Brasil a África. O grupo também esteve reunido, na última quarta-feira (19/09), com representantes do Governo Federal em Brasília. A instalação do cabo dá início a um estreitamento das relações entre o Brasil e Camarões, consolidando-se brevemente como uma oportunidade de crescimento das economias por meio de um novo Hub de telecomunicações.

O interesse da República de Camarões em Fortaleza, conforme o embaixador MBeng, é estratégico devido a localização da Cidade em relação ao continente africano, envolvendo também outros países da África. Ele espera que o funcionamento dos cabos seja iniciado em novembro deste ano. "Gostaríamos de contar com a Prefeitura de Fortaleza para realizar este lançamento simultaneamente dos dois lados do Atlântico e se envolver a longo prazo neste processo, levando esta parceria a outro nível", disse.

O prefeito Roberto Cláudio pontuou que esta é uma oportunidade, ainda, de trocar informações e detectar outros potenciais entre Fortaleza e Camarões, prestando total apoio ao projeto. "A comunicação que antes precisava passar pela estrutura nos Estados Unidos agora poderá, portanto, vir direto para o Brasil de forma mais rápida e mais eficiente".

Sobre a nova instalação
A instalação dos quatro pares de cabos de fibra ótica tiveram financiamento de empresas da China (China Unicom e Huawei) e de Camarões (CamTel), com companhia de telecomunicações espanhola (Telefónica) também parcialmente no fornecimento. Com capacidade inicial de 32 terabits por segundo, o cabo tem cerca de 6 mil km de extensão, atravessando Oceano Atlântico de Fortaleza (Brasil) a Kribi (Camarões). A ligação Brasil-África deverá se interconectar, ainda, com 11 cabos terrestres da entidade chinesa que atravessam o Oriente Médio. A expectativa é a geração de pelo menos 45 milhões de dólares por mês.