Prefeito Roberto Cláudio participa de júri do evento Hackaton

09 de setembro de 2019 em Turismo

Prefeito Roberto Cláudio participa de júri do evento Hackaton

Projetos de desenvolvimento social para o bairro foram apresentados por moradores e estudantes da Unifor


várias pessoas posando para a foto
Os três projetos vencedores levaram, além de R$ 5 mil por participante, financiamento e mentoria para seu desenvolvimento 

O prefeito Roberto Cláudio participou, neste domingo (08/09), do júri de projetos do Hackaton, evento que reuniu 20 moradores do Bom Jardim e 20 alunos de pós-graduação da Universidade de Fortaleza (Unifor) para produzir ideias inovadoras, com o intuito de transformar a realidade do bairro. A maratona reuniu os participantes durante três dias na Escola Maria Alves Carioca em uma imersão sobre empreendedorismo, desenvolvendo ideias criativas para o mercado.

Para Roberto Cláudio, o evento se traduz em uma dupla motivação: a do universitário poder viver um contexto social e economicamente desafiador, além de poder aplicar a prática dos estudos no mundo concreto. Do outro lado, para o Bom Jardim, ter esse braço metodológico e científico de como poder trabalhar a indignação, o desejo e a vontade e transformar em algo real. "Este projeto traz, para o bairro, uma nova animação. Um bairro super vanguardista e, a despeito de muitos problemas, no Bom Jardim se criou um capital social único. Essa união entre academia e comunidade tem um grande potencial em ser catalisado em mudança social", afirmou o prefeito.

A empresária Ticiana Queiroz, responsável pela iniciativa e idealizadora do modelo de negócios Somos Um, explica que a metodologia do projeto consiste em trabalhar realizando as metas das Objetivos de Desenvolvimento Social (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). “Desde sexta-feira estamos criando negócios, em uma maratona de empreendedorismo, que gerem impacto na sociedade do Bom Jardim. Os negócios foram criados do zero, e atendem critérios como viabilidade financeira, impacto e conexão com o ODS”, explicou.

homem posa sentado ao lado de um computador
O artista plástico Elinaudo Barbosa participou do Hackaton com um projeto sobre auto responsabilidade e crescimento da autoestima 

Um exemplo é o trabalho realizado pelo grupo do qual participa o artista plástico Elinaudo Barbosa: um projeto sobre auto responsabilidade e crescimento da autoestima. Segundo ele, esse é um fator que influencia diretamente no desenvolvimento do bairro Bom Jardim. “É um aplicativo, um processo ‘gamificado’ no qual a pessoa passa por fases. O nosso referencial de êxito é quando se cruza a ponte do Bom Jardim, que representa a divisão entre o bairro e o resto da Cidade. A pessoa desenvolve um projeto de vida e identifica o seu propósito, buscando a realização pessoal e profissional”, descreveu.

Os três projetos vencedores levaram, além de R$ 5 mil por participante, financiamento e mentoria para seu desenvolvimento. Foram selecionados iniciativas dos ODS Saúde, Educação de Qualidade e Paz e Justiça.

“O que muda é a vontade de fazer somada a um método diferente. Talvez, saiam daqui sementes que vão florescer em negócios, em transformações sociais, em projetos novos, esst é a nossa esperança”, disse Roberto Cláudio.

Prefeito Roberto Cláudio participa de júri do evento Hackaton

Projetos de desenvolvimento social para o bairro foram apresentados por moradores e estudantes da Unifor

várias pessoas posando para a foto
Os três projetos vencedores levaram, além de R$ 5 mil por participante, financiamento e mentoria para seu desenvolvimento 

O prefeito Roberto Cláudio participou, neste domingo (08/09), do júri de projetos do Hackaton, evento que reuniu 20 moradores do Bom Jardim e 20 alunos de pós-graduação da Universidade de Fortaleza (Unifor) para produzir ideias inovadoras, com o intuito de transformar a realidade do bairro. A maratona reuniu os participantes durante três dias na Escola Maria Alves Carioca em uma imersão sobre empreendedorismo, desenvolvendo ideias criativas para o mercado.

Para Roberto Cláudio, o evento se traduz em uma dupla motivação: a do universitário poder viver um contexto social e economicamente desafiador, além de poder aplicar a prática dos estudos no mundo concreto. Do outro lado, para o Bom Jardim, ter esse braço metodológico e científico de como poder trabalhar a indignação, o desejo e a vontade e transformar em algo real. "Este projeto traz, para o bairro, uma nova animação. Um bairro super vanguardista e, a despeito de muitos problemas, no Bom Jardim se criou um capital social único. Essa união entre academia e comunidade tem um grande potencial em ser catalisado em mudança social", afirmou o prefeito.

A empresária Ticiana Queiroz, responsável pela iniciativa e idealizadora do modelo de negócios Somos Um, explica que a metodologia do projeto consiste em trabalhar realizando as metas das Objetivos de Desenvolvimento Social (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). “Desde sexta-feira estamos criando negócios, em uma maratona de empreendedorismo, que gerem impacto na sociedade do Bom Jardim. Os negócios foram criados do zero, e atendem critérios como viabilidade financeira, impacto e conexão com o ODS”, explicou.

homem posa sentado ao lado de um computador
O artista plástico Elinaudo Barbosa participou do Hackaton com um projeto sobre auto responsabilidade e crescimento da autoestima 

Um exemplo é o trabalho realizado pelo grupo do qual participa o artista plástico Elinaudo Barbosa: um projeto sobre auto responsabilidade e crescimento da autoestima. Segundo ele, esse é um fator que influencia diretamente no desenvolvimento do bairro Bom Jardim. “É um aplicativo, um processo ‘gamificado’ no qual a pessoa passa por fases. O nosso referencial de êxito é quando se cruza a ponte do Bom Jardim, que representa a divisão entre o bairro e o resto da Cidade. A pessoa desenvolve um projeto de vida e identifica o seu propósito, buscando a realização pessoal e profissional”, descreveu.

Os três projetos vencedores levaram, além de R$ 5 mil por participante, financiamento e mentoria para seu desenvolvimento. Foram selecionados iniciativas dos ODS Saúde, Educação de Qualidade e Paz e Justiça.

“O que muda é a vontade de fazer somada a um método diferente. Talvez, saiam daqui sementes que vão florescer em negócios, em transformações sociais, em projetos novos, esst é a nossa esperança”, disse Roberto Cláudio.