28 de novembro de 2018 em Infraestrutura

Prefeitura de Fortaleza apresenta detalhes de obras do Pólo Gastronômico da Varjota

Intervenções já devem começar na próxima semana


Varjota
As mudanças vão possibilitar a melhoria no passeio dos mais de 110 estabelecimentos da região e o fortalecimento no turismo local (Foto: Kaio Machado)
A Prefeitura de Fortaleza realizou, nesta quarta-feira (28/11), a terceira reunião para o público geral de apresentação do Pólo Gastronômico da Varjota. Na ocasião, a titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinf), Manuela Nogueira, e o secretário da Regional II, Ferrúcio Feitosa, apresentaram mais detalhes sobre os andamentos das obras, que já se iniciam na próxima segunda-feira (03/12), além de terem mediado anseios de moradores e proprietários comércios da área contemplada. Orçadas em R$ 13 milhões, as mudanças vão possibilitar, além da melhoria no passeio dos mais de 110 estabelecimentos da região, um fortalecimento no turismo local.

Serão urbanizados 1,5 Km das ruas Ana Bilhar e Frederico Borges, além da construção de uma galeria de drenagem nas ruas Castro Monte e Tavares Coutinho. As obras deverão ter duração de 12 meses, conforme compromisso firmado com as construtoras licitadas, e serão divididas em 13 trechos que abrangem intervenções urbanísticas como parklets, cruzamentos com passagem elevadas para pedestres, drenagem, alargamento de calçadas, jardineiras e arborização, assim como nova iluminação com fiação embutida e o reordenamento do tráfego local. Os estabelecimentos deverão se adequar às normas de acessibilidade e padronização urbanística do projeto.

De acordo com Manuela Nogueira, a primeira premissa da obra é quebrar paradigmas, saindo da mobilidade que privilegia os veículos automotores e valoriza o pedestre e a segurança viária, oferecendo novos passeios com piso intertravado e mobiliários urbanos em todo o quadrilátero da Varjota. “É uma área da Cidade que não só atende o fortalezense, mas também o turista, e já possui um potencial econômico enorme. A gente quer que a população se sinta convidada a vir caminhar e experimentar essa área da Capital”, reforçou a titular da Seinf, destacando que o projeto também prevê espaços para desembarque de passageiros e para carga e descarga.

Ainda durante a reunião, os principais anseios mencionados pelos comerciantes e moradores foram a dificuldade de acesso e a possibilidade de fechamento dos estabelecimentos devido às obras. Ferrúcio Feitosa garantiu que nenhum comércio irá fechar por conta das intervenções e que, no projeto, já foram assegurados os trajetos de circulação alternativas pelas vias paralelas, e que a Regional II estará presente de forma ativa para diminuir o máximo possível qualquer transtorno.

“A exemplo do que estamos fazendo com as obras da Beira Mar, esta reunião com uma grande participação garante a prevenção de problemas. Estamos prontos para mediar tudo aquilo que possivelmente chegue até nós com relação a sugestões, ideias e até mesmo alguma queixa. Através da parceria com a Seinf, estaremos atentos para que possamos minimizar os impactos econômicos”, afirmou o secretário.

Prefeitura de Fortaleza apresenta detalhes de obras do Pólo Gastronômico da Varjota

Intervenções já devem começar na próxima semana

Varjota
As mudanças vão possibilitar a melhoria no passeio dos mais de 110 estabelecimentos da região e o fortalecimento no turismo local (Foto: Kaio Machado)
A Prefeitura de Fortaleza realizou, nesta quarta-feira (28/11), a terceira reunião para o público geral de apresentação do Pólo Gastronômico da Varjota. Na ocasião, a titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinf), Manuela Nogueira, e o secretário da Regional II, Ferrúcio Feitosa, apresentaram mais detalhes sobre os andamentos das obras, que já se iniciam na próxima segunda-feira (03/12), além de terem mediado anseios de moradores e proprietários comércios da área contemplada. Orçadas em R$ 13 milhões, as mudanças vão possibilitar, além da melhoria no passeio dos mais de 110 estabelecimentos da região, um fortalecimento no turismo local.

Serão urbanizados 1,5 Km das ruas Ana Bilhar e Frederico Borges, além da construção de uma galeria de drenagem nas ruas Castro Monte e Tavares Coutinho. As obras deverão ter duração de 12 meses, conforme compromisso firmado com as construtoras licitadas, e serão divididas em 13 trechos que abrangem intervenções urbanísticas como parklets, cruzamentos com passagem elevadas para pedestres, drenagem, alargamento de calçadas, jardineiras e arborização, assim como nova iluminação com fiação embutida e o reordenamento do tráfego local. Os estabelecimentos deverão se adequar às normas de acessibilidade e padronização urbanística do projeto.

De acordo com Manuela Nogueira, a primeira premissa da obra é quebrar paradigmas, saindo da mobilidade que privilegia os veículos automotores e valoriza o pedestre e a segurança viária, oferecendo novos passeios com piso intertravado e mobiliários urbanos em todo o quadrilátero da Varjota. “É uma área da Cidade que não só atende o fortalezense, mas também o turista, e já possui um potencial econômico enorme. A gente quer que a população se sinta convidada a vir caminhar e experimentar essa área da Capital”, reforçou a titular da Seinf, destacando que o projeto também prevê espaços para desembarque de passageiros e para carga e descarga.

Ainda durante a reunião, os principais anseios mencionados pelos comerciantes e moradores foram a dificuldade de acesso e a possibilidade de fechamento dos estabelecimentos devido às obras. Ferrúcio Feitosa garantiu que nenhum comércio irá fechar por conta das intervenções e que, no projeto, já foram assegurados os trajetos de circulação alternativas pelas vias paralelas, e que a Regional II estará presente de forma ativa para diminuir o máximo possível qualquer transtorno.

“A exemplo do que estamos fazendo com as obras da Beira Mar, esta reunião com uma grande participação garante a prevenção de problemas. Estamos prontos para mediar tudo aquilo que possivelmente chegue até nós com relação a sugestões, ideias e até mesmo alguma queixa. Através da parceria com a Seinf, estaremos atentos para que possamos minimizar os impactos econômicos”, afirmou o secretário.