10 de julho de 2017 em Economia

Prefeitura de Fortaleza participa do início das obras de Data Center do Angola Cables

Com a estrutura, Fortaleza passa a ter condições de exportar conteúdos digitais brasileiros


Angola
Solenidade contou com a participação do vice-prefeito Moroni Torgan e do governador Camilo Santana (Foto: Kiko Silva)

O vice-prefeito Moroni Torgan e o governador Camilo Santana participaram da solenidade que marca o início das obras do Data Center da empresa Angola Cables, inserida no Parque Tecnológico da Praia do Futuro, nesta segunda-feira (10/07).

A parceria da Prefeitura com a empresa Angola Cables resultou na instalação de duas estações de cabos submarinos de fibra óptica e um Data Center de porte internacional (tipo Tier 3), o primeiro deste porte nas regiões Norte/Nordeste do País. Com essa estrutura, Fortaleza passa a ter condições de exportar conteúdos digitais brasileiros para a América do Norte e, futuramente, para a África (Luanda). A expectativa é de que, em poucos anos, a Cidade esteja interligada aos continentes da Europa e Ásia, tornando-se um importante Hub do setor de Telecomunicações.

“Este é um momento ímpar para a Cidade. Com o Data Center, vamos colocar em Fortaleza uma vitrine para expor nossos produtos tecnológicos para todo o mundo, garantindo, inclusive, mais emprego e renda”, destacou Moroni Torgan.

O governador Camilo Santana afirmou que o empreendimento prevê investir US$ 50 milhões até o fim deste ano nos três projetos que possui em Fortaleza: construção de uma estação do South Atlantic Cable System (Sacs), o Data Center e o sistema Monet, cabo submarino com tecnologia de fibra óptica que liga Santos (SP) a Miami (EUA), passando por Fortaleza. “Em um momento tão difícil que o Brasil está vivendo, um investimento deste porte representa muito para a Cidade e para o Estado. Vamos deixar Fortaleza conectada com o mundo inteiro e abrir as portas de Fortaleza para as oportunidades e conectividade”, disse.

Em razão da sua posição geográfica privilegiada e estratégica, próxima dos continentes europeu e africano, assim como dos Estados Unidos, a capital cearense já conta com oito cabos submarinos de fibra óptica instalados, contabilizando 15 pontos de entrada e saída desses cabos. A perspectiva é transformar Fortaleza um dos principais centros de tecnologia do Brasil. “O objetivo é usar esse polo de comunicação para promover o surgimento de uma série de negócios com impactos diretos na economia local. O início da construção já trouxe visibilidade para outras empresas do Brasil descobrirem as vantagens para investirem também aqui”, explicou o secretário do Desenvolvimento Econômico de Fortaleza, Mosiah Torgan.

O Município possui um total de 52.710 empresas ativas, bem como o maior número de empresas ligadas à área de tecnologia na Região Nordeste, com 599 no total (RAIS/MTE, 2015). Esses dados reforçam a capacidade de atrair empresas do segmento, o que permitirá gerar mais empregos diretos de alta qualidade, além de incrementar a geração de tributos na Cidade, favorecendo seu desenvolvimento.

A atração de investidores do setor tecnológico em Fortaleza conta com a concessão de incentivos fiscais às empresas participantes do Programa de Apoio ao Desenvolvimento de Parques Tecnológicos e Criativos de Fortaleza (ParquFor), conforme prevê a Lei nº 205/2015.

O ParqFor tem como objetivo incentivar o desenvolvimento sustentável econômico e tecnológico do Município, por meio de apoio a empreendimentos produtivos que desenvolvam atividades econômicas de base tecnológica e criativa, instaladas nas áreas de incentivo do Programa, tais como as Áreas Parques, Zonas Especiais de Dinamismo Urbano Social (Zedus) e as Instituições de Ensino Superior conveniadas. Com isso, permite que a Cidade possa gerar novos ambientes para abrigar empresas inovadoras e gerar empregos mais qualificados para a população de Fortaleza. Atualmente, o ParqFor possui oito Instituições de Ensino Superior e quatro áreas cadastradas como áreas Parques Tecnológicos e Criativos (Praia do Futuro, campus e entorno da Uece, Centroe Francisco Sá), além de nove empresas inscritas no Programa que geraram 1.002 empregos diretos e com arrecadação de ISSQN na ordem de 1,7 milhão, dados de 2016.

Saiba Mais
As empresas que se interessarem em aderir ao do ParqFor devem se dirigir à sede da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico (Rua Tibúrcio Cavalcante, 1233 – Aldeota) e apresentar os formulários de inscrição na Coordenadoria de Projetos e Desenvolvimento Econômico. Para mais informações, enviar e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou 3452.6236.

Sobre a Angola Cables
Angola Cables é uma empresa de telecomunicações, fundada em 2009, tendo como acionistas as principais operadoras de telecomunicações angolanas. A companhia dedica-se à comercialização de capacidade em circuitos internacionais de voz e dados por cabos submarinos de fibra óptica. O mais recente projeto da empresa é a construção de um cabo, o Monet, que vai ligar Angola e Brasil aos Estados Unidos até 2017. Com a instalação de uma Estação de Cabos Submarinos em Fortaleza a empresa inicia também o processo de implementação do Projeto SACS – South Atlantic Cables System, cabo submarino de fibra óptica, que ligará o Brasil ao continente Africano, por meio das cidades de Fortaleza e Luanda. A empresa é associada ao projeto Kitabanga, que busca a conservação de tartarugas marinhas, além de apoiar o esporte náutico, por meio do patrocínio a embarcações de vela, como o barco Mussulo III, que está ancorado no Brasil, participando dos principais campeonatos de regatas do País. Para mais informações, acesse: www.angolacables.co.ao.

Prefeitura de Fortaleza participa do início das obras de Data Center do Angola Cables

Com a estrutura, Fortaleza passa a ter condições de exportar conteúdos digitais brasileiros

Angola
Solenidade contou com a participação do vice-prefeito Moroni Torgan e do governador Camilo Santana (Foto: Kiko Silva)

O vice-prefeito Moroni Torgan e o governador Camilo Santana participaram da solenidade que marca o início das obras do Data Center da empresa Angola Cables, inserida no Parque Tecnológico da Praia do Futuro, nesta segunda-feira (10/07).

A parceria da Prefeitura com a empresa Angola Cables resultou na instalação de duas estações de cabos submarinos de fibra óptica e um Data Center de porte internacional (tipo Tier 3), o primeiro deste porte nas regiões Norte/Nordeste do País. Com essa estrutura, Fortaleza passa a ter condições de exportar conteúdos digitais brasileiros para a América do Norte e, futuramente, para a África (Luanda). A expectativa é de que, em poucos anos, a Cidade esteja interligada aos continentes da Europa e Ásia, tornando-se um importante Hub do setor de Telecomunicações.

“Este é um momento ímpar para a Cidade. Com o Data Center, vamos colocar em Fortaleza uma vitrine para expor nossos produtos tecnológicos para todo o mundo, garantindo, inclusive, mais emprego e renda”, destacou Moroni Torgan.

O governador Camilo Santana afirmou que o empreendimento prevê investir US$ 50 milhões até o fim deste ano nos três projetos que possui em Fortaleza: construção de uma estação do South Atlantic Cable System (Sacs), o Data Center e o sistema Monet, cabo submarino com tecnologia de fibra óptica que liga Santos (SP) a Miami (EUA), passando por Fortaleza. “Em um momento tão difícil que o Brasil está vivendo, um investimento deste porte representa muito para a Cidade e para o Estado. Vamos deixar Fortaleza conectada com o mundo inteiro e abrir as portas de Fortaleza para as oportunidades e conectividade”, disse.

Em razão da sua posição geográfica privilegiada e estratégica, próxima dos continentes europeu e africano, assim como dos Estados Unidos, a capital cearense já conta com oito cabos submarinos de fibra óptica instalados, contabilizando 15 pontos de entrada e saída desses cabos. A perspectiva é transformar Fortaleza um dos principais centros de tecnologia do Brasil. “O objetivo é usar esse polo de comunicação para promover o surgimento de uma série de negócios com impactos diretos na economia local. O início da construção já trouxe visibilidade para outras empresas do Brasil descobrirem as vantagens para investirem também aqui”, explicou o secretário do Desenvolvimento Econômico de Fortaleza, Mosiah Torgan.

O Município possui um total de 52.710 empresas ativas, bem como o maior número de empresas ligadas à área de tecnologia na Região Nordeste, com 599 no total (RAIS/MTE, 2015). Esses dados reforçam a capacidade de atrair empresas do segmento, o que permitirá gerar mais empregos diretos de alta qualidade, além de incrementar a geração de tributos na Cidade, favorecendo seu desenvolvimento.

A atração de investidores do setor tecnológico em Fortaleza conta com a concessão de incentivos fiscais às empresas participantes do Programa de Apoio ao Desenvolvimento de Parques Tecnológicos e Criativos de Fortaleza (ParquFor), conforme prevê a Lei nº 205/2015.

O ParqFor tem como objetivo incentivar o desenvolvimento sustentável econômico e tecnológico do Município, por meio de apoio a empreendimentos produtivos que desenvolvam atividades econômicas de base tecnológica e criativa, instaladas nas áreas de incentivo do Programa, tais como as Áreas Parques, Zonas Especiais de Dinamismo Urbano Social (Zedus) e as Instituições de Ensino Superior conveniadas. Com isso, permite que a Cidade possa gerar novos ambientes para abrigar empresas inovadoras e gerar empregos mais qualificados para a população de Fortaleza. Atualmente, o ParqFor possui oito Instituições de Ensino Superior e quatro áreas cadastradas como áreas Parques Tecnológicos e Criativos (Praia do Futuro, campus e entorno da Uece, Centroe Francisco Sá), além de nove empresas inscritas no Programa que geraram 1.002 empregos diretos e com arrecadação de ISSQN na ordem de 1,7 milhão, dados de 2016.

Saiba Mais
As empresas que se interessarem em aderir ao do ParqFor devem se dirigir à sede da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico (Rua Tibúrcio Cavalcante, 1233 – Aldeota) e apresentar os formulários de inscrição na Coordenadoria de Projetos e Desenvolvimento Econômico. Para mais informações, enviar e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou 3452.6236.

Sobre a Angola Cables
Angola Cables é uma empresa de telecomunicações, fundada em 2009, tendo como acionistas as principais operadoras de telecomunicações angolanas. A companhia dedica-se à comercialização de capacidade em circuitos internacionais de voz e dados por cabos submarinos de fibra óptica. O mais recente projeto da empresa é a construção de um cabo, o Monet, que vai ligar Angola e Brasil aos Estados Unidos até 2017. Com a instalação de uma Estação de Cabos Submarinos em Fortaleza a empresa inicia também o processo de implementação do Projeto SACS – South Atlantic Cables System, cabo submarino de fibra óptica, que ligará o Brasil ao continente Africano, por meio das cidades de Fortaleza e Luanda. A empresa é associada ao projeto Kitabanga, que busca a conservação de tartarugas marinhas, além de apoiar o esporte náutico, por meio do patrocínio a embarcações de vela, como o barco Mussulo III, que está ancorado no Brasil, participando dos principais campeonatos de regatas do País. Para mais informações, acesse: www.angolacables.co.ao.