17 de dezembro de 2021 em Saúde

Prefeitura recebe doação de caixas térmicas e termômetros para reforçar trabalho de imunização na Capital

Foram doados 100 termômetros digitais para caixa térmica e 116 caixas térmicas de 15 litros com termômetro digital


A Prefeitura de Fortaleza recebeu do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e da Cruz Vermelha Brasileira do Estado do Ceará a doação de 100 termômetros digitais para caixa térmica e 116 caixas térmicas de 15 litros com termômetro digital.

As caixas térmicas possuem a capacidade de 15 litros e são destinadas, especificamente, para a preservação e transporte das vacinas. Todas elas são de material adequado ao acondicionamento do imunobiológico e possuem um termômetro para controle de temperatura.

O material terá uma importante contribuição para a imunização na Capital, como valoriza Aline Gouveia, secretária adjunta da Saúde de Fortaleza. “Após o sucesso da parceria entre a Prefeitura e a Cruz Vermelha com o Ônibus da Vacina, recebemos esta doação das caixas térmicas com muita satisfação. O compromisso das instituições é com o cidadão, sempre em busca de uma melhor qualidade de vida, em prol da saúde”, reforça.

O chefe do escritório do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) em Fortaleza, Eliott Wood, destaca a relevância da parceria para a população mais vulnerável. “Achamos importante apoiar a campanha de vacina da Secretaria Municipal da Saúde e tentar fazer com que todas as pessoas sejam vacinadas, pessoas que, por muitas vezes, não têm acesso a dinheiro para se deslocar. Por isso, tivemos uma boa oportunidade de ajudar”, considera.

Para Allan Damasceno, presidente da Cruz Vermelha no Ceará, a doação das caixas térmicas e termômetros fortalece a colaboração mútua entre a Prefeitura e a Cruz Vermelha. “Essa relação entre organizações faz toda diferença. Hoje, reforçamos ainda mais esta parceria com a Prefeitura de Fortaleza, mais especificamente com a Secretaria da Saúde, iniciada há meses com o Ônibus da Vacina. O ônibus percorreu áreas de risco da Capital, onde aconteceu, também, a busca ativa para vacinação por meio de voluntários da Cruz Vermelha. Isso mostra a importância simbólica de uma parceria firmada no respeito e em boas condutas, que visa, sobretudo, a qualidade da saúde pública de Fortaleza”, destaca.

Ônibus da Vacina

A parceria entre a Prefeitura de Fortaleza e a Cruz Vermelha permitiu a realização do Ônibus da Vacina, que teve 23 dias de atividades, entre outubro e novembro, em 12 bairros da Capital, com o objetivo de reforçar a vacinação contra a Covid-19 em áreas de maior vulnerabilidade.

Com saldo de 14.274 doses aplicadas, o Ônibus da Vacina passou pelos bairros Carlito Pamplona, Pici, Vila União, Floresta, Cais do Porto, Vicente Pinzón, Planalto Ayrton Sena, Grande Bom Jardim, Genibaú, Jangurussu, Messejana e Ancuri.

A iniciativa superou as expectativas, já que, em média, foram aplicadas 600 vacinas diárias. Inicialmente, a estimativa era de vacinar 400 pessoas por dia. Do total, 52,3% das aplicações foram de primeira dose, além das segundas e terceiras doses que também foram garantidas.

Prefeitura recebe doação de caixas térmicas e termômetros para reforçar trabalho de imunização na Capital

Foram doados 100 termômetros digitais para caixa térmica e 116 caixas térmicas de 15 litros com termômetro digital

A Prefeitura de Fortaleza recebeu do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e da Cruz Vermelha Brasileira do Estado do Ceará a doação de 100 termômetros digitais para caixa térmica e 116 caixas térmicas de 15 litros com termômetro digital.

As caixas térmicas possuem a capacidade de 15 litros e são destinadas, especificamente, para a preservação e transporte das vacinas. Todas elas são de material adequado ao acondicionamento do imunobiológico e possuem um termômetro para controle de temperatura.

O material terá uma importante contribuição para a imunização na Capital, como valoriza Aline Gouveia, secretária adjunta da Saúde de Fortaleza. “Após o sucesso da parceria entre a Prefeitura e a Cruz Vermelha com o Ônibus da Vacina, recebemos esta doação das caixas térmicas com muita satisfação. O compromisso das instituições é com o cidadão, sempre em busca de uma melhor qualidade de vida, em prol da saúde”, reforça.

O chefe do escritório do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) em Fortaleza, Eliott Wood, destaca a relevância da parceria para a população mais vulnerável. “Achamos importante apoiar a campanha de vacina da Secretaria Municipal da Saúde e tentar fazer com que todas as pessoas sejam vacinadas, pessoas que, por muitas vezes, não têm acesso a dinheiro para se deslocar. Por isso, tivemos uma boa oportunidade de ajudar”, considera.

Para Allan Damasceno, presidente da Cruz Vermelha no Ceará, a doação das caixas térmicas e termômetros fortalece a colaboração mútua entre a Prefeitura e a Cruz Vermelha. “Essa relação entre organizações faz toda diferença. Hoje, reforçamos ainda mais esta parceria com a Prefeitura de Fortaleza, mais especificamente com a Secretaria da Saúde, iniciada há meses com o Ônibus da Vacina. O ônibus percorreu áreas de risco da Capital, onde aconteceu, também, a busca ativa para vacinação por meio de voluntários da Cruz Vermelha. Isso mostra a importância simbólica de uma parceria firmada no respeito e em boas condutas, que visa, sobretudo, a qualidade da saúde pública de Fortaleza”, destaca.

Ônibus da Vacina

A parceria entre a Prefeitura de Fortaleza e a Cruz Vermelha permitiu a realização do Ônibus da Vacina, que teve 23 dias de atividades, entre outubro e novembro, em 12 bairros da Capital, com o objetivo de reforçar a vacinação contra a Covid-19 em áreas de maior vulnerabilidade.

Com saldo de 14.274 doses aplicadas, o Ônibus da Vacina passou pelos bairros Carlito Pamplona, Pici, Vila União, Floresta, Cais do Porto, Vicente Pinzón, Planalto Ayrton Sena, Grande Bom Jardim, Genibaú, Jangurussu, Messejana e Ancuri.

A iniciativa superou as expectativas, já que, em média, foram aplicadas 600 vacinas diárias. Inicialmente, a estimativa era de vacinar 400 pessoas por dia. Do total, 52,3% das aplicações foram de primeira dose, além das segundas e terceiras doses que também foram garantidas.