22 de janeiro de 2022 em Saúde

Prefeitura reforça equipe e disponibiliza intérprete de Libras para vacinação de crianças com deficiência e/ou comorbidades

A nova etapa de vacinação começou neste sábado (22/01), e ocorreu simultaneamente à vacinação de crianças por idade


enfermeira vacinando uma criança que está no colo do pai
Para lidar com o medo comum das crianças de receber a picada da agulha, a enfermeira Jamile Ribeiro dos Santos, 27, recorre à conversa e à distração (Foto: Thiago Gaspar)

A Prefeitura de Fortaleza iniciou, neste sábado (22/01), a partir das 9h, a vacinação de crianças com comorbidades e/ou deficiências permanentes, no Centro de Eventos. A nova etapa atende àqueles que indicaram a condição no ato do cadastro na plataforma Saúde Digital, e ocorre simultaneamente à vacinação de crianças por idade.

Para melhor atender a população, a Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), reforçou o quadro de enfermeiras que aplicam a vacina neste sábado. Também foram contratados intérpretes de Líbras para facilitar a comunicação com crianças com perda auditiva.

O acesso aos salões onde está montado o esquema de vacinação ocorreu pela parte traseira do Centro de Eventos. No local, também neste sábado (22/01), a Prefeitura realizou a repescagem para crianças que faltaram ao agendamento contra a Covid-19.

Acompanhando o trabalho, o coordenador da Rede de Atenção Primária e Psicossocial da SMS, Erlemus Soares, afirmou que o reforço nas equipes tem por objetivo oferecer atendimento humanizado para as crianças, em especial, para aquelas que possam apresentar maior resistência na hora de receber a vacina.

"Nós trouxemos mais enfermeiras para ajudar e fazer esse acolhimento mais humanizado para essas crianças, também trouxemos intérprete de Libras, que é super importante", disse.

Na vacinação por idade, neste sábado, estão sendo atendidas crianças de 11 a 10 anos, seguindo o agendamento por ordem decrescente de idade, assim como ocorreu nas fases de vacinação em adultos.

Já entre o público com deficiência ou comorbidade, há crianças de 5 a 11 anos recebendo a dose do imunizante contra a Covid-19.

"No público com deficiência ou comorbidade, tem tanto crianças de 5 anos quanto de 11 anos porque Fortaleza já agendou 100% das crianças que tinham cadastro até o dia 17 de janeiro com essa especificação", explicou Soares.

Proteção

Caio Éric Pontes posa para a foto
Caio Éric Pontes, 7, que tem perda auditiva foi uma das crianças vacinadas no sábado

Erika Pontes levou o filho Caio Éric Pontes, 7, que tem perda auditiva, para receber a vacina. "Ele não tá muito feliz com a ideia não, mas é o jeito", disse a mãe, sorrindo.

Uma das primeiras a chegar na fila para a vacinação das crianças com deficiência ou comorbidade, Talita do Nascimento levou o filho Caio Jonas do Nascimento, 9, autista, para receber a vacina. Sobre uma possível resistência do filho na hora da injeção, a mãe contou que "é sempre imprevisível". "Às vezes, ele mostra o braço e diz 'eu tenho coragem, mãe', mas às vezes não quer de jeito nenhum", disse.

Para lidar com o medo comum das crianças de receber a picada da agulha, a enfermeira Jamile Ribeiro dos Santos, 27, recorre à conversa e à distração. "A gente tenta conversar com as crianças, explicar a importância da vacinação, algumas entendem. Tem que ter paciência e calma, entreter, pedir pra não olhar a agulha, tentar distrair", relatou.

Lista de agendados

As listas nominais com os agendados para tomar a vacina podem ser acessadas no site Coronavírus Fortaleza. O agendamento também pode ser verificado no site Vacine Já e no aplicativo Mais Saúde Fortaleza. Para que a criança seja aendada, é necessário realizar o cadastro na plataforma Saúde Digital, ferramenta da Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (Sesa).

Documentos necessários

As crianças com comorbidades ou deficiências permanentes agendadas terão que apresentar, além dos documentos de identificação, o atestado, relatório ou prescrição médica indicando o motivo para a priorização da vacina. Será necessário levar a cópia do documento comprobatório da comorbidade ou deficiência permanente para ser entregue aos vacinadores no ato da aplicação.

Os pacientes assistidos na Rede de Atenção Primária do Município (postos de saúde) e Psicossocial (CAPS) de Fortaleza podem apresentar a cópia impressa do Registro Eletrônico de Atendimento, com a estratificação de risco caracterizando a presença da comorbidade ou deficiência da criança.

Lista de comorbidades

No Plano Municipal de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19, estão listadas as comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde (MS). São elas:

• Diabetes mellitus
• Pneumopatias crônicas graves
• Hipertensão arterial resistente
• Hipertensão arterial estágio 3
• Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo
• Doenças cardiovasculares, tais como: insuficiência cardíaca, cor-pulmonale e hipertensão pulmonar
• Cardiopatia hipertensiva
• Síndromes coronarianas, valvopatias, miocardiopatias e pericardiopatias
• Doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas
• Arritmias cardíacas
• Cardiopatias congênitas
• Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados
• Doenças neurológicas crônicas
• Doença renal crônica
• Imunocomprometidos
• Hemoglobinopatias graves
• Obesidade mórbida
• Cirrose hepática

Deficiência permanente

Conforme a Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015, considera-se pessoa com deficiência aquela que tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

Prefeitura reforça equipe e disponibiliza intérprete de Libras para vacinação de crianças com deficiência e/ou comorbidades

A nova etapa de vacinação começou neste sábado (22/01), e ocorreu simultaneamente à vacinação de crianças por idade

enfermeira vacinando uma criança que está no colo do pai
Para lidar com o medo comum das crianças de receber a picada da agulha, a enfermeira Jamile Ribeiro dos Santos, 27, recorre à conversa e à distração (Foto: Thiago Gaspar)

A Prefeitura de Fortaleza iniciou, neste sábado (22/01), a partir das 9h, a vacinação de crianças com comorbidades e/ou deficiências permanentes, no Centro de Eventos. A nova etapa atende àqueles que indicaram a condição no ato do cadastro na plataforma Saúde Digital, e ocorre simultaneamente à vacinação de crianças por idade.

Para melhor atender a população, a Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), reforçou o quadro de enfermeiras que aplicam a vacina neste sábado. Também foram contratados intérpretes de Líbras para facilitar a comunicação com crianças com perda auditiva.

O acesso aos salões onde está montado o esquema de vacinação ocorreu pela parte traseira do Centro de Eventos. No local, também neste sábado (22/01), a Prefeitura realizou a repescagem para crianças que faltaram ao agendamento contra a Covid-19.

Acompanhando o trabalho, o coordenador da Rede de Atenção Primária e Psicossocial da SMS, Erlemus Soares, afirmou que o reforço nas equipes tem por objetivo oferecer atendimento humanizado para as crianças, em especial, para aquelas que possam apresentar maior resistência na hora de receber a vacina.

"Nós trouxemos mais enfermeiras para ajudar e fazer esse acolhimento mais humanizado para essas crianças, também trouxemos intérprete de Libras, que é super importante", disse.

Na vacinação por idade, neste sábado, estão sendo atendidas crianças de 11 a 10 anos, seguindo o agendamento por ordem decrescente de idade, assim como ocorreu nas fases de vacinação em adultos.

Já entre o público com deficiência ou comorbidade, há crianças de 5 a 11 anos recebendo a dose do imunizante contra a Covid-19.

"No público com deficiência ou comorbidade, tem tanto crianças de 5 anos quanto de 11 anos porque Fortaleza já agendou 100% das crianças que tinham cadastro até o dia 17 de janeiro com essa especificação", explicou Soares.

Proteção

Caio Éric Pontes posa para a foto
Caio Éric Pontes, 7, que tem perda auditiva foi uma das crianças vacinadas no sábado

Erika Pontes levou o filho Caio Éric Pontes, 7, que tem perda auditiva, para receber a vacina. "Ele não tá muito feliz com a ideia não, mas é o jeito", disse a mãe, sorrindo.

Uma das primeiras a chegar na fila para a vacinação das crianças com deficiência ou comorbidade, Talita do Nascimento levou o filho Caio Jonas do Nascimento, 9, autista, para receber a vacina. Sobre uma possível resistência do filho na hora da injeção, a mãe contou que "é sempre imprevisível". "Às vezes, ele mostra o braço e diz 'eu tenho coragem, mãe', mas às vezes não quer de jeito nenhum", disse.

Para lidar com o medo comum das crianças de receber a picada da agulha, a enfermeira Jamile Ribeiro dos Santos, 27, recorre à conversa e à distração. "A gente tenta conversar com as crianças, explicar a importância da vacinação, algumas entendem. Tem que ter paciência e calma, entreter, pedir pra não olhar a agulha, tentar distrair", relatou.

Lista de agendados

As listas nominais com os agendados para tomar a vacina podem ser acessadas no site Coronavírus Fortaleza. O agendamento também pode ser verificado no site Vacine Já e no aplicativo Mais Saúde Fortaleza. Para que a criança seja aendada, é necessário realizar o cadastro na plataforma Saúde Digital, ferramenta da Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (Sesa).

Documentos necessários

As crianças com comorbidades ou deficiências permanentes agendadas terão que apresentar, além dos documentos de identificação, o atestado, relatório ou prescrição médica indicando o motivo para a priorização da vacina. Será necessário levar a cópia do documento comprobatório da comorbidade ou deficiência permanente para ser entregue aos vacinadores no ato da aplicação.

Os pacientes assistidos na Rede de Atenção Primária do Município (postos de saúde) e Psicossocial (CAPS) de Fortaleza podem apresentar a cópia impressa do Registro Eletrônico de Atendimento, com a estratificação de risco caracterizando a presença da comorbidade ou deficiência da criança.

Lista de comorbidades

No Plano Municipal de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19, estão listadas as comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde (MS). São elas:

• Diabetes mellitus
• Pneumopatias crônicas graves
• Hipertensão arterial resistente
• Hipertensão arterial estágio 3
• Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo
• Doenças cardiovasculares, tais como: insuficiência cardíaca, cor-pulmonale e hipertensão pulmonar
• Cardiopatia hipertensiva
• Síndromes coronarianas, valvopatias, miocardiopatias e pericardiopatias
• Doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas
• Arritmias cardíacas
• Cardiopatias congênitas
• Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados
• Doenças neurológicas crônicas
• Doença renal crônica
• Imunocomprometidos
• Hemoglobinopatias graves
• Obesidade mórbida
• Cirrose hepática

Deficiência permanente

Conforme a Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015, considera-se pessoa com deficiência aquela que tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.