27 de abril de 2022 em Economia

Programa Fortaleza + Futuro atua na inclusão de pessoas com deficiência

Os alunos Nilson Januário e Ana Nicoly são exemplos do impacto social e acessiblidade do programa


homem numa sala de aula com máquinas de costura
Nilso Januário é atleta de badminton de cadeira de rodas e se interessou por um dos cursos ofertados com o objetivo de também complementar sua renda para continuar no esporte (Fotos: Marcos Moura)

O Programa Fortaleza Mais Futuro, política pública de qualificação profissional da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico (SDE) em parceria com o Senai Ceará, visa estimular a geração de emprego e aumentar a renda da cidade por meio de cursos de capacitação em diversas áreas. O novo projeto da Prefeitura, que teve suas atividades iniciadas em março deste ano, abre oportunidades, também, para pessoas com deficiência, como é o caso do aluno Nilson Januário, 29. Atleta de badminton de cadeira de rodas, Nilson se interessou por um dos cursos ofertados com o objetivo não apenas de aprender, mas também de complementar sua renda para continuar no esporte. “Existem muitas pessoas com deficiência capacitadas, que querem um curso desse para montar seu próprio negócio, complementar sua renda ou até mesmo entrar no mercado de trabalho”, conta.

No curso de Corte e Costura em Malha, o atleta teve a possibilidade de aprender e pôr em prática tudo que foi apresentado em sala de aula, com toda a acessibilidade oferecida pelo Senai. “Eu sempre tive interesse em saber como é se faz uma calça, como é que se faz uma blusa e complementar minha renda, em casa mesmo", explica. Segundo Nilson, sua irmã também é costureira e isso ajudou a despertar seu interesse.

Para a coordenadora do Senai da Parangaba, Paula Couto, a participação de pessoas com deficiência no programa foi um momento de muito aprendizado e escuta. “Tanto para o aluno quanto para os nossos professores foi um desafio. A gente aprende muito, ainda mais com esse novo projeto da Prefeitura, que está ampliando as possibilidades para essas pessoas”, afirma.

nilson costurando numa máquina
Nilson teve aulas teóricas e práticas 

“Foi muito bom, principalmente por ter intérpretes, e eu pude entender tudo na íntegra e tirar várias dúvidas”, conta Ana Nicoly, 21. A estudante participou do curso de Dindim Gourmet, no Senai Jacarecanga. De acordo com Nicoly, seu maior sonho é abrir seu próprio negócio e tem interesse em cursar faculdade de gastronomia. Ela também acredita no impacto social que o Programa tem na comunidade surda. "Uma nova forma dos surdos se conectarem com os ouvintes, nós todos somos iguais”.

Segundo a coordenadora da Qualificação Profissional da SDE, Nadyegida Barbosa, o processo de inclusão e acessibilidade está sendo construído com responsabilidade e atenção às demandas apresentadas pelos alunos. “As demandas no mundo do trabalho para pessoas com deficiência têm-se ampliado, por essa razão, firmamos parceria com uma instituição que disponibilizasse tradutores e estrutura que permitisse a execução dos cursos sem prejuízo para o processo de aprendizagem dos alunos", afirma.

As aulas são ministradas nas unidades do Senai Ceará (Parangaba, Barra do Ceará e Jacarecanga) e, ao final do curso, os alunos receberão certificado. As inscrições podem ser realizadas na sede da SDE, nas unidades do Sine Municipal (Otávio Bonfim, Parquelândia e Siqueira) ou nas plataformas on-line. Os interessados também podem entrar em contato com a SDE pelo telefone 0800 222 3656 ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Programa Fortaleza + Futuro atua na inclusão de pessoas com deficiência

Os alunos Nilson Januário e Ana Nicoly são exemplos do impacto social e acessiblidade do programa

homem numa sala de aula com máquinas de costura
Nilso Januário é atleta de badminton de cadeira de rodas e se interessou por um dos cursos ofertados com o objetivo de também complementar sua renda para continuar no esporte (Fotos: Marcos Moura)

O Programa Fortaleza Mais Futuro, política pública de qualificação profissional da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico (SDE) em parceria com o Senai Ceará, visa estimular a geração de emprego e aumentar a renda da cidade por meio de cursos de capacitação em diversas áreas. O novo projeto da Prefeitura, que teve suas atividades iniciadas em março deste ano, abre oportunidades, também, para pessoas com deficiência, como é o caso do aluno Nilson Januário, 29. Atleta de badminton de cadeira de rodas, Nilson se interessou por um dos cursos ofertados com o objetivo não apenas de aprender, mas também de complementar sua renda para continuar no esporte. “Existem muitas pessoas com deficiência capacitadas, que querem um curso desse para montar seu próprio negócio, complementar sua renda ou até mesmo entrar no mercado de trabalho”, conta.

No curso de Corte e Costura em Malha, o atleta teve a possibilidade de aprender e pôr em prática tudo que foi apresentado em sala de aula, com toda a acessibilidade oferecida pelo Senai. “Eu sempre tive interesse em saber como é se faz uma calça, como é que se faz uma blusa e complementar minha renda, em casa mesmo", explica. Segundo Nilson, sua irmã também é costureira e isso ajudou a despertar seu interesse.

Para a coordenadora do Senai da Parangaba, Paula Couto, a participação de pessoas com deficiência no programa foi um momento de muito aprendizado e escuta. “Tanto para o aluno quanto para os nossos professores foi um desafio. A gente aprende muito, ainda mais com esse novo projeto da Prefeitura, que está ampliando as possibilidades para essas pessoas”, afirma.

nilson costurando numa máquina
Nilson teve aulas teóricas e práticas 

“Foi muito bom, principalmente por ter intérpretes, e eu pude entender tudo na íntegra e tirar várias dúvidas”, conta Ana Nicoly, 21. A estudante participou do curso de Dindim Gourmet, no Senai Jacarecanga. De acordo com Nicoly, seu maior sonho é abrir seu próprio negócio e tem interesse em cursar faculdade de gastronomia. Ela também acredita no impacto social que o Programa tem na comunidade surda. "Uma nova forma dos surdos se conectarem com os ouvintes, nós todos somos iguais”.

Segundo a coordenadora da Qualificação Profissional da SDE, Nadyegida Barbosa, o processo de inclusão e acessibilidade está sendo construído com responsabilidade e atenção às demandas apresentadas pelos alunos. “As demandas no mundo do trabalho para pessoas com deficiência têm-se ampliado, por essa razão, firmamos parceria com uma instituição que disponibilizasse tradutores e estrutura que permitisse a execução dos cursos sem prejuízo para o processo de aprendizagem dos alunos", afirma.

As aulas são ministradas nas unidades do Senai Ceará (Parangaba, Barra do Ceará e Jacarecanga) e, ao final do curso, os alunos receberão certificado. As inscrições podem ser realizadas na sede da SDE, nas unidades do Sine Municipal (Otávio Bonfim, Parquelândia e Siqueira) ou nas plataformas on-line. Os interessados também podem entrar em contato com a SDE pelo telefone 0800 222 3656 ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.