23 de dezembro de 2019 em Economia

Projeto Colcha de Retalhos incentiva a autonomia de mulheres empreendedoras no Bom Jardim

A produção de moda por meio do reaproveitamento de tecidos tem dado vida à iniciativa


mulheres com peças de tecido nas mãos em pé em volta de mesa com retalhos e sorrindo para a foto
As atividades, realizadas às segundas, quartas e sextas-feiras, reúnem cerca de 20 mulheres

O ateliê de arte do Centro de Referência do Empreendedor do bairro Bom Jardim tem sido palco de uma iniciativa transformadora. A produção de moda por meio do reaproveitamento de tecidos tem dado vida ao Projeto Colcha de Retalhos. O curso capacita mulheres em situação de vulnerabilidade e reúne esforços da Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico (SDE), da Universidade Federal do Ceará (UFC) e do Conselho Regional de Administração (CRA).

As atividades, realizadas às segundas, quartas e sextas-feiras, reúnem cerca de 20 mulheres, protagonistas de histórias de vida distintas, que compartilham o desejo de descobrir talentos, de ampliar a própria capacidade e de conquistar, por meio do empreendedorismo, a tão sonhada independência financeira.

senhor de óculos segurando bolsa de tecido e sorrindo para a foto
Mírian Santana aposta nos aprendizados adquiridos para potencializar a qualidade dos materiais confeccionados e comercializados

O titular da SDE, Mosiah Torgan, reforçou o intuito da proposta. “O Colcha de Retalhos compõe a grade de atividades do Meu Bairro Empreendedor. O objetivo é beneficiar mulheres, ensiná-las a ter uma profissão, reutilizando um material que seria descartado em produtos que possam ser comercializados pela própria comunidade, transformando as mulheres em empreendedoras sustentáveis de base comunitária. Para isso, o Centro de Referência do Empreendedor oferece a estrutura adequada por meio de maquinários e armários. O resultado disso é inclusão, profissionalização, empreendedorismo e geração de oportunidades”, informou, ressaltando a importância da união de esforços entre o poder público, a iniciativa privada e a universidade.

Almofadas, jogos americanos, bolsas, laços e bonecas estão entre os principais materiais produzidos por Mírian Santana. A microempreendedora, de 52 anos, aposta nos aprendizados adquiridos para potencializar a qualidade dos materiais confeccionados e comercializados. “Desde agosto, estou imersa neste curso, que está sendo muito positivo e tem melhorado minha experiência no ramo. Tenho desenvolvido, inclusive, o talento para o patchwork, para o desenho. Além de agregar conhecimento, o Colcha de Retalhos me faz sentir parte de algo, eu me sinto mais útil, aprendo e vejo portas se abrirem para uma melhoria econômica”, considerou.

mulher sorrindo para a foto em frente à mesa com tecidos em cima
Eveline Azevedo, professora do curso cedida pela UFC

O projeto de extensão, ministrado pela professora Eveline de Azevedo, cedida pela Universidade Federal do Ceará (UFC), possui duração de 4 a 6 meses por turma. A grade curricular, segundo a docente, é composta por aulas teóricas e práticas no âmbito do empreendedorismo, do desenvolvimento de produtos, da modelagem, do patchwork, entre outros. “Com o apoio da indústria têxtil, estamos incentivando a autonomia dessas mulheres para o empreendedorismo. Estar aqui, para mim, é muito mais do que passar conhecimento de moda. É conversar, estimulá-las a ocupar produtivamente a cabeça e a colher os frutos desses aprendizados”, comentou.

Para Janaína Fernandes, do Conselho Regional de Administração (CRA-CE) e gestora do curso, "nosso propósito é empoderar mulheres para que elas venham empreender, gerar independência financeira para proporcionar poder de decisão sobre seus negócios, impactando diretamente sobre suas vidas. A visão da Prefeitura para o empreendedorismo de base é essencial. Nas comunidades, há uma carência grande. Por outro lado, são repletas de mulheres talentosas, com sonhos e ideias”, destacou.

O sucesso da iniciativa garantirá perspectivas positivas para 2020. Ano que vem, o Projeto irá ultrapassar as fronteiras brasileiras e firmará participação na VII Feira Internacional de Sustentabilidade, em Angola. “Iniciaremos a nossa coleção do Colcha de Retalhos. Nós fomos convidadas a apresentar os produtos em Luanda em novembro. Esse convite veio nos presentear e reforçar a nossa ideia de que empreender com sustentabilidade, com mulheres e com visão de desenvolvimento é o que o povo cearense precisa”, adiantou Janaína.

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR MAIS FOTOS

Projeto Colcha de Retalhos incentiva a autonomia de mulheres empreendedoras no Bom Jardim

A produção de moda por meio do reaproveitamento de tecidos tem dado vida à iniciativa

mulheres com peças de tecido nas mãos em pé em volta de mesa com retalhos e sorrindo para a foto
As atividades, realizadas às segundas, quartas e sextas-feiras, reúnem cerca de 20 mulheres

O ateliê de arte do Centro de Referência do Empreendedor do bairro Bom Jardim tem sido palco de uma iniciativa transformadora. A produção de moda por meio do reaproveitamento de tecidos tem dado vida ao Projeto Colcha de Retalhos. O curso capacita mulheres em situação de vulnerabilidade e reúne esforços da Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico (SDE), da Universidade Federal do Ceará (UFC) e do Conselho Regional de Administração (CRA).

As atividades, realizadas às segundas, quartas e sextas-feiras, reúnem cerca de 20 mulheres, protagonistas de histórias de vida distintas, que compartilham o desejo de descobrir talentos, de ampliar a própria capacidade e de conquistar, por meio do empreendedorismo, a tão sonhada independência financeira.

senhor de óculos segurando bolsa de tecido e sorrindo para a foto
Mírian Santana aposta nos aprendizados adquiridos para potencializar a qualidade dos materiais confeccionados e comercializados

O titular da SDE, Mosiah Torgan, reforçou o intuito da proposta. “O Colcha de Retalhos compõe a grade de atividades do Meu Bairro Empreendedor. O objetivo é beneficiar mulheres, ensiná-las a ter uma profissão, reutilizando um material que seria descartado em produtos que possam ser comercializados pela própria comunidade, transformando as mulheres em empreendedoras sustentáveis de base comunitária. Para isso, o Centro de Referência do Empreendedor oferece a estrutura adequada por meio de maquinários e armários. O resultado disso é inclusão, profissionalização, empreendedorismo e geração de oportunidades”, informou, ressaltando a importância da união de esforços entre o poder público, a iniciativa privada e a universidade.

Almofadas, jogos americanos, bolsas, laços e bonecas estão entre os principais materiais produzidos por Mírian Santana. A microempreendedora, de 52 anos, aposta nos aprendizados adquiridos para potencializar a qualidade dos materiais confeccionados e comercializados. “Desde agosto, estou imersa neste curso, que está sendo muito positivo e tem melhorado minha experiência no ramo. Tenho desenvolvido, inclusive, o talento para o patchwork, para o desenho. Além de agregar conhecimento, o Colcha de Retalhos me faz sentir parte de algo, eu me sinto mais útil, aprendo e vejo portas se abrirem para uma melhoria econômica”, considerou.

mulher sorrindo para a foto em frente à mesa com tecidos em cima
Eveline Azevedo, professora do curso cedida pela UFC

O projeto de extensão, ministrado pela professora Eveline de Azevedo, cedida pela Universidade Federal do Ceará (UFC), possui duração de 4 a 6 meses por turma. A grade curricular, segundo a docente, é composta por aulas teóricas e práticas no âmbito do empreendedorismo, do desenvolvimento de produtos, da modelagem, do patchwork, entre outros. “Com o apoio da indústria têxtil, estamos incentivando a autonomia dessas mulheres para o empreendedorismo. Estar aqui, para mim, é muito mais do que passar conhecimento de moda. É conversar, estimulá-las a ocupar produtivamente a cabeça e a colher os frutos desses aprendizados”, comentou.

Para Janaína Fernandes, do Conselho Regional de Administração (CRA-CE) e gestora do curso, "nosso propósito é empoderar mulheres para que elas venham empreender, gerar independência financeira para proporcionar poder de decisão sobre seus negócios, impactando diretamente sobre suas vidas. A visão da Prefeitura para o empreendedorismo de base é essencial. Nas comunidades, há uma carência grande. Por outro lado, são repletas de mulheres talentosas, com sonhos e ideias”, destacou.

O sucesso da iniciativa garantirá perspectivas positivas para 2020. Ano que vem, o Projeto irá ultrapassar as fronteiras brasileiras e firmará participação na VII Feira Internacional de Sustentabilidade, em Angola. “Iniciaremos a nossa coleção do Colcha de Retalhos. Nós fomos convidadas a apresentar os produtos em Luanda em novembro. Esse convite veio nos presentear e reforçar a nossa ideia de que empreender com sustentabilidade, com mulheres e com visão de desenvolvimento é o que o povo cearense precisa”, adiantou Janaína.

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR MAIS FOTOS