16 de fevereiro de 2022 em Mobilidade

Agentes de trânsito otimizam trabalho de escolta com simulação

O objetivo da simulação é aprimorar a atuação do corpo técnico da AMC em situações de emergência


A Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) está qualificando 17 agentes de trânsito, nesta quarta-feira (16/02), com uma simulação de motociclista batedor. A ação qualifica o efetivo operacional para atuação em diversas modalidades de escoltas, principalmente de autoridades, transporte de órgãos, comboios de ambulâncias e situações de emergência que exigem técnica e agilidade. A iniciativa tem o apoio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).
 
A AMC é um dos poucos órgãos municipais de trânsito no País que possui corpo técnico com este nível de especialização. "Esta é a primeira turma deste ano. O intuito é otimizar os trabalhos e, com isso, reduzir o tempo de percurso com segurança, sendo ainda mais eficaz no atendimento de emergência", destaca a superintendente da AMC, Juliana Coelho.
 
Acompanhados de uma equipe de instrutores experientes da própria AMC, os motociclistas batedores simulam uma operação rotina de escolta nas vias da cidade. As atividades exigem um nível de técnica apurado onde o motociclista batedor tem a função de promover a escolta de um determinado tipo de comboio no menor tempo possível ao seu destino.
 
"A atividade de batedor é de pronto-emprego. Quando somos acionados, atendemos a demanda e precisamos estar sempre preparados", destaca o agente de trânsito Façanha, um dos instrutores da formação.
 
Apoio no transporte de órgãos
 
Além da rotina diária de controlar o tráfego, coibir práticas irregulares nas vias e prestar atendimento em sinistros de trânsito, os agentes da AMC também ajudam a salvar vidas no apoio para o transporte de órgãos. Em 2021, os batedores atuaram em quatro operações de transporte de órgãos.
 
Na semana passada, uma equipe com oito batedores auxiliou no deslocamento de um coração e um pulmão do Instituto Dr. José Frota (IJF) ao Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes.
 
O suporte dado à realização de transplantes varia desde o auxílio ao trabalho de escolta com agentes realizando bloqueios provisórios nas vias transversais ao controle dos semáforos centralizados, que possibilitam maior fluidez do tráfego com a programação da “onda verde” durante os percursos.

À medida que o comboio se aproxima dos equipamentos semafóricos, o tempo do sinal é alterado para permanecer no estágio verde por meio do acompanhamento pelas câmeras de videomonitoramento na Central. 
 
Com essa sincronia, aliada ao apoio dos agentes, foi possível otimizar os deslocamentos do Centro à Messejana. Nesta operação, por exemplo, o tempo do trajeto foi reduzido de 25 para oito minutos. Cada segundo na vida dos pacientes que estão à espera de cirurgia é decisivo.
 

Agentes de trânsito otimizam trabalho de escolta com simulação

O objetivo da simulação é aprimorar a atuação do corpo técnico da AMC em situações de emergência

A Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) está qualificando 17 agentes de trânsito, nesta quarta-feira (16/02), com uma simulação de motociclista batedor. A ação qualifica o efetivo operacional para atuação em diversas modalidades de escoltas, principalmente de autoridades, transporte de órgãos, comboios de ambulâncias e situações de emergência que exigem técnica e agilidade. A iniciativa tem o apoio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).
 
A AMC é um dos poucos órgãos municipais de trânsito no País que possui corpo técnico com este nível de especialização. "Esta é a primeira turma deste ano. O intuito é otimizar os trabalhos e, com isso, reduzir o tempo de percurso com segurança, sendo ainda mais eficaz no atendimento de emergência", destaca a superintendente da AMC, Juliana Coelho.
 
Acompanhados de uma equipe de instrutores experientes da própria AMC, os motociclistas batedores simulam uma operação rotina de escolta nas vias da cidade. As atividades exigem um nível de técnica apurado onde o motociclista batedor tem a função de promover a escolta de um determinado tipo de comboio no menor tempo possível ao seu destino.
 
"A atividade de batedor é de pronto-emprego. Quando somos acionados, atendemos a demanda e precisamos estar sempre preparados", destaca o agente de trânsito Façanha, um dos instrutores da formação.
 
Apoio no transporte de órgãos
 
Além da rotina diária de controlar o tráfego, coibir práticas irregulares nas vias e prestar atendimento em sinistros de trânsito, os agentes da AMC também ajudam a salvar vidas no apoio para o transporte de órgãos. Em 2021, os batedores atuaram em quatro operações de transporte de órgãos.
 
Na semana passada, uma equipe com oito batedores auxiliou no deslocamento de um coração e um pulmão do Instituto Dr. José Frota (IJF) ao Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes.
 
O suporte dado à realização de transplantes varia desde o auxílio ao trabalho de escolta com agentes realizando bloqueios provisórios nas vias transversais ao controle dos semáforos centralizados, que possibilitam maior fluidez do tráfego com a programação da “onda verde” durante os percursos.

À medida que o comboio se aproxima dos equipamentos semafóricos, o tempo do sinal é alterado para permanecer no estágio verde por meio do acompanhamento pelas câmeras de videomonitoramento na Central. 
 
Com essa sincronia, aliada ao apoio dos agentes, foi possível otimizar os deslocamentos do Centro à Messejana. Nesta operação, por exemplo, o tempo do trajeto foi reduzido de 25 para oito minutos. Cada segundo na vida dos pacientes que estão à espera de cirurgia é decisivo.