23 de março de 2022 em Mobilidade

Andar de bike em Fortaleza é opção de deslocamento seguro e econômico

Espaços exclusivos para circulação de bicicletas estão em constante expansão na cidade


homem andando de bicicleta na ciclofaixa da barbosa de freitas
Os ciclistas contam hoje com cerca de 410 km de infraestrutura cicloviária para realizar suas viagens (Foto: Marcos Moura)

No momento em que andar de carro está mais caro pelo aumento no preço do combustível, a bicicleta tem ganhado espaço como alternativa de transporte econômica e sustentável. Em Fortaleza, os investimentos da Prefeitura na área garantem segurança aos adeptos e estimulam a busca pelo modal.

Os ciclistas contam hoje com cerca de 410 km de infraestrutura cicloviária para realizar suas viagens. São ciclofaixas, ciclovias, ciclorrotas e passeios compartilhados que permitem um ir e vir cada vez mais seguro. “Em 2013, tínhamos apenas 68 km de malha dedicada exclusivamente a esses usuários. Hoje, esse número é quase seis vezes maior. Aos poucos, fomos inserindo uma mudança de cultura nos cidadãos de inclusão e respeito ao modal cicloviário, que está cada vez mais presente na cidade”, esclarece Antônio Ferreira, superintendente da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC).

Espaços exclusivos para circulação de bicicletas estão em constante expansão e são o primeiro passo para atrair mais adeptos. Nos últimos sete anos, houve aumento de 495% na rede cicloviária, que contempla todas as regionais. A última implantação foi na Rua Barbosa de Freiras. A próxima prevista compreenderá as avenidas Pessoa Anta, Almirante Barroso e Rua Adolfo Caminha, no bairro Praia de Iracema.

Segundo o Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP Brasil), Fortaleza é a capital brasileira onde as pessoas vivem mais próximas à infraestrutura cicloviária, com mais de 50% dos habitantes morando a menos de 300 metros de alguma ciclovia ou ciclofaixa. Até o fim de 2024, a cidade terá uma malha total de 500 km.

Nas vias contempladas com a medida, observou-se um aumento do número de ciclistas após a instalação desta sinalização. O crescimento mais significativo dos últimos sete anos foi registrado na Av. Domingos Olímpio (+213%), Av. Gomes de Matos (+304%), Rua Emílio de Menezes (+266%), Rua Oscar França (+209%) e Av. Virgílio Távora (+433%).

Bicicletar

Além da malha cicloviária, a Capital dispõe ainda de um dos maiores sistemas de bicicletas compartilhadas do País. O Bicicletar possui 328.204 usuários ativos e já soma 4.868.339 viagens realizadas desde o início das suas atividades em dezembro de 2014.

Somente este ano, 238.976 viagens já foram registradas no sistema, com 24.637 usuários diferentes utilizando as bicicletas compartilhadas. Diariamente, são concluídas, em média, 3.212 viagens pelo Bicicletar, como parte de uma cidade cada vez mais sustentável, mostrando o empenho da Prefeitura de Fortaleza no fortalecimento de uma política de mobilidade urbana mais democrática.

Atualmente, são 192 estações espalhadas em pontos estratégicos e 11 estações do Mini Bicicletar, projeto voltado para o público infantil, a fim de incentivar nas crianças bons hábitos e a preocupação com o planeta.

Paraciclos, bicicletários e parapés

Considerada uma das cidades mais cicláveis do país, Fortaleza também vem incentivando o modal cicloviário através da instalação de 859 paraciclos, quatro bicicletários distribuídos nos terminais

Antônio Bezerra, Messejana, Parangaba e Siqueira, além de 20 pararapés,  elementos que servem como suportes de pé e mão para o ciclista se apoiar ao parar em um semáforo.

Andar de bike em Fortaleza é opção de deslocamento seguro e econômico

Espaços exclusivos para circulação de bicicletas estão em constante expansão na cidade

homem andando de bicicleta na ciclofaixa da barbosa de freitas
Os ciclistas contam hoje com cerca de 410 km de infraestrutura cicloviária para realizar suas viagens (Foto: Marcos Moura)

No momento em que andar de carro está mais caro pelo aumento no preço do combustível, a bicicleta tem ganhado espaço como alternativa de transporte econômica e sustentável. Em Fortaleza, os investimentos da Prefeitura na área garantem segurança aos adeptos e estimulam a busca pelo modal.

Os ciclistas contam hoje com cerca de 410 km de infraestrutura cicloviária para realizar suas viagens. São ciclofaixas, ciclovias, ciclorrotas e passeios compartilhados que permitem um ir e vir cada vez mais seguro. “Em 2013, tínhamos apenas 68 km de malha dedicada exclusivamente a esses usuários. Hoje, esse número é quase seis vezes maior. Aos poucos, fomos inserindo uma mudança de cultura nos cidadãos de inclusão e respeito ao modal cicloviário, que está cada vez mais presente na cidade”, esclarece Antônio Ferreira, superintendente da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC).

Espaços exclusivos para circulação de bicicletas estão em constante expansão e são o primeiro passo para atrair mais adeptos. Nos últimos sete anos, houve aumento de 495% na rede cicloviária, que contempla todas as regionais. A última implantação foi na Rua Barbosa de Freiras. A próxima prevista compreenderá as avenidas Pessoa Anta, Almirante Barroso e Rua Adolfo Caminha, no bairro Praia de Iracema.

Segundo o Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP Brasil), Fortaleza é a capital brasileira onde as pessoas vivem mais próximas à infraestrutura cicloviária, com mais de 50% dos habitantes morando a menos de 300 metros de alguma ciclovia ou ciclofaixa. Até o fim de 2024, a cidade terá uma malha total de 500 km.

Nas vias contempladas com a medida, observou-se um aumento do número de ciclistas após a instalação desta sinalização. O crescimento mais significativo dos últimos sete anos foi registrado na Av. Domingos Olímpio (+213%), Av. Gomes de Matos (+304%), Rua Emílio de Menezes (+266%), Rua Oscar França (+209%) e Av. Virgílio Távora (+433%).

Bicicletar

Além da malha cicloviária, a Capital dispõe ainda de um dos maiores sistemas de bicicletas compartilhadas do País. O Bicicletar possui 328.204 usuários ativos e já soma 4.868.339 viagens realizadas desde o início das suas atividades em dezembro de 2014.

Somente este ano, 238.976 viagens já foram registradas no sistema, com 24.637 usuários diferentes utilizando as bicicletas compartilhadas. Diariamente, são concluídas, em média, 3.212 viagens pelo Bicicletar, como parte de uma cidade cada vez mais sustentável, mostrando o empenho da Prefeitura de Fortaleza no fortalecimento de uma política de mobilidade urbana mais democrática.

Atualmente, são 192 estações espalhadas em pontos estratégicos e 11 estações do Mini Bicicletar, projeto voltado para o público infantil, a fim de incentivar nas crianças bons hábitos e a preocupação com o planeta.

Paraciclos, bicicletários e parapés

Considerada uma das cidades mais cicláveis do país, Fortaleza também vem incentivando o modal cicloviário através da instalação de 859 paraciclos, quatro bicicletários distribuídos nos terminais

Antônio Bezerra, Messejana, Parangaba e Siqueira, além de 20 pararapés,  elementos que servem como suportes de pé e mão para o ciclista se apoiar ao parar em um semáforo.