Dando continuidade à programação do Maio Amarelo, a Prefeitura de Fortaleza realiza nesta terça-feira (15/05) ações educativas com foco nos motociclistas e pedestres, que são as principais vítimas de acidentes de trânsito fatais. As atividades desenvolvidas pela Gerência de Educação da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) objetivam conscientizá-los sobre um tráfego mais seguro.
 
No período da manhã, a partir de 8h30, acontecerá mais uma edição do projeto “Motociclista Prudente: quem é consciente não se envolve em acidente” na Praça das Flores. Educadores de trânsito farão abordagens, orientando condutores de motocicletas a utilizarem o capacete devidamente afivelado e equipamentos de segurança, além de adotar um comportamento preventivo e seguir às normas de sinalização viária.
 
À tarde, por volta de 16h, será a vez dos pedestres mostrarem que têm prioridade no trânsito da cidade. No intuito de chamar a atenção de condutores de veículos para o respeito ao pedestre, estão previstas intervenções com um tapete vermelho em que os transeuntes serão convidados a fazerem uma travessia segura na faixa. A mobilização acontecerá na Rua Barbosa de Freitas, ao lado do Shopping Del Paseo.
 
Dados de acidentes
 
Segundo o Relatório Anual de Acidentes de Trânsito, embora tenha havido uma redução significativa no número de mortes, motociclistas ainda correspondem a 50% do total de óbitos coletados em 2017, seguido por pedestres que representam 37%.
 
História do Maio Amarelo
 
O movimento teve início por iniciativa do Observatório Nacional de Segurança Viária e, desde então, vem ganhando adeptos não só no Brasil, mas também em outros países. Assim como o “Outubro Rosa” e o “Novembro Azul”, que tratam dos temas câncer de mama e próstata, o “Maio Amarelo” procura estimular ações voltadas à conscientização, ao amplo debate das responsabilidades e à avaliação de riscos sobre o comportamento de cada cidadão, dentro de seus deslocamentos diários no trânsito. A Prefeitura de Fortaleza é signatária do movimento desde 2015. E, a partir de 2017, começou a organizar ações de educação, mobilização, além de implementar infraestrutura de segurança em pontos estratégicos para prevenir acidentes de trânsito, principalmente com mortos e feridos.
Publicado em Mobilidade
prefeito roberto claudio caminha pela obra do IJF2
Roberto Cláudio esteve nas obras do IJF2 e explicou que o hospital será entregue por etapas

Na manhã deste sábado (28/04), o prefeito Roberto Cláudio visitou três intervenções municipais que devem ser entregues no segundo semestre de 2018. O gestor esteve no canteiro de obras do IJF2, dos túneis da Via Expressa e do restauro do Teatro São José. “Este foi um sábado produtivo. Todas as obras visitadas estão dentro do prazo e, quando inauguradas, ofertarão novas oportunidades de desenvolvimento e, também, de qualificação de serviços na Cidade”, afirmou o Prefeito.

As visitas foram iniciadas nos túneis da Via Expressa. Os trabalhos seguem em ritmo acelerado e a expectativa é que o primeiro túnel, que cruza o trecho da linha férrea do VLT do Governo do Estado, esteja finalizado no início do segundo semestre deste ano, já com liberação do trânsito. O segundo, no cruzamento da Via Expressa com Alberto Sá, está previsto para o início de 2019.

Logo após, Roberto Cláudio esteve no canteiro de obras do IJF2, que segue um cronograma de etapas, como explicou o Gestor: "vamos entregar no começo do segundo semestre os três primeiros andares. Essa primeira etapa envolve enfermaria, ressonância, hemodinâmica e novo centro cirúrgico com nove salas. Só aí, serão mais de 140 novos leitos para podermos definitivamente resolver um problema que há mais de 20 anos é muito presente no IJF, que são os leitos de corredor”, completou.

A restauração do Teatro São José foi a última intervenção visitada pela comitiva municipal. Em fase de finalização, a requalificação do espaço cultural de valor histórico para a Cidade tem como objetivo promover mais acesso cultural a fortalezenses, além de desenvolver a reocupação do Centro e o fortalecimento da região como um polo de cultura, lazer e entretenimento.

Manuela Nogueira, secretária da Infraestrutura, lembrou que a Prefeitura vem mantendo o compromisso de entrega das obras dentro do prazos estabelecidos, citando que as obras inspecionadas nesse sábado trarão benefícios diretos aos fortalezenses em áreas sensíveis a todos.

Publicado em Infraestrutura
Esquina
Projeto consiste em renovar a sinalização horizontal nas áreas de esquina que têm registrado alto índice de acidentes

Um novo levantamento realizado pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) mostra que o projeto Esquina Segura está alcançando o seu objetivo: salvar vidas. Exemplo disso é que o número de acidentes com vítima teve redução de, em média, 57% nos locais contemplados com a intervenção, garantindo mais segurança aos condutores e pedestres que se deslocam diariamente pela cidade.

Segundo dados do órgão de trânsito, numa comparação mais abrangente e robusta, o estudo indicou uma redução de mais da metade de acidentes com vítima em análise realizada considerando uma amostra de 55 esquinas contempladas pelo projeto. Em consonância com esse resultado, o quantitativo de acidentes gerais também diminuiu em 30%.

“O nosso esforço em sinalizar os cruzamentos e fiscalizá-los tem promovido uma mudança de cultura nos condutores e respeito às normas de circulação viária. Essas áreas de esquina estão mais livres e permitem que o motorista tenha uma melhor visibilidade ao cruzar a via, evitando riscos de acidentes”, avalia o superintendente da AMC, Arcelino Lima.

A análise considerou grupos de comparação visando a isolar o efeito da “Esquina Segura”, que teve sua eficiência comprovada estatisticamente. O período de análise de dados para cada interseção foi de nove a seis meses após a implantação do projeto e o igual período do ano anterior.

A maior variação percebida foi no cruzamento das ruas Amadeu Furtado e Gustavo Sampaio, na Aldeota. Comparando os meses de abril a dezembro de 2016 e 2017, esse cruzamento teve redução de nove acidentes com vítima. De acordo com Luiz Alberto Saboia, secretário-executivo de Conservação e Serviços Públicos, esse é mais um esforço da política de segurança viária da Prefeitura de Fortaleza para garantir aos usuários uma visibilidade adequada em áreas de esquina e consequentemente uma travessia segura.

“Estamos avançando ao implantar uma tolerância zero para quem comete esse tipo de irregularidade, que compromete a visibilidade do motorista e oferece graves riscos. A tendência é que o quantitativo de acidentes continue reduzindo e cruzamentos com alta taxa de acidentalidade viária se tornem mais seguros”, pontua o gestor.

Esquina Segura
“Esquina Segura” é uma das medidas anunciadas pelo prefeito Roberto Cláudio para um trânsito mais seguro. O projeto, que tem apoio da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global, consiste em renovar a sinalização horizontal nas áreas de esquina que têm registrado alto índice de acidentes com marcas de canalização e tachões, além de reforço na fiscalização. Desde o início da operação, que começou em março do ano passado, 188 esquinas já foram sinalizadas. Uma média de 280 veículos são rebocados mensalmente.

Publicado em Mobilidade

Após notificar os proprietários de veículos abandonados nas vias públicas para a retirada dos mesmos, a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) iniciará, nesta segunda-feira (16/04), o procedimento de remoção dos carros e motocicletas que ainda permanecerem nas ruas e avenidas. O objetivo da medida é a desobstrução viária, oferecendo mais mobilidade e segurança para a população.

De acordo com a Lei nº 10.677/2018, publicada no Diário Oficial do Município do dia 06 de março, os veículos automotores, elétricos, articulados, reboques e semirreboques podem ser removidos quando estiverem estacionados em logradouros públicos a mais de cinco dias, sem uma das placas de identificação ou quando apresentarem qualquer sinal de abandono:

- evidente estado de decomposição de sua carroceria e de suas partes removíveis;

- mau estado de conservação;

- vidro quebrado ou avarias nas portas que permita acesso de pessoas sem obstrução.

Ao ser recolhido, o veículo será levado para o depósito do órgão, onde só poderá ser liberado mediante pagamento das despesas de remoção e estadia, bem como outros encargos já previstos. Decorrido o prazo de 60 dias, contados a partir da remoção do veículo, o mesmo irá a leilão.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) não prevê multa para os casos de abandono, exceto quando o veículo estiver cometendo infração, ou seja, estacionado em local proibido. Os usuários que desejarem denunciar veículos nestas condições devem entrar em contato com o órgão, formalizando processo em uma das centrais de atendimento ou por meio do aplicativo “AMC Móvel”. As operações serão contínuas e devem acontecer diariamente em todas as áreas da Cidade.

Na opinião do superintendente da AMC, Arcelino Lima, os veículos abandonados possuem o potencial de causar sérios problemas à saúde, tendo em vista que costumam acumular sujeira, contribuindo para a proliferação de mosquitos.“É imprescindível contar com o apoio da população para nos ajudar a mapear esses locais”, explica.

 

Publicado em Mobilidade

A Prefeitura de Fortaleza está concluindo a capacitação de novos orientadores de tráfego para auxiliarem nas ações de disciplinamento de trânsito em suporte aos agentes da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) no entorno de obras e eventos. Ao final da qualificação, 30 alunos estarão aptos a serem contratados para exercerem função de indispensável importância na mobilidade da Cidade: controlar a operação e dar apoio nos principais polos geradores de tráfego.

Ministrado por uma equipe de instrutores experientes do próprio órgão, o curso tem carga horária de 20 horas/aula e tem como objetivo capacitar e formar orientadores que possam intervir no trânsito promovendo a segurança e mobilidade dos cidadãos. A qualificação faz parte do projeto “Operação Cidadã”.

Durante o treinamento, foi realizada uma parte teórica na qual foram repassadas as principais normas de circulação e legislação de trânsito. Em um segundo momento, eles vivenciaram na prática as intervenções a serem realizadas nas vias. 

Os orientadores são da empresa VPX e podem ser contratados para atuar no entorno de empreendimentos, obras e eventos ou até mesmo em outros locais que atraem ou produzem grande número de viagens, seguindo o plano operacional elaborado pela AMC e sob a supervisão do órgão. 

Publicado em Mobilidade

Representantes do poder público, de universidades, da indústria, do comércio, do esporte, de igrejas e grupos religiosos voltam a se reunir nesta quinta-feira (08/03) na Universidade de Fortaleza (Unifor) para discutir os conceitos de “visão zero” e de “sistema viário seguro” que vem ganhando adeptos em diversas cidades e países ao redor do mundo. O II Fórum do Observatório de Segurança Viária é organizado pela Prefeitura de Fortaleza, com apoio da Unifor e da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global, por meio da WRI Brasil.

O evento traz pela primeira vez a Fortaleza as especialistas em segurança viária Claudia Adriazola e Anne Eriksson, naturais do Peru e da Dinamarca, respectivamente, e referências globais na elaboração de planos de segurança viária que buscam determinar metas e responsabilidades para prevenir mortes e feridos no trânsito. O Observatório de Segurança Viária foi anunciado em junho do ano passado pela reitora da Unifor, Fátima Veras, e pelo prefeito Roberto Cláudio como uma parceria entre poder público e academia para aproximar representantes de diversos setores da sociedade civil para apresentação de melhores práticas e o engajamento no combate ao elevado número de acidentes de trânsito.

“O nosso entendimento é de que essa é uma batalha que precisa de reforços de todos os setores da sociedade – quanto mais cedo todos perceberem que esse é um desafio comum, antes vamos conseguir colher resultados, principalmente salvar vidas”, explica o secretário executivo de Conservação e Serviços Públicos da Prefeitura de Fortaleza, Luiz Alberto Sabóia. O I Fórum do Observatório foi realizado em outubro de 2017 com a participação da PhD em psicologia no trânsito e gerente mundial da Global Road Safety Partnership (GRSP, na sigla em inglês), Judy Fleiter.

O professor Vasco Furtado, Diretor de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Unifor, considera que o segundo Fórum consolida a posição da Unifor como protagonista na busca de soluções para problemas sociais. “Trata-se de mais um exemplo de como as pesquisas desenvolvidas na Unifor estão em sintonia com os mais importantes temas da sociedade cearense”, ressaltou.

As especialistas

Claudia Adriazola é diretora global do Programa Saúde e Segurança Viária do World Resources Institute (WRI, na sigla em inglês) e se dedica a estudar os impactos que o transporte e o desenvolvimento urbano têm sobre a saúde pública, além de soluções para melhorar a segurança do trânsito, a qualidade do ar, a atividade física e a qualidade de vida. Ao longo dos últimos anos ocupou diferentes cargos gerenciais no setor público do Governo do Peru, sempre relacionados à segurança e a mobilidade sustentável.

Anne Eriksson se dedica desde 1999 à segurança viária, especialmente de ciclistas e pedestres, nas cidades de Copenhague e Gladsaxe, na Dinamarca. Ela participou da elaboração do plano de segurança viária de Copenhague e hoje trabalha na Danish Road Directorate, agência do Ministério dos Transportes dinamarquês. Ela também é auditora de Segurança Viária certificada e conferencista convidada da Universidade Técnica da Dinamarca. Anne também já atuou em diversos projetos de Segurança Viária no trânsito no exterior, inclusive na América do Sul.

Sistemas Viários Seguros e a ‘Visão Zero’

O conceito de Sistemas Viários seguros foi apresentado pela primeira vez na Europa, durante a década de 1990 e desde então vem ganhando adeptos em diversos países do continente, além da Austrália, Nova Zelândia, Canadá, Estados Unidos e Colômbia, além de vários outros. A cidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, também anunciou na mesma época, a adoção do conceito de que os sistemas viários devem prever que todos os usuários, condutores ou não, são suscetíveis de erros no trânsito que podem levar à acidentes, com mortos e feridos. A partir dessa premissa, toda a lógica de desenho das ruas, fiscalização e mesmo de responsabilidade do poder público e sociedade civil passa a ser orientada para evitar os conflitos nas ruas que, potencialmente, podem gerar vítimas.

Em diversos países onde esse entendimento foi adotado e a gestão do trânsito foi aperfeiçoada, as sociedades também adotaram a ideia de “visão zero” em que nenhuma morte relacionada ao trânsito pode ser tolerada ou encarada como uma “fatalidade” e sim como uma falha no sistema. “Em qualquer lugar do mundo as pessoas cometem erros no trânsito, mas isso não quer dizer que elas devam pagar com a própria vida ou tirar a vida de outros. Essa é a ideia principal desses novos conceitos. A intenção é que essas discussões ganhem adeptos e que possamos adaptar essa lógica para a nossa realidade” explica Dante Rosado, coordenador da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global em Fortaleza.

O que é o Observatório de Segurança Viária

Iniciativa da Unifor e da Prefeitura de Fortaleza, o Observatório de Segurança Viária busca criar não apenas um fórum de discussão de desafios e soluções com participação do poder público, universidades e de diversos setores da sociedade civil, mas também um canal virtual de compartilhamento de dados relativos aos acidentes de trânsito em Fortaleza.

O objetivo do Observatório de Segurança Viária, que conta com apoio da Parceria Global pela Segurança Viária, da Cruz Vermelha Internacional e da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global, é dar transparência ao tema, compartilhar informações sobre a mortalidade e morbidade no trânsito, para promover a conscientização da população, tanto sobre a dimensão do problema, quanto sobre a possibilidade de prevenção dos acidentes.

Serviço
2º Fórum do Observatório de Segurança Viária de Fortaleza
Local: Auditório A3 - Av. Washington Soares, 1321, Edson Queiroz
Data: 08/03/2018 (quinta-feira)
Horário: 14h às 17h

Publicado em Mobilidade
Leste Oeste
Foram instalados seis novos semáforos, e o trânsito em ruas perpendiculares foi reorganizado em sistemas binários (Foto: Marcos Peixoto)

Com o objetivo de evitar mortes no trânsito e preservar vidas, a Prefeitura de Fortaleza dá continuidade a uma série de intervenções ao longo da Avenida Presidente Castelo Branco, também conhecida como Leste-Oeste, para prevenir acidentes. A via é considerada uma das piores em número de acidentes, especialmente com relação ao atropelamento de pedestres e ciclistas. De acordo com o Relatório Anual de Segurança Viária de Fortaleza, nos últimos dez anos 106 pessoas morreram na avenida e mais de 50% desse total eram pedestres. Somente em 2017, foram registradas dez mortes, todas decorrentes de atropelamento e colisões envolvendo ciclistas.

Ao longo do trecho entre as avenidas Pasteur e Radialista José Lima Verde, foram instalados seis novos semáforos. O trânsito em ruas perpendiculares também foi reorganizado em sistemas binários que contemplou ainda o fechamento de retorno e conversões. A nova sinalização horizontal e vertical, sete faixas de retenção para motocicletas, além de um desenho urbano mais amigável aos pedestres e ciclistas, estão em implantação nas esquinas.

Nos próximos dias, a ciclofaixa existente junto ao canteiro central entre a Rua Jacinto Matos e Avenida Pasteur será prolongada até a Avenida Radialista José Lima Verde, terminando no Cuca, onde estará localizada junto ao passeio. Ao todo, serão 5 Km de nova infraestrutura cicloviária na Av. Leste-Oeste, para oferecer mais segurança aos ciclistas. A próxima etapa da intervenção promoverá a ligação da Av. Leste-Oeste ao Centro e Praia de Iracema.

A Autarquia de Paisagismo e Urbanismo de Fortaleza (UrbFor) também promoverá, nas próximas semanas, o serviço de recuperação do canteiro central que já foi realizado em outros trechos da Avenida Leste-Oeste. A arborização implantada ao longo do canteiro central priorizará as faixas adjacentes aos semáforos e passagens de pedestres, com o propósito de incentivar a travessia nesses locais e evitar acidentes.

Quem trafega pelo local, no trecho entre a Rua Jacinto Matos e Radialista José Lima Verde, também terá que obedecer ao novo limite de velocidade e circular a no máximo 50 km/h, assim que a nova sinalização estiver concluída. Durante os primeiros seis meses, a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) realizará um trabalho educativo na região. Neste período de adaptação, não haverá multa, exceto nos casos em que os equipamentos de fiscalização eletrônica registrarem velocidade superior a 60 km/h. “A expectativa é que, a partir da medida, possamos monitorar o comportamento dos condutores e pedestres para então avaliarmos a ampliação desta política para outras vias da Cidade”, explica o superintendente do órgão, Arcelino Lima.

A via é a primeira da Capital contemplada com esse padrão de velocidade, em virtude da elevada taxa de acidentes de trânsito. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que vias urbanas não tenham mais do que 50 km/h como estratégia para prevenir os elevados índices de mortalidade no trânsito. O excesso de velocidade, considerado um dos principais fatores de risco, é responsável por uma em cada três mortes por acidentes de trânsito em todo o mundo.  De acordo com a Organização, a chance de um pedestre sobreviver a um atropelamento a 50 Km/h é 10 vezes maior do que a 60 Km/h.

"O prefeito Roberto Cláudio determinou que nós tomássemos medidas firmes para combater a epidemia de mortes no trânsito que acomete nossa cidade. Temos convicção de que com uma velocidade mais compatível com o fluxo de pedestres e ciclistas e a ocupação daquela região, em conjunto com alguns ajustes de engenharia, iremos reduzir o número de mortes e de registros de acidentes", explica o secretário executivo de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), Luiz Alberto Saboia.

A região da Avenida Leste-Oeste é uma das mais adensadas de Fortaleza, e cerca de 170 mil pessoas que moram na região serão diretamente beneficiadas com as mudanças. O projeto tem suporte técnico do Programa de Ações Imediatas de Transporte e Trânsito (PAITT) da SCSP. A Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global (BIGRS, na sigla em inglês) também apoia a medida com consultoria nas etapas de diagnóstico, planejamento e avaliação da intervenção.

Publicado em Mobilidade

prefeito roberto cláudio
"Com as Centrais, nós evitamos que o cidadão gaste seu dinheiro comprando remédio que ele pode achar em qualquer um dos terminais”, destacou o Prefeito
O prefeito Roberto Cláudio inaugurou, neste sábado (27/01), a sétima e última Central de Medicamentos de Fortaleza. A unidade de apoio às farmácias dos postos de saúde funciona dentro do Terminal de Messejana. Com a nova Central, a Prefeitura contempla todos os sete terminais de ônibus da Capital (Antônio Bezerra, Conjunto Ceará, Siqueira, Lagoa, Papicu, Parangaba e Messejana). A partir de segunda-feira (29/01), os usuários dos 109 postos e do anexo de saúde Maria Cirino (Jacarecanga) podem pegar o medicamento em qualquer terminal para otimizar o acesso aos remédios. “Caso esteja faltando um dos 84 medicamentos obrigatórios pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em um posto, o paciente de qualquer área pode vir buscar no Terminal de Messejana, por exemplo. Com isso, nós evitamos que o cidadão gaste seu dinheiro comprando remédio que ele pode achar em qualquer um dos terminais”, destacou o Prefeito.

Desde agosto de 2017, já foram realizados mais de 17 mil atendimentos nas seis Centrais de Medicamentos instaladas na atual gestão. Os equipamentos faziam parte do Plano de Governo do prefeito Roberto Cláudio, com o objetivo de regularizar em definitivo a questão da distribuição e entrega de medicamentos da atenção primária de Fortaleza.

De acordo com a titular da Secretaria da Saúde de Fortaleza, Joana Maciel, caso o paciente não seja usuário do Sistema de Transporte Urbano, qualquer pessoa de posse do encaminhamento e do RG do paciente poderá pegar a medicação, sem burocracia. “Temos a garantia de que todo cidadão de Fortaleza, usuário do SUS, terá acesso aos medicamentos prioritários. Os 110 postos de saúde estão vinculados às Centrais. Se faltar na ponta, o paciente escolhe onde quer receber e o medicamento fica reservado por dois dias úteis”, explicou a Secretária.

Novo Terminal

O prefeito Roberto Cláudio também acompanhou as primeiras horas de funcionamento do novo Terminal de Messejana. A transferência operacional dos ônibus do terminal provisório para o novo começou à meia-noite deste sábado. 58 linhas de ônibus operam no Terminal, com circulação, em média, de 230 veículos/hora. 135 mil passageiros circulam todo dia no equipamento “Tínhamos um espaço pequeno e inadequado para tantos usuários. Com essa inauguração, esperamos que os passageiros façam suas viagens com mais comodidade e mais acessibilidade. Três elevadores e uma rampa adaptada ficarão prontos até abril. É uma das obras de terminal mais modernas do Norte e Nordeste”, pontuou o presidente da Etufor, José do Carmo Gondim.

Com a transferência da operação, as novas paradas de ônibus foram distribuídas em duas das três plataformas construídas. Apenas a plataforma central não entrou em funcionamento. O espaço por onde vão circular os ônibus articulados será liberado posteriormente, oferecendo embarque e desembarque em nível, semelhante às estações dos corredores expressos de ônibus. A entrega da obra completa do Terminal de Messejana está prevista para abril deste ano, bem como a nova praça construída em frente ao novo equipamento.

O Terminal de Messejana teve uma ampliação de 70% do espaço, passando de 4 mil m² para 6,8 mil m² de área construída, sendo o maior e mais bem estruturado terminal de ônibus de Fortaleza. A manicure Juliana Pio passa por elel, pelo menos, duas vezes por dia e gostou da nova estrutura. “Tá maior, tá melhor e eu ainda estou me adaptando para encontrar as linhas. Eu vi que temos mais ônibus passando aqui e isso vai facilitar para quem vive ou trabalha aqui”, disse.

Os permissionários cadastrados também já ocuparam os 20 novos boxes, construídos com estrutura adequada para o comércio de diversos produtos no interior do Terminal. É o caso do Francisco Elionardo, que ainda arrumava o boxe, mas já atendia os clientes. “Aqui é negócio de família. Há uns 20 anos que trabalhamos em terminais. Esse boxe aqui é maior do que o antigo. Ficou melhor”.

Terminal Literário

Na ocasião, também foi inaugurada mais uma unidade do Terminal Literário, projeto da Secretaria da Cultura de Fortaleza (Secultfor). Com estantes abertas ao público, o cidadão fica livre para escolher os livros de seu interesse e devolvê-los após o término da leitura, podendo levar o exemplar para casa. “Além de estimular a leitura, queremos estimular o compartilhamento. Não precisa cadastro ou cobrança para pegar o livro da estante. É só ler e depois devolver em qualquer terminal de Fortaleza”, explicou Paola Braga, secretária executiva da Cultura de Fortaleza.

Mais de 60 mil livros já foram compartilhados nos terminais literários de Fortaleza. Toda semana, a Secultfor renova e distribui cerca de 100 livros nas estantes. Quem quiser doar, pode entregá-los na administração dos terminais para que sejam carimbados e catalogados. O projeto gratuito segue em funcionamento nos terminais do Papicu, Conjunto Ceará, Siqueira, Lagoa, Parangaba e Antônio Bezerra.

Publicado em Saúde

A programação do Pré-Carnaval de Fortaleza continua neste fim de semana, atraindo brincantes por toda parte. Para garantir a segurança dos foliões, a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) controla a circulação no entorno dos principais eventos, coibindo o estacionamento irregular, além de efetuar bloqueios provisórios a fim de assegurar um ir e vir do público com mais fluidez e agilidade. Um efetivo de 120 agentes e orientadores de tráfego está envolvido nestas operações.

Palco principal do evento, a Praia de Iracema conta com dois percursos oficiais para os desfiles dos blocos. O primeiro percurso tem concentração no cruzamento da Av. Historiador Raimundo Girão com Monsenhor Bruno, seguindo até a Rua Ildefonso Albano para acessar a Av. Beira-Mar. Nesse trecho, será proibido estacionar nas vias a partir de 6h para liberar a área de concentração dos foliões e ambulantes previamente cadastrados.

A Av. Historiador Raimundo Girão ficará bloqueada entre a Rui Barbosa e Ildefonso Albano. Já a Av. Beira-Mar será interditada entre as ruas Ildefonso Albano e Arariús. Os bloqueios acontecerão a partir de 14h. A opção de desvio para quem trafega no sentido Aldeota/Centro é utilizar a Rui Barbosa e seguir pela Dep. Moreira da Rocha. Quem vem no sentido Centro/Aldeota, a opção é entrar à direita na Rua Ildefonso Albano e Av. Monsenhor Tabosa. Quem preferir também pode optar por rotas alternativas como as ruas Tenente Benévolo ou Pereira Filgueiras.

O segundo percurso tem concentração na Rua João Cordeiro, onde também será proibido estacionar no trecho compreendido entre a Rua Tenente Benévolo e Av. Beira-Mar. Durante a passagem dos blocos, agentes de trânsito efetuarão o bloqueio dos cruzamentos da Rua João Cordeiro com as vias Tenente Benévolo, Monsenhor Tabosa e Historiador Raimundo Girão.

A novidade deste ano é o polo da Av. Monsenhor Tabosa. Nos dias de Pré-Carnaval, haverá um bloqueio no cruzamento das avenidas Monsenhor Tabosa com Dom Manuel, a partir de 15h. O desvio indicado é seguir pelas ruas Almirante Jaceguai, Almirante Barroso e Historiador Raimundo Girão, devendo o condutor dobrar à direita na Rua Ildefonso Albano e retornar para a Av. Monsenhor Tabosa.

O acesso de moradores e hóspedes dos hotéis localizados nos trechos dos desfiles será garantido. O órgão aconselha a apresentação do comprovante de endereço aos agentes de trânsito nos postos de bloqueio. Os veículos com passageiros portadores de necessidades especiais  também terão acesso permitido para desembarque.

Os demais polos terão apoio operacional da AMC. No Benfica, a Praça da Gentilândia ficará interditada. No entorno do Mercado dos Pinhões, o bloqueio será na Rua Visconde de Pelotas entre as vias Nogueira Acioli e Gonçalves Ledo. Já na Praça do Ferreira haverá uma interdição, a partir de 16h, no cruzamento das ruas Major Facundo com São Paulo e Floriano Peixoto com Pedro Borges. Em outros blocos espalhados pela Cidade, a operação acontecerá por meio de rotas volantes.   

Publicado em Mobilidade

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) e da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), organizaou operações especiais de trânsito e transporte para o Encanta Ceará, que reunirá os talentos da música cearense no Aterro da Praia de Iracema. A festa acontecerá nesta quinta-feira (25/01).

A Etufor irá reforçar a frota de ônibus para o evento com 27 veículos extras. Com linhas especiais, saindo dos sete terminais para o Aterro da Praia de Iracema, os usuários podem se deslocar por meio de transporte público. A frota extra estará disponível nos sete terminais, a partir de 18h, e permanecerá em operação até às 3h do dia seguinte. Esses veículos farão a ligação direta entre os terminais e o local do evento.

Além dessa opção, a população poderá utilizar uma das 24 linhas que atendem regularmente a região da Praia de Iracema. 

Linhas que passam regularmente pelo entorno do evento:    

011 - Circular I

012 - Circular II

016 - Cuca Barra / Papicu

017 - Intershoppings

033 - Corujão/Circular I

051 - Grande Circular I

052 - Grande Circular II

054 - Corujão/Praia do Futuro / Caça e Pesca

055 -  Corujão/Grande Circular I

056 -   Corujão/Grande Circular II

071 - Antônio Bezerra / Mucuripe

073 - Siqueira / Praia de Iracema

077 - Parangaba / Mucuripe

092 - Antonio Bezerra / Papicu / Praia de Iracema

099 - Siqueira / Mucuripe / Barão do Studart

120 - Vila do Mar/Náutico/Antônio Bezerra I

711 -  Barra do Ceará / Cais do Porto  

752 - Caça e Pesca / Centro

762 - Caça e Pesca/Centro/IE

903 - Varjota

905 - Meireles / Centro

906 - Caça e Pesca / Serviluz / Centro

907 - Castelo Encantado / Centro

909 – Praia do Futuro/Caça e Pesca/Beira-Mar

Operação de trânsito
O plano especial de mobilidade contará com um efetivo de cerca de 50 agentes da AMC, além de 27 ônibus extras.  

A operação de trânsito terá início às 7h, com a coibição de estacionamento nas principais vias do entorno. Apenas um bloqueio viário será realizado, às 18h, na Av. Historiador Raimundo Girão, no trecho compreendido entre a Rua Ildefonso Albano e a Av. Barão de Studart, para resguardar a integridade do público. Em virtude da interdição, o motorista deve realizar o desvio pela Av. Barão de Studart e Rua Deputado Moreira da Rocha.

Publicado em Mobilidade
Página 1 de 6