Famílias do grande Jangurussu recebem títulos de propriedade

12 de dezembro de 2019 em Habitação

Famílias do grande Jangurussu recebem títulos de propriedade

Esses 30 últimos papeis são referentes às comunidades Nova Fortaleza e Avenida Brasil


A Prefeitura de Fortaleza concluiu, por meio da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor), um importante processo de regularização fundiária, no bairro no Jangurussu (Regonal VI). Os trinta últimos documentos entregues, nesta quarta-feira (12/12) no Instituto Joana Darc, encerram um trabalho que promoveu a legalização de 230 moradias nas comunidades Nova Fortaleza e Avenida Brasil.

Para o secretário de Articulação Política, Lúcio Bruno, o encerramento desse trabalho legitima os movimentos de luta por moradia e valoriza a escolha técnica das pessoas que conduzem as ações de habitação no Município. “Estou do lado de duas pessoas (Olinda Marques e Eliana Gomes) que têm história com moradia e tivemos conhecimento dessa demanda quando um grupo de pessoas esteve no Paço Municipal em 2015 e naquele dia percebi como esse movimento era sério. Esse é o resultado de quem tem compromisso, tanto o movimento que acompanhou o trabalho da empresa contratada, como o prefeito Roberto Cláudio que viabilizou a execução”, destacou o secretário.

Marcioneide Costa, uma das moradoras beneficiadas, classificou o papel da casa como uma segurança para seus filhos. “Esse momento tem uma importância muito grande, pois hoje tenho um bem para deixar para os meus filhos e sei que ninguém vai tirar. Gostaria de agradecer o prefeito e todos os envolvidos nessa luta”, agradeceu.

Mais

A Regularização Fundiária é um dos eixos desenvolvidos pela Prefeitura de Fortaleza, dentro da política de Habitação. Esse trabalho já garantiu, em parceria com Governo do Estado, a titularidade de 13.580 imóveis em áreas reconhecidamente vulneráveis. Na região do grande Jangurussu, em junho deste ano, 1.000 títulos de propriedade foram concedidos a famílias do Conjunto Palmeiras e a expectativa é que outras 4.000 sejam beneficiadas com o papel da casa, somente nessa área da Cidade.

Famílias do grande Jangurussu recebem títulos de propriedade

Esses 30 últimos papeis são referentes às comunidades Nova Fortaleza e Avenida Brasil

A Prefeitura de Fortaleza concluiu, por meio da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor), um importante processo de regularização fundiária, no bairro no Jangurussu (Regonal VI). Os trinta últimos documentos entregues, nesta quarta-feira (12/12) no Instituto Joana Darc, encerram um trabalho que promoveu a legalização de 230 moradias nas comunidades Nova Fortaleza e Avenida Brasil.

Para o secretário de Articulação Política, Lúcio Bruno, o encerramento desse trabalho legitima os movimentos de luta por moradia e valoriza a escolha técnica das pessoas que conduzem as ações de habitação no Município. “Estou do lado de duas pessoas (Olinda Marques e Eliana Gomes) que têm história com moradia e tivemos conhecimento dessa demanda quando um grupo de pessoas esteve no Paço Municipal em 2015 e naquele dia percebi como esse movimento era sério. Esse é o resultado de quem tem compromisso, tanto o movimento que acompanhou o trabalho da empresa contratada, como o prefeito Roberto Cláudio que viabilizou a execução”, destacou o secretário.

Marcioneide Costa, uma das moradoras beneficiadas, classificou o papel da casa como uma segurança para seus filhos. “Esse momento tem uma importância muito grande, pois hoje tenho um bem para deixar para os meus filhos e sei que ninguém vai tirar. Gostaria de agradecer o prefeito e todos os envolvidos nessa luta”, agradeceu.

Mais

A Regularização Fundiária é um dos eixos desenvolvidos pela Prefeitura de Fortaleza, dentro da política de Habitação. Esse trabalho já garantiu, em parceria com Governo do Estado, a titularidade de 13.580 imóveis em áreas reconhecidamente vulneráveis. Na região do grande Jangurussu, em junho deste ano, 1.000 títulos de propriedade foram concedidos a famílias do Conjunto Palmeiras e a expectativa é que outras 4.000 sejam beneficiadas com o papel da casa, somente nessa área da Cidade.