26 de novembro de 2021 em Turismo

Fortaleza deve receber 500 mil turistas nesta alta estação

A estimativa é da Secretaria do Turismo de Fortaleza e considera os meses de dezembro de 2021 e janeiro d 2022


Cerca de 500 mil turistas, entre nacionais e internacionais, devem visitar Fortaleza nesta alta estação (dezembro de 2021 e janeiro de 2022), representando uma injeção de mais de R$ 1,4 bilhão na economia da cidade. A estimativa é do Observatório do Turismo de Fortaleza, ligado à Secretaria Municipal do Turismo, e leva em conta a movimentação aeroportuária prevista pela Fraport – concessionária administradora do terminal aéreo de Fortaleza – e a movimentação rodoviária, informada pela Sosicam, empresa que administra o terminal rodoviário de Fortaleza.

Ainda de acordo com a projeção do Observatório, o gasto médio diário dos visitantes deve ser de R$ 613,45, com uma permanência média de cinco dias. Na prática, essa entrada de capital na economia da cidade movimenta mais de 50 setores da economia, trazendo força a um setor muito impactado pela pandemia do novo coronavírus. “Costumo dizer que o dinheiro do turismo é um dinheiro novo que entra na cidade e é distribuído nos mais diversos segmentos, impactando desde o pipoqueiro ao hoteleiro, passando pelos taxistas, garçons, proprietários de bares, entre muitos outros. Esse retorno do turista é uma grande injeção de ânimo para o setor”, avalia Alexandre Pereira, secretário do Turismo de Fortaleza.

Desde a retomada gradual das atividades, Fortaleza vem novamente se destacando no ranking de destinos mais buscados pelos brasileiros. Em agosto, Fortaleza ficou no topo dos destinos mais vendidos no Brasil, de acordo com pesquisa da Associação Brasileira de Operadoras de Turismo (Braztoa). Levantamento realizado pela plataforma de gerenciamento de visibilidade online Semrush apontou a capital cearense em primeiro lugar nas buscas realizadas pelos brasileiros interessados em destinos de férias no período entre julho de 2020 e julho de 2021, totalizando mais de 1,4 milhão de buscas. No mesmo levantamento, o segundo lugar, Gramado, atingiu pouco mais de 400 mil buscas.

Para Alexandre Pereira, a preferência por Fortaleza deve-se a diversos fatores, como acessibilidade, infraestrutura, potencial turístico e atrativos naturais, entre outros. “Desde a gestão do ex-prefeito Roberto Cláudio, a Prefeitura, junto com o Governo do Estado, tem investido muito em ações, obras e projetos importantes para quem vive em Fortaleza, mas também para o turismo, que representa 30% da economia da cidade e gera muitos empregos. O prefeito José Sarto tem o mesmo entendimento da importância desse setor para nossa economia e isso é fundamental para continuarmos conquistando mais turistas”.

Alexandre Pereira lembra que o avanço na vacinação e a exigência dos protocolos sanitários foram fundamentais para possibilitar o retorno do turismo. “É preciso que as pessoas entendam a importância de se vacinar. A Prefeitura e o Governo do Estado estão fazendo um excelente trabalho, mas há um determinado ponto em que só depende da própria pessoa tomar a decisão de se imunizar”, observa. “Considerando que a pandemia ainda não está totalmente controlada e esperando que muitos ainda sejam vacinados, a tendência é que os números de 2022 sejam ainda melhores se comparados com os mesmos períodos de 2021”, conclui.

Fortaleza deve receber 500 mil turistas nesta alta estação

A estimativa é da Secretaria do Turismo de Fortaleza e considera os meses de dezembro de 2021 e janeiro d 2022

Cerca de 500 mil turistas, entre nacionais e internacionais, devem visitar Fortaleza nesta alta estação (dezembro de 2021 e janeiro de 2022), representando uma injeção de mais de R$ 1,4 bilhão na economia da cidade. A estimativa é do Observatório do Turismo de Fortaleza, ligado à Secretaria Municipal do Turismo, e leva em conta a movimentação aeroportuária prevista pela Fraport – concessionária administradora do terminal aéreo de Fortaleza – e a movimentação rodoviária, informada pela Sosicam, empresa que administra o terminal rodoviário de Fortaleza.

Ainda de acordo com a projeção do Observatório, o gasto médio diário dos visitantes deve ser de R$ 613,45, com uma permanência média de cinco dias. Na prática, essa entrada de capital na economia da cidade movimenta mais de 50 setores da economia, trazendo força a um setor muito impactado pela pandemia do novo coronavírus. “Costumo dizer que o dinheiro do turismo é um dinheiro novo que entra na cidade e é distribuído nos mais diversos segmentos, impactando desde o pipoqueiro ao hoteleiro, passando pelos taxistas, garçons, proprietários de bares, entre muitos outros. Esse retorno do turista é uma grande injeção de ânimo para o setor”, avalia Alexandre Pereira, secretário do Turismo de Fortaleza.

Desde a retomada gradual das atividades, Fortaleza vem novamente se destacando no ranking de destinos mais buscados pelos brasileiros. Em agosto, Fortaleza ficou no topo dos destinos mais vendidos no Brasil, de acordo com pesquisa da Associação Brasileira de Operadoras de Turismo (Braztoa). Levantamento realizado pela plataforma de gerenciamento de visibilidade online Semrush apontou a capital cearense em primeiro lugar nas buscas realizadas pelos brasileiros interessados em destinos de férias no período entre julho de 2020 e julho de 2021, totalizando mais de 1,4 milhão de buscas. No mesmo levantamento, o segundo lugar, Gramado, atingiu pouco mais de 400 mil buscas.

Para Alexandre Pereira, a preferência por Fortaleza deve-se a diversos fatores, como acessibilidade, infraestrutura, potencial turístico e atrativos naturais, entre outros. “Desde a gestão do ex-prefeito Roberto Cláudio, a Prefeitura, junto com o Governo do Estado, tem investido muito em ações, obras e projetos importantes para quem vive em Fortaleza, mas também para o turismo, que representa 30% da economia da cidade e gera muitos empregos. O prefeito José Sarto tem o mesmo entendimento da importância desse setor para nossa economia e isso é fundamental para continuarmos conquistando mais turistas”.

Alexandre Pereira lembra que o avanço na vacinação e a exigência dos protocolos sanitários foram fundamentais para possibilitar o retorno do turismo. “É preciso que as pessoas entendam a importância de se vacinar. A Prefeitura e o Governo do Estado estão fazendo um excelente trabalho, mas há um determinado ponto em que só depende da própria pessoa tomar a decisão de se imunizar”, observa. “Considerando que a pandemia ainda não está totalmente controlada e esperando que muitos ainda sejam vacinados, a tendência é que os números de 2022 sejam ainda melhores se comparados com os mesmos períodos de 2021”, conclui.