06 de agosto de 2019 em Social

Hortas Sociais da Prefeitura de Fortaleza beneficiam mais de 3 mil idosos e incentivam agricultura urbana

Projeto atende idosos em situação de vulnerabilidade social que recebem gratuitamente o que é produzido


a foto mostra uma horta e pessoas pegando os produtos
Cerca de 700 pessoas participaram da 176ª Colheita Social do Projeto nesta terça-feira (06/08), no Conjunto Ceará

Para garantir as verduras e legumes que reforçariam a alimentação da família, dona Graça Moura Menezes, 63 anos, chegou cedo à Horta Social do Conjunto Ceará nesta terça-feira (06/08). Juntamente com a aposentada, cerca de 700 pessoas participaram da 176ª Colheita Social do Projeto, que desde o seu início já resultou em mais de 40 toneladas de alimentos. Atualmente, há 3.600 idosos cadastrados nos três equipamentos mantidos pela Prefeitura- dois no Conjunto Ceará e um na Granja Portugal.

mulher posa para foto sorrindo e segurando um maço de folhas
"Aqui, brincamos, fazemos amizade, conversamos com os outros”, afirmou Graça Moura Menezes

Para dona Graça, o significado da Horta Social vai além de poder levar produtos de qualidade para casa. “É gostoso participar do plantio, pegar na terra, plantar. Me sinto bem e produtiva por ter eu mesmo feito. Aqui, brincamos, fazemos amizade, conversamos com os outros. É muito aconchegante”, afirmou.

Maria Lindalva Viana, 80 anos, saiu com duas sacolas cheias de verduras e legumes que vão ser usadas nas saladas que faz em casa. Ela destacou o aspecto econômico das Hortas Sociais. “É muito bom porque a gente recebe de graça. Muitas vezes, não teríamos dinheiro para comprar e, se não tivesse aqui, íamos ficar sem”, disse.

Protagonismo dos idosos

mulher segura sacolas com verduras e legumes
Maria Lindalva Viana, 80 anos, saiu com duas sacolas de verduras e legumes para as saladas que faz em casa

Instituído em junho de 2016, o Projeto Hortas Sociais da Prefeitura de Fortaleza tem contribuído para melhorar a vida de milhares de pessoas idosas em situação de vulnerabilidade social, ao mesmo tempo em que incentiva a agricultura urbana.

Eles são inseridos em atividades dentro das hortas, como manejo e colheita, e recebem totalmente de graça tudo o que é colhido. São realizadas de três a quatro safras por mês nos três equipamentos.

As hortaliças produzidas são 100% naturais com irrigação automatizada – por gotejamento e plantadas no sistema de vasos (fibra de coco estéril). Entre os alimentos que vão parar na mesa dos participantes do Projeto estão tomate-cereja, alface, couve, coentro, maxixe, pimentinha, pimentão (verde, vermelho e amarelo), entre outros.

Infográfico com dados

As três estufas, de 750 m² cada, beneficiam, além de moradores do Conjunto Ceará e Granja Portugal, famílias dos bairros Genibaú, Autran Nunes, Granja Lisboa e Bonsucesso. “Os participantes trabalham com a colheita e preparam a terra para um novo plantio”, explicou Erandir Silva, que coordena uma das Hortas. Segundo ele, o trabalho nas estufas ajuda na autoestima dos idosos. “A gente vê que muitos deles que ficavam em casa, sentindo-se ansiosos ou mesmo inúteis. Aqui, têm um aspecto totalmente diferente, com sorriso largo”, completou.

O Projeto Horta Sociais é executado por meio do Núcleo de Produções Culturais e Esportivas (Nuproce), instituição sem fins lucrativos que capta recursos via Fundo Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa de Fortaleza. No Conjunto Ceará esta é a 21ª colheita de 2019, com expectativa de mais uma no dia 23 de agosto.

Prêmio Projeto Inovador
A inclusão de famílias de idosos em situação de vulnerabilidade social, por meio da segurança alimentar, complementação alimentar e orientações sobre agricultura familiar urbana, rendeu ao projeto Hortas Sociais o Prêmio de Projeto Inovador da Prefeitura de Fortaleza em 2017.

Em 2019, foi lançado o Cartão Social, utilizado nas colheitas. O cartão possui um chip interno que armazena informações pessoais do idoso, como nome completo, data de nascimento e número de identificação. A iniciativa garante agilidade, controle e segurança no atendimento dos idosos durante a distribuição das hortaliças.

 

Hortas Sociais da Prefeitura de Fortaleza beneficiam mais de 3 mil idosos e incentivam agricultura urbana

Projeto atende idosos em situação de vulnerabilidade social que recebem gratuitamente o que é produzido

a foto mostra uma horta e pessoas pegando os produtos
Cerca de 700 pessoas participaram da 176ª Colheita Social do Projeto nesta terça-feira (06/08), no Conjunto Ceará

Para garantir as verduras e legumes que reforçariam a alimentação da família, dona Graça Moura Menezes, 63 anos, chegou cedo à Horta Social do Conjunto Ceará nesta terça-feira (06/08). Juntamente com a aposentada, cerca de 700 pessoas participaram da 176ª Colheita Social do Projeto, que desde o seu início já resultou em mais de 40 toneladas de alimentos. Atualmente, há 3.600 idosos cadastrados nos três equipamentos mantidos pela Prefeitura- dois no Conjunto Ceará e um na Granja Portugal.

mulher posa para foto sorrindo e segurando um maço de folhas
"Aqui, brincamos, fazemos amizade, conversamos com os outros”, afirmou Graça Moura Menezes

Para dona Graça, o significado da Horta Social vai além de poder levar produtos de qualidade para casa. “É gostoso participar do plantio, pegar na terra, plantar. Me sinto bem e produtiva por ter eu mesmo feito. Aqui, brincamos, fazemos amizade, conversamos com os outros. É muito aconchegante”, afirmou.

Maria Lindalva Viana, 80 anos, saiu com duas sacolas cheias de verduras e legumes que vão ser usadas nas saladas que faz em casa. Ela destacou o aspecto econômico das Hortas Sociais. “É muito bom porque a gente recebe de graça. Muitas vezes, não teríamos dinheiro para comprar e, se não tivesse aqui, íamos ficar sem”, disse.

Protagonismo dos idosos

mulher segura sacolas com verduras e legumes
Maria Lindalva Viana, 80 anos, saiu com duas sacolas de verduras e legumes para as saladas que faz em casa

Instituído em junho de 2016, o Projeto Hortas Sociais da Prefeitura de Fortaleza tem contribuído para melhorar a vida de milhares de pessoas idosas em situação de vulnerabilidade social, ao mesmo tempo em que incentiva a agricultura urbana.

Eles são inseridos em atividades dentro das hortas, como manejo e colheita, e recebem totalmente de graça tudo o que é colhido. São realizadas de três a quatro safras por mês nos três equipamentos.

As hortaliças produzidas são 100% naturais com irrigação automatizada – por gotejamento e plantadas no sistema de vasos (fibra de coco estéril). Entre os alimentos que vão parar na mesa dos participantes do Projeto estão tomate-cereja, alface, couve, coentro, maxixe, pimentinha, pimentão (verde, vermelho e amarelo), entre outros.

Infográfico com dados

As três estufas, de 750 m² cada, beneficiam, além de moradores do Conjunto Ceará e Granja Portugal, famílias dos bairros Genibaú, Autran Nunes, Granja Lisboa e Bonsucesso. “Os participantes trabalham com a colheita e preparam a terra para um novo plantio”, explicou Erandir Silva, que coordena uma das Hortas. Segundo ele, o trabalho nas estufas ajuda na autoestima dos idosos. “A gente vê que muitos deles que ficavam em casa, sentindo-se ansiosos ou mesmo inúteis. Aqui, têm um aspecto totalmente diferente, com sorriso largo”, completou.

O Projeto Horta Sociais é executado por meio do Núcleo de Produções Culturais e Esportivas (Nuproce), instituição sem fins lucrativos que capta recursos via Fundo Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa de Fortaleza. No Conjunto Ceará esta é a 21ª colheita de 2019, com expectativa de mais uma no dia 23 de agosto.

Prêmio Projeto Inovador
A inclusão de famílias de idosos em situação de vulnerabilidade social, por meio da segurança alimentar, complementação alimentar e orientações sobre agricultura familiar urbana, rendeu ao projeto Hortas Sociais o Prêmio de Projeto Inovador da Prefeitura de Fortaleza em 2017.

Em 2019, foi lançado o Cartão Social, utilizado nas colheitas. O cartão possui um chip interno que armazena informações pessoais do idoso, como nome completo, data de nascimento e número de identificação. A iniciativa garante agilidade, controle e segurança no atendimento dos idosos durante a distribuição das hortaliças.