13 de dezembro de 2021 em Meio ambiente

I Encontro de Transição Energética de Fortaleza discutirá substituição da matriz energética no transporte público da capital

Evento ocorre nesta terça-feira (14/12), na Fiec


Cidades em todo o mundo estão empenhadas em acelerar a transição de suas matrizes energéticas convencionais, incluindo a expansão do acesso à eletricidade limpa e acessível para todos. A realidade atual mostra que o setor de energia é o que, em média, mais gera emissões dos Gases de Efeito Estufa (GEE) nos grandes centros urbanos, por isso a transição da matriz energética é a medida mais adotada no combate às emissões nas cidades.

O Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor) realiza, nesta terça-feira (14/12), às 8h30, na sede da Fiec, o I Encontro da Transição Energética de Fortaleza – que terá como primeiro tema "Mobilidade Urbana: desafios e caminhos para a descarbonização do setor de transporte". O evento será pioneiro e participativo sobre a transição da matriz energética convencional dos transportes públicos da Capital para uma matriz energética limpa, inclusiva e sustentável. O Encontro conta com a parceria da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) e da Enel Distribuidora.

O evento contará com especialistas como Bianca Macedo, do Projeto Zebra C40, Mônica Saraiva Panik, da ABH2 e mentora da SAE Brasil, Delfina Ponte, head de produtos da Enel com carreira focada em energia. O moderador será Emerson Gurgel, presidente da Câmara Setorial de Energias Renováveis do Ceará (Cerf) e também membro da PGM. O superintendente do Iplanfor fará a abertura ao lado da diretora-presidente da Enel, e Ricardo Cavalcante, presidente da Fiec.

“A realização de um evento como o 1º Encontro de Transição Energética de Fortaleza ganha mais relevância ainda neste momento”, afirma Élcio Batista, vice-prefeito e superintendente do Iplanfor. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a matriz energética brasileira, em 2019, era formada por 45% de fontes renováveis e 54% de fontes fósseis. Os números brasileiros superam com vantagem os demais países que compõem o BRICS, mostrando que a utilização de energias renováveis como forma de mitigar as emissões de carbono relacionadas à mudança climática está mais avançado no país.

Em sintonia com Fortaleza 2040

O consultor de Energia da Fiec e presidente da Câmara Setorial de Energias Renováveis do Ceará, Jurandir Picanço lembra que essa iniciativa do Iplanfor, de promover o I Encontro da Transição Energética de Fortaleza, ingressa nossa capital no movimento global pela descarbonização. “Esse evento está em sintonia com o pioneiro plano estratégico ‘Fortaleza 2040’, que dedicou um capítulo às energias renováveis”, afirma.

A presidenta da Enel Distribuição Ceará, Márcia Sandra Roque Vieira Silva, acredita que os próximos anos serão cruciais para o mundo avançar com as metas de descarbonização e a eletrificação terá um papel muito importante nesse contexto. “A Enel já vem trabalhando em alguns pontos nesse processo, principalmente junto à mobilidade elétrica, e tem a meta de se tornar neutra em carbono em dez anos. As metas de descarbonização da companhia incluem emissões diretas e indiretas de carbono”. Desse modo, a empresa pretende sair de todos os negócios relacionados ao fornecimento de gás até 2040, além de abandonar a atividade de geração a carvão em 2027. “Temos uma meta de zero carbono e não apenas zero carbono líquido. É um grande desafio e será uma grande oportunidade para todos”, esclarece Márcia Sandra.

Energia acessível e confiável para todos

Alinhado com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 7 “Garantir energia acessível, confiável, sustentável e moderna para todos”, este evento conta ainda com o apoio do Cerf e da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece).

Ainda de acordo com o estudo do Ipea, a utilização de biocombustível na matriz energética do Brasil representa, atualmente, 7%; sendo que eólica e solar alcançam a participação de 4,5%; e a biomassa 4%. A pesquisa observa ainda que o processo de expansão na utilização de fontes renováveis tem compensado gradualmente perdas de participação das hidrelétricas no modelo de política energética.

Evoluir para energias limpas

Segundo Joaquim Rolim, coordenador do Núcleo de Energia da Fiec, o setor de transporte tem um papel de grande importância nesse processo de descarbonização. “Por isso, acreditamos que esse Encontro de Transição Energética irá contribuir para o desenvolvimento do tema no município de Fortaleza, que tem demonstrado interesse em evoluir cada vez mais em direção às energias limpas”, afirma.

A Prefeitura Municipal de Fortaleza estará representada ativamente pelos órgãos que trabalham direta ou indiretamente na temática, incluindo SCSP, Seuma, Seinf, PGM, Sefin, Sepog, Citinova, entre outras.

Público-alvo

- Estudantes dos cursos de engenharias, principalmente, engenharia de energias renováveis, ambiental e Civil.
- Profissionais que atuam na área de energias renováveis, mobilidade, construções sustentáveis, meio ambiente e planejamento urbano sustentável e similares.
- Servidores públicos municipais ligados à área de planejamento urbano sustentável, meio ambiente, energia, mobilidade, governança ambiental e climática.
- Veículos de Comunicação locais;
- Atores diversos ligados ao setor de energia, mobilidade e desenvolvimento urbano sustentável.

Serviço
I Encontro da Transição Energética de Fortaleza
Data: 14/12 (terça-feira)
Horário: 8h30 às 12h (em modalidade presencial)
Local: Auditório Waldir Diogo da Fiec (Av. Barão de Studart, 1980)

I Encontro de Transição Energética de Fortaleza discutirá substituição da matriz energética no transporte público da capital

Evento ocorre nesta terça-feira (14/12), na Fiec

Cidades em todo o mundo estão empenhadas em acelerar a transição de suas matrizes energéticas convencionais, incluindo a expansão do acesso à eletricidade limpa e acessível para todos. A realidade atual mostra que o setor de energia é o que, em média, mais gera emissões dos Gases de Efeito Estufa (GEE) nos grandes centros urbanos, por isso a transição da matriz energética é a medida mais adotada no combate às emissões nas cidades.

O Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor) realiza, nesta terça-feira (14/12), às 8h30, na sede da Fiec, o I Encontro da Transição Energética de Fortaleza – que terá como primeiro tema "Mobilidade Urbana: desafios e caminhos para a descarbonização do setor de transporte". O evento será pioneiro e participativo sobre a transição da matriz energética convencional dos transportes públicos da Capital para uma matriz energética limpa, inclusiva e sustentável. O Encontro conta com a parceria da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) e da Enel Distribuidora.

O evento contará com especialistas como Bianca Macedo, do Projeto Zebra C40, Mônica Saraiva Panik, da ABH2 e mentora da SAE Brasil, Delfina Ponte, head de produtos da Enel com carreira focada em energia. O moderador será Emerson Gurgel, presidente da Câmara Setorial de Energias Renováveis do Ceará (Cerf) e também membro da PGM. O superintendente do Iplanfor fará a abertura ao lado da diretora-presidente da Enel, e Ricardo Cavalcante, presidente da Fiec.

“A realização de um evento como o 1º Encontro de Transição Energética de Fortaleza ganha mais relevância ainda neste momento”, afirma Élcio Batista, vice-prefeito e superintendente do Iplanfor. Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a matriz energética brasileira, em 2019, era formada por 45% de fontes renováveis e 54% de fontes fósseis. Os números brasileiros superam com vantagem os demais países que compõem o BRICS, mostrando que a utilização de energias renováveis como forma de mitigar as emissões de carbono relacionadas à mudança climática está mais avançado no país.

Em sintonia com Fortaleza 2040

O consultor de Energia da Fiec e presidente da Câmara Setorial de Energias Renováveis do Ceará, Jurandir Picanço lembra que essa iniciativa do Iplanfor, de promover o I Encontro da Transição Energética de Fortaleza, ingressa nossa capital no movimento global pela descarbonização. “Esse evento está em sintonia com o pioneiro plano estratégico ‘Fortaleza 2040’, que dedicou um capítulo às energias renováveis”, afirma.

A presidenta da Enel Distribuição Ceará, Márcia Sandra Roque Vieira Silva, acredita que os próximos anos serão cruciais para o mundo avançar com as metas de descarbonização e a eletrificação terá um papel muito importante nesse contexto. “A Enel já vem trabalhando em alguns pontos nesse processo, principalmente junto à mobilidade elétrica, e tem a meta de se tornar neutra em carbono em dez anos. As metas de descarbonização da companhia incluem emissões diretas e indiretas de carbono”. Desse modo, a empresa pretende sair de todos os negócios relacionados ao fornecimento de gás até 2040, além de abandonar a atividade de geração a carvão em 2027. “Temos uma meta de zero carbono e não apenas zero carbono líquido. É um grande desafio e será uma grande oportunidade para todos”, esclarece Márcia Sandra.

Energia acessível e confiável para todos

Alinhado com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 7 “Garantir energia acessível, confiável, sustentável e moderna para todos”, este evento conta ainda com o apoio do Cerf e da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece).

Ainda de acordo com o estudo do Ipea, a utilização de biocombustível na matriz energética do Brasil representa, atualmente, 7%; sendo que eólica e solar alcançam a participação de 4,5%; e a biomassa 4%. A pesquisa observa ainda que o processo de expansão na utilização de fontes renováveis tem compensado gradualmente perdas de participação das hidrelétricas no modelo de política energética.

Evoluir para energias limpas

Segundo Joaquim Rolim, coordenador do Núcleo de Energia da Fiec, o setor de transporte tem um papel de grande importância nesse processo de descarbonização. “Por isso, acreditamos que esse Encontro de Transição Energética irá contribuir para o desenvolvimento do tema no município de Fortaleza, que tem demonstrado interesse em evoluir cada vez mais em direção às energias limpas”, afirma.

A Prefeitura Municipal de Fortaleza estará representada ativamente pelos órgãos que trabalham direta ou indiretamente na temática, incluindo SCSP, Seuma, Seinf, PGM, Sefin, Sepog, Citinova, entre outras.

Público-alvo

- Estudantes dos cursos de engenharias, principalmente, engenharia de energias renováveis, ambiental e Civil.
- Profissionais que atuam na área de energias renováveis, mobilidade, construções sustentáveis, meio ambiente e planejamento urbano sustentável e similares.
- Servidores públicos municipais ligados à área de planejamento urbano sustentável, meio ambiente, energia, mobilidade, governança ambiental e climática.
- Veículos de Comunicação locais;
- Atores diversos ligados ao setor de energia, mobilidade e desenvolvimento urbano sustentável.

Serviço
I Encontro da Transição Energética de Fortaleza
Data: 14/12 (terça-feira)
Horário: 8h30 às 12h (em modalidade presencial)
Local: Auditório Waldir Diogo da Fiec (Av. Barão de Studart, 1980)