09 de março de 2020 em Juventude

Jovens vivem experiências multiculturais e têm novas perspectivas de vida com intercâmbio internacional

Juventude Sem Fronteiras já levou 298 alunos da rede pública para estudar inglês e espanhol fora do Brasil


rapaz e moça jovens sorrindo para a foto lado a lado
Antonio Neri e Nilciane Silva tiveram a oportunidade de fazer intercâmbio na Espanha e na Inglaterra, respectivamente, por meio do Juventude Sem Fronteiras

Viver em outro país conhecendo novas culturas e aprendendo um novo idioma pode parecer algo inalcançável para muitos estudantes da rede pública, mas desde 2017, a Prefeitura de Fortaleza vem tornando esse sonho possível para muitos jovens da periferia da Capital. Por meio do programa Juventude Sem Fronteiras, 298 estudantes do Academia Enem conquistaram e aproveitaram essa oportunidade.

Um desses jovens é Antonio Neri, que fez intercâmbio em Salamanca, na Espanha, em 2019. “Uma pessoa pobre, que mora no Bom jardim, conseguir cruzar o oceano para estudar e ter uma imersão sociocultural de forma gratuita? Pois é, eu fiz isso e acreditem: é verdade. Todos os dias, eu tinha aula pela manhã e à tarde participava de uma rota cultural em que um professor ia explicando sobre a cidade. O Juventude Sem Fronteiras foi uma oportunidade única”, declarou.

garoto sentado em pedra com monumento ao fundo e sorrindo para a foto
Antonio Neri em Salamanca, Espanha

Nilciane Silva de Mesquita, moradora do Jardim Jatobá, é outro exemplo. Ela não desistiu após as duas primeiras tentativas de ser aprovada no Enem para participar do Programa, e na terceira vez, conseguiu alcançar o objetivo. “Toda vez que eu ouvia falar do Juventude Sem Fronteiras meus olhos já enchiam de lágrimas, porque eu queria ter aquela oportunidade também, mas parecia algo tão distante. Eu fiz questão de frequentar o máximo de aulas naquele ano e vi o resultado refletido na minha nota do Enem”, contou a intercambista, que em pouco tempo, viu sua vida mudar por completo e teve a chance de realizar, também em 2019, o sonho de aprender inglês na terra dos Beatles, Liverpool.

Durante o intercâmbio, além das aulas de espanhol ou inglês, os jovens têm a chance de conhecer outras culturas e formar novos laços, além da aquisição de conhecimento que poderá ajudá-los na vida pessoal e profissional. Antonio Neri diz que, após a experiência em Salamanca, tornou-se mais responsável, resiliente e confiante. “Antes do JSF, tinha muito medo de errar, de arriscar. Agora não. Sei que se eu errar é melhor porque vou aprender efetivamente. Hoje sou uma pessoa mais autoconfiante e acredito mais no meu potencial”, comentou.

Hoje estudante de Odontologia, Antonio estimula outros jovens a se esforçarem na busca pelos seus objetivos. “Para você que está no Academia Enem, você está trilhando o seu caminho para o sucesso, a mudança de realidade para você e sua família e, assim como eu, vai poder escolher qual seu destino do Juventude Sem Fronteiras, viajar e trazer na bagagem mais que lembranças, mas também uma mudança de perspectiva de vida. Acredite em você e nos seus sonhos. Tudo é possível para aqueles que perseveram”, atentou.

moça jovem posando para foto em frente às estátuas dos beatles
Nilciane em Liverpool, na Inglaterra

Para Nilciane, hoje estudante de Direito na Universidade Federal do Ceará (UFC), a experiência foi transformadora. “Faltam palavras para descrever como foi importante pra mim. Eu me sinto muito grata por ter tido a oportunidade, por ter gente que acreditou no meu potencial e investiu em mim. Sou grata por pessoas que colocaram o projeto para frente e fizeram funcionar. Sou grata porque essas coisas me fizeram acreditar em mim e já me levaram muito, muito longe mesmo. Espero de verdade que esse programa continue seguindo e atingindo mais jovens que, como eu, não tinham noção do quanto são capazes”, completou a universitária, que, atualmente, participa do projeto Juventude Ativa, validando o cadastro dos estudantes da Academia Enem 2020 nos Cucas.

Juventude Sem Fronteiras

Criado em 2016, o Projeto Juventude Sem Fronteiras oferece intercâmbio de oito semanas em países, como Espanha e Inglaterra, para os 100 melhores alunos do Academia Enem. A Prefeitura de Fortaleza custeia toda a viagem, desde as passagens aéreas, emissão de visto e de passaporte, alimentação, hospedagem e seguro médico e de viagem, ajuda de custo e atividades culturais programadas.

Para participar da seleção, o aluno matriculado no Academia Enem precisa ter entre 18 e 29 anos, ter cursado o Ensino Médio integralmente na rede pública ou ainda estar cursando o terceiro ano em escola pública, ter obtido frequência mínima obrigatória de 65% nas aulas do Academia Enem e ter comprovado a nota geral no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

“Muitos jovens vivem situações difíceis, têm autoestima baixa e falta de crença neles mesmos porque passam parte da vida ouvindo isso, que não vão conseguir. O Juventude Sem Fronteiras tem o poder de mostrar que eles podem. A gente acredita em vocês, vocês vão conseguir por meio dos seus esforços nos estudos. Essa experiência pode abrir e mudar a mente. E quando ela muda, nunca mais volta ao que era antes. A educação, o acesso à cultura, ninguém tira de ninguém”, destacou Julio Brizzi, titular da Coordenadoria de Políticas Públicas de Juventude de Fortaleza.

Academia Enem

O projeto possibilita que alunos da rede pública de ensino se preparem para o Enem estudando com os melhores professores da Cidade e com acesso a material educacional de qualidade.

Em 2020, 8 mil jovens já iniciaram as aulas, que contam com as seguintes disciplinas: Técnicas de Estudo, Aprendizagem e Motivação e Redação do Enem, além de Matemática, Geografia e História. Desde sua criação, o Academia Enem já beneficiou quase 80 mil jovens.

Jovens vivem experiências multiculturais e têm novas perspectivas de vida com intercâmbio internacional

Juventude Sem Fronteiras já levou 298 alunos da rede pública para estudar inglês e espanhol fora do Brasil

rapaz e moça jovens sorrindo para a foto lado a lado
Antonio Neri e Nilciane Silva tiveram a oportunidade de fazer intercâmbio na Espanha e na Inglaterra, respectivamente, por meio do Juventude Sem Fronteiras

Viver em outro país conhecendo novas culturas e aprendendo um novo idioma pode parecer algo inalcançável para muitos estudantes da rede pública, mas desde 2017, a Prefeitura de Fortaleza vem tornando esse sonho possível para muitos jovens da periferia da Capital. Por meio do programa Juventude Sem Fronteiras, 298 estudantes do Academia Enem conquistaram e aproveitaram essa oportunidade.

Um desses jovens é Antonio Neri, que fez intercâmbio em Salamanca, na Espanha, em 2019. “Uma pessoa pobre, que mora no Bom jardim, conseguir cruzar o oceano para estudar e ter uma imersão sociocultural de forma gratuita? Pois é, eu fiz isso e acreditem: é verdade. Todos os dias, eu tinha aula pela manhã e à tarde participava de uma rota cultural em que um professor ia explicando sobre a cidade. O Juventude Sem Fronteiras foi uma oportunidade única”, declarou.

garoto sentado em pedra com monumento ao fundo e sorrindo para a foto
Antonio Neri em Salamanca, Espanha

Nilciane Silva de Mesquita, moradora do Jardim Jatobá, é outro exemplo. Ela não desistiu após as duas primeiras tentativas de ser aprovada no Enem para participar do Programa, e na terceira vez, conseguiu alcançar o objetivo. “Toda vez que eu ouvia falar do Juventude Sem Fronteiras meus olhos já enchiam de lágrimas, porque eu queria ter aquela oportunidade também, mas parecia algo tão distante. Eu fiz questão de frequentar o máximo de aulas naquele ano e vi o resultado refletido na minha nota do Enem”, contou a intercambista, que em pouco tempo, viu sua vida mudar por completo e teve a chance de realizar, também em 2019, o sonho de aprender inglês na terra dos Beatles, Liverpool.

Durante o intercâmbio, além das aulas de espanhol ou inglês, os jovens têm a chance de conhecer outras culturas e formar novos laços, além da aquisição de conhecimento que poderá ajudá-los na vida pessoal e profissional. Antonio Neri diz que, após a experiência em Salamanca, tornou-se mais responsável, resiliente e confiante. “Antes do JSF, tinha muito medo de errar, de arriscar. Agora não. Sei que se eu errar é melhor porque vou aprender efetivamente. Hoje sou uma pessoa mais autoconfiante e acredito mais no meu potencial”, comentou.

Hoje estudante de Odontologia, Antonio estimula outros jovens a se esforçarem na busca pelos seus objetivos. “Para você que está no Academia Enem, você está trilhando o seu caminho para o sucesso, a mudança de realidade para você e sua família e, assim como eu, vai poder escolher qual seu destino do Juventude Sem Fronteiras, viajar e trazer na bagagem mais que lembranças, mas também uma mudança de perspectiva de vida. Acredite em você e nos seus sonhos. Tudo é possível para aqueles que perseveram”, atentou.

moça jovem posando para foto em frente às estátuas dos beatles
Nilciane em Liverpool, na Inglaterra

Para Nilciane, hoje estudante de Direito na Universidade Federal do Ceará (UFC), a experiência foi transformadora. “Faltam palavras para descrever como foi importante pra mim. Eu me sinto muito grata por ter tido a oportunidade, por ter gente que acreditou no meu potencial e investiu em mim. Sou grata por pessoas que colocaram o projeto para frente e fizeram funcionar. Sou grata porque essas coisas me fizeram acreditar em mim e já me levaram muito, muito longe mesmo. Espero de verdade que esse programa continue seguindo e atingindo mais jovens que, como eu, não tinham noção do quanto são capazes”, completou a universitária, que, atualmente, participa do projeto Juventude Ativa, validando o cadastro dos estudantes da Academia Enem 2020 nos Cucas.

Juventude Sem Fronteiras

Criado em 2016, o Projeto Juventude Sem Fronteiras oferece intercâmbio de oito semanas em países, como Espanha e Inglaterra, para os 100 melhores alunos do Academia Enem. A Prefeitura de Fortaleza custeia toda a viagem, desde as passagens aéreas, emissão de visto e de passaporte, alimentação, hospedagem e seguro médico e de viagem, ajuda de custo e atividades culturais programadas.

Para participar da seleção, o aluno matriculado no Academia Enem precisa ter entre 18 e 29 anos, ter cursado o Ensino Médio integralmente na rede pública ou ainda estar cursando o terceiro ano em escola pública, ter obtido frequência mínima obrigatória de 65% nas aulas do Academia Enem e ter comprovado a nota geral no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

“Muitos jovens vivem situações difíceis, têm autoestima baixa e falta de crença neles mesmos porque passam parte da vida ouvindo isso, que não vão conseguir. O Juventude Sem Fronteiras tem o poder de mostrar que eles podem. A gente acredita em vocês, vocês vão conseguir por meio dos seus esforços nos estudos. Essa experiência pode abrir e mudar a mente. E quando ela muda, nunca mais volta ao que era antes. A educação, o acesso à cultura, ninguém tira de ninguém”, destacou Julio Brizzi, titular da Coordenadoria de Políticas Públicas de Juventude de Fortaleza.

Academia Enem

O projeto possibilita que alunos da rede pública de ensino se preparem para o Enem estudando com os melhores professores da Cidade e com acesso a material educacional de qualidade.

Em 2020, 8 mil jovens já iniciaram as aulas, que contam com as seguintes disciplinas: Técnicas de Estudo, Aprendizagem e Motivação e Redação do Enem, além de Matemática, Geografia e História. Desde sua criação, o Academia Enem já beneficiou quase 80 mil jovens.