11 de setembro de 2018 em Cultura

Prefeito Roberto Cláudio anuncia a instalação do Centro de Memória Frei Tito de Alencar Lima

Memorial será no imóvel em que o frade dominicano viveu em Fortaleza junto com outros dez irmãos


Memorial
Na ocasião, foram estabelecidas as diretrizes necessárias ao desenvolvimento do projeto (Foto: Rodrigo Carvalho)
O prefeito Roberto Cláudio anunciou, na tarde desta terça-feira (11/09), o compromisso público que visa à instalação do Centro de Memória Frei Tito de Alencar Lima, no imóvel em que o frade dominicano viveu em Fortaleza junto com outros dez irmãos. O anúncio ocorreu durante audiência no Paço Municipal, da qual participaram o secretário da Cultura de Fortaleza, Gilvan Paiva; instituições municipais e estaduais, e familiares e membros do Instituto Frei Tito de Alencar.

Na ocasião, foram estabelecidas as diretrizes necessárias ao desenvolvimento do projeto. De acordo com o cronograma de execuções, já nos próximos dias, será assinado o decreto de interesse público do Município para a desapropriação do imóvel que abrigará o Centro de Memória.

Em seguida, serão promovidas negociações voltadas à efetiva desapropriação do imóvel, instalado no Centro da Capital. Paralelamente, a partir da formação de um comitê intersetorial, será conceitualmente definida a natureza das atividades que serão desenvolvidas no espaço, como exposições e debates.

“Após decretarmos a utilidade pública do imóvel, em até 60 dias, será aberto o ato de desapropriação para, até o fim do ano, estarmos com tudo isso encaminhado. Será realizada uma avaliação oficial da Prefeitura em relação ao valor atual do imóvel e haverá a tentativa de negociação administrativa com o proprietário”, explicou o prefeito Roberto Claudio, acrescentando que, posteriormente, serão elaborados e divulgados os prazos relativos aos projetos de arquitetura e engenharia.

De acordo com o secretário de Cultura, Gilvan Paiva, a iniciativa contempla parte da história democrática do Brasil. “O prefeito Roberto Cláudio fez história ao recepcionar os familiares e o desejo da população de reconhecer, no Frei Tito, um símbolo dos direitos humanos, da resistência democrática e da exaltação dos valores universais humanos de respeito e dignidade. Brevemente, mostraremos esse espaço de reconhecimento da importância histórica do Frei Tito e de todas as histórias de vida que foram sacrificadas neste período recente da nossa história”, acrescentou o titular da Secultfor.

De acordo com a professora Lúcia de Alencar, membro da Coordenadoria Especial de Políticas Púbicas do Governo do Estado, a discussão representa grande avanço político. “A gente vem tentando, de alguma forma, implementar as diretrizes contidas na terceira edição do Plano Nacional de Direitos Humanos. Hoje foi a concretização disso. Fortaleza está de parabéns. Na contramão de todo o País, estamos dando um avanço civilizatório sem precedentes”, avaliou.

Presente na ocasião, a professora Nildes Alencar, irmã de Tito, celebrou a conquista. “Estou muito emocionada. Tito resgata a história das lutas democráticas do povo brasileiro. É um resgate à nossa memória histórica neste momento de angústias políticas nacionais. É como acordar, alertar aos brasileiros para que cuidem da nossa democracia”, finalizou.

Prefeito Roberto Cláudio anuncia a instalação do Centro de Memória Frei Tito de Alencar Lima

Memorial será no imóvel em que o frade dominicano viveu em Fortaleza junto com outros dez irmãos

Memorial
Na ocasião, foram estabelecidas as diretrizes necessárias ao desenvolvimento do projeto (Foto: Rodrigo Carvalho)
O prefeito Roberto Cláudio anunciou, na tarde desta terça-feira (11/09), o compromisso público que visa à instalação do Centro de Memória Frei Tito de Alencar Lima, no imóvel em que o frade dominicano viveu em Fortaleza junto com outros dez irmãos. O anúncio ocorreu durante audiência no Paço Municipal, da qual participaram o secretário da Cultura de Fortaleza, Gilvan Paiva; instituições municipais e estaduais, e familiares e membros do Instituto Frei Tito de Alencar.

Na ocasião, foram estabelecidas as diretrizes necessárias ao desenvolvimento do projeto. De acordo com o cronograma de execuções, já nos próximos dias, será assinado o decreto de interesse público do Município para a desapropriação do imóvel que abrigará o Centro de Memória.

Em seguida, serão promovidas negociações voltadas à efetiva desapropriação do imóvel, instalado no Centro da Capital. Paralelamente, a partir da formação de um comitê intersetorial, será conceitualmente definida a natureza das atividades que serão desenvolvidas no espaço, como exposições e debates.

“Após decretarmos a utilidade pública do imóvel, em até 60 dias, será aberto o ato de desapropriação para, até o fim do ano, estarmos com tudo isso encaminhado. Será realizada uma avaliação oficial da Prefeitura em relação ao valor atual do imóvel e haverá a tentativa de negociação administrativa com o proprietário”, explicou o prefeito Roberto Claudio, acrescentando que, posteriormente, serão elaborados e divulgados os prazos relativos aos projetos de arquitetura e engenharia.

De acordo com o secretário de Cultura, Gilvan Paiva, a iniciativa contempla parte da história democrática do Brasil. “O prefeito Roberto Cláudio fez história ao recepcionar os familiares e o desejo da população de reconhecer, no Frei Tito, um símbolo dos direitos humanos, da resistência democrática e da exaltação dos valores universais humanos de respeito e dignidade. Brevemente, mostraremos esse espaço de reconhecimento da importância histórica do Frei Tito e de todas as histórias de vida que foram sacrificadas neste período recente da nossa história”, acrescentou o titular da Secultfor.

De acordo com a professora Lúcia de Alencar, membro da Coordenadoria Especial de Políticas Púbicas do Governo do Estado, a discussão representa grande avanço político. “A gente vem tentando, de alguma forma, implementar as diretrizes contidas na terceira edição do Plano Nacional de Direitos Humanos. Hoje foi a concretização disso. Fortaleza está de parabéns. Na contramão de todo o País, estamos dando um avanço civilizatório sem precedentes”, avaliou.

Presente na ocasião, a professora Nildes Alencar, irmã de Tito, celebrou a conquista. “Estou muito emocionada. Tito resgata a história das lutas democráticas do povo brasileiro. É um resgate à nossa memória histórica neste momento de angústias políticas nacionais. É como acordar, alertar aos brasileiros para que cuidem da nossa democracia”, finalizou.