18 de setembro de 2019 em Mobilidade

Prefeito Roberto Cláudio dá início às atividades da Semana da Mobilidade

Período conta com ações educativas, entrega de obras de infraestrutura e exposição no Observatório de Fortaleza


prefeito roberto cláudio observa uma tela
“O mais importante é colocar a mobilidade na pauta da Cidade, fazer com que durante essa semana discutamos a sua importância", destacou o Prefeito

Nesta quarta-feira (18/09), o prefeito Roberto Cláudio deu início à Semana da Mobilidade de Fortaleza. A ação, desenvolvida com foco na sustentabilidade e segurança viária em diversos pontos da Cidade, tem o objetivo de chamar atenção sobre soluções e alternativas para os modelos de deslocamento em Fortaleza. De 18 e 26 de Setembro, a programação traz reflexões sobre o futuro da mobilidade urbana e uma exposição especial no Observatório de Fortaleza.

“O mais importante é colocar a mobilidade na pauta da Cidade, fazer com que durante essa semana discutamos a sua importância, principalmente em três dimensões que são as de planejamento urbano, meio ambiente e saúde pública. Dimensõese que estão ligadas diretamente à melhoria do trânsito e do transporte público”, afirmou o Prefeito.

No local, Roberto Cláudio aproveitou, ainda, para compartilhar dados significativos na redução de mortes no trânsito, graças às ações desenvolvidas pela sua Gestão, compilados no Relatório Anual de Segurança Viária de Fortaleza, lançado nesta quarta-feira. “Conseguimos reduzir em 40% a mortalidade no trânsito. Em 2016, a violência no trânsito era a quinta principal causa de morte em Fortaleza. Hoje, é a 11ª. Esse é indicador importante que demonstra os avanços da política de trânsito enquanto dimensão de saúde pública”, completou.

Outra novidade foi o anúncio de intervenções, como a entrega, ainda este mês, do novo binário do Bom Jardim, área de trânsito calmo no Benfica, conjunto de intervenções ao longo da Francisco Sá, com novo sistema de semáforo, sinalização, redução educativa de velocidade, novas barreiras para melhorar a segurança viária e implantação de uma faixa de um corredor na Coronel Matos Dourado.

Joana Maciel, secretária da Saúde, lembrou que os investimentos em mobilidade agem de forma direta e indiretamente nas questões da saúde pública. “Em Fortaleza, temos a felicidade de já comemorarmos resultados de curto prazo, como a redução de mortes e ferimentos de pessoas que se envolvem em acidentes de trânsito. Temos resultados no médio prazo, como prevenção de doenças pulmonares, uma vez que estamos investindo em modais não poluentes, e da saúde mental, quando o trabalhador consegue fazer seu trajeto mais rápido para casa com as faixas exclusivas, dando mais tempo as suas famílias, impactando na qualidade de vida, além do combate ao sedentarismo, com as políticas de bicicletas e de transportes públicos que levam as pessoas a se locomoverem mais a pé”, completou.

duas mulheres observam um painel
Em telas eletrônicas e interativas, visitantes conhecerão as intervenções que têm transformado a forma como a Cidade se relaciona com o transporte público

Exposição especial no Observatório de Fortaleza

Em colaboração com o Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor), a exposição tem como objetivo chamar atenção sobre soluções e alternativas para os modelos de deslocamento na Cidade, em discussão em diversas cidades do país e do mundo.

Em telas eletrônicas e interativas, dispostas no térreo e mezanino do Observatório de Fortaleza, visitantes poderão conhecer as intervenções que têm transformado a forma como a Cidade se relaciona com o transporte público, o uso da bicicleta para os deslocamentos diários, melhorias para quem anda a pé e para o convívio urbano, além de informações sobre segurança viária, que apresentam em primeira mão destaques da nova edição do Relatório Anual de Segurança Viária de Fortaleza, com dados de 2018.

Relatório Anual de Segurança Viária de Fortaleza - Mobilidade em Números

Entre as novidades trazidas pelo documento, está o número de feridos no trânsito em ruas e avenidas da cidade. Em 2018, foram registrados 11.150 acidentes com vítimas feridas, como explicou Luiz Alberto Sabóia, secretário-executivo da Conservação e Serviços Públicos. “Temos conseguido uma redução muito forte no número de morte no trânsito, que foi 40% nos últimos quatro anos. Pela primeira vez, temos quatro anos consecutivos de queda e, esse ano, redução no número de acidentes com vítimas de 22%”, declarou.

As mortes provocadas por acidentes de trânsito que figuravam como a quinta principal causa de morte na cidade em 2016, caíram para 11ª posição. As quatro campanhas educativas de segurança no trânsito veiculadas pela Prefeitura de Fortaleza também serão apresentadas na exibição do Observatório.

O relatório demonstra que ao longo de 2018 foram registrados 226 óbitos decorrentes de acidentes de trânsito em Fortaleza, um número 40% menor do que as 377 mortes em 2014. A taxa de mortalidade por 100 mil habitantes, usada para comparar os índices entre cidades e países de todo o mundo, caiu de 14,7 para 8,5 no mesmo período. Para se ter ideia, segundo a OMS, a taxa de mortes por 100 mil habitantes do Brasil em 2017 foi de 17,7. sendo maior do que Argentina (14) e Chile (12,5) e seis vezes maior que a taxa da Suécia (2,8).

Estima-se que, para 2018, os custos diretos e indiretos relacionados a acidentes de trânsito, para toda a sociedade fortalezense, foram da ordem de 506 milhões. valor que representa 0,8% do PIB da capital. Considerando somente os acidentes com vítimas, tem-se uma redução de 15% no impacto estimado no sistema de saúde pública.

Ações educativas também movimentam a Semana da Mobilidade

Além da exposição especial no Observatório de Fortaleza, na Praça do Ferreira, a programação da Semana da Mobilidade de Fortaleza traz ainda ações educativas da Gerência de Educação para o Trânsito, da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), como a atividade lúdica “Dê passagem para a vida”, que estende um tapete vermelho em travessias, com direito a capa, coroa e cetro para os participantes. Vítimas de acidentes de trânsito e familiares também receberão a visita de agentes da autarquia, com objetivo de sensibilizá-los para evitar o retorno à internação pelos mesmos motivos. Educadores também vão percorrer bares e restaurantes em diferentes pontos da cidade com óculos de simulação de embriaguez para demonstrar a condutores o risco de dirigir sob o efeito do álcool.

Agentes da AMC também realizam uma campanha para conscientizar motoristas sobre o respeito às vagas especiais, como idosos e pessoas com deficiência. O direito aos autistas de usarem esses espaços ganha atenção especial.

Arcelino Lima, superintendente da AMC falou um pouco mais sobre o objetivo do momento. “Essa é uma semana que acontece no âmbito nacional e aproveitamos para fazer uma reflexão sobre o tema, fazendo diversas atividades tanto estruturantes como de inaugurações de ciclofaixas, faixas de ônibus e trânsito calmo, e outras formações educativas. Contamos, ainda, com uma campanha de massa televisiva, para abranger o tema junto à população. Ao longo do semestre, ainda voltaremos com a campanha do capacete, da alcoolemia para, até o final do ano, conseguimos reduzir o número de mortes do tipo na Cidade”, disse.

Transportes Sustentáveis recebem novos investimentos

Durante a semana, uma nova faixa exclusiva de ônibus será inaugurada na rua Coronel Matos Dourado, que liga os bairros Antônio Bezerra e Pici, com objetivo de dar prioridade a quem usa o transporte público. Condutores e multiplicadores das empresas de ônibus também vão passar por uma reciclagem para melhorar o respeito aos usuários mais vulneráveis em ruas e avenidas, como pedestres e ciclistas. As ruas Urucutuba, Pedro Martins, São Francisco e Sabino Feijó, no Bairro Bom Jardim e Granja Lisboa, receberão ciclofaixa, totalizando 4,2 km. Uma nova ciclorrota com 2,0 km também será entregue à população na Rua Bernardo Figueiredo no mesmo período. Essas novas vias representam 6,2 km de infraestrutura segura para ciclistas.

No dia 18 (quarta-feira), uma ação de sensibilização tem com foco em passageiros e motoristas de ônibus da capital para conscientização sobre comportamentos que favorecem a ocorrência de acidentes de trânsito. As ações serão realizadas nos terminais do Antônio Bezerra e Messejana e no próximo dia 23 de setembro, nos terminais Siqueira e Parangaba. Serão abordados os motoristas e passageiros de ônibus sobre a necessidade de respeitar a velocidade permitida nas vias e nos terminais.

A Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) e o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano e Metropolitano de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) unem esforços também durante a Semana de Mobilidade Urbana, com apoio da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global e da Parceria por Cidades Saudáveis.

Outra atividade será realizada no dia 20 de setembro, às 15h com um treinamento para instrutores e profissionais das empresas sobre o Respeito ao pedestre, respeito aos limites de velocidade no auditório do Sindiônibus. A capacitação será realizada por agentes de trânsito da Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC).

Dia Mundial sem Carro

Como parte do movimento global realizado no próximo dia 22 de Setembro, o Dia Mundial sem Carro, a Prefeitura de Fortaleza disponibiliza o uso gratuito aos passes dos sistemas Bicicletar e Mini-Bicicletar de sexta-feira a domingo (20 a 22/09). No dia 22, o deslocamento por meio dos ônibus urbanos fica mais barato graças a Tarifa Social, com valor de R$ 3 para passagens inteiras e R$ 1,30 para meia passagem. Uma edição especial da Ciclofaixa de Lazer também conecta as rotas sul, leste e oeste no domingo à nova área de trânsito calmo do Benfica, no entorno da Reitoria da Universidade Federal do Ceará, com aluguel de bicicletas, inclusive do mini-bicicletar.

O Dia Mundial sem Carro surgiu na França, em 1997, e foi adotado por vários países e cidades no mundo, dando origem inclusive à Semana Europeia da Mobilidade – realizada no mesmo período da versão brasileira. Em todo mundo, o objetivo é que as pessoas possam repensar uso excessivo do automóvel e mostrar que outros modais ajudam a construir mais qualidade de vida nas cidades, com menos estresse e poluição.

pessoa passa bilhete único na catraca
A implantação do Bilhete Único favoreceu a inclusão social com a criação de uma tarifa única integrada

Intervenções em Mobilidade Urbana Sustentável fazem a diferença

Desde 2013, a Prefeitura de Fortaleza vem investindo no transporte público da Capital, que registra uma média de 1,1 milhão de passageiros por dia. As faixas exclusivas para os coletivos saltaram de 3,3km em 2013 para 113,2 km neste ano, um crescimento de 32 vezes em relação à extensão original. A implantação do Bilhete Único favoreceu a inclusão social com a criação de uma tarifa única integrada e melhorias como reformas nos terminais de ônibus, disponibilização de WiFi em 100% da frota e ar-condicionado em 35% dos veículos, além do aplicativo “Meu Ônibus” com funções de previsão de chegada e denúncia de assédio sexual que tem buscado estimular o uso do sistema.

Já no quesito cicloviário a rede saiu de 68km, em 2013, para 263 km até setembro deste ano, uma expansão de 276% em menos de seis anos. Uma pesquisa realizada pelo ITDP calculou que 40% da população de Fortaleza mora, no máximo, a uma distância de 300 metros da rede cicloviária. A cidade também conta com quatro sistemas de bicicletas compartilhadas: Bicicletar, Bicicleta Integrada, Mini Bicicletar e Bicicletar Corporativo, para a população em geral, para integração com o transporte público, para crianças e para os funcionários municipais, respectivamente. O primeiro sistema implantado, o Bicicletar, já registrou mais de 2,5 milhões de viagens. Já as três rotas da Ciclofaixa de Lazer, aos domingos, também buscam aproximar usuários da alternativa de deslocamento.

Quanto aos investimentos para as pessoas que andam a pé, os organizadores destacam as áreas de trânsito calmo (Rodolfo Teófilo e Vila União) e programas como o “Cidade da Gente” que reconquistaram mais de 6 mil m² de áreas degradadas para o convívio urbano. Ações em interseções viárias, como o programa Esquina Segura, com melhoria de visibilidade em 224 cruzamentos, que já resultaram em 61% de redução de acidentes, também são destaque, além da incorporação de novos elementos para o conforto de quem anda a pé, como travessias elevadas, ilhas de refúgio, semáforos para pedestres, prolongamento de calçadas e travessias em "x". A organização também menciona o tratamento viário com readequação de velocidade em vias com alto índice de atropelamentos, como na Av. Presidente Castelo Branco (Leste-Oeste) e Osório de Paiva. A Avenida Francisco Sá recebe, até o fim do mês de Setembro, intervenções similares com foco na redução de acidentes de trânsito.

Prefeito Roberto Cláudio dá início às atividades da Semana da Mobilidade

Período conta com ações educativas, entrega de obras de infraestrutura e exposição no Observatório de Fortaleza

prefeito roberto cláudio observa uma tela
“O mais importante é colocar a mobilidade na pauta da Cidade, fazer com que durante essa semana discutamos a sua importância", destacou o Prefeito

Nesta quarta-feira (18/09), o prefeito Roberto Cláudio deu início à Semana da Mobilidade de Fortaleza. A ação, desenvolvida com foco na sustentabilidade e segurança viária em diversos pontos da Cidade, tem o objetivo de chamar atenção sobre soluções e alternativas para os modelos de deslocamento em Fortaleza. De 18 e 26 de Setembro, a programação traz reflexões sobre o futuro da mobilidade urbana e uma exposição especial no Observatório de Fortaleza.

“O mais importante é colocar a mobilidade na pauta da Cidade, fazer com que durante essa semana discutamos a sua importância, principalmente em três dimensões que são as de planejamento urbano, meio ambiente e saúde pública. Dimensõese que estão ligadas diretamente à melhoria do trânsito e do transporte público”, afirmou o Prefeito.

No local, Roberto Cláudio aproveitou, ainda, para compartilhar dados significativos na redução de mortes no trânsito, graças às ações desenvolvidas pela sua Gestão, compilados no Relatório Anual de Segurança Viária de Fortaleza, lançado nesta quarta-feira. “Conseguimos reduzir em 40% a mortalidade no trânsito. Em 2016, a violência no trânsito era a quinta principal causa de morte em Fortaleza. Hoje, é a 11ª. Esse é indicador importante que demonstra os avanços da política de trânsito enquanto dimensão de saúde pública”, completou.

Outra novidade foi o anúncio de intervenções, como a entrega, ainda este mês, do novo binário do Bom Jardim, área de trânsito calmo no Benfica, conjunto de intervenções ao longo da Francisco Sá, com novo sistema de semáforo, sinalização, redução educativa de velocidade, novas barreiras para melhorar a segurança viária e implantação de uma faixa de um corredor na Coronel Matos Dourado.

Joana Maciel, secretária da Saúde, lembrou que os investimentos em mobilidade agem de forma direta e indiretamente nas questões da saúde pública. “Em Fortaleza, temos a felicidade de já comemorarmos resultados de curto prazo, como a redução de mortes e ferimentos de pessoas que se envolvem em acidentes de trânsito. Temos resultados no médio prazo, como prevenção de doenças pulmonares, uma vez que estamos investindo em modais não poluentes, e da saúde mental, quando o trabalhador consegue fazer seu trajeto mais rápido para casa com as faixas exclusivas, dando mais tempo as suas famílias, impactando na qualidade de vida, além do combate ao sedentarismo, com as políticas de bicicletas e de transportes públicos que levam as pessoas a se locomoverem mais a pé”, completou.

duas mulheres observam um painel
Em telas eletrônicas e interativas, visitantes conhecerão as intervenções que têm transformado a forma como a Cidade se relaciona com o transporte público

Exposição especial no Observatório de Fortaleza

Em colaboração com o Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor), a exposição tem como objetivo chamar atenção sobre soluções e alternativas para os modelos de deslocamento na Cidade, em discussão em diversas cidades do país e do mundo.

Em telas eletrônicas e interativas, dispostas no térreo e mezanino do Observatório de Fortaleza, visitantes poderão conhecer as intervenções que têm transformado a forma como a Cidade se relaciona com o transporte público, o uso da bicicleta para os deslocamentos diários, melhorias para quem anda a pé e para o convívio urbano, além de informações sobre segurança viária, que apresentam em primeira mão destaques da nova edição do Relatório Anual de Segurança Viária de Fortaleza, com dados de 2018.

Relatório Anual de Segurança Viária de Fortaleza - Mobilidade em Números

Entre as novidades trazidas pelo documento, está o número de feridos no trânsito em ruas e avenidas da cidade. Em 2018, foram registrados 11.150 acidentes com vítimas feridas, como explicou Luiz Alberto Sabóia, secretário-executivo da Conservação e Serviços Públicos. “Temos conseguido uma redução muito forte no número de morte no trânsito, que foi 40% nos últimos quatro anos. Pela primeira vez, temos quatro anos consecutivos de queda e, esse ano, redução no número de acidentes com vítimas de 22%”, declarou.

As mortes provocadas por acidentes de trânsito que figuravam como a quinta principal causa de morte na cidade em 2016, caíram para 11ª posição. As quatro campanhas educativas de segurança no trânsito veiculadas pela Prefeitura de Fortaleza também serão apresentadas na exibição do Observatório.

O relatório demonstra que ao longo de 2018 foram registrados 226 óbitos decorrentes de acidentes de trânsito em Fortaleza, um número 40% menor do que as 377 mortes em 2014. A taxa de mortalidade por 100 mil habitantes, usada para comparar os índices entre cidades e países de todo o mundo, caiu de 14,7 para 8,5 no mesmo período. Para se ter ideia, segundo a OMS, a taxa de mortes por 100 mil habitantes do Brasil em 2017 foi de 17,7. sendo maior do que Argentina (14) e Chile (12,5) e seis vezes maior que a taxa da Suécia (2,8).

Estima-se que, para 2018, os custos diretos e indiretos relacionados a acidentes de trânsito, para toda a sociedade fortalezense, foram da ordem de 506 milhões. valor que representa 0,8% do PIB da capital. Considerando somente os acidentes com vítimas, tem-se uma redução de 15% no impacto estimado no sistema de saúde pública.

Ações educativas também movimentam a Semana da Mobilidade

Além da exposição especial no Observatório de Fortaleza, na Praça do Ferreira, a programação da Semana da Mobilidade de Fortaleza traz ainda ações educativas da Gerência de Educação para o Trânsito, da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), como a atividade lúdica “Dê passagem para a vida”, que estende um tapete vermelho em travessias, com direito a capa, coroa e cetro para os participantes. Vítimas de acidentes de trânsito e familiares também receberão a visita de agentes da autarquia, com objetivo de sensibilizá-los para evitar o retorno à internação pelos mesmos motivos. Educadores também vão percorrer bares e restaurantes em diferentes pontos da cidade com óculos de simulação de embriaguez para demonstrar a condutores o risco de dirigir sob o efeito do álcool.

Agentes da AMC também realizam uma campanha para conscientizar motoristas sobre o respeito às vagas especiais, como idosos e pessoas com deficiência. O direito aos autistas de usarem esses espaços ganha atenção especial.

Arcelino Lima, superintendente da AMC falou um pouco mais sobre o objetivo do momento. “Essa é uma semana que acontece no âmbito nacional e aproveitamos para fazer uma reflexão sobre o tema, fazendo diversas atividades tanto estruturantes como de inaugurações de ciclofaixas, faixas de ônibus e trânsito calmo, e outras formações educativas. Contamos, ainda, com uma campanha de massa televisiva, para abranger o tema junto à população. Ao longo do semestre, ainda voltaremos com a campanha do capacete, da alcoolemia para, até o final do ano, conseguimos reduzir o número de mortes do tipo na Cidade”, disse.

Transportes Sustentáveis recebem novos investimentos

Durante a semana, uma nova faixa exclusiva de ônibus será inaugurada na rua Coronel Matos Dourado, que liga os bairros Antônio Bezerra e Pici, com objetivo de dar prioridade a quem usa o transporte público. Condutores e multiplicadores das empresas de ônibus também vão passar por uma reciclagem para melhorar o respeito aos usuários mais vulneráveis em ruas e avenidas, como pedestres e ciclistas. As ruas Urucutuba, Pedro Martins, São Francisco e Sabino Feijó, no Bairro Bom Jardim e Granja Lisboa, receberão ciclofaixa, totalizando 4,2 km. Uma nova ciclorrota com 2,0 km também será entregue à população na Rua Bernardo Figueiredo no mesmo período. Essas novas vias representam 6,2 km de infraestrutura segura para ciclistas.

No dia 18 (quarta-feira), uma ação de sensibilização tem com foco em passageiros e motoristas de ônibus da capital para conscientização sobre comportamentos que favorecem a ocorrência de acidentes de trânsito. As ações serão realizadas nos terminais do Antônio Bezerra e Messejana e no próximo dia 23 de setembro, nos terminais Siqueira e Parangaba. Serão abordados os motoristas e passageiros de ônibus sobre a necessidade de respeitar a velocidade permitida nas vias e nos terminais.

A Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) e o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano e Metropolitano de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) unem esforços também durante a Semana de Mobilidade Urbana, com apoio da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global e da Parceria por Cidades Saudáveis.

Outra atividade será realizada no dia 20 de setembro, às 15h com um treinamento para instrutores e profissionais das empresas sobre o Respeito ao pedestre, respeito aos limites de velocidade no auditório do Sindiônibus. A capacitação será realizada por agentes de trânsito da Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC).

Dia Mundial sem Carro

Como parte do movimento global realizado no próximo dia 22 de Setembro, o Dia Mundial sem Carro, a Prefeitura de Fortaleza disponibiliza o uso gratuito aos passes dos sistemas Bicicletar e Mini-Bicicletar de sexta-feira a domingo (20 a 22/09). No dia 22, o deslocamento por meio dos ônibus urbanos fica mais barato graças a Tarifa Social, com valor de R$ 3 para passagens inteiras e R$ 1,30 para meia passagem. Uma edição especial da Ciclofaixa de Lazer também conecta as rotas sul, leste e oeste no domingo à nova área de trânsito calmo do Benfica, no entorno da Reitoria da Universidade Federal do Ceará, com aluguel de bicicletas, inclusive do mini-bicicletar.

O Dia Mundial sem Carro surgiu na França, em 1997, e foi adotado por vários países e cidades no mundo, dando origem inclusive à Semana Europeia da Mobilidade – realizada no mesmo período da versão brasileira. Em todo mundo, o objetivo é que as pessoas possam repensar uso excessivo do automóvel e mostrar que outros modais ajudam a construir mais qualidade de vida nas cidades, com menos estresse e poluição.

pessoa passa bilhete único na catraca
A implantação do Bilhete Único favoreceu a inclusão social com a criação de uma tarifa única integrada

Intervenções em Mobilidade Urbana Sustentável fazem a diferença

Desde 2013, a Prefeitura de Fortaleza vem investindo no transporte público da Capital, que registra uma média de 1,1 milhão de passageiros por dia. As faixas exclusivas para os coletivos saltaram de 3,3km em 2013 para 113,2 km neste ano, um crescimento de 32 vezes em relação à extensão original. A implantação do Bilhete Único favoreceu a inclusão social com a criação de uma tarifa única integrada e melhorias como reformas nos terminais de ônibus, disponibilização de WiFi em 100% da frota e ar-condicionado em 35% dos veículos, além do aplicativo “Meu Ônibus” com funções de previsão de chegada e denúncia de assédio sexual que tem buscado estimular o uso do sistema.

Já no quesito cicloviário a rede saiu de 68km, em 2013, para 263 km até setembro deste ano, uma expansão de 276% em menos de seis anos. Uma pesquisa realizada pelo ITDP calculou que 40% da população de Fortaleza mora, no máximo, a uma distância de 300 metros da rede cicloviária. A cidade também conta com quatro sistemas de bicicletas compartilhadas: Bicicletar, Bicicleta Integrada, Mini Bicicletar e Bicicletar Corporativo, para a população em geral, para integração com o transporte público, para crianças e para os funcionários municipais, respectivamente. O primeiro sistema implantado, o Bicicletar, já registrou mais de 2,5 milhões de viagens. Já as três rotas da Ciclofaixa de Lazer, aos domingos, também buscam aproximar usuários da alternativa de deslocamento.

Quanto aos investimentos para as pessoas que andam a pé, os organizadores destacam as áreas de trânsito calmo (Rodolfo Teófilo e Vila União) e programas como o “Cidade da Gente” que reconquistaram mais de 6 mil m² de áreas degradadas para o convívio urbano. Ações em interseções viárias, como o programa Esquina Segura, com melhoria de visibilidade em 224 cruzamentos, que já resultaram em 61% de redução de acidentes, também são destaque, além da incorporação de novos elementos para o conforto de quem anda a pé, como travessias elevadas, ilhas de refúgio, semáforos para pedestres, prolongamento de calçadas e travessias em "x". A organização também menciona o tratamento viário com readequação de velocidade em vias com alto índice de atropelamentos, como na Av. Presidente Castelo Branco (Leste-Oeste) e Osório de Paiva. A Avenida Francisco Sá recebe, até o fim do mês de Setembro, intervenções similares com foco na redução de acidentes de trânsito.