12 de dezembro de 2018 em Fortaleza

Prefeito Roberto Cláudio se reúne com diretores do Sistema Verdes Mares, Sistema Jangadeiro e Grupo O Povo

Na ocasião, o Gestor apresentou projetos que a Prefeitura deve iniciar em 2019


várias pessoas numa sala, sentadas em poltronas, conversando
Roberto Cláudio apresentou projetos inovadores na área de desenvolvimento econômico e protagonismo cidadão, para os quais deseja contar com o apoio da mídia local
O prefeito Roberto Cláudio visitou, nesta terça-feira (11/12), as diretorias de jornalismo do Sistema Verdes Mares (SVM), do Sistema Jangadeiro e do Grupo O Povo de Comunicação. Durante o encontro, o Gestor apresentou projetos inovadores na área de desenvolvimento econômico e protagonismo cidadão, para os quais deseja contar com o apoio da mídia local de modo a garantir o engajamento da população e o sucesso das iniciativas. O Prefeito esteve acompanhado do Corodenador de Comunicação Social, Moacir Maia, o Coordenado Especial de Articulação das Secretarias Regionais (Coareg), Renato Lima, e o secretário de Desenvolvimento Econômico de Fortaleza, Mosiah Torgan.

Pela manhã, os projetos foram apresentados a dirigentes do Sistema Verdes Mares, como o diretor de jornalismo da TV Verdes Mares, Marcos Gomide; do superintendente do SVM, Pádua Lopes; do diretor institucional de jornalismo do SVM, Paulo César Norões, e do Editor Chefe do Diário do Nordeste, Ildefonso Rodrigues. À tarde, o encontro foi no Sistema Jangadeiro, onde o prefeito Roberto Cláudio foi recebido pelo diretor executivo Cyro Thomaz, a diretora de Jornalismo, Isabela Martin, e o gerente de convergência Hélcio Brasileiro. No Grupo O Povo de Comunicação, o Prefeito apresentou os projetos à presidente Luciana Dummar; ao diretor-geral de Jornalismo do O Povo, Arlen Medina Néri; e ao editor-chefe de Negócios e Economia, Jocélio Leal.

Programa de Voluntariado

O primeiro projeto apresentado foi o Programa de Voluntariado, a ser coordenado pela Coareg. A iniciativa consiste em um programa de estímulo à formação de uma "rede do bem" entre organizações socioassistenciais e de iniciativas sociais e voluntários. Para isso, a Prefeitura está desenvolvendo uma plataforma digital com o intuito de conectar os atores dessas instituições, realizando o papel do poder público de criar o ambiente para esta interação e garantindo o instrumento objetivo da implantação do programa. “A plataforma deverá, portanto, dar visibilidade às iniciativas sociais espalhadas na cidade, descrevendo as funções disponíveis e facilitando o acesso às vagas”, explicou o Roberto Cláudio.

Para o Prefeito, “a intenção é empoderar pessoas em situação de vulnerabilidade por meio do protagonismo cidadão. Vamos fazer uma mobilização de quem hoje faz acontecer na ponta e quem demanda algum tipo de ajuda. A nossa missão é despertar na cidade a importância do voluntariado, de exercer a cidadania. O fim é despertar uma corrente de solidariedade, de parceria, onde o papel do cidadão vai além", explica. A meta inicial é formar uma rede com 250 organizações e engajar 50 mil voluntários no Município de Fortaleza. Essa é uma ação prevista para o prazo de 12 meses.

Para além do meio digital, a Prefeitura também acompanhará os indicadores de sucesso do programa, assim como promoverá a capacitação e o treinamento de gestores e empreendedores sociais, de modo a ampliar o impacto social dessas organizações da sociedade civil no município. As ações serão promovidas, sobretudo, em universidades, igrejas, clubes, shopping centers e instituições públicas, por meio de atividades e eventos que motivem e conectem a sociedade civil com as entidades de iniciativas sociais.

Meu Bairro Empreendedor

O segundo projeto apresentado foi o Meu Bairro Empreendedor, desenvolvido de forma transversal, com várias secretarias envolvidas e que está sendo coordenado pela SDE. A iniciativa leva em conta as características de um bairro com perfil empreendedor, tanto em relação ao território onde os moradores encontram bens e serviços que desejam consumir, como o local onde os empreendedores estão organizados. A partir disso, o poder público pode estar presente, disponibilizando espaços compartilhados de produção e desenvolvimento tecnológico.

A intenção é desburocratizar, estimular a organização de pequenos produtores e realizar capacitações técnicas e gerenciais, além de consultorias e acesso ao microcrédito, com foco no desenvolvimento de novas empresas e expansão das existentes. O projeto deve abranger 20 bairros da Capital e será implantado como piloto nos bairros Serviluz e Bom Jardim.

"Boa parte da dinâmica desses bairros se dá pelos negócios locais. Eles conseguem transformar os locais e estão ali sem nenhum tipo de voz, de organização e de apoio. É quem segura e movimenta dinheiro, garantindo a valorização desse movimento empreendedor, além de um apoio institucional, gerando mais economia e mais consumo", explicou Roberto Cláudio.

A primeira etapa consiste no diagnóstico econômico para identificar as potencialidades e as atividades econômicas. Cria-se um colegiado no bairro para a incorporação dos anseios dos empreendedores locais, além da realização da articulação com escolas para a realização de palestras sobre empreendedorismos, educação fiscal e ambiental.

Por sua vez, a segunda fase incluirá a implantação de equipamentos de suporte, como um Centro de Referência do Empreendedor, unidade do Sine, Rua do Comércio e espaço coworking, dentre outros.

A Prefeitura seguirá acompanhando a implementação do projeto, além de facilitar os mecanismos impulsionadores do desenvolvimento econômico, de forma que os bairros funcionem de forma autônoma.

Prefeito Roberto Cláudio se reúne com diretores do Sistema Verdes Mares, Sistema Jangadeiro e Grupo O Povo

Na ocasião, o Gestor apresentou projetos que a Prefeitura deve iniciar em 2019

várias pessoas numa sala, sentadas em poltronas, conversando
Roberto Cláudio apresentou projetos inovadores na área de desenvolvimento econômico e protagonismo cidadão, para os quais deseja contar com o apoio da mídia local
O prefeito Roberto Cláudio visitou, nesta terça-feira (11/12), as diretorias de jornalismo do Sistema Verdes Mares (SVM), do Sistema Jangadeiro e do Grupo O Povo de Comunicação. Durante o encontro, o Gestor apresentou projetos inovadores na área de desenvolvimento econômico e protagonismo cidadão, para os quais deseja contar com o apoio da mídia local de modo a garantir o engajamento da população e o sucesso das iniciativas. O Prefeito esteve acompanhado do Corodenador de Comunicação Social, Moacir Maia, o Coordenado Especial de Articulação das Secretarias Regionais (Coareg), Renato Lima, e o secretário de Desenvolvimento Econômico de Fortaleza, Mosiah Torgan.

Pela manhã, os projetos foram apresentados a dirigentes do Sistema Verdes Mares, como o diretor de jornalismo da TV Verdes Mares, Marcos Gomide; do superintendente do SVM, Pádua Lopes; do diretor institucional de jornalismo do SVM, Paulo César Norões, e do Editor Chefe do Diário do Nordeste, Ildefonso Rodrigues. À tarde, o encontro foi no Sistema Jangadeiro, onde o prefeito Roberto Cláudio foi recebido pelo diretor executivo Cyro Thomaz, a diretora de Jornalismo, Isabela Martin, e o gerente de convergência Hélcio Brasileiro. No Grupo O Povo de Comunicação, o Prefeito apresentou os projetos à presidente Luciana Dummar; ao diretor-geral de Jornalismo do O Povo, Arlen Medina Néri; e ao editor-chefe de Negócios e Economia, Jocélio Leal.

Programa de Voluntariado

O primeiro projeto apresentado foi o Programa de Voluntariado, a ser coordenado pela Coareg. A iniciativa consiste em um programa de estímulo à formação de uma "rede do bem" entre organizações socioassistenciais e de iniciativas sociais e voluntários. Para isso, a Prefeitura está desenvolvendo uma plataforma digital com o intuito de conectar os atores dessas instituições, realizando o papel do poder público de criar o ambiente para esta interação e garantindo o instrumento objetivo da implantação do programa. “A plataforma deverá, portanto, dar visibilidade às iniciativas sociais espalhadas na cidade, descrevendo as funções disponíveis e facilitando o acesso às vagas”, explicou o Roberto Cláudio.

Para o Prefeito, “a intenção é empoderar pessoas em situação de vulnerabilidade por meio do protagonismo cidadão. Vamos fazer uma mobilização de quem hoje faz acontecer na ponta e quem demanda algum tipo de ajuda. A nossa missão é despertar na cidade a importância do voluntariado, de exercer a cidadania. O fim é despertar uma corrente de solidariedade, de parceria, onde o papel do cidadão vai além", explica. A meta inicial é formar uma rede com 250 organizações e engajar 50 mil voluntários no Município de Fortaleza. Essa é uma ação prevista para o prazo de 12 meses.

Para além do meio digital, a Prefeitura também acompanhará os indicadores de sucesso do programa, assim como promoverá a capacitação e o treinamento de gestores e empreendedores sociais, de modo a ampliar o impacto social dessas organizações da sociedade civil no município. As ações serão promovidas, sobretudo, em universidades, igrejas, clubes, shopping centers e instituições públicas, por meio de atividades e eventos que motivem e conectem a sociedade civil com as entidades de iniciativas sociais.

Meu Bairro Empreendedor

O segundo projeto apresentado foi o Meu Bairro Empreendedor, desenvolvido de forma transversal, com várias secretarias envolvidas e que está sendo coordenado pela SDE. A iniciativa leva em conta as características de um bairro com perfil empreendedor, tanto em relação ao território onde os moradores encontram bens e serviços que desejam consumir, como o local onde os empreendedores estão organizados. A partir disso, o poder público pode estar presente, disponibilizando espaços compartilhados de produção e desenvolvimento tecnológico.

A intenção é desburocratizar, estimular a organização de pequenos produtores e realizar capacitações técnicas e gerenciais, além de consultorias e acesso ao microcrédito, com foco no desenvolvimento de novas empresas e expansão das existentes. O projeto deve abranger 20 bairros da Capital e será implantado como piloto nos bairros Serviluz e Bom Jardim.

"Boa parte da dinâmica desses bairros se dá pelos negócios locais. Eles conseguem transformar os locais e estão ali sem nenhum tipo de voz, de organização e de apoio. É quem segura e movimenta dinheiro, garantindo a valorização desse movimento empreendedor, além de um apoio institucional, gerando mais economia e mais consumo", explicou Roberto Cláudio.

A primeira etapa consiste no diagnóstico econômico para identificar as potencialidades e as atividades econômicas. Cria-se um colegiado no bairro para a incorporação dos anseios dos empreendedores locais, além da realização da articulação com escolas para a realização de palestras sobre empreendedorismos, educação fiscal e ambiental.

Por sua vez, a segunda fase incluirá a implantação de equipamentos de suporte, como um Centro de Referência do Empreendedor, unidade do Sine, Rua do Comércio e espaço coworking, dentre outros.

A Prefeitura seguirá acompanhando a implementação do projeto, além de facilitar os mecanismos impulsionadores do desenvolvimento econômico, de forma que os bairros funcionem de forma autônoma.