14 de junho de 2018 em Social

Prefeitura de Fortaleza faz blitz de orientação contra trabalho infantil na Av. Beira Mar

A ação faz parte das atividades de campanha nacional e tem como objetivo sensibilizar a população de Fortaleza


A Prefeitura de Fortaleza realiza, nesta sexta-feira (15/06), a partir das 16h, na Avenida Beira Mar, uma blitz de conscientização contra o trabalho infantil. A atividade faz parte do conjunto de ações da campanha nacional para erradicação do trabalho infantil, que traz como tema "Não proteger a infância é condenar o futuro".

A blitz executada pela Secretaria dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS), em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente (Seuma), Fundação da Criança e da Família Cidadã (Funci), Superintendência Regional do Trabalho (SRTE), Juizado da Infância e Associação dos Barraqueiros da Beira Mar, contará com panfletagem de orientação de como denunciar o trabalho infantil, divulgação do Disque 100, distribuição de adesivos e conversa direta com a população.

A Comissão Intersetorial das Ações Estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (CIAEPETI) da SDHDS também fará a identificação de criança e adolescentes no calçadão da Beira Mar para promover atividades lúdicas, brincadeiras e pinturas.

“Nosso maior objetivo é ir para rua sensibilizar a população para parar com esse vício de alimentar um trabalho tão perigoso, que expõe as crianças e adolescentes à noite e nos finais de semana. O trabalho infantil não traz dignidade e prejudica o futuro profissional”, afirma Ana Paula Cristóvão, coordenadora do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil de Fortaleza (PETI). A Prefeitura de Fortaleza pretende com a blitz orientar cerca de 800 pessoas sobre a importância de erradicar o trabalho infantil.

Campanha contra o trabalho infantil
Para chamar a atenção de governantes e sociedade para o tema, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) instituiu o dia 12 de junho como o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil. A data foi definida para marcar o 12 de junho de 2001, quando foi feita a leitura sobre o tema na Conferência do Trabalho, que ocorre todos os anos em Genebra, na Suíça. No Brasil, a data passou a valer seis anos depois, com a Lei 11.542 de 12 de novembro de 2007.

Consequências do trabalho infantil no Brasil
De acordo com o Sistema Nacional de Agravos de Notificação do Ministério da Saúde, foram registradas 236 mortes de meninos e meninas em atividades perigosas entre 2007 e 2017. O sistema recebeu, no mesmo período, notificações de 40 mil acidentes de pessoas de 5 a 17 anos. Deste total, mais de 24 mil foram graves, resultando em fraturas ou membros amputados.

Serviço
Blitz de conscientização para erradicação do trabalho infantil
Local: Av. Beira Mar, 2200 (Concentração) – Em frente ao Ponta Mar Hotel.
Data: Sexta-feira (15/06)
Hora: 16h às 20h

Prefeitura de Fortaleza faz blitz de orientação contra trabalho infantil na Av. Beira Mar

A ação faz parte das atividades de campanha nacional e tem como objetivo sensibilizar a população de Fortaleza

A Prefeitura de Fortaleza realiza, nesta sexta-feira (15/06), a partir das 16h, na Avenida Beira Mar, uma blitz de conscientização contra o trabalho infantil. A atividade faz parte do conjunto de ações da campanha nacional para erradicação do trabalho infantil, que traz como tema "Não proteger a infância é condenar o futuro".

A blitz executada pela Secretaria dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS), em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente (Seuma), Fundação da Criança e da Família Cidadã (Funci), Superintendência Regional do Trabalho (SRTE), Juizado da Infância e Associação dos Barraqueiros da Beira Mar, contará com panfletagem de orientação de como denunciar o trabalho infantil, divulgação do Disque 100, distribuição de adesivos e conversa direta com a população.

A Comissão Intersetorial das Ações Estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (CIAEPETI) da SDHDS também fará a identificação de criança e adolescentes no calçadão da Beira Mar para promover atividades lúdicas, brincadeiras e pinturas.

“Nosso maior objetivo é ir para rua sensibilizar a população para parar com esse vício de alimentar um trabalho tão perigoso, que expõe as crianças e adolescentes à noite e nos finais de semana. O trabalho infantil não traz dignidade e prejudica o futuro profissional”, afirma Ana Paula Cristóvão, coordenadora do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil de Fortaleza (PETI). A Prefeitura de Fortaleza pretende com a blitz orientar cerca de 800 pessoas sobre a importância de erradicar o trabalho infantil.

Campanha contra o trabalho infantil
Para chamar a atenção de governantes e sociedade para o tema, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) instituiu o dia 12 de junho como o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil. A data foi definida para marcar o 12 de junho de 2001, quando foi feita a leitura sobre o tema na Conferência do Trabalho, que ocorre todos os anos em Genebra, na Suíça. No Brasil, a data passou a valer seis anos depois, com a Lei 11.542 de 12 de novembro de 2007.

Consequências do trabalho infantil no Brasil
De acordo com o Sistema Nacional de Agravos de Notificação do Ministério da Saúde, foram registradas 236 mortes de meninos e meninas em atividades perigosas entre 2007 e 2017. O sistema recebeu, no mesmo período, notificações de 40 mil acidentes de pessoas de 5 a 17 anos. Deste total, mais de 24 mil foram graves, resultando em fraturas ou membros amputados.

Serviço
Blitz de conscientização para erradicação do trabalho infantil
Local: Av. Beira Mar, 2200 (Concentração) – Em frente ao Ponta Mar Hotel.
Data: Sexta-feira (15/06)
Hora: 16h às 20h