16 de maio de 2018 em Gestão

Prefeitura e Governo do Estado debatem estratégias de planejamento em longo prazo

Seminário “O Ceará que será em 2050” acontece no Centro de Eventos do Ceará durante os dias 15 e 16 de maio


pessoas sentadas num auditório
O Plano Fortaleza 2040 foi destaque no painel “A importância de se pensar o futuro e lições aprendidas”
Planejar, em longo prazo, o desenvolvimento sustentável do Estado é tema do seminário “O Ceará que será em 2050”. O evento acontece durante os dias 15 e 16 de maio, no Centro de Eventos do Ceará, e reúne gestores municipais e estaduais, além de pesquisadores e membros da sociedade civil.

A iniciativa é extensão do Plano Estratégico de Desenvolvimento de Longo Prazo – Ceará 2050, lançado em outubro de 2017 pelo governador Camilo Santana. “Nós queremos projetar, para 2050, o Ceará que precisamos, que desejamos, que temos a obrigação de buscar construir, tendo parceiros importantes, como a Universidade Federal do Ceará, as universidades cearenses, os setores da iniciativa privada, os movimentos sociais e os agentes governamentais de diversas áreas. Ou seja, estamos diante de uma participação ampla, representativa e apartidária. Assim, manteremos o Ceará na rota do desenvolvimento, em busca de justiça social, de menos desigualdades, de mais paz, de mais distribuição de renda. Isso a gente só consegue se tiver a competência e a nobreza de deixar a nossa contribuição e de nos empenhar para construir uma força social, acompanhar essa história, cobrar e fazer valer”, declarou o vice-governadora Izolda Cela.

Visando à troca de experiências, foram apresentadas, em abordagens temáticas, iniciativas exitosas na perspectiva. No âmbito municipal, O Plano Fortaleza 2040 foi destaque no painel “A importância de se pensar o futuro e lições aprendidas”. A diretora de Planejamento do Iplanfor, Lia Parente, apresentou as diretrizes de sucesso da iniciativa, cuja governança está em fase de implantação. “Estamos diante da instalação de uma nova prática de governança Estadual e Municipal. Temos consciência de que, para transformar nosso o Estado, precisamos transformar radicalmente as desigualdades e as suas consequências, pautados pelo planejamento para aproveitar oportunidades que devem ser devidamente exploradas. O Fortaleza 2040 influenciou e sensibilizou o trabalho em longo prazo por meio da participação social. As ideias discutidas com a sociedade já estão inseridas no plano de governo em execução. Já há um grande avanço todas as dimensões: ambiental, social, econômica e institucional”, afirmou, destacando a amplitude do Plano, que cobre 33 políticas. “É muito raro um escopo tão amplo. Nessa mesma amplitude, está sendo trabalhado o Ceará 2050. É importante esse equilíbrio e essa sinergia para o desenvolvimento do Estado como um todo”, completou.

O presidente do Iplanfor, Eudoro Santana, reforçou a importância da união de esforços entre Prefeitura e Governo a partir da implantação do Ceará 2050. “Sem um planejamento articulado com diversas esferas, não há transformação. Estamos caminhando nesse sentido. O Fortaleza 2040 acabou sendo um paradigma do ponto de vista do planejamento, da consciência da população, e agora da governança, que está sendo iniciada e é fundamental para garantir a sua irreversibilidade. Assim, a população terá a garantia de que as políticas desenvolvidas terão continuidade”, considerou.

O titular da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão, Philipe Nottingham acrescentou a importância do engajamento da população diante da execução dos Planos. “O Fortaleza 2040 e o Ceará 2050 contemplam um conjunto de políticas. Dentre elas, as pautadas pela reorganização urbana, pelo reordenamento dos espaços, pelas políticas sociais, de geração de renda e de governança. Executando um plano em que cada área de atuação passe a envolver os usuários no serviço, tudo passará a funcionar de forma mais bem direcionada e satisfatória”, pontuou.

Ainda nesta terça, foram apresentadas práticas desenvolvidas em outros estados e países (benchmarking) e realizada a ‘Conferência Magna – Inovação e Desenvolvimento: construindo o futuro que queremos’, apresentada por Rivadávia Alvarenga Neto, ex-presidente da holding de Educação Executiva HSM. A programação do Seminário segue durante esta quarta-feira (16/05). Dentre as pautas do dia, estão os Desafios da Governança na Plataforma Ceará 2050, além de oficinas de reflexão colaborativa e de plenária com consolidações e conclusões. “Eu desejo que esses dois dias sejam bem produtivos, que o trabalho nos inspire e nos comprometa cada vez mais, que venham novas ideias, novas perspectivas, visões interessantes, porque isso nos enriquece”, finalizou Izolda Cela.

Prefeitura e Governo do Estado debatem estratégias de planejamento em longo prazo

Seminário “O Ceará que será em 2050” acontece no Centro de Eventos do Ceará durante os dias 15 e 16 de maio

pessoas sentadas num auditório
O Plano Fortaleza 2040 foi destaque no painel “A importância de se pensar o futuro e lições aprendidas”
Planejar, em longo prazo, o desenvolvimento sustentável do Estado é tema do seminário “O Ceará que será em 2050”. O evento acontece durante os dias 15 e 16 de maio, no Centro de Eventos do Ceará, e reúne gestores municipais e estaduais, além de pesquisadores e membros da sociedade civil.

A iniciativa é extensão do Plano Estratégico de Desenvolvimento de Longo Prazo – Ceará 2050, lançado em outubro de 2017 pelo governador Camilo Santana. “Nós queremos projetar, para 2050, o Ceará que precisamos, que desejamos, que temos a obrigação de buscar construir, tendo parceiros importantes, como a Universidade Federal do Ceará, as universidades cearenses, os setores da iniciativa privada, os movimentos sociais e os agentes governamentais de diversas áreas. Ou seja, estamos diante de uma participação ampla, representativa e apartidária. Assim, manteremos o Ceará na rota do desenvolvimento, em busca de justiça social, de menos desigualdades, de mais paz, de mais distribuição de renda. Isso a gente só consegue se tiver a competência e a nobreza de deixar a nossa contribuição e de nos empenhar para construir uma força social, acompanhar essa história, cobrar e fazer valer”, declarou o vice-governadora Izolda Cela.

Visando à troca de experiências, foram apresentadas, em abordagens temáticas, iniciativas exitosas na perspectiva. No âmbito municipal, O Plano Fortaleza 2040 foi destaque no painel “A importância de se pensar o futuro e lições aprendidas”. A diretora de Planejamento do Iplanfor, Lia Parente, apresentou as diretrizes de sucesso da iniciativa, cuja governança está em fase de implantação. “Estamos diante da instalação de uma nova prática de governança Estadual e Municipal. Temos consciência de que, para transformar nosso o Estado, precisamos transformar radicalmente as desigualdades e as suas consequências, pautados pelo planejamento para aproveitar oportunidades que devem ser devidamente exploradas. O Fortaleza 2040 influenciou e sensibilizou o trabalho em longo prazo por meio da participação social. As ideias discutidas com a sociedade já estão inseridas no plano de governo em execução. Já há um grande avanço todas as dimensões: ambiental, social, econômica e institucional”, afirmou, destacando a amplitude do Plano, que cobre 33 políticas. “É muito raro um escopo tão amplo. Nessa mesma amplitude, está sendo trabalhado o Ceará 2050. É importante esse equilíbrio e essa sinergia para o desenvolvimento do Estado como um todo”, completou.

O presidente do Iplanfor, Eudoro Santana, reforçou a importância da união de esforços entre Prefeitura e Governo a partir da implantação do Ceará 2050. “Sem um planejamento articulado com diversas esferas, não há transformação. Estamos caminhando nesse sentido. O Fortaleza 2040 acabou sendo um paradigma do ponto de vista do planejamento, da consciência da população, e agora da governança, que está sendo iniciada e é fundamental para garantir a sua irreversibilidade. Assim, a população terá a garantia de que as políticas desenvolvidas terão continuidade”, considerou.

O titular da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão, Philipe Nottingham acrescentou a importância do engajamento da população diante da execução dos Planos. “O Fortaleza 2040 e o Ceará 2050 contemplam um conjunto de políticas. Dentre elas, as pautadas pela reorganização urbana, pelo reordenamento dos espaços, pelas políticas sociais, de geração de renda e de governança. Executando um plano em que cada área de atuação passe a envolver os usuários no serviço, tudo passará a funcionar de forma mais bem direcionada e satisfatória”, pontuou.

Ainda nesta terça, foram apresentadas práticas desenvolvidas em outros estados e países (benchmarking) e realizada a ‘Conferência Magna – Inovação e Desenvolvimento: construindo o futuro que queremos’, apresentada por Rivadávia Alvarenga Neto, ex-presidente da holding de Educação Executiva HSM. A programação do Seminário segue durante esta quarta-feira (16/05). Dentre as pautas do dia, estão os Desafios da Governança na Plataforma Ceará 2050, além de oficinas de reflexão colaborativa e de plenária com consolidações e conclusões. “Eu desejo que esses dois dias sejam bem produtivos, que o trabalho nos inspire e nos comprometa cada vez mais, que venham novas ideias, novas perspectivas, visões interessantes, porque isso nos enriquece”, finalizou Izolda Cela.