13 de fevereiro de 2018 em Cultura

Tambores Ancestrais na Noite Escura leva música e religiosidade ao Benfica

O projeto, que já está na oitava edição, reuniu diversos grupos de maracatus e afoxés de Fortaleza


Tambores
A apresentação ocorreu na Praça João Gentil (Foto: Kiko Silva)
A folia do Carnaval se misturou com a ancestralidade dos tambores. O Ciclo Carnavalesco, promovido pela Prefeitura de Fortaleza, levou ao público do Benfica a energia e a emoção dos "Tambores Ancestrais na Noite Escura", nesta segunda-feira (10/02).

Os participantes começaram a apresentação às 20h, na Praça João Gentil, a principal do boêmio bairro do Benfica. O projeto, que já está na oitava edição, reuniu diversos grupos de maracatus e afoxés de Fortaleza para um encontro cheio de ritual e estética de matriz africana. Os ritos entoados pelo público comprovam a diversidade do Carnaval de Fortaleza e fortalecem a cultura negra do Ceará. "Sinto muito uma energia que sai de dentro da alma e que tem que ser explorada em todos os sentidos. Eu sou gaúcho, mas esses tambores mexem comigo como se eu fosse daqui também”, disse o produtor cultural Vinícius Martins

O encontro foi marcado pelas apresentações individuais de quatro grupos: Maracatu Solar, Raízes do Griô, D´passagem e Afoxé Oxum Odolá. Em seguida, durante o tradicional ritual, houve a benção aos tambores, que pela primeira vez foi dada por uma mulher, a Ialorixá Mãe Valéria.

Os ritos de reverência aos antepassados é um costume que os africanos trouxeram para o Brasil. Em Fortaleza, o projeto é realizado pela Associação Cultural Solidariedade e Arte (Solar), que desde 2005, luta para agregar o maracatu aos carnavais de rua da Capital. “O Maracatu tem um papel fundamental nesse crescimento do carnaval de Fortaleza, especialmente aqui no Benfica. Muitos grupos se criaram e foram para a rua, depois de conhecer nosso trabalho. Muitos jovens nos procuram para aprender a tocar e acabam compreendendo que essa manifestação acontece há muito tempo aqui”, pontuou Eliane Brasileiro, uma das cantoras do Maracatu Solar.

Para o criador e organizador do projeto, Pingo de Fortaleza, tocar os tambores no Benfica significa marcar de vez o espaço do Maracatu na programação dos foliões que escolhem ficar na Capital. “É permitir que as pessoas participem da musicalidade e religiosidade existentes nos tambores e na sua matriz africana. O Maracatu não existe só no desfile da Domingos Olímpio. Aqui temos uma extensão, todos estão livres e as pessoas gostam disso”, explicou.

Mais cedo, o público da Gentilândia aproveitou o terceiro dia do Carnaval ao som do bloco “As Damas Cortejam” e da banda “Luxo da Aldeia”. A festa deste ano, que tem patrocínio oficial da marca Skol, faz uma homenagem ao bloco de rua Periquito da Madame, o primeiro a fomentar a cultura foliã de Pré-Carnaval nas ruas de Fortaleza.

No Aterrinho da Praia de Iracema, os foliões curtiram as apresentações de Os Transnacionais, Bloco Os Alfazemas e Bloco Vai Gonzagão. Na Avenida Domingos Olímpio, o também público conferiu cordões e blocos de Carnaval.

Confira aqui a programação completa

Tambores Ancestrais na Noite Escura leva música e religiosidade ao Benfica

O projeto, que já está na oitava edição, reuniu diversos grupos de maracatus e afoxés de Fortaleza

Tambores
A apresentação ocorreu na Praça João Gentil (Foto: Kiko Silva)
A folia do Carnaval se misturou com a ancestralidade dos tambores. O Ciclo Carnavalesco, promovido pela Prefeitura de Fortaleza, levou ao público do Benfica a energia e a emoção dos "Tambores Ancestrais na Noite Escura", nesta segunda-feira (10/02).

Os participantes começaram a apresentação às 20h, na Praça João Gentil, a principal do boêmio bairro do Benfica. O projeto, que já está na oitava edição, reuniu diversos grupos de maracatus e afoxés de Fortaleza para um encontro cheio de ritual e estética de matriz africana. Os ritos entoados pelo público comprovam a diversidade do Carnaval de Fortaleza e fortalecem a cultura negra do Ceará. "Sinto muito uma energia que sai de dentro da alma e que tem que ser explorada em todos os sentidos. Eu sou gaúcho, mas esses tambores mexem comigo como se eu fosse daqui também”, disse o produtor cultural Vinícius Martins

O encontro foi marcado pelas apresentações individuais de quatro grupos: Maracatu Solar, Raízes do Griô, D´passagem e Afoxé Oxum Odolá. Em seguida, durante o tradicional ritual, houve a benção aos tambores, que pela primeira vez foi dada por uma mulher, a Ialorixá Mãe Valéria.

Os ritos de reverência aos antepassados é um costume que os africanos trouxeram para o Brasil. Em Fortaleza, o projeto é realizado pela Associação Cultural Solidariedade e Arte (Solar), que desde 2005, luta para agregar o maracatu aos carnavais de rua da Capital. “O Maracatu tem um papel fundamental nesse crescimento do carnaval de Fortaleza, especialmente aqui no Benfica. Muitos grupos se criaram e foram para a rua, depois de conhecer nosso trabalho. Muitos jovens nos procuram para aprender a tocar e acabam compreendendo que essa manifestação acontece há muito tempo aqui”, pontuou Eliane Brasileiro, uma das cantoras do Maracatu Solar.

Para o criador e organizador do projeto, Pingo de Fortaleza, tocar os tambores no Benfica significa marcar de vez o espaço do Maracatu na programação dos foliões que escolhem ficar na Capital. “É permitir que as pessoas participem da musicalidade e religiosidade existentes nos tambores e na sua matriz africana. O Maracatu não existe só no desfile da Domingos Olímpio. Aqui temos uma extensão, todos estão livres e as pessoas gostam disso”, explicou.

Mais cedo, o público da Gentilândia aproveitou o terceiro dia do Carnaval ao som do bloco “As Damas Cortejam” e da banda “Luxo da Aldeia”. A festa deste ano, que tem patrocínio oficial da marca Skol, faz uma homenagem ao bloco de rua Periquito da Madame, o primeiro a fomentar a cultura foliã de Pré-Carnaval nas ruas de Fortaleza.

No Aterrinho da Praia de Iracema, os foliões curtiram as apresentações de Os Transnacionais, Bloco Os Alfazemas e Bloco Vai Gonzagão. Na Avenida Domingos Olímpio, o também público conferiu cordões e blocos de Carnaval.

Confira aqui a programação completa